adm. de produções e operações

1.346 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

adm. de produções e operações

  1. 1. ADMINISTRAÇÃO – 7º PERÍODO PROF. ORLANDO ALUNAS: ALINE E ROSILDA
  2. 2. Com o passar do tempo, as pessoaspassam a produzir bens mais elaborados,até mesmo para revendera terceiros. Com aevolução da produçãoartesanal, os artesãoscomeçaram a contratarajudantes denominadosaprendizes.
  3. 3. A administração de Produção e Operações evoluiu até sua forma atual através da combinação depráticas consagradas do passado, adaptando-se aosdesafios de cada era,a fim de buscar novas formas de gerenciar o sistema de produção.
  4. 4. Com o advento da Revolução Industriala partir de 1700 foi descoberto a máquinaa vapor por James Watt (1764).Essa trouxe dois avanços importantes: a força mecanizada substituía a força humana e da água; o sistema fabril começou a ser estabelecido.
  5. 5.  Frederick Taylor 1856 - 1915Princípios de administração científica, princípio da exceção, estudo do tempo, análise de métodos, padrões, planejamento e controle. Frank B. Gilbreth 1868 - 1934Estudo dos movimentos, métodos, contratos de construção e consultoria. Lílian M. Gilbreth 1878 – 1973Estudos da fatiga, ergonomia, seleção e treinamento de empregados.
  6. 6.  Henry L. Gantt 1861 – 1919Gráficos de Gantt, sistemas de pagamento por incentivo, abordagem humanística ao trabalho, treinamento. Carl G. Barth 1860 - 1939Análise matemática, régua de cálculo, estudos de suprimentos e velocidade, consultoria para aIndústria automobilística. Harrington Emerson 1885 - 1931Princípios da eficiência, economia de milhões de dólares em ferrovias, método de controle. Morris L. Cooke 1872 - 1960Aplicação da administração científica à educação e ao governo
  7. 7.  Harwad B. ReviewRelacionou os avanços sobrea APO nos anos de 1980 a1990, quais sejam: Robóticae controle numérico; Projetoauxiliado por computador;Administração da qualidadetotal; Just-in-time; PadrõesISO; Competição baseada notempo; Reengenharia doprocesso; Administração dacadeia de suprimentos;Organização virtual.
  8. 8. Os fatores que proporcionaram maior impacto na APO são: realidade da competição global; qualidade, serviço ao cliente e desafios de custos;rápida expansão da tecnologia de produçãoavançada; contínuo crescimento do setor deserviços; escassez de recursos de produção;questões de responsabilidade social.
  9. 9. NOME DA EMPRESA: R &A Trading Moveis e Decorações.LOCALIZAÇÃO: Rua Cândido Portinari, 218 – Ipanema-RJSEGMENTO: Atua no mercado de tapetes e móveis étnicosPRODUTOS COMERCILAIZADOS: Comercializamosmóveis,tapetes e objetos de origem da indiana, indonésia eoutros.PÚBLICO ALVO: Classe média alta e a elitizada.
  10. 10.  Mão de obra: vendedores, estoquista, supervisores, marceneiros e administrativo. Capital: R$ 350.000,00(mais R$ 500.000,00 em estoque) Produtos: Móveis, Tapetes eObjetos de Decoração Serviços:Nossos serviços são dirigidos para a classe média alta.  Os produtos chegam em um contêiner que é descarregado pelaequipe de estoque, e em seguida passa por uma rigorosa análise de separação colocando os produtos cada um em seu respectivo estoque. Depois segue para loja que é designada e assim é disponibilizado para nossos clientes com a mais alta e excelência qualidade .
  11. 11. Conceito inovador onde a posição defornecedor é substituída pela doparceiro, e o faturamentoImediato substituído pelo lucropós venda.Objetiva formar equipes flexíveis,otimizando os recursos, paramaximizar resultados nummodelo de alta competitividade
  12. 12. O surgimento do primeiro Consórcio Modular,deu-se na indústria automobilística brasileirana fábrica da Volkswagen em Resende, no Riode Janeiro.
  13. 13. Um dos pontos fundamentais e inovadores doConsórcio Modular é o riscoCompartilhado entre aMontadora e os consorciados.A criação de um elo fortede parceria entre amontadora eos consorciadosfavoreceunovos negócios.
  14. 14. Um dos objetivos é o repasse de atividades demontagem aos consorciados de forma a permitir aredução dos custos e do tempo de montagem do produto. O modelo de Consórcio Modular daVolkswagen Resende, por ser o único no mundo, serve como modelo e benchmark para diversas outras adaptações.
  15. 15. Previsão, no inglês forecasting, traduzida como pré- moldar e pré-selecionar, portanto é a estimativa de situações futuras e um elemento importante para tomadas de decisões.A previsão de vendas é importante, pois possibilita a utilização das máquinas de maneira adequada, possibilitando a reposição dos materiais no momento e na quantidade certa.
  16. 16.  NECESSIDADE DO CLIENTE:A necessidade pode ser definida como aquilo que fica entre uma situação em que o cliente se encontra e aquela em que ele deseja estar.
  17. 17.  ANÁLISE:A análise é a distinção e a separação das partes de um todo com vista a conhecer os respectivos princípios ou elementos. A análise das necessidades do cliente está em sintonia direta com as principais facetas do processo de gerenciamento de trabalho ou otimização da eficiência dos que permite que uma fábricaproduza a mesma quantidade com um custo menor.
  18. 18.  REPOSIÇÃO DOS MATERIAIS:A reposição dos materiais vem a ser complementação dos saldosfísicos dos materiais, os quais foram consumidos pela empresa. Areposição pode ser considerada como o suprimento do estoque ou deuma demanda ocorrida na área de manutenção para atender aodesgaste de uma peça.Lembrando que nem todos os materiaisdevem estar disponíveis noarmazenamento, pois váriaspeças somente são adquiridasna necessidade de sua trocana data programadada parada do equipamento.
  19. 19.  RECEBIMENTO:O recebimento de materiais adquiridosinicia-se na entrada dos itens na portaria daempresa, desde este ponto deve-se tomarcuidado nas ações queserão tomadas, pois muitosProblemas poderãoocorrer.
  20. 20.  ARMAZENAMENTO:O armazenamento de materiais é o processo de provisionamento dos itens adquiridos, de forma a mantê- lo em condições de utilização no momento desejável. Ascondições interiores da área de armazenagem devem atender as necessidades dos itens adquiridos, pois cada material possui sua exigência de vida. Deve-se observar atemperatura ambiente (durante o horário diurno e noturno),pois a variação de temperatura atinge a conformação dos materiais.
  21. 21.  LOGISTICA DE DISTRIBUIÇÃO:A logística de distribuição éresponsável pela administraçãodos materiais a partir da saída doproduto da linha de produção até aentrega do produto no destino final.O distribuidor por sua vez vende oproduto para um varejista e emseguida aos consumidores finais.Existe uma série de variáveis edecisões de trade-off a seremtomadas pelo profissional delogística.
  22. 22.  LOGISTICA DE ENTREGA:A logística de entrega significa gerir a gestãodo fluxo que se assegura transferir a mercadoria de uma forma eficiente dos produtos acabados para os clientes finais. Este fluxo pode ser assegurado pelo fornecedor ou com o recurso a terceiros, ou seja, os distribuidores
  23. 23.  O sistema utilizado é estratégia. O sistema abrange os setores de compra, estoque, fornecedores, clientes (histórico), financeiro.
  24. 24. CORRÊA, Carlos A. CORRÊA, Henrique L. Administração de produção e operações, manufatura e serviços: uma abordagem estratégica. SÃO PAULO: Atlas, 2010. http://www.coladaweb.com/administracao/erphttps://docs.google.com/file/d/0B4KJIlejzlLlSTVoLXMtY3JBWWs/edithttp://www.vwcaminhoeseonibus.com.br/pt/company_factory_brasil_m odular-consortium.aspx http://www.youtube.com/watch?v=ibhvpinz0Vk http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2002_TR15_0436.pdf

×