[HAVC] Surrealismo: António Pedro

1.273 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre o Surrealista português António Pedro, para História das Artes Visuais e Contemporâneas do professor Pedro Colaço. Ricardo Sousa, Comunicação & Multimédia, UTAD © 2013.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.273
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
215
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[HAVC] Surrealismo: António Pedro

  1. 1. SURREALISMO ANTÓNIO PEDRO DA COSTA “Cadavre Exquis“, 1948 – Vários artistas
  2. 2. O QUE É O SURREALISMO? O Surrealismo, um dos principais movimentos artísticos do século XX, surgiu na França, em 1948, após a Primeira Guerra Mundial. Foi liderado por escritores como André Breton, Paul Éluard e Pierre Reverdy. Em 1924, após o estudo da pintura de Giorgio De Chirico, André Breton publica aquele que se tornaria o ato fundador e o programa estético do movimento, o "Manifesto do Surrealismo“, através do qual defendeu um processo criativo assente no automatismo psíquico. A partir daí o poeta assumiu-se como o principal ideólogo do movimento, publicando um segundo manifesto em 1929. Entre os artistas que integraram o grupo fundador do movimento dest acaram-se Marcel Duchamp, Francis Picabia, Max Ernst, Hans Arp e Man Ray. De acordo com os artistas surrealistas, a arte deve fluir a partir do inconsciente, sem qualquer controlo da razão, o pensamento deve acontecer e ser expresso livre de qualquer influência exterior ou lógica. Está presente nas obras surrealistas: a fantasia, o devaneio e a loucura. As obras literárias seguiam o procedimento de que as palavras deveriam ser escritas conforme viessem ao pensamento, sem seguir nenhuma estrutura coerente. “A Persistência da Memória” Salvador Dalí, 1931 2
  3. 3. O QUE É O SURREALISMO? continuação Em 1929 juntaram-se Pierre Roy, Georges Malkine, os espanhóis Salvador Dali e Joan Miró e o suíço Giacometti. Em simultâneo, formaram-se grupos de artistas surrealistas em vários países, como a Bélgica, Portugal, Estados Unidos, Japão, etc. Em Portugal a assimilação desta corrente foi mais tardia, manifestando-se na primeira metade da década de 40, em plena Segunda Guerra Mundial. Teve como principais representantes os pintores António Pedro, António Dacosta e Cândido da Costa Pinto. Apesar do carácter vanguardista e revolucionário e da aparente rutura com a história, os surrealistas apoiaram-se em trabalhos de artistas como Bosch, Piranesi, Goya, Chagall ou Klee e em movimentos como o Romantismo, o Simbolismo, a Pintura Metafísica e o Dadaísmo. Deste último retomaram algumas experiências como a criação através de processos automáticos ou aleatórios) que levaram a um nível mais radical. “Os Amantes” Magritte, 1928 3
  4. 4. O QUE É O SURREALISMO? continuação O Surrealismo procurou ultrapassar a perceção convencional e tradicional da realidade, desenvolvendo pesquisas estéticas fundamentadas nas descobertas freudianas do valor do inconsciente enquanto complemento da vida consciente e da capacidade comunicativa do sonho. Desta forma conseguem ultrapassar o niilismo redutor do Dadaísmo, procurando então associar elementos díspares, através da dissociação dos objetos dos seus contextos convencionais de forma a obter significações inesperadas. Recusando uma rígida unidade estilística, o surrealismo concretizou-se num espetro muito alargado de linguagens que iam desde o realismo mais minucioso de Dalí, de Magritte e de Paul Delvaux, às tendências mais abstratas de Miró ou de Hans Arp, englobando expressões como a pintura, a escultura, a fotografia ou o cinema. Desaparecendo enquanto movimento organizado com o eclodir da Segunda Guerra Mundial, o Surrealismo teve repercussões consideráveis para o desenvolvimento de muitas das correntes artísticas da segunda metade do século XX, como a Pop Art, a Performance Art, ou os grupos Cobra e Fluxus. 4
  5. 5. ANTÓNIO PEDRO 1909 - 1966
  6. 6. BIOGRAFIA António Pedro da Costa nasceu a 9 de Dezembro de 1909, na Cidade da Praia, Cabo Verde, descendente de uma família do Alto Minho pelo lado paterno e irlando-galesa pela mãe. A sua ação cultural extravasou as especializações disciplinares: criou pintura, cerâmica, dramaturgia, poesia, litografia, cenografia, e trabalhou para jornais, revistas, rádio e televisão. Com dezasseis anos realizou uma primeira exposição de desenhos e caricaturas (de professores seus do liceu) em Viana do Castelo, e no ano seguinte publicou o seu primeiro livro de poesia, intitulado ”Os meus sete pecados capitais”. Foi um dos organizadores do 1º Salão dos Independentes (1930) e participou nas exposições do Secretariado de Propaganda Nacional em 1939, 1942 e 1944. Em 1932 cria a Galeria UP, um espaço dedicado à arte moderna, onde apresenta a primeira exposição de Maria Helena Vieira da Silva em Portugal (1935). Com António Dacosta e a escultora britânica Pamela Boden realiza, em Novembro de 1940, uma exposição de pintura na Casa Repe, onde explora propostas ligadas ao surrealismo. Depois de viver um ano entre S. Paulo e o Rio de Janeiro (1941), aceita ser o correspondente da secção portuguesa da BBC em Londres durante os dois derradeiros anos da IIª Guerra Mundial (Janeiro de 1944 a Outubro de 1945). “Nocturno”, 1940 “Escultura de Bronze”, 1952 6
  7. 7. BIOGRAFIA continuação Neste período, mantém-se ligado ao Grupo Surrealista de Londres, participando na exposição Surrealist Diversity realizada na Arcade Gallery, que contou com a participação de artistas como Jean Arp, Giorgio de Chirico, Max Ernst, Miró, Victor Brauner, Paul Delvaux, René Magritte, Paul Klee, Alberto Giacometti, Man Ray e Pablo Picasso. Regressando em 1946 a Portugal, integra o Grupo Surrealista Português, fundado em 1947, e colabora na 1ª Exposição Surrealista de 1949. No Verão de 1951 António Pedro abandona Lisboa para se instalar na sua casa familiar em Moledo do Minho, onde se dedica à produção de cerâmica. Envolveu-se também na encenação, sobretudo desde finais dos anos 40, criando e dirigindo vários grupos teatrais, entre os quais o Teatro Experimental do Porto (1953-1962). Paralelamente a estas atividades manteve colaborações constantes com revistas (Mundo Literário, Horizonte, Presença, ABC, Cadernos de Poesia, a série Córnio) e jornais (Diário de Lisboa, Diário de Notícias, Comércio do Porto). Criou em 1942 a Variante – «revista de arte viva», como escreveu no primeiro número, no mesmo ano em que publica a novela surrealista ”Apenas uma Narrativa”. Em 1965 escreve o texto «Sentido e expressão do nu no Renascimento e no Barroco», para a obra ”O Nu na Arte Ocidental”, publicado em 1975. Em 1966 publica o seu último livro, ”Pequeno Tratado de Encenação”. Morre neste ano, a 17 de Agosto, com 57 anos de idade. Em 1979 a sua pintura foi alvo de uma grande retrospetiva organizada pela Fundação Calouste Gulbenkian. Em 1982 a Biblioteca Nacional de Portugal organizou uma exposição de Desenhos e Manuscritos, a partir do espólio de António Pedro que a biblioteca conserva desde Julho de 1980. 7
  8. 8. PORTFÓLIO “Le crachat embelli”, 1934 “Aparelho metafísico de medição”, 1935 8
  9. 9. PORTFÓLIO “Dança de roda”, 1936 “Anjo da guarda”, 1939 9
  10. 10. PORTFÓLIO “Intervenção romântica”, 1940 “Madrugada”, 1940 10
  11. 11. PORTFÓLIO “Ilha do cão”, 1941 “Tríptico solto de Moledo”, 1943 11
  12. 12. PORTFÓLIO “A fantastic figure and animal in an interior”, 1944 “Rapto na paisagem povoada”, 1946 12
  13. 13. WEBGRAFIA O Surrealismo e as suas Características:  http://www.mundoeducacao.com/literatura/surrealismo.htm  http://www.infopedia.pt/$surrealismo;jsessionid=AZmCVd-FCd2g1tCXiZwZsA__ Pinturas:  http://2.bp.blogspot.com/-6L9-N_AvOEc/TsXdGHnDm0I/AAAAAAAAA_8/2Ig-cTSGuLA/s1600/the_persistence_of_memory__1931_salvador_dali.jpg  http://3.bp.blogspot.com/-syrqAINTrL0/UbkPa0jlU3I/AAAAAAAAMFw/lD4Brx9lmpA/s1600/ZZ2D914249.jpg António Pedro: Biografia e Portfólio:  http://www.cam.gulbenkian.pt/index.php?article=60246&visual=2&langId=1  http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Pedro  http://aformaealuz.blogspot.pt/2009/12/centenario-do-nascimento-do-pintor.html  http://www2.let.uu.nl/solis/psc/p/PVOLUMEFIVEPAPERS/P5PoncedeLeao.pdf  http://www.museuartecontemporanea.pt/image/view/839/preview 13
  14. 14. HISTÓRIA DAS ARTES VISUAIS E CONTEMPORÂNEAS Prof. Pedro Colaço ECT/UTAD Ricardo Sousa nº58330 2013 António Pedro da Costa, 1909-1966

×