Dúvidas dos Novos Escritores

1.908 visualizações

Publicada em

O escritor e poeta Rodrigo Capella dá dicas aos novos escritores.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.908
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dúvidas dos Novos Escritores

  1. 1. Principais dúvidas dos novos escritores Rodrigo Capella
  2. 2. Dúvida 01 – Construção da história <ul><li>Robson Serradilha me enviou a seguinte questão: </li></ul><ul><li>“ Olá, acredito que devas receber esse tipo de e-mail todos os </li></ul><ul><li>dias, mas preciso de dois minutos de sua atenção. Há muito </li></ul><ul><li>tempo, venho construindo uma história em minha cabeça </li></ul><ul><li>e sonho em escrevê-la, mas ainda me falta técnica. Gostaria </li></ul><ul><li>de uma ajuda para começar a história. Tenho a dificuldade de </li></ul><ul><li>escrever o tal do esqueleto do livro, que alias é do gênero </li></ul><ul><li>romance aventura, com contos do tipo senhor dos anéis. </li></ul><ul><li>Espero uma resposta positiva e obrigado”. </li></ul>
  3. 3. Resposta 01 <ul><li>Caro Robson, vou dar algumas dicas, mas antes proponho um exercício: comece a descrever uma </li></ul><ul><li>cena qualquer em detalhes, algo de seu cotidiano. Um exemplo: o que a sua casa tem de </li></ul><ul><li>diferente? O que você gosta de fazer nela? Você tem animais de estimação, costuma brincar com </li></ul><ul><li>eles em casa? Escreva sobre isso. Depois, repita esse exercício descrevendo uma cena que está </li></ul><ul><li>ocorrendo na rua. Para isso, converse com as pessoas, faça pequenas entrevistas e vá em frente: </li></ul><ul><li>coloque tudo no papel. Pronto, agora você já pode começar a escrever o livro. </li></ul><ul><li>Mas, antes de pensar na história, reserve uma parte do seu tempo para fazer uma ampla pesquisa, </li></ul><ul><li>todos os dias, sem pressa. É preciso ter disciplina e dedicação total. Tranque a porta de seu </li></ul><ul><li>quarto, não atenda o telefone, não brinque no computador. Pense apenas em ler e absorver </li></ul><ul><li>conteúdo.  É preciso ter muito conhecimento, antes de iniciar uma obra. Depois de concluir essa </li></ul><ul><li>fase, escreva sem a pretensão de concluir a obra, escreva com motivação e entusiasmo. Esqueça </li></ul><ul><li>o tal esqueleto e escreva simplesmente por escrever. Comece descrevendo uma cena, tal como </li></ul><ul><li>você fez nos dois exercícios. Depois, apresente o Personagem principal, descreva as </li></ul><ul><li>características dele. Deixe a coisa fluir, deixe o personagem conduzir a história.Concentre-se, </li></ul><ul><li>tenha calma e vá em frente! Nunca se desespere. </li></ul>
  4. 4. Dúvida 02 – Contato com editoras <ul><li>Ernesto Magalhães me enviou a seguinte pergunta: </li></ul><ul><li>“ Oi Rodrigo, tenho uma dúvida: o que são os originais ? </li></ul><ul><li>Pode parecer uma pergunta boba, mas nunca sei se é </li></ul><ul><li>o rascunho do livro todo, apenas os primeiros capítu- </li></ul><ul><li>Los ou a apresentação junto com o projeto. Pergunto </li></ul><ul><li>Pois estou no início de pesquisa para escrever uma </li></ul><ul><li>biografia. Já tenho autorização dos biografados, mas </li></ul><ul><li>estou ainda redigindo o primeiro capítulo. Devo </li></ul><ul><li>mandar para as editoras o projeto com um capítulo ou </li></ul><ul><li>Esperar até terminar o livro todo?” </li></ul>
  5. 5. Resposta 02 <ul><li>Ótimo, Ernesto, vejo que você está conduzindo a sua pesquisa muito bem. Essa é uma fase </li></ul><ul><li>muito importante e crucial. Se ela for mal executada, o livro não terá uma boa condução e sua </li></ul><ul><li>obra, provavelmente, não será publicada. Parabéns por esse início de trabalho. </li></ul><ul><li>Vamos ás respostas: os originais correspondem ao livro completo, com apresentação, capítulos </li></ul><ul><li>e prefácio. Algumas editoras solicitam o original completo; outras somente parte dele. Por isso, </li></ul><ul><li>é preciso estar atento e cumprir as regras. Visite o site das editoras, informe-se e prepare o </li></ul><ul><li>material de acordo com o que for pedido. Mas, antes é preciso terminar o livro. Uma editora </li></ul><ul><li>que solicitou, inicialmente, o primeiro capítulo pode – e isso é muito comum – requisitar o livro </li></ul><ul><li>todo para avaliar melhor a obra e dar um parecer. Por isso, verifique se a ortografia está </li></ul><ul><li>correta, leia todos os capítulos, tenha a certeza de que os leitores vão gostar da história e, </li></ul><ul><li>principalmente, escreva uma história confortável, que você se sinta bem. </li></ul>
  6. 6. Dúvida 03 - Medo da crítica <ul><li>Letícia Torres me perguntou: </li></ul><ul><li>“ oi Rodrigo, eu sempre tive muita vontade de publicar um livro. </li></ul><ul><li>Escrevo há algum tempo, tenho textos o suficiente pra formar um. </li></ul><ul><li>Muitas pessoas dão sorrisos quando os lêem e me dizem que eu </li></ul><ul><li>deveria publicá-los. Mas o fato é que eu sou meio medrosa pra </li></ul><ul><li>essas coisas. Tenho medo das críticas . Gostaria de saber quais </li></ul><ul><li>os ingredientes necessários para seguir em frente”. </li></ul>
  7. 7. Resposta 03 <ul><li>Letícia, nunca tenha medo: se você tiver essa postura, não será escritora e nunca publicará um </li></ul><ul><li>livro. O escritor não pode ser influenciado pela crítica, não pode se abalar com palavras nega- </li></ul><ul><li>tivas, não pode nunca desistir. Não pode ter dúvidas se continuará a escrever. O escritor é, </li></ul><ul><li>acima de tudo, um ser que vive em outra atmosfera, um ser sensível e dono de suas palavras. </li></ul><ul><li>O principal ingrediente de um livro é a sensibilidade do escritor e ela nunca poderá ser julgada </li></ul><ul><li>pela crítica. O crítico, muitas vezes, não tem conhecimentos necessários para julgar uma outra; </li></ul><ul><li>ele analisa um livro sem ter a certeza de que está fazendo uma boa avaliação. Portanto, </li></ul><ul><li>desconsidere o crítico e pense apenas em escrever. Se as pessoas aprovaram o seu livro, vá em </li></ul><ul><li>frente. Esse é um bom sinal. </li></ul><ul><li>Releia todos os seus textos, faça as correções necessária, monte um belo projeto e envie para </li></ul><ul><li>as editoras. Não perca as esperanças. Você tem muita sensibilidade, tem determinação e tem </li></ul><ul><li>metas definidas – publicar um livro -, portanto, termine a sua obra e mostre que você tem </li></ul><ul><li>talento. </li></ul>
  8. 8. Dúvida 04 - Roubo de idéias <ul><li>Johny Alves me enviou a seguinte mensagem: </li></ul><ul><li>“ Li o último artigo do senhor e esclareci muitas dúvidas, porém continuo </li></ul><ul><li>com uma: antes de apresentar um livro a uma editora, o autor tem que </li></ul><ul><li>fazer alguma coisa para não plagiarem a obra dele, tal como os cientis- </li></ul><ul><li>tas fazem, para não roubarem as idéias ? Muito obrigado por seus </li></ul><ul><li>conselhos aos futuros escritores. Abraços, Johny”. </li></ul>
  9. 9. Resposta 04 <ul><li>Amigo Johny, muito interessante e pertinente essa sua pergunta. Já participei de vários debates </li></ul><ul><li>com editores e eles sempre defendem que o autor não precisa registrar o livro, pois as editoras </li></ul><ul><li>fazem isso antes de publicá-lo. Eu discordo dos editores e aconselho os jovens autores a </li></ul><ul><li>entrarem em contato com a Biblioteca Nacional pelo site www.bn.br Lá tem todas as </li></ul><ul><li>informações. </li></ul><ul><li>Mas, um alerta se faz preciso: esse registro não garante que, por exemplo, a idéia de sua obra </li></ul><ul><li>não vai ser copiada. Até porque o registro não protege a idéia, mas sim o conteúdo da obra. </li></ul><ul><li>Resumindo: é uma pequena garantia que você tem, mas é melhor do que nada. </li></ul><ul><li>Se a editora gostou de uma obra de um autor desconhecido, ela pode, por exemplo, pegar a </li></ul><ul><li>idéia central e encomendar uma obra semelhante a um autor famoso. Nesse caso, ela </li></ul><ul><li>simplesmente ignora o livro do autor desconhecido. Esse tipo de postura ocorre com certa </li></ul><ul><li>frequência. Portanto, capriche na apresentação dos originais, revise seu texto, reescreva-o e </li></ul><ul><li>faça as correções necessárias. </li></ul>
  10. 10. Dúvida 05 - Novos Escritores <ul><li>Heloisa Mattos disse assim: </li></ul><ul><li>“ Caro Rodrigo, venho acompanhando os seus artigos e gostaria de </li></ul><ul><li>lhe perguntar algo: estou em vias de publicar o meu primeiro livro </li></ul><ul><li>e tenho curiosidade de saber se a crítica literária brasileira aceita </li></ul><ul><li>os novos escritores brasileiros. Beijos, Heloisa”. </li></ul>
  11. 11. Resposta 05 <ul><li>Amiga Heloisa, o Brasil não tem, atualmente, uma crítica literária competente. Apenas, </li></ul><ul><li>uma pessoa consegue captar a essência da obra e transformar em argumentos </li></ul><ul><li>coerentes. Essa pessoa chama se Miguel Sanches Neto. As demais, escrevem resenhas, </li></ul><ul><li>comentários ou observações; e não críticas. </li></ul><ul><li>Vou contar um caso curioso: uma crítica da Folha de S. Paulo comentou o ótimo livro </li></ul><ul><li>“ Negócios de Família”, de Domingos Pellegrini Jr, dizendo que o autor não tinha </li></ul><ul><li>evoluído e que continuava escrevendo como há vinte anos. Detalhe: o livro que </li></ul><ul><li>ela tinha lido era de vinte anos atrás e tinha sido apenas republicado. Veja como faltou </li></ul><ul><li>preparo. A critica brasileira precisa se renovar! </li></ul>
  12. 12. Quer mais dicas? <ul><li>Acesse a homepage do escritor e poeta Rodrigo Capella: </li></ul><ul><li>www.rodrigocapella.com.br/dicas.html </li></ul>

×