Estudo metodologico e cognitivo do mapa representação espacial

1.667 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.667
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo metodologico e cognitivo do mapa representação espacial

  1. 1. ESTUDO METODOLÓGICO E COGNITIVO DO MAPA Equipe: Rodrigo Sousa Rita de Kássia Regina Marta Ana Érika Ricardo Ferreira Universidade EstadualVale do Acaraú-UVA Centro de Ciências Humanas-CCH Curso de Geografia Disciplina: Representação Espacial Professora:Ana Paula Lívia de Oliveira
  2. 2. O mapa é uma das mais importantes ferramentas que a humanidade possui, ferramenta que permite facilitar a compreensão do espaço, do cotidiano do homem e dos resquícios documentados ao longo dos tempos. Essa importância não é algo novo, pois desde os tempos mais remotos o homem sentiu a necessidade de representar ou mesmo organizar seu espaço, por meio dos mapas. Introdução
  3. 3.  Propiciar uma compreensão das bases do mapa e incentivar uma forma de pensar sobre os problemas didáticos e a ele concernentes, não é analisar o ensino pelo mapa, mas sim, propor o problema do processo de ensino/aprendisagem do mapa. Objetivos
  4. 4.  O mapa sempre foi um instrumento usado pelo homem para se orientar, se localizar, se informar, enfim, para se comunicar;  O homem sempre desenvolveu uma atividade exploratória do espaço circuncidante e sempre procurou representar esse espaço para os mais diversos fins;  Há uma evolução de métodos, técnicas materiais e teorias que estão em acordo com o próprio desenvolvimento e progresso da ciência e da tecnologia. Educação do mapa
  5. 5.  Os mapas escolares são reprodução dos mapas geográficos;  Parece que um problema didático do mapa é o professor utilizá-lo como um recurso visual, com o objetivo de ilustrar e mesmo “concientizar” a realidade;  Ao aceitar o trabalho de Piaget e seus colaboradores acerca da construção do espaço, é possível delinear o problema didático do mapa. O problema didático do mapa
  6. 6.  (...) é somente o professor de Geografia que tem formação básica para propiciar as condições didáticas para o aluno manipular o mapa;  De modo geral, os artigos que tratam dos mapas, no setor educacional, voltando-se mais para as finalidades e seu uso pelos professores e pela criança em situações escolares. Os mapas na sala de aula
  7. 7.  Os mapas sempre fizeram parte dos equipamentos pedagógicos nas escolas;  O ensino pelo mapa e não o ensino do mapa;  As pesquisas sobre o ensino do mapa apresentam dificuldades que não lhes são próprias e, que existem em outras áreas da didática. As bases para uma metodologia do mapa
  8. 8.  Estudo realizado com a finalidade de aplicar os conceitos teóricos referentes às relações projetivas de ordem espacial;  Piaget (1929) estudou a evolução das relações de direita e esquerda em crianças de Genebra;  Constatou três estágios:  O processo da evolução das noções de direita/esquerda sobre a mesma maneira que o da socialização do pensamento de um egocentrismo puro. As relações projetivas de ordem espacial na leitura do mapa • Crianças de 5-8 anos1º estágio • Crianças de 8-11 anos2º estágio • Crianças de 11-13 anos3º estágio
  9. 9.  O propósito da pesquisa sobre as relações projetivas de ordem espacial foi estudar as suas aplicações à leitura do mapa;  O estudo foi realizado em 1974 / 75 na cidade de Rio Claro;  Participaram da pesquisa todas as crianças de 15 estabelecimentos de ensino. Realização do estudo  Divisão regional do Brasil
  10. 10.  A homogeneidade das unidades da população - aluno em cada grupo de idade – permitiram trabalhar com uma amostra relativamente pequena;  Foi adotada uma seleção radônica dos sujeitos bem como uma listagem precisa e detalhada da população como: nome, data de nascimento, sexo, série, classe e período – diurno ou noturno -;  A população propriamente dita da pesquisa ficou constituída por 3005 crianças, o que representava 38% do 7958 matriculados nas 12 escolas; Procedimentos da pesquisa
  11. 11.  Ficou constituída por 321 crianças, que representavam 30,68 % da população total (3005), e conseqüentemente de cada estrato, isto é, de cada série e grupo de idade de meninos e meninas.  O ultimo passo constitui em preparar uma lista para cada escola -12 alunos com nome, sexo, série e classe dos alunos sorteados para integrar a amostra de 321 crianças. Amostra
  12. 12.  Foi realizada com a finalidade de caracterizar a população quanto ao problema a ser investigada; testar as provas; verificar o questionário quanto a formulação das questões e reações das criança; preparar as aplicadoras para que se familiarizem com as provas e com o material a ser utilizado; e estimar o tempo da pesquisa.  O grupo escolar “Marcelo Schmidt”e o colégio estadual “Professor João Batista Leme”. Esses dois estabelecimentos de ensino (14% do total das 14 escolas) tinham 1426 alunos, que representavam 15% do total dos 9384 alunos deste estudo, sendo 717 meninos e 709 meninas. Pesquisa piloto
  13. 13.  Para verificar as noções projetivas de ordem espacial, foram preparadas três provas, cada uma delas dividida em três seções. A prova A, referente as noções de direita/esquerda, foi organizada de acordo com as propostas apresentadas por Piaget, ao estudar a lógica das relações. As provas B e C foram preparadas pelo grupo organizador da pesquisa, também considerando os passos propostos por Piaget nas provas de direita/esquerda. Instrumento de medida
  14. 14.  Os materiais utilizados nas provas A e B incluiram seis objetos diferentes [borracha, esferográfica, chave, lápis preto, apontador, moeda de um cruzeiro e um cartão branco de 9X6,5 cm]. Além disso, utilizou-se uma folha de papel branco para cobrir os objetos. Descrição das provas e dos materiais  Fotografia de satélite do Brasil.
  15. 15.  Durante as provas, a aplicadora tomou precau- ções no sentido de se certificar de que a criança escutou as suas instru- ções e prestou atenção ao material. Como se pode constatar, o experi- mento foi conduzido que procuraram manter a objetividade e a unifor- midade. Coleta de dados
  16. 16. Técnicas de análise  Os pontos obtidos por cada aluno serviram à classificação em estágios;  Considerou-se os acertos;  Considerou-se a idade;  Considerou-se o rendimento escolar;
  17. 17. Resultados  Adotou-se os estudos de Laurendeau e Pinard, que consideravam como sendo válido uma pesquisa que estuda comportamento de crianças pela idade, como sendo representativo acima de 50% das respostas condizentes entre si.  Divisão política do Brasil
  18. 18. Resultados 10-11 anos Relações projetivas Descentralização: Objetos em relação a outros objetos Referente a idade
  19. 19. Resultados Referente ao rendimento escolar Correspondência entre médias e estágios de desenvolvimento das relações projetivas 7,8 e 9 anos A partir de 10 anos Não ocorrência de coincidências entre as médias escolares e a pontuação obtida no teste. Estágio 1: Médias baixas Estágio 2: médias razoáveis Estágio 3: melhores médias
  20. 20. Resultados  Como se supunha existe correlações entre: Direita Esquerda
  21. 21. Implicação dos resultados  Somente metade dos alunos com 9 anos distinguem direita/esquerda no seu próprio corpo;  O mapa é considerado recurso áudio visual;  Não se aplica o ensino do mapa, mas sim o ensino pelo mapa.  A introdução dos mapas deve considerar: Desenvolvimento mental & Processo de mapeamento
  22. 22. Implicação dos resultados Relações espaciais topológicas projetivas Diferentes pontos de vistas Representação dos fatos substancia peso volume Sistema de referencias
  23. 23. Conclusões  1. falta e necessidade de uma metodologia para o ensino do mapa;  2. necessidade de uma cartografia infantil;  3. o mapa assume função ecológica, pois por meio deste o individuo pode melhor conhecer a terra e, dela cuidar. Necessidade documental;  4. falta o preparo dos professores de ensino fundamental e médio;  5. Necessidade de introdução do ensino/aprendizagem do mapa nos currículos escolares.  6. O mapa como mecanismo de enriquecer a vida intelectual de seus alunos.
  24. 24. Referências Bibliográficas OLIVEIRA, Lívia de. Estudo Metodológico e cognitivo do mapa. In:ALMEIDA, Rosângela Doin de (Org.). Cartografia Escolar, São Paulo: Cautekto, 2007.
  25. 25. Obrigado pela atenção! Equipe: Rodrigo Sousa, Rita de Kássia, Regina Marta,Ana Erika e Ricardo

×