Andre, miguel, pinto

2.194 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.194
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Andre, miguel, pinto

  1. 1. TRABALHO DE GRUPOCURSO PROFISSIONAL: Técnico de Apoio à Gestão Desportiva COMPONENTE DE FORMAÇÃO: Sociocultural CICLO DE FORMAÇÃO: 2011/2012 DISCIPLINA: Psicologia Trabalho elaborado por: • Rodrigo Pinto nº19 10º PB
  2. 2. 2.1.2 O conceito de Desenvolvimento2.1.1 A Psicologia do Desenvolvimento2.1.3 Metodologias no estudo do desenvolvimento2.1.4 Factores de desenvolvimento 2.3.2 As oito idades Hereditariedade 2.3.1 Conceito de crise psicossocial Meio 2.4.1 Da conceção ao nascimento Maturacionismo 2.4.2 Estádio de desenvolvimento pré-natal Mecanismo 2.4.3 A infância Interacionismo O desenvolvimento cognitivo Experiência Física O desenvolvimento psicossocial2.2.1 O Construtivismo 2.4.4 A adolescência Desenvolvimento Cognitivo Alterações físicas Comportamento A crise de identidade2.2.2 O desenvolvimento como adaptação Moratória Estrutura e Esquema 2.4.5 A idade adulta Adaptação Alterações físicas Assimilação 2.4.6 A velhice Acomodação Mudanças cognitivas Equilibração Mudanças físicas2.2.3 Os estádios de desenvolvimento Tipos de mudanças físicas 1º Estádio sensório-motor 2º Estádio pré-operatório Egocentrismo Pensamento pré-concetual Pensamento Intuitivo 3º Estádio das operações concretas Operações concretas 4º Estádio das operações formais Pensamento abstrato
  3. 3. 2.1.1 A Psicologia do DesenvolvimentoÁrea da psicologia que estuda as diferentes etapas, a vários níveis, por que cada umde nós passa ao longo da vida. Engloba áreas como a psicologia infantil, a psicologiado adolescente, a vida adulta e a gerontologia (velhice) 2.1.2 O conceito de DesenvolvimentoConsiste nas mudanças a que os seres humanos estão sujeitos, ao longo de todo oseu ciclo de vida, da concepção à velhice. Implica um crescimento biológico,intelectual, emocional e social.
  4. 4. 2.1.3 Metodologias no estudo do desenvolvimentoO desenvolvimento pode ser estudado segundo duas metodologiasdiferentes: os métodos longitudinais e os métodos transversais. Os primeirosestudam as modificações dos seres humanos ao longo de varias etapas, aolongo do ciclo de vida. São, por isso, métodos que permitem estudar odesenvolvimento do ser humano ao longo do tempo. Os segundos estudam onível de desenvolvimento de vários seres humanos da mesma idade, nosentido de encontrar semelhanças.Ambos os métodos se baseiam na observação de crianças, adolescentes eadultos em diferente situações. Mas os métodos transversais podemtambém recorrer a algumas experiencias, para que possam serestabelecidas semelhanças ou diferenças entre seres humanos na mesmafase da vida. Metodologias Longitudinais Transversais A mesma etapa de Ao longo da vida desenvolvimento Obeservações Experiências
  5. 5. 2.1.4 Factores de desenvolvimento São os aspetos que condicionam, facilitando ou dificultando, o processo de desenvolvimento do ser humano. HereditariedadeÉ o processo de transmissão de Meiocaracterísticas de pais para filhos. Por meio entendemos o queAs características que herdamos rodeia o ser humano ondedos nossos progenitores são-nos ele se desenvolve. Ao longotransmitidas por hereditariedade. da vida o ser humano insere-São características que fazem parte se em diferentes tipos dedo nosso código genético, são meio: intra-uterino, físico einatas, ou seja, já nascem social.connosco.
  6. 6. Maturacionismo:É a perspectiva sobre o desenvolvimento humano que defende que este é o processoatravés do qual o organismo atinge a sua maturidade. A noção de maturação implicasempre uma evolução interna do organismo, de aspectos genéticos e do sistema nervoso.Está ligada a uma hereditariedade da espécie e a uma hereditariedade individual. A hereditariedade → Desenvolvimento Mecanismo: Perspectiva sobre o desenvolvimento que defende que este é essencialmente fruto do meio, que o individuo se desenvolve de acordo com o meio, e não de acordo com aspectos genéticos ou hereditários. O meio → Desenvolvimento
  7. 7. O InteraccionismoPerspectiva sobre o desenvolvimento humano que defende que a hereditariedade e o meio sãofatores do desenvolvimento que exercem a sua influência em conjunto e em interação. Hereditariedade Desenvolvimento ↕ → Meio Experiência física Consiste no contato que as crianças têm com as coisas, na manipulação dos objetos, que vão favorecer o seu desenvolvimento a vários níveis. 2.2.1 O Construtivismo É a teoria segundo a qual o sujeito é ativo no seu desenvolvimento, constrói o seu desenvolvimento em interação com o meio e agindo sobre ele.
  8. 8. Desenvolvimento CognitivoTrata-se do desenvolvimento do ser humano em termos cognitivos, dos seusconhecimentos e das capacidades para obter conhecimentos. Este desenvolvimento vai dainfância até à idade adulta. No desenvolvimento humano há, segundo Piaget, a interferência de um conjuntode fatores:• Hereditariedade e a manutenção física – Caraterísticas que são biologicamentedeterminadas e, portanto, em parte independentes da experiência. São caraterísticasrelacionadas com o desenvolvimento físico e neurológico.•Experiência – o que o sujeito recebe do meio, mas também o que ele constrói em relaçãocom o meio, a ação sobre os objetos, física ou mental. A ação física, conforme vimosanteriormente, é muito importante para o desenvolvimento.•Transmissão social – todos nós somos influenciados, não apenas pelas nossas própriasações, mas também pelas dos outros. Por tudo aquilo que aprendemos com os outros, queratravés da observação quer através da educação que recebemos.•Equilibração – ao longo do desenvolvimento, em cada estádio surgem estruturas mentaisnovas e mais complexas, que necessitam de um novo equilíbrio que se pretende cada vezmais estável (a seguir veremos melhor em que consiste este conceito de equilibração).
  9. 9. Comportamento É a resposta em função da interação entre a personalidade e a situação. É a forma como o sujeito age, mediante a sua interação com a situação. Estes dois fatores são interdependentes. R = f (S↔P) Podemos concluir que a teoria construtiva de Piaget sobre o desenvolvimentocognitivo se baseia essencialmente em três princípios:•Mudanças qualitativas – o desenvolvimento inteletual implica mudanças qualitativas enão apenas quantitativas. A criança não é um adulto em miniatura.•Construção do sujeito – o conhecimento é uma construção do sujeito. O desenvolvimentocognitivo não é uma mera receção de informações do meio ou de realização daspotencialidades genéticas por parte do sujeito.•Descontinuidade – o desenvolvimento cognitivo realiza-se de forma descontínua, ou seja,é dotado de diferenças qualitativas e processa-se através de momentos distintos, a quePiaget chama estádios.
  10. 10. 2.2.2 O desenvolvimento como adaptação Estrutura e Esquema A estrutura corresponde a um conjunto coordenado de esquemas mentais que existe em cada etapa do desenvolvimento cognitivo. Os esquemas mentais são constituídos por ações do conhecimento, que podem ser físicas ou mentais. AdaptaçãoProcesso através do qual o sujeito altera o seu comportamentoem função de novos elementos que recebe do meio, permitindoalcançar um equilíbrio entre si e o meio. O desenvolvimentocognitivo, segundo Piaget, consiste numa adaptação do indivíduoao meio.
  11. 11. AssimilaçãoÉ o processo através do qual o sujeito incorpora os novoselementos provenientes do meio nos seus esquemas mentais. Éinteriorizar a nova informação proveniente do meio, inseri-la nosesquemas de conhecimento. É o oposto de acomodação. Acomodação É o processo através do qual o sujeito reorganiza os seus esquemas de conhecimento em função dos novos dados assimilados, ajusta os seus esquemas às novas informações assimiladas. É o oposto de assimilação.
  12. 12. EquilibraçãoÉ um elemento que faz parte da adaptação, pois sem equilibração não há equilibração. É omecanismo que permite a assimilação e a acomodação e a adequação destas entre si. 2.2.3 Os estádios de desenvolvimento É uma parte distinta do processo de desenvolvimento, segundo Piaget. Possui carateristicas próprias, distintas dos outros estádios. Apesar de estar relacionado com a idade, não é o mesmo que fase etária. Carateristicas: • Do simples para o complexo; • Do geral para o especifico; • Do sensório-motor para o operatório; • Do concreto para o abstrato
  13. 13. 1º Estádio sensório-motorNeste estádio a criança desenvolve as suascapacidades motoras e perceptivas. Odesenvolvimento efetua-se através de movimentos esensações 2º Estádio pré-operatório Neste estádio o desenvolvimento da criança realiza-se através do desenvolvimento do pensamento simbólico; adquire a linguagem; brinca ao “faz de conta” e utiliza símbolos para representar objectos não presentes. Pensamento intuitivo.
  14. 14. EgocentrismoUma forma de comportamento cognitivo que se carateriza pela incapacidade em consideraroutros pontos de vista além do próprio. Tudo se centra apenas num só aspeto. Pensamento pré-conceptualBaseia-se em imagens e não ainda em conceitos e transforma a realidade em imaginário. Éanimista e finalista. Pensamento Intuitivo Baseia-se nas informações fornecidas pela percepção, na aparência dos dados sensíveis. Acriança pensa de acordo com aquilo que vê.
  15. 15. 3º Estádio das operações concretasA criança, neste estádio, já efetua operações, consegueadicionar, subtrair, fazer classificações e ordenações, masapenas sobre algo concreto. Pensamento lógico. Operações concretasOperações mentais realizadas acerca de objectos ousituações concretas presentes 4º Estádio das operações formais O adolescente já efetua operações sobre algo abstrato, é capaz de raciocinar sobre hipóteses, de refletir de forma filosófica e cientifica. Pensamento abstrato O pensamento que realiza operações abstratas. Possibilita a reflexão sobre meras hipóteses e não sobre situações concretas.
  16. 16. 2.3.2 As oito idades Crise Resolução Crise Resolução Positiva Negativa Dos 12 aos 20 Positiva Negativa 1º ano de vida Confiança versus Identidade Proteção e Abandono e anos Segurança e Confusão, Desconfiança versus Confusão Segurança desconfiança Independência Indecisão Crise Resolução Crise Resolução2º e 3º anos de Negativa Falta Dos 20 aos 35 Positiva Autonomia Intimidade Negativa vida Positiva de anos Capacidade de versus Vergonha versus Dificuldade em Independêcia independência, amar e de se e dúvida Isolamento relacionar-se dúvida entregar Crise Resolução Crise Resolução NegativaDos 4 aos 6 anos Iniciativa versus Positiva Dos 35 aos 65 Inibição, Generatividade Positiva Negativa Falta Imaginação, anos Culpa considerar-se versus Auto- Produção e de produção e vivacidade mau absorção Criatividade egocentrismo Crise Resolução Crise Resolução Dos 6 aos 12 Deligência Positiva Negativa Dos 65 anos em Integridade Positiva Negativa anos versus Trabalho e Preguiça, falta diante versus Satisfação com a Sensação de Inferioridade atividade de iniciativa Desespero vida tempo perdido
  17. 17. 2.3.1 Conceito de crise psicossocialÉ um conflito crucial no desenvolvimento. Em cada estádio apessoa tem de encontrar uma solução para um dilema, escolherum caminho. Deverá ser resolvida de forma positiva de forma apermitir um bom desenvolvimento emocional e social. Estascrises são vividas em função de aspetos biológicos, individuais esociais 2.4.1 Da conceção ao nascimento O desenvolvimento começa com a conceção, que ocorre quando a fertilização cria um zigoto, organismo unicelular formado pela união de um espermatozóide e um óvulo. Todas as outras células do seu corpo se desenvolveram a partir desta única célula. Cada uma delas contém mensagens permanentes dos seus pais, contidas nos cromossomas que ficam dentro do seu núcleo. Cada cromossoma abriga muitos genes, as unidades funcionais na transmissão hereditária. Os genes comportam os detalhes do seu projeto hereditário que são revelados gradualmente durante a vida.
  18. 18. 2.4.2 Estádio de desenvolvimento pré-natalO desenvolvimento pré-natal pode ser dividido em três estádios: •O germinal; •O embrionário; •O fetal; Germinal → Embrionário Embrionário → Fetal
  19. 19. •Estádio Germinal Após óvulo e o espermatozóide se unirem, ou seja, a fecundação, ocorre a formação do ovo. Este vai-se instalar no útero, agarrando-se à1 a 3 semanas sua parede (superfície do endométrio). Este fenómeno chama-se nidação. O ovo vai-se diferenciando em camadas de células, que se organizam com vista ao desenvolvimento dos diferentes órgãos e tecidos. •Estádio Embrionário Na 4 semana já se distingue a cabeça, o sistema nervoso, o tronco e4 a 8 semanas uns pequenos detalhes de membros superiores e inferiores. O embrião tem, na 8 semana, 25mm de comprimento e 1g de peso. •Estádio Fetal No momento em que a organogénese se completa, começa o8 semanas até terceiro estádio. Durante o estádio fetal os órgãos vão amadurecerao nascimento e ser aperfeiçoados. O sistema nervoso é um dos sistemas menos desenvolvidos no final do período embrionário.
  20. 20. 2.4.3 A infânciaApós o nascimento, o bebé realiza um enorme desenvolvimento a vários níveis: motor,emocional, cognitivo e psicossocial. O desenvolvimento motor depende muito docrescimento físico, que é, durante a infância, muito rápido. Embora maturação seja um factor de desenvolvimento motor, não é o único, pois as experiencias da criança são também um factor importante. O desenvolvimento cognitivo Piaget estudou o desenvolvimento cognitivo da criança e, segundo este autor, a inteligência constrói-se progressivamente ao longo do tempo, por estádios ou etapas constantes e sequenciais, ou seja, de ordem invariável. Defende uma posição construtivista/interaccionista: as estruturas do pensamento são produto de uma construção contínua do sujeito que age e interage com o meio, tendo um papel activo no seu próprio desenvolvimento cognitivo.
  21. 21. O desenvolvimento psicossocialErikson propõe uma conceção de desenvolvimento em oito estágios psicossociais,perspectivados por sua vez em oito idades que decorrem desde o nascimento até à morte,pertencendo as quatro primeiras ao período de bebé e de infância, e as três últimas aosanos adultos e à velhice, cada estágio é atravessado por uma crise psicossocial entre umavertente positiva e uma negativa. Erikson dá especial importância ao período daadolescência, devido ao fato ser a transição entre a infância e a idade adulta, em que severificam acontecimentos relevantes para a personalidade adulta. 2.4.4 A adolescência A adolescência é a fase do desenvolvimento humano que marca a transição entre a infância e a idade adulta. Com isso essa fase caracteriza-se por alterações em diversos níveis - físico, mental e social - e representa para o indivíduo um processo de distanciamento de formas de comportamento e privilégios típicos da infância e de aquisição de características e competências que o capacitem a assumir os deveres e papéis sociais do adulto.
  22. 22. Alterações físicasSão as transformações por que os adolescentes passam e que envolvem alteraçõesrelacionadas com a capacidade de reprodução, a maturidade sexual, e alterações naaparência e capacidade físicas, como a altura e a força física. A crise de identidade A crise de identidade pode se manifestar de várias formas. A fim de facilitar seu entendimento, vou citar um fato muito comum no consultório terapêutico: um cliente muito obeso (gordo) faz um tratamento para emagrecer e perde mais de 50 quilos. De uns meses para o outro ele se torna uma pessoa relativamente magra. Antes, ele era uma pessoa"gorda", que sofria rejeição da sociedade, que era "observada" em excesso pelas criançase os adultos, que era motivo de piada. Olhava no espelho e via uma pessoa que, na maiorparte das vezes, ele não aceitava. Porém, conhecia. Após alguns meses, depois decirurgias e um emagrecimento arrebatador chega "do outro lado". É um "ladodesconhecido", a pessoa chega a ser "desejada" por outras de forma mais constante.Entra nos lugares e ninguém a observa com olhos espantados. Pára de ser objecto debrincadeiras maliciosas e risinhos entrecortados nos ambientes sociais.
  23. 23. MoratóriaÉ o período que o adolescente precisa para descobrir a sua identidade, analisando váriasalternativas possíveis. 2.4.5 A idade adulta Os psicólogos geralmente consideram que a idade do jovem adulto por volta dos 20 anos e se estende até aos 40 ou 45 e a idade adulta intermédia situa-se entre os 40 ou 45 até aos 65 Alterações físicas As pessoas normalmente passam por muitas mudanças fisicas ao avançar a idade, em ambos os sexos, os cabelos tendem a ficar mais finos e tornam-se grisalhos e os homens confrontam-se com entradas e calvicíe
  24. 24. 2.4.6 A velhiceA velhice é uma fase da vida, aqueles que chegam auma idade avançada, têm caminho feito na estradada vida e nenhum caminho será longo demais se umamigo nos acompanhar nessa caminhada. A velhicepoderá ser vivida de forma tranquila desde que hajasaúde e força anímica para prosseguir essa etapa. Umestilo de vida saudável, uma alimentação equilibrada,manter-se activo, espírito jovem, serão a meu vermotivos para ajudar o "idoso" a sentir-se com umamelhor qualidade de vida.
  25. 25. Mudanças cognitivasAs mudanças cognitivas ou mentais da adolescênciaadiantada são menos fáceis de observar, mas podem sertão dramáticas como as mudanças físicas e emocionais.Durante a adolescência, a maioria dos rapazinhosavançam dramaticamente na forma em que pensam,raciocinam e aprendem. As crianças pequenasnecessitam ver e tocar as coisas para convencer-se quesão reais. Mas durante os primeiros anos da adolescência, as crianças melhoram na sua capacidade de pensar sobre idéias e coisas que não podem ver nem tocar. Eles podem raciocinar melhor para resolver problemas e antecipar as consequências ou considerar diferentes pontos de vista ou de acção. Pela primeira vez, eles podem reflectir sobre o que poderia ser, em vez do que é. Um menino de 6 anos de idade pensa que uma pessoa que sorri está feliz e que uma pessoa que chora se sente triste. Um menino de 14 anos pode raciocinar que uma pessoa que se sente triste sorri para esconder os seus sentimentos verdadeiros.
  26. 26. Mudanças físicasA velhice é um processo pessoal, natural,indiscutível e inevitável, para qualquer serhumano, na evolução da vida. Nessa fasesempre ocorrem mudanças biológicas,fisiológicas, psicossociais, económicas epolíticas que compõe o quotidiano daspessoas.Há duas formas básicas de ocorrer essasmudanças, de maneira consciente e tranquilaou ser sentida com grande intensidade, tudodependerá da relação da pessoa com a velhice.Os sinais característicos dessas mudanças sãonítidos por conta da acção do tempo e social.Vejamos abaixo alguma delas:
  27. 27. Tipos de mudanças físicas : •Mudanças Físicas: gradual e progressivas: aparecimento de rugas e progressiva perda da elasticidade e viço da pele; diminuição da força muscular, da agilidade e da mobilidade das articulações; aparição de cabelos brancos e perda dos cabelos entre os indivíduos do sexo masculino; redução da acuidade sensorial, da capacidade auditiva e visual; distúrbios do sistema respiratório, circulatório; alteração da memória e outras.•Mudanças Psicossociais: modificações afectivas e cognitivas: efeitos fisiológicos doenvelhecimento; consciência da aproximação do fim da vida; suspensão da actividadeprofissional por aposentadoria: sensação de inutilidade; solidão; afastamento depessoas de outras faixas etárias; segregação familiar; dificuldade económica; declíniono prestígio social, experiências e de valores e outras.•Mudanças Funcionais: necessidade quotidiana de ajuda para desempenhar asactividades básicas.•Mudanças Socioeconómico: acontecem quando a pessoa se aposenta

×