Relatorio materiais didáticos ppp

25.479 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
25.479
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
204
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio materiais didáticos ppp

  1. 1. FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA ROSIMEIRE MUNDOCO CORRÊARELATÓRIO DE PESQUISA E PRÁTICA PROFISSIONAL - MATERIAIS DIDÁTICOS REDENÇÃO – PARÁ 2012
  2. 2. FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA ROSIMEIRE MUNDOCO CORRÊARELATÓRIO DE PESQUISA E PRÁTICA PROFISSIONAL - MATERIAIS DIDÁTICOS Relatório de Pesquisa e Prática Profissionalreferente à UTA – Educação, Ciência e Tecnologia, no curso de Pedagogia a Distância da Faculdade Internacional de Curitiba. Tutor Local: Josidalva Almeida Centro associado: Redenção - Pará REDENÇÃO – PARÁ 2012
  3. 3. 1 INTRODUÇÃO Sabemos que para se ter um melhor resultado no processo de ensinoaprendizagem é necessário que o professor lance mão de diferentes recursosdidáticos e pedagógicos e contextos formais e/ou não formais de educação o queenriquece e muito a maneira de conduzir o processo educativo dos alunos. O presente relatório é resultante da pesquisa realizada para a disciplina dePesquisa e Prática Profissional – Materiais Didáticos, da Unidade Temática deAprendizagem: Educação, Ciência e Tecnologia. A pesquisa foi realizada pela alunaRosimeire Mundoco Correa nos dias 25, 26 e 27 de setembro de 2012, em umaEscola Municipal de Ensino Fundamental, no setor centro na cidade de RedençãoPará. O principal objetivo deste trabalho foi compreender a atuação profissional dosprofessores e analisar como utilizam os materiais didáticos na sua sala de aula.Buscamos discutir e observar sobre a importância dos materiais didáticos comoferramenta de apoio do processo de ensino aprendizagem e sua utilização nareferida Unidade Escolar no município de Redenção. Como procedimento metodológico foi adotada a pesquisa de campo, na qualseguiu alguns passos básicos para sua realização: primeiramente a definição dolocal da pesquisa, observação do campo de pesquisa, e posteriormente entrevistainformal com 03 profissionais da Escola Municipal de Ensino Fundamental as quaisforam analisadas e relatadas tendo como embasamento para a análise, MariniceNatal Justino, no livro Pesquisa e Recursos Didáticos, livro base para nossapesquisa. Após arealização da pesquisa elaboramos este relatório, o qual descreveaspectos importantes sobre a utilização de materiais didáticos e acreditamos queservirá como subsídio para diversas pesquisas sobre o tema, contribuindo aindapara a reflexão sobre a importância dos materiais didáticos, também chamados detecnologias da educação, que têm como objetivo principal estimular a aprendizagem doaluno. Compreendemos que para que o professor tenha sucesso no processo deensino aprendizagem é necessário que realize um bom planejamento seapropriando dos mais diversos materiais didáticos e osutilizando de acordo com o
  4. 4. contexto dos alunos para que suas aulas sejam mais divertidas e produtivas tantopara o professor quanto para o aluno.2. MATERIAIS DIDÁTICOS: MEIO OU FIM DO PROCESSO EDUCATIVO Sabemos que a educação e o ensino são temas afins e por isso muitas vezessão tratados como sinônimos. Mas, embora sejam parte da mesma realidade sereferem a dimensões diferentes. A educação é um campo amplo do conhecimento, no qual o ensino é parteintegrante deste campo. Para Preti (1996), citado por Justino, o ensino “representainstrução, socialização de aprendizagem, informações, etc.”. Maroto (1995), emJustinodefine educação como “estratégia básica de formação humana, aprender aaprender, saber pensar, criar, inovar, construir conhecimento, participar, etc.”. Durante muito tempo a educação teve como objetivo principal, transmitir oconhecimento e o professor era considerado o seu único detentor. Mas, com opassar dos anos e o avanço tecnológico de comunicação e informação essarealidade mudou, e hoje o professor assume um novo papel: o demediador/facilitador do conhecimento. Nesse contexto pós-moderno, o professor não pode mais se limitar emministrar aulas monótonas e sem materiais didáticos diversificados. Pois, além delançar mão de recursos didáticos diversificados o professor de hoje precisa serpesquisador e utilizar recursos tecnológicos inovadores que juntamente com aprática pedagógica adequada despertam o aluno para a construção doconhecimento. Segundo DEMO (1994) citado por Justino, “na condição de principiocientifico, pesquisa apresenta-se como a instrumentação teórico-metodológica paraconstruir conhecimento”. Assim, podemos dizer que a pesquisa é um procedimento sistemático, umprincípio educativo que enriquece e norteia todo a processo ensino-aprendizagem,pois por meio da pesquisa, tanto professores quanto o aluno podem construir seuconhecimento pautados em fatos reais vivenciados no contexto que torna umaaprendizagem dinâmica, significativa e cíclica. Como princípio educativo, a pesquisa permite ao aluno questionar, investigara realidade para a construção de novos conhecimentos a partir das respostasencontradas. A pesquisa deve estar aliada ao trabalho do professor, pois o professor
  5. 5. que ensina por meio da pesquisa constrói e incentiva o aluno à construção dopróprio conhecimento. Sabemos que para ter sucesso na ministração de uma aula, é necessário umbom planejamento, e isto inclui com certeza a utilização de materiais didáticosdiversificados. Ao longo da história da educação, percebemos que diversos educadoresutilizaram recursos e/ou materiais didáticos, como Comenius em 1657, Pestalozzi eFröebel, educadores dos séculos XVIII e XIX, pois já acreditavam que por meio dasaulas diferenciadas o aprendizado mais ativo e significativo. Embora a utilização de recursos didáticos não seja uma prática recente, épreciso destacar que esses foram evoluindo ao longo da história da educação. Quando os materiais foram incluídos na escola eram chamados de meios deensino. Com o passar dos anos,segundo Justino (2011, p.104) eles ficaramconhecidos como “recurso audiovisual, educação visual, material de instrução,educação audiovisual, recursos de aprendizagem, meio educacional, tecnologia daeducação, comunicação educacional, engenharia educacional.” Mas independente da nomenclatura, o importante é que os recursos didáticossão muito importantes na realização de atividades educacionais, pois podempromover o conhecimento com mais qualidade e sentido. Muitas pesquisas foram realizadas sobre a utilização e aplicação dosmateriais didáticos no processo educacional. Quanto à evolução dos materiais,Schramm os classifica da seguinte maneira: 1. Meios de ensino de primeira geração: cartazes, mapas, gráficos, materiais escritos, exposições, modelos, quadros-negros, etc. 2. Meios de ensino de segunda geração: manuais, livros-texto e de exercícios, teste impressos, etc. 3. Meios de ensino de terceira geração: fotografias, diapositivos, filmes mudos e sonoros, discos, rádio, televisão, etc. 4. Meios de ensino de quarta geração: instrução programada, laboratório de línguas e emprego de computadores. (Schramm, citado em Justino, 2011, p. 107) Ao citar Schramm, Justino não hesita em acrescentar mais uma fase daevolução dos materiais didáticos no decorrer da história da educação e afirma, quediante do avanço acelerado da tecnologia educacional que estamos presenciando,poderíamos acrescentar uma quinta geração, em que os materiais didáticos ou meio
  6. 6. de ensino utilizados seriam internet, DVD, retroprojetor, Datashow, etc. (Justino,2011, p. 107) É importante ainda ressaltar a definição e a importância dos materiaisdidáticos no contexto educacional.SegundoKarling materiais didáticos são recursoshumanos e materiais utilizados para auxiliar e beneficiar o processo de ensino eaprendizagem e podem ser denominados de recurso de ensino, recursos didáticos,meio auxiliar, meio didático, materiais didáticos, recursos audiovisuais, multimeios. Destacamos por fim, a importância da utilização dos materiais didáticos parao processo de aprendizagem dos (as) alunos(as) nos diferentes níveis /etapas emodalidades escolares, uma vez que eles podem motivar no aluno o gosto para oestudo de uma disciplina ou assunto; estimular a aprendizagem do aluno; despertarmais interesse do aluno, estimulando sua participação na aula, tornando-as maisdinâmicas; facilitar a compreensão sobre determinados assuntos apresentados. Nérici (1971) citado por Justino (2011) classifica os materiais didáticosemmaterial permanente de trabalho, material informativo, material ilustrativo visual eaudiovisual e material experimental. Atualmente os materiais didáticos são utilizados para auxiliar o aluno notrabalho a ser desenvolvido, a investigar, descobrir e construir, tornando o processode aprendizagem mais dinâmico, pois enriquece as experiências do aluno, o quenão acontecia antigamente, pois os materiais serviam apenas para sustentar aexplicação do professor. Justino cita a seguinte classificação dos materiais didáticos: recursos visuais,que despertam a atenção para o que está sendo ensinado por meio da visualização;recursos auditivos, que auxiliam no processo de ensino aprendizagem por meio doestímulo auditivo; recursos audiovisuais que estimulam a visão e a audiçãoaprimorando o processo estimulando o aluno para a aprendizagem; e recursosmúltiplos que estimulam a visão, audição e a possibilidade de interação entre osparticipantes do processo de ensino-aprendizagem com o auxílio do material usado. O material didático é uma ferramenta, um instrumento de apoio ao professor,por isso é necessário pensar a aprendizagem significativa para sua elaboração eutilização. Outros materiais necessários para o processo de ensino-aprendizagem porJustino são as sucatas, materiais que podem ser reaproveitados e transformados emobjetos para serem utilizados com diferentes finalidades e propicia ainda a interação
  7. 7. entre professor, aluno, conhecimento; massa de modelar, que é de fácil manejo eserve para confecção de diferentes objetos, quando é preparada pelas própriascrianças a atividade se torna mais atrativa; quadro de giz e quadro branco, emborade antiga utilização ainda são muito importante no contexto educativo, atualizandoapenas sua forma de utilização que antes era utilizado para transcrição de trechosinteiros do livro e hoje, serve mais para explicação de conteúdos e para participaçãoefetiva do aluno; diorema – artefato tridimensional, que consiste em uma cenarepresentada por modelos tridimensionais; maquete, material muito utilizado parailustrar e apresentar conteúdos das diferentes disciplinas; realia e modelos, sãoobjetos reais (amostras do cotidiano), modelos ou miniaturas que servem paraexemplificar o conteúdo trabalhado em sala de aula; quadro expositor; cartazes;quadro ou cartaz de pregas, muito utilizado nas diferentes disciplinas, principalmenteno ensino da leitura e escrita; mural didático, que consiste em expor textos eilustrações utilizadas em sala de aula; varal didático; imagens; histórias emquadrinhos; pantógrafo, instrumento utilizado para redução ou ampliação ereprodução de desenhos, mapas, croquis, gráficos; álbum seriado, coleção de folhasadequadamente dispostas, em que se apresenta o tema a ser desenvolvido deforma racional, objetiva, interessante; flanelógrafo; mimeógrafo; normógrafo, réguacontendo letras ou números vazados para que seja possível desenhá-los; episcópio,instrumento utilizado para projetar imagens; retroprojetor, para projetar imagensampliadas; Datashow, aparelho que ligado ao computador projeta conteúdos dediferentes mídias; computador e internet. Justino destaca ainda a importância de se utilizar os multimeios no contextoeducacional, pois promove a integração de várias tecnologias como DVD, Datashow,home theater, pendrive, celulares, etc., em benefício da aprendizagem. A escolha desses recursos é muito importante, pois servem de apoio para aatuação docente e é importante que sejam elaborados e utilizados com critériosdefinidos, levando em consideração a aprendizagem significativa, buscandofavorecer a compreensão das relações do aprendiz com as questões do cotidiano. Portanto, o professor pode e deve inovar sua prática lançando mão dosdiversos recursos didáticos à sua disposição. Esses recursos ou materiais têm afunção de promover uma aprendizagem significativa para os alunosdesde que sejamutilizados de forma planejada e em constante avaliação, pois assim o professor
  8. 8. poderá replanejar sua prática docente sempre que necessário, pensando semprenos recursos didáticos e suas funções na prática pedagógica.2.1. APRESENTAÇÃO DOS DADOS COLETADOS A pesquisa aconteceu em uma Escola Municipal de Ensino Fundamentallocalizada no centro da cidade de Redenção – Pará. A escola objeto de nossa pesquisa oferta a Educação Fundamental I e II,atendendo cerca de 510 alunos, distribuídos em 16 turmas o que equivale a 31alunos por turma. A escola atende cerca de 100 alunos em Regime Integral em um espaçoalternativo onde acontece o revezamento das turmas as quais estudam um períodono prédio da escola e o outro no referido espaço alternativo. No momento, a escola passa por reforma e ampliação. Percebemos que émuito limpa e organizada, possui laboratório de informática, biblioteca, sala dosprofessores, ampla cozinha, quadra coberta e refeitório, banheiros comacessibilidade e 08 salas de aula. Os dados foram coletados por meio de observação e também por meio deentrevista informal com 03 profissionais desta Escola, as quais foram analisadas erelatadas, tendo como fundamentaçãoMarinice Natal Justino, no livro Pesquisa eRecursos Didáticos.As perguntas utilizadas foram: 1. O que você entende por educação, ensino e pesquisa? 2. Para você, qual a contribuição da pesquisa enquanto princípio educativopara a prática pedagógica do professor? 3. Qual a sua concepção sobre a utilização de materiais didáticos em sala deaula e qual a importância deles no processo educativo dos alunos e alunas? 4. Cite alguns materiais didáticos disponíveis em sua escola. 5. Como você utiliza os materiais didáticos em sala de aula? (constrói com osalunos, leva material pronto, solicita que os alunos levem materiais para enriquecera aula e o conteúdo, utiliza os recursos disponíveis na escola, qual (is) disciplina(s)utiliza mais materiais didáticos, justifique o motivo). 6. Você promove/ promoveu adaptações em materiais didáticos diante denecessidades educacionais especiais de aluno e/ou aluna? Qual(is)? Como foi esseprocesso?
  9. 9. De acordo com os professores pesquisados, educação é um processocontínuo que inicia em casa e acompanha as pessoas por toda a vida. Ensino é umaforma sistematizada de promover a educação e pesquisa é um meio para enriquecere construir a educação. Sobre a questão 2, os professores disseram que a contribuição da pesquisaenquanto princípio educativo para a prática pedagógica é muito importante, pois pormeio da pesquisa é possível construir o conhecimento in loco. Sobre a questão 3, concepção sobre a utilização de materiais didáticos emsala de aula, disseram ser fundamental, afirmando que utilizam sempre materiaisdiferentes para enriquecer as aulas. Sobre a importância dos materiais no processoeducativo dos alunos e alunas é Quando questionados sobre os materiais didáticos disponíveis em sua escola,questão 4 os professores foram unânimes em dizer que são muitos. Como exemplo:livros, papéis, Datashow, câmera, pincéis, computadores (laboratório sem internetno momento), e outros. Quando abordamos a questão 5, como ele utiliza os materiais didáticos emsala de aula, os professores disseram que na medida do possível estão utilizandomateriais diferentes para ministrar aulas. Mas as aulas em que mais usam materiaisdiferentes é: Artes, História e Geografia e Língua portuguesa, às vezes emMatemática. Utilizam principalmente cartazes, álbuns, Datashow, computadores.Algumas vezes os materiais são construídos com os alunos, outras vezes oprofessor leva o material pronto. Afirmaram que utilizam os materiais didáticos comfrequência para que seus alunos aprendam mais e melhor. Para a questão 6, afirmaram que já foi necessário adaptar alguns materiaisdidáticos diante de necessidades educacionais especiais de alunos ou do próprioconteúdo. Não foi citada nenhuma situação especial.
  10. 10. 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS Sabemos que nenhum material didático vai garantir sozinho o sucesso daaprendizagem do aluno. É necessário que o professor prepare com antecedência omaterial e se prepare para utilizá-lo de maneira eficiente e eficaz garantindo a qualidadedo processo ensino-aprendizagem. Quando o professor planeja e executa uma aula na qual se apropria e adaptao material didático e o utiliza de acordo com o contexto dos alunos as aulas serãomais divertidas e produtivas tanto para o professor quanto para o aluno. Por isso, ao planejar, é importante que o docente observe todas aspossibilidades de uso de materiais didáticos diferentes (filme, música, maquete,jogo, internet, etc.) desde que sejam de fácil manejo, estejam em perfeitascondições de uso e relacionados ao tema da aula e à realidade do alunoproporcionando-lhe um aprendizado significativo. Os Recursos didáticos são muito importantes para uma aprendizagemsignificativa, desde que seja utilizado como meio e não como fim em si mesmo, porprofissionais capacitados que conheçam de fato suas potencialidades educativas.Possibilitam ao educando um estudo da realidade local, ampliação da capacidade deobservação do mundo que o rodeia e a construção da autonomia, compreendendo oconteúdo segundo sua realidade, seu desenvolvimento real e as relações com assituações regionais, nacionais e mundiais, percebendo criticamente o mundo,construindo uma aprendizagem autônoma e significativa. Esta pesquisa nos permitiu perceber como os professores utilizam os diversosrecursos didáticos e qual a importância que atribuem a eles no processo educativo.Alguns materiais que conhecíamos apenas por descrições ou fotos, pudemos atémanuseá-los e fazer um comparativo entre o recurso descrito e o real. Pudemosobservarainda que a direção da escola se preocupa muito emdisponibilizar os recursos, na medida do possível, para os professores, pois elaacredita muito no ensino concreto, tanto por meio de recursos didáticos, quanto pormeio de diferentes contextos educativos. A realização deste trabalho nos enche de motivação e esperanças de que umdia, todo professor da Educação Básica no nosso município, possam perceber aimportância da utilização dos recursos didáticos nas aulas, pois ainda existemmuitos
  11. 11. educadores que se conformam com o mais tradicional modelo de educação, jásuperado pela maioria -e educação bancária.
  12. 12. REFERÊNCIASJUSTINO, Marinice Natal.Pesquisa e Recursos Didáticos na Prática Docente.Curitiba: IBPEX, 2011.
  13. 13. FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA CARINE ALVES RODRIGUES ROSIMEIRE MUNDOCO CORRÊA ECOBRINQUEDO REDENÇÃO – PARÁ 2012
  14. 14. FOTO 1: O início de uma ideia FOTO 2: dando forma à ideiaFOTO 3: Elefante quase pronto FOTO 4: destaque às orelhas do Dumbo
  15. 15. FOTO5: Turma reunida para exposição no Polo FOTO6: Exposição no Polo
  16. 16. ECOBRINQUEDO - ELEFANTEFAIXA ETÁRIA: 04 a 06 anosMATERIAIS UTILIZADOS:garrafas pet,sobras de EVAcola quentepapelãocanudinho de isopor (forro do condicionador de ar)PASSO A PASSO: corta-se e cola-se as 02 garrafas pet, com formato meio oval para encaixar como pernas; encaixam-se as duas partes das garrafas em uma garrafa inteira na horizontal formando as patinhas do elefante; depois encaixa-se e cola-se o canudinho de isopor e para fazer a tromba; o papelão é recortado no formato das orelhas que também serão coladas;Após colar todas as partes, começa-se a colar os pedacinhos de EVA como ummosaico.HABILIDADES E COMPETÊNCIASo brinquedo quando confeccionado com as crianças desenvolve as habilidades ecoordenação motora, concentração, cooperação. Quando está pronto, desenvolve aimaginação da criança, pois podem contar e/ou recontar histórias como a doElefante Dumbo, e podem usar a criatividade e criar histórias a partir do brinquedo.ENCAMINHAMENTO METODOLÓGICOOs alunos precisam compreender a importância do ECOBRINQUEDO. Para isso, oprofessor deverá explicar sobre a sustentabilidade do planeta, a reciclagem do lixo ea poluição da natureza.Deve enfatizar sobre a importância de cada um fazer a sua parte par cuidar melhordo nosso meio ambiente.
  17. 17. Depois o professor pode contar a História do Dumbo e utilizar o ecobrinquedo.Tendo contado a história solicita aos alunos que a recontem oralmente.Outra sugestão é que os alunos acompanhem toda a história contada com mímicas,imitando a personagem principal enquanto o professor conta a história.IDENTIFICAÇÃO COMPLETA DOSAUTORES Carine Alves Rodrigues Rosimeire Mundoco Corrêa
  18. 18. FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA CARINE ALVES RODRIGUES ROSIMEIRE MUNDOCO CORRÊA ATIVIDADES DE PORTIFÓLIO – LIVRO REDENÇÃO – PARÁ 2012
  19. 19. LIVRO O PORVIR DE PEDRO DEMOQuestões Aplicadas Práticas:Questão 1Considerando o ciberespaço, ou seja, o mundo da tecnologia dos computadores queinvadiu ouniverso do ensino, a leitura pode se desenvolver, dependendo dainstrução correta dosprofessores. Dentro do universo virtual, aliado ao aspectotradicional da leitura, o autorconcebe três tipos de leitores: o leitor contemplativo, oleitor movente e o imersivo.Considerando esses três tipos de leitores, faça uma entrevista com alunos doensinofundamental e médio, indagando com que tipo de leitor ele se identifica, eapós a entrevista,descreva sobre cada um deles.A maioria dos estudantes entrevistados afirma ser leitores imersivos, pois estão em constanteintegração com o mundo virtual.Segundo o livro O Porvir, de Pedro Demo, o leitor contemplativo ou meditativo,é o leitor típico dasociedade pré-industrial, da era do livro impresso e da imagem fixa, nasce no Renascimento esobrevive até meadosdo século XIX. É o leitor que procurou o isolamento para absorção do conteúdo,que não se preocupa com quanto tempo faz que esteja lendo nem tem pressa para terminar. Serresponsável por sua leitura proporciona a ele a capacidade de ler e reler inúmeras vezes e da formaque melhor lhe agrada, sem restrições.O segundo leitor, o movente é o parte do mundo em movimento, dinâmico, mundo híbrido,misturando signos. Filho da Revolução Industrial e das grandes cidades – um ser humano dasmultidões. Essas questões ligam-se a explosão do jornal, bem como ao horizonte reprodutivo dafotografia e do cinema, indo até a revolução eletrônica tendo seu apogeu na televisão.Finalmente, há o leitor imersivo ou virtual, que é o tipo de leitor que surge nas últimas décadas doséc. XX para o XXI. Esse, gira em torno do poder dos dígitos para tratar toda informação, som,imagem, texto, programas informáticos, com a mesma linguagem universal, bits de 0 e 1 (umaespécie de “esperanto” das máquinas).O leitor imersivo pode ser identificado como aquele que está em constante estado de prontidão,conectando-se entre nós e nexos, num roteiro multilinear, multidisciplinar e labiríntico que ele próprioajudou a construir ao interagir com os nós entre palavras, imagens, documentação, músicas, vídeo etem na multimídia seu suporte e na hipermídia sua linguagem.Questão 2Entreviste professores e equipe pedagógica, além do diretor de uma escola de suaregião,seguindo o roteiro das perguntas a serem respondidas.a) Para esses profissionais, qual a importância da realidade virtual e daaprendizagem digitalna formação dos alunos de hoje?Diante desta nova realidade, os professores afirmam que sedeve privilegiar aconstrução dosconhecimentos mediados pela tecnologia, pois seus alunos fazem parte desse universo virtual.b) A realidade virtual influencia na prática do ensino aprendizagem desseprofissional? Como?Por quê?
  20. 20. Sim. Principalmente na realização de pesquisas para ampliação do conhecimento tanto do professorquanto do aluno. Alguns desenvolvem atividades em laboratório de informática, quando esse édisponibilizado.c) Descreva algumas vantagens da aprendizagem digital.O ambiente digital pode se configurar como local de aprendizagem multidisciplinar, poisintegradiferentes formas de linguagem, possibilita convivência com o outro, por mais distante queesteja.Aprender nesse ambiente digital, é gratificante e desafiador, pois é uma cultura de rede na qual ossujeitos interagem constantemente entre si.Questão 3Nota-se o avanço da tecnologia das últimas décadas, porém em contrapartida, adistânciaeletrônica chama a atenção, por estar condicionada, em grande parte, aosmodos de seratuais, desde a produção de representações sociais próprias (gíriasusadas nas conversasveiculadas pelo computador, por exemplo), até a inserção nomercado, pois nem todas aspessoas tem o acesso virtual e entre essas, estãomuitos dos professores (em sua maioria daEducação Infantil, Ensino Fundamental eMédio) os quais muitos desses não acompanham osavanços da internet.Faça uma tabela com base no modelo a seguir, e entreviste professores daEducação Infantil,Ensino Fundamental e Médio, em relação à frequência que osmesmos acessam a internet.Após essa fase de entrevista, responda:Por que na maioria das vezes os professores não estão inseridos adequadamenteno mundodigital?São vários os fatores que impedem o professor de sua inserção adequada no mundo digital. Algunsnão tem tempo, outros não tem recursos e ainda outros não tem incentivo para iniciar sua viagem poresse maravilhoso mundo digital.
  21. 21. LIVRO: AVALIAÇÃO PLANEJADA, APRENDIZAGEM CONSENTIDA: ÉENSINANDO QUE SE AVALIA, É AVALIANDO QUE SE ENSINA, DE IVO JOSÉBOTHp. 681. Um dos entrevistados disse que o professor é o mediador entre o conhecimento eo educando. Por isso tem de perceber como se dá o aprendizado de seuseducandos e facilitar o processo de aprendizagem. Para o outro, a tarefa doprofessor não se restringe somente empassar conteúdos curriculares; ele tem quearticular o saber escolar com o dia a dia do aluno para que ele possa aprender demaneira significativa.2. Sem dúvida, a avaliação é uma das tarefas mais difícil e delicada que o educadorse depara no seu dia a dia. É por meio da avaliação que observamos se os nossosobjetivos pretendidos foram ou não alcançados.Tendo a avaliação como objetivo maior acompanhar todo o processo deaprendizagem dos indivíduos em formação, o professor deve realiza-la em umprocesso contínuo, constante e cumulativo. A avaliação deve ser ainda de formaparticipativa , adequada e variada, pois o professor que diversifica seu modo deavaliar, poderá comtemplar e acompanhar o desempenho do seu aluno de maneiradigna e justa, e estará revendo constantemente seus instrumentos e práticas deavaliação.p.951. Estudo de casoÉ um instrumento de pesquisa que permite a ampliação e o aprofundamento deconhecimentos sobre determinado tema. Assim, fizemos uma aplicação prática,tentando entender porque muitos alunos não conseguem um bom resultado no seuprimeiro ano escolar. O resultado dessa pesquisa não surpreendeu muito, poispercebemos diversos fatores como, falta de preparo anterior ao período escolarobrigatório, pois segundo alguns professores os alunos que não frequentaram acreche demonstra maior dificuldade. Acompanhamentodos pais e interesse dosalunos, o que a nosso ver, está diretamente ligado a o modo com que o professor
  22. 22. elabora sua aula. Que muitas vezes é monótona e não traz nenhuma motivaçãoaosalunos.p. 137 e 1381. Tanto a avaliação da aprendizagem quanto a avaliação institucional sãoimportantes para o desempenho da unidade escolar porque funcionamcomo umtermômetro que demonstra o patamar que o indivíduo e a instituição se encontramcom relação a determinado objetivo proposto. Ambas devem ser contínuas,processuais, cumulativas e reflexivas, as quais, a partir de seus resultados darãoorientações para novas ações coletivas ou individuais na unidade escolar.2. a) Faça uma pesquisa sobre a Prática da Pedagogia Hospitalar na sua cidade.Tabule os dados e exponha para seus colegas de turma. (Realização e relatório dapesquisa: 5,0 – Exposição e tabulação dos resultados 5,0)p. 152 e 1531. Até o momento não há escola ciclada em Redenção. Mas, o 1º, 2º e o 3º ano doEnsino Fundamental I, funcionam em ciclo. Segundo o professor pesquisado aavaliação é uma prática que facilita e viabiliza o avanço dos conhecimentos dosalunos de forma contextualizada e significativa tendo preocupação do sucesso detodos. Mas ainda há a aplicação de provas bimestrais.2. Segundo Soistak, na escola em ciclos o professor deve acompanhar suas turmassem reprovação. Mas o final de cada ciclo pode haver retenção de alunos se nãohouver aproveitamento suficiente no decorrer do período. Soistak afirma tambémque o ciclo deve incluir todas as crianças na escola, evitando a evasão e areprovação, melhorando a aprendizagem educacional.Os professores da escola ciclada e a equipe pedagógica devem ser bem preparadose devem receber um bom apoio educacional. A avaliação deve ocorrer durante todoo Ciclo sendo diagnóstica e formativa.Outra autor citado é Pedro Demo, para o qual aprender sem repetir é diferente decamuflar a aprendizagem para que o aluno possa avançar sem aprender.Para Cruz, com a não repetição poderá ocorrer maior atenção dedicada pelosprofessores àqueles alunos que apresentam dificuldades ou defasagem em relaçãoà turma e que muitas vezes são deixadas de lado pelo professor, pois o mesmo járealizava um pré-julgamento de que o aluno não passaria.Vasconcellos é citado pelo autor como um dos educadores e autores eu nemsupervalorizam nem subestimam a organização escolar em ciclo, valoriza a escola e
  23. 23. sua função de propor avanços educacionais, de enfatizar a avaliação daaprendizagem como agente de melhoria do processo ensino-aprendizagem.O autor cita ainda Mainardes que se posiciona de forma mais genérica sobre o papelde instituição escola no contexto do sistema de ensino, mas sem olvidar ocomponente ciclo na organização escolar é favorável a uma avaliação permanentedos resultados obtidos e dificuldades encontradas, garantindo, assim, ofortalecimento da função social da escola.p. 1751. Aspectos físicos Aspectos psicológicos Aspecto social Aspecto intelectual2. Dentre os principais aspectos que devem compor a formação dos profissionais deeducação infantil destacam-se a qualificação especifica para atuar na faixa de 0 a 6anos, formação acadêmica e formação continuada.p.1921. Percebe-se que estas pessoas sentem um certo constrangimento, porque nãoconseguem um emprego ideal, além de demonstrarem muita dificuldade nalinguagem.2.A igualdade para o acesso e permanência na escola é uma igualdade moral, umdireito que todo cidadão tem de frequentar a escola de maneira igualitária.Mas,esse direito não é muito respeitado devido aos resquícios de uma sociedadepreconceituosa que ainda vê o diferente como anormal. Os mais discriminados pelanossa sociedade são os negros, os índios, os pobres, e mais recentemente aquelesde opção sexual diferente da maioria dos demais estudantes. Assegurar essaigualdade é um grande desafio para nossas escolas, mas creio que o primeiro passojá foi dado, quando houve a sanção da LDB 9394/96.
  24. 24. LIVRO: PRÁTICA PEDAGÓGICA, APRENDIZAGEM E AVALIAÇÃO EMEDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, IOLANDA BUENO DE CAMARGO CORTELAZZO p. 112 A partir da década de 80 iniciaram-se os projetos de Desenvolvimento daTeleducaçãoe Novas técnicas educacionais para o Ensino Superior mantendo aideia de criação de uma rede de ensino a distância, utilizandobasicamente o meiotelevisivo. Nos anos 1990 a educação à distância começa a ser concebidanum contextomais amplo dos Projetos Pedagógicos Nacionais ganhandomais espaço no cenárioeducacional, sendo os primeiros grandesprojetos relacionados com a televisão. Em1996, pela primeira vez,a EAD é incluída na legislação educacional, com a novaLDB reconhecendoa educação a distância como uma modalidade de educaçãonoartigo 80 da referida lei.Importante destacar que antes mesmo da publicação da LDB em1996, aUniversidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em 1994 realizouo primeiro processoseletivo para um curso de graduação a distância,dirigido para formação deprofessores das séries iniciais do Ensino Fundamental. O referido curso foi oferecido em algumas cidades do Estado,contando com352 alunos matriculados. O curso da UFMT utilizavamaterial impresso commediação de tutoria presencial nas cidades polosdas turmas. Este modelo passou aservir de referência para outrasinstituições de ensino superior que, aos poucosforam iniciando suasatividades na área de EAD. Não foi possível descobrir se a referida Universidade ainda oferece o sistemade Educação a Distância.p. 169, 170, 171e 172Após o exercício realizado chegamos à conclusão de que para se ter bom êxito noestudo a distância é necessário organizarmos bem o nosso tempo. Por exemplo: Reservar um tempo mínimo diário paraatendimento às atividades. Otimizar e gerenciar bem o tempo. Ler e realizar as tarefas propostas pelo curso (portfólio, por exemplo) diariamente. Manter contato com o polo ou realizar pesquisas na internet.Resumindo: o segredo é a Gestão do Tempo. A EAD pode ser definida como uma “relação professor aluno ou ensino aprendizagem mediada pedagogicamente e mediatizada por diversos materiais instrucionais e pela orientação tutorial. Isto é válido tanto para ambientes pedagógicos tradicionais como para aqueles que usam as novas tecnologias” (RIANO, 1997, p. 20).

×