Introdução Recursos Educacionais Abertos (REA)

524 visualizações

Publicada em

Breve introdução sobre os desafios e avanços da produção e compartilhamento de recursos educacionais abertos no Brasil.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
524
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução Recursos Educacionais Abertos (REA)

  1. 1. Recursos Educacionais Abertos (REA) Introdução Profa. Ms. Rosária Helena Ruiz Nakashima rosaria@uft.edu.br Colegiado de História UFT - Campus de Araguaína
  2. 2. Definição de REA São materiais em qualquer suporte ou mídia Sob domínio público ou licenciados de maneira aberta  Podem ser utilizados ou adaptados e distribuídos por terceiros (UNESCO e comunidade internacional REA–2011)
  3. 3. Os REA incluem: Conteúdo Ferramentas • • • • Cursos completos, módulos e planos de aula Tópicos de um conteúdo ou temas de aprendizagem Livros didáticos, coleções, periódicos e artigos científicos Vídeos, imagens e jogos • Software de criação, entrega, uso e melhoria do conteúdo de aprendizagem aberto • Sistema de gerenciamento, busca e organização de conteúdo e de aprendizagem • Ferramentas de desenvolvimento de conteúdo e comunidades de aprendizado on-line Recursos para implementação • Licenças de propriedade intelectual para promover a publicação aberta de materiais, estabelecer princípios e localização de conteúdo
  4. 4. Projeto REA-Br  Fundado por Carolina Rossini em 2008  Comunidade REA-Brasil: educadores, cientistas, engenheiros, profissionais de TIC, jornalistas, advogados e todos aqueles que acreditam em educação aberta e REA  Parcerias e apoio institucional: Instituto Educadigital, Casa de Cultura Digital, Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas, UNESCO, entre outros
  5. 5. Carolina Rossini “A expansão da Web 2.0 muda, radicalmente, a forma com que interagimos e como comunidades evoluem na internet: de transações para interações colaborativas.” Proposta: “Repensar como acessamos e desenvolvemos conhecimento e qual a contribuição da tecnologia. Não somente como uma forma de acessar o “grátis”, mas como uma nova forma de governança de conhecimento para inovação, por meio do compartilhamento e colaboração.”
  6. 6. Fonte: Carolina Rossini
  7. 7. Documentos e Materiais Declaração de Cidade do Cabo para Educação Aberta (estratégias para aumentar o alcance e o impacto de REA):  Encorajar a participação: professores e estudantes com a criação, utilização, adaptação e melhoria dos REA. Adoção de práticas educativas em torno da colaboração, descoberta e criação de conhecimento.  Interoperabilidade legal e técnica: educadores, autores, editores e instituições publiquem os recursos abertamente em formatos que facilitem tanto a utilização e edição, e adaptáveis a diferentes plataformas tecnológicas.  Política Publica de Educação Aberta: incentivo para que governos, conselhos escolares, faculdades e universidades priorizem a Educação Aberta uma alta prioridade. Acreditação e os processos de adoção devem dar preferência aos REA. Repositórios devem incluir ativamente e destacar os REA.  Estratégias: constituem um bom investimento no ensino e aprendizagem para o século XXI  Redirecionarão o orçamento dedicado a livros didáticos caros a recursos que proporcionam uma melhor aprendizagem
  8. 8. Documentos e Materiais Livro verde sobre REA Objetivos:  Analisar a experiência brasileira de aplicação das TIC na educação, política, tecnologia e pedagogia.  Observar o impacto do conceito emergente de “REA” tanto na teoria como na prática.  4 eixos estruturais para o contexto dos REA no Brasil:  acesso público aos materiais educacionais em geral  ciclo econômico de produção de materiais educacionais e seu impacto no “direito a aprender dos cidadãos”  possíveis benefícios que os REA podem trazer para estratégias de aprendizagem, para produção de recursos mais sensíveis a questões orientadas à diversidade regional e aos padrões regionais de qualidade  impacto dos recursos digitais, on-line e abertos no desenvolvimento profissional contínuo dos professores
  9. 9. Por que optar por REA?  Quando o projeto for financiado por recursos públicos  Quando a tecnologia digital ultrapassar as atuais formas de ensino e aprendizagem  Implicações ligadas ao custo de proteger seu direito autoral  REA são mais fáceis de administrar  Sem limites complexos ao direito autoral  Sem restrições de audiência (pais, comunidade, crianças etc.)  Permite que professores e estudantes modifiquem o recursos conforme sua necessidade local ou individual Fonte: Carolina Rossini
  10. 10. Por que optar por REA?  Acesso público: instituições educacionais (principalmente públicas) deveriam potencializar investimentos provenientes de impostos permitindo o compartilhamento e reuso gratuito e livre  Qualidade pode ser melhorada e o custo de desenvolvimento reduzido (Ex: PNLD 2010: custo de R$ 880.263.266,15 na compra de 135,6 milhões de unidades de livros)  Abertura torna mais rápido o desenvolvimento de recursos e abrir portas para criação de recursos de forma espontânea Fonte: Carolina Rossini
  11. 11. Por que investir em REA?
  12. 12. Carolina Rossini “Ampla disseminação da educação contribui para que sociedades sejam mais inclusivas e coesas, promove a igualdade de oportunidades e inovação, em conformidade com as prioridades de uma agenda social renovada centrada na sociedade do conhecimento”.
  13. 13. Três pilares relativos à intersecção das TIC na política educacional Acesso público a materiais educacionais de financiamento público: materiais disponibilizados sob as definições internacionais dos REA. A adesão a esse princípio requer atenção aos Direitos de Propriedade Intelectual e aos regimes institucionais, ao preço, ao acesso e à formação. Transparência e coleta de dados: dados, estatísticas e avaliações com relação ao êxito da política de REA devem estar facilmente disponíveis a todos. Educando os educadores para que colaborem: verbas públicas para investimento de TIC em infraestrutura devem ser condicionadas ao fato de o beneficiário apresentar um plano pedagógico aceitável para formar educadores para aproveitar ao máximo a combinação de tecnologia e conteúdo aberto.
  14. 14. Recomendações/Desafios Conteúdo educacional e direitos de propriedade intelectual  Dinheiro do contribuinte e acesso público: estabelecer política/lei federal unificada decretando licenças “abertas” e gratuitas para acessar:  livros, teses e artigos necessários ao ensino superior quando estes são produzidos por professores que trabalham em tempo integral em universidades públicas; ou por alunos que recebem bolsas de estudo de tempo integral do governo; ou quando as publicações são o resultado de projetos com financiamento público  objetos digitais ou analógicos de aprendizagem, quando estes forem desenvolvidos por e/ou pagos (trabalho sob encomenda) pelo governo federal, pelos governos estaduais, municipais e seus subempreiteiros
  15. 15. Recomendações/Desafios Conteúdo e preço  Transparência de Mercado:  exigir dos editores que divulguem informações sobre os preços de venda por atacado dos livros didáticos, sobre seu custo real e sobre o histórico de revisões  comissionar estudos e relatórios para investigar os preços elevados dos livros didáticos e as margens de lucro das empresas que operam com receitas substanciais com base na compra pública de livros didáticos e incentivos fiscais
  16. 16. Recomendações/Desafios Conteúdo e Política Pedagógica  Educar os educadores: criar um currículo nacional para internet aberta, para ensinar os professores a utilizarem os REA e a mídia on-line, bem como a alfabetização nas TIC  Educar a sociedade: criar recursos pedagógicos específicos para o uso dos REA, abertos, gratuitos e disponíveis a todos  Incentivos e avaliações: recompensar os professores que não apenas fazem uso dos REA, mas que retribuem com novos REA, e utilizam essas avaliações na ocupação de cargo e promoção na carreira
  17. 17. Recomendações/Desafios Conteúdo e Política de Tecnologia  Padronizar as políticas de teses: unificação de acesso e reutilização de teses, abrangendo desde dados a softwares, trabalhos criativos, know-how e direitos de prática, tecnologia essa associada aos padrões tecnológicos existentes, tal como a Iniciativa dos Arquivos Abertos.  Padronizar as políticas de cursos educacionais (courseware): unificação de acesso e reutilização do cursos da Universidade Aberta e similares. Esta tecnologia deve ser interoperável.  Padronizar uma política de software que promova o software livre e nacional: padronização de normativas determinando que o software resultado de financiamento público deva ser Software Livre e e de código aberto, quando o seu uso for educacional.
  18. 18. Avanços Link para E-book: http://oer.kmi.open.ac.uk/?page_id=980
  19. 19. Avanços • Estratégias significativas fundamentadas em bases teóricas e práticas sobre como REA podem ser produzidos, reutilizados e disseminados para promover coaprendizagem – aprendizagem aberta colaborativa e também desenvolvimento profissional. • REA: licença Creative Commons
  20. 20. Avanços http://creativecommons.org.br/
  21. 21. Referências  Declaração de Cidade do Cabo para Educação Aberta: Abrindo a promessa de Recursos Educativos Abertos http://www.capetowndeclaration.org/translations/portuguese -translation  Blog do Projeto REA-Br e da Comunidade REA-Br. http://rea.net.br/materiais-de-referencia/  SlideShare de Carolina Rossini http://www.slideshare.net/carolina.rossini/rea-na-frenteparlamentar-de-cultura  Livro Verde sobre REA http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=154992 2  Seleção de REA http://beyondelearning.pbworks.com/w/page/26269831/Sele %C3%A7%C3%A3o%20de%20Recursos%20Educacionais% 20Abertos
  22. 22. TRANSITIONAL

×