História de sobral

4.049 visualizações

Publicada em

História de Sobral

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.049
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.966
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História de sobral

  1. 1. HISTÓRIA nr: Sourw. A OCUPAÇÃO on CAPITANIA no ¡IARÁ GRANDE A ocupação efetiva das terras que correspondiam à Capitania do Siará Grande aconteceu somente a partir das últimas décadas do Século XVII, através da penetração da pecuária bovina com a chegada das fazendas eriatórías. A doação de sesmarias aos "homens bons" c a conseqüente repartição dessas terras com seus herdeiros, fez surgir vários núcleos de povoamento no interior, em especial nas margens dos grandes rios, como foi o caso do Acaraú e do Jaguaribe, que se tomaram os principais caminhos naturais dc penetração do Ceará Colonial. As terras cearenses, que não possuíam metais preciosos e ncm o solo de massapê, só ingressariam efetivamente na História do Brasil, em um momento cm que as regiões litorâneas da Zona da Mata de Pemambuco, Bahia e São Vicente já tinham quase um século de ocupação através do plantation da eana-de-açúcar. Por isso, afirmamos que no Século XVI não houve tentativas de ocupação da Capitania do Siará Grande. O próprio donatário da Capitania Hcreditária que corresponde a área litorânea do atual Estado. Antônio Cardoso de Barros não tomou posse dc suas renas, preferindo ñcar em Salvador ocupando o cargo de Provedor- Mor do Govemador Geral Tome' de Sousa. Após a expulsão dos holandeses do nordeste em 1654, em um movimento denominado dc Insurreição Pernambucana, o açúcar brasileiro entra em crise. A presença botava nas Antilhas com o lloreseimento de sua indústria açueareíra naquela região, foi um duro golpe nas exportações nordestinas. Muitos engenhos de pequeno porte fecharam, levando muitos pemambucanos, baianos e alagoanos a migraram para o interior. Enquanto isso, Ponugal mergulhava numa séria crise econômica, o que contribuiu para um maior fluxo migratório para o interior do Brasil. A pecuária ganhava a preferência como principal atividade, por necessitar de baixos investimentos e pouca mão de obra, não esquecendo que o gado se auto transportava e gerava através da carne. do leite e do couro, a fácil sustentação familiar. Os primeiros registros históricos relacionados a região que hoje corresponde à cidade de Sobral, são datados do início do Século XVlll e se relacionam a doação de sesmarias aos "homens bons" da Câmara Municipal de Aquiraz, a primeira do Ceará fundada em 1699. O vereador Antônio da Costa Peixoto recebeu através de Carta Régia datada de l4 de outubro dc 1702. o direito de posse a uma sesmaria às margens do Rio Acaraú. Parte dessa sesmaria onde hoje se localiza Sobral foi herdada por sua filha Apolônia da Costa, casada com o sargento-mor Antônio Marques Leitão. Deste casal a propriedade passou por volta de 1732 para sua filha Quitéria Marques de Jesus como dote de seu casamento com o capitão Antônio Rodrigues Magalhães. Este último casal fundou a Fazenda Caiçara, que aos poucos fo¡ se transformando em um núcleo avançado de povoamento, com a vantagem de localizar-se no entroncamento das boiadas, originando da¡ a Estrada da Caiçara que ligava os sertões do norte cearense às terras do Piaui c Maranhão. Mas um outro fator de ordem político religioso foi fundamental para o desenvolvimento daquela povoação. Em 1742 o Padre Visítador Lino Gomes Correia escolheu a povoação da Caiçara para ser a Sede do Cut-ato, uma espécie de pequeno bispado onde seriam periodicamente cclebradas missas, casamentos e batimdos. Eclesiasticamente, a futura cidade de Sobral, já assumía uma posição 3 DSE. : M71¡ ID
  2. 2. HISTÓRIA m: SOBRAL importante na região ao se tomar sede da freguesia de Nossa Senhora da Conceição, passando a receber constantemente os Visitadores Gerais (representantes do Bispado de Pernambuco). Com a importância religiosa através do Curato, não tardou muito o arraial possuir mais dc cinqüenta "fogos", ou seja, casas ocupadas. A Coroa Portuguesa havia estabelecido por Ordem Régia de 1766 a exigência mínima de cinqüentas moradias ocupadas para uma povoação ser transfom-Iada em município. Nesse ínterim, já tinham sido criadas no iméñor as Vilas de Icó em 1738, Aracati em 1748 c Granja cm 1773. ligadas ao grande desenvolvimento das charqucadas. Evoluídas de aldeamentos jcsuiticos surgiram Viçosa, Caucaia c Parangaba, todas em I7S9. Os índios Araríús , habitantes de uma e da outra margem do Rio Acaraú e que pertenciam a raça Tapuia_ não diferente do que aconteceu com os demais nativos da América, depois de muita resistência foram em sua grande maioria oxterminados e expulsos. Uns poucos foram escravizados, aldeados ou se míssigenaram com os homens pobres devido a falta de mulheres brancas. Apesar de Sobral não constituir um típico aldeamento, ressaltamos que estes representaram grande força para a consolidação da conquista portuguesa. Com a expulsão dos Jesuítas de todo Reino Portugués pelo Ministro Marquês de Pombal em l759, havia claras determinações reais para que as novas Vilas criadas, que não fossem evoluídas dos antigos aldeamentos indígenas (criados pelos padres lnacíanos), fossem classificadas como "Distíntas e Reais". Dessa forma o Despotismo Esclarecído português sob uma visão laica e secular, procuravam dar um tom discriminatório às Vilas emergidas das aldeias t: missões, como se estas fossem de segunda categoria e fizessem parte de um passado retrógmdo. Foi nesse contexto que em 5 de julho de 1773, por ordem do Govemador de Pemambuco, visto que o Ceará desde 1654 estava subordinado politicamente a vizinha Província, criou as Vila Distinta e Real de Sobral. Os termos “Distinta e Real", como já citamos, estão relacionadas ao fato de ser composta por uma colonização branca c com ares de nobre7a. A denominação Sobral é atribuída a várias hipóteses. Uma delas defende a idéia que o nome foi uma homenagem às origens portuguesas dos fundadores da Vila, quc apontam para as regiões portuguesas que usavam o nome de Sobral na Lagoa de Óbidos no distrito de Viseu. ' O charque Sobral teve na pecuária sua principal atividade na primeira metade do século XVIII, As "oficinas dc salga" que processavam a fabricação do charque (came seca) ganhavam importância. Aos poucos um timido urbanismo surgia cm tomo da l greja Matriz. O Mercado da Came, a Casa da Câmara e Cadeia com o Pelourinho, eram sinais do progresso e importância política. Aracati no litoral era o principal produtor de charque à essa época. Sobral, IQ, Acaraú, Granja c Camocim tinham destaque no interior. Havia uma intensa relação comercial de Sobral com Maranhão, Piauí, Bahia e principalmente Fematnbuco, para isso muito contribuiu a posição geográfica. A produção loca! era escoada principalmente pelo porto do Acaraú, Havia também um constante movimento do gado das fazendas próximas que eram levados para o Piaui e Maranhão nas épocas de estiagem. E em periodos de um 4 DSG. : 072Mb
  3. 3. HISTÓRIA nr: Sonrmr. bom inverno, o gado era levado em forma de comboio, afim de se protegerem contra os saqueadores e ataques indígenas, para Pernambuco e Bahia onde eram vendidos. 0 algodão No final do século XVIII, com o advento da Revolução Industrial Inglesa e a Guerra de Independência Norte - Americana, o algodão passou a ser cultivado em larga estala se destacando, ao lado do couro, como um importante produto de exportação para a Europa, sobretudo para a Inglaterra. O desenvolvimento da eotonieultura não fez desaparecer a pecuária, embora nessa fase houvesse um declínio das Charqueadas cearenses em virtude da concorrência gaúcha. As condições ñtvoráveis, a necessidade de pouca mão de obra, assim como ocorria com a pecuária e a interrupção momentânea da concorrência Norte Americana, explica o destaque e a importância do algodão para Sobral. Com isso, uma classe comercial abastada que copiava estilo de vida europeu foi surgindo. Com a assinatura do Tratado de París (n83) a Inglaterra reconheceu a independência da sua err-colônia e foi aos poucos retomando os laços comerciais. No início do século XIX o algodão cearense teve uma queda de produtividade. Mas em meados do mesmo século, corn a Guerra da Seeessão (1861-1865) nos EUA. houve uma retomada da cotonícultura nordestina. Chegamos a conclusão que Sobral se insere perfeitamente na atimração do Historiador Capistrano de Abreu, o qual dizia que ocupação das terras alencarinas se devia ao binômio gado- algodão. 0 cafe' Em 1747 o aristocrata e "cristão-novo" José Xerez Fumo Uchoa, após chegar de uma viagem à França, plantou as primeiras mudas de café no Sitio Santa Úrsula na serra da Meruoca bem próximo a Sobral. Esse foi o primeiro registro da cafeicultura cearense. Sobral não teve propriamente em suas terras a produção do café, mas o fato de áreas próximas como a Serras da Meruoca e do Rosário e também a Ibiapaba pasmrcm a produzir em larga escala, fez da cidade o principal centro coletor e exportador pelos portos de Acaraú e depois Camocim. 0 café aliado ao algodão e ao couro em forma de artesanato, deram uma nova dinâmica a Sobral no Século XIX, contribuindo decisivamente para a implantação da Estrada de Ferro de Sobral (EFS) cm 1882, intensificando as relações com Camocim e de lá com os demais portos, através da contratação pelo Governo imperial de Companhias de Navegação costeira. A estrada de ferro de Sobral (EPS) A "Princesa do Norte" se eensolidava como centro comercial, administrativo e de serviços. e sua influência se estendia a todo noroeste da Provincia, alcançando parte do Piaui. Acaraú e principalmente Camocim eram cidades portuárias que se desenvolviam no litoral norte como penas de entrada e saída de produtos comercializados em Sobral. Lembramos que a produção do "ouro negro" no Ceará não fazia competição as grandes fazendas do sudeste do Brasil, mesmo assim o produto incrementou o comércio da Provincia. Em meados de 1870 foi construída a EFB (Estrada de Ferro do Baturité) que foi importante não apenas para trazer o café daquela região serrana. mas também para ligar a capital com o interior. Isso demonstra a influência de políticos sobralenses que ocupavam cargos no Govemo Imperial, dcsejosos não apenas em escoar a produção mas também fazer valer os "socorros públicos" aos llagelados da seca que seriam utilindos na construção e reparo da ferrovia s 056.: 0171110
  4. 4. HISTÓRIA DE SOBRAL Inaugurada no _final do século XIX. a EFS constituiu-se fator preponderante no desenvolvimento regional, pelo intercâmbio comercial com a Europa e outros centros urbanos do pais, contribuindo para a transformação cultural dc Sobral. Os ramais criados até o inicio do século XX, em direção a Crateús, Piau¡ e Fortaleza, promoveram a integração regional atendendo a demanda de mercadorias e passageiros. A desativação da EFS ocorrida no final da decada de t970, provocadfpor uma politica equivocada da Ditadura Militar de incentivo aos transportes rodoviários, enfraqucecu a economía da região norte. O urbanismo 0 gado, o algodão, as atividades comerciais e industriais trouxeram riqueza para Sobral nos séculos XVII] e principalmente XIX. A cidade foi se modernizando com vários equipamentos urbanos e culturais. A arquitetura marca sua relevância histórica e artística, constituindo testemunhos visíveis do processo de formação econômica, social e cultural do norte cearense. Destacando-se a construção do Teatro São João em 1378 e do Teatro Apolo por volta de E878, praças, sobrados, casarões, clubes e gabinetes de leitura. Sobral passaria a representar um importante documento do urbanismo colonial e imperial do Ceará e da atuação da l greja na ocupação do interior nordestino. A indústria Apesar de haver registros de pequenas indústrias que se dedícavam a confecção de chapéus, foi em 1895 inaugurada a primeira grande fábrica. Era a Fábrica de Tecidos de Sobral. que mais tarde seria chamada de Companhia de l-'iação de Tecidos Emesto Deoeleeiano. Embora não fosse a primeira da Provincia, visto que a pioneira foi a Tecidos Progresso de Fortaleza, inaugurada por Nogueira Aeyoli e Thomas Pompeu em 1883, acabou sendo uma das mais importantes. Com o Golpe da Maioridade em abril dc 1840 teve início o longo Segundo Reinado. Um dos articuladores do referido golpe foi o senador cearense José Maniniano de Alencar, que conseguiu barganhar junto ao Partido Liberal a indicação como presidente da Província do Ceará. A situação politica cearense não era diferente da capital do Império, onde o Partido Liberal e Conservador, que se altcrnavam no poder através do cargo de Presidente do Conselho de Ministros (Primeiro Ministro) e na composição dos Gabinetes Ministeriais, usavam o poder para se beneficiar-em das lcis e pcrseguirem seus adversários. Francisco Xavier Torres, Tenente-Coronel, comandante das Armas do Ceará e ligado ao Partido Conservador, não reconheceu a autoridade do Senador Alencar como o novo govemador do Ceará, c depois de retomar do Piau¡ em dezembro de l840, onde lutava contra os últimos focos da Balaiada. resolveu ñcar em Sobral e não retomar a capital para fazer a fom1al entrega do cargo. Nesse contexto, motins dos aristoeratas rurais "caranguejtis" (Conservador) expludiram em várias cidades do interior. 0 Senador "chimango"(l. iberal) se sentiu ultrajado e desafiado, e resolveu baixar vários decretos que atingiam os opositores atraves da suspensão das garantias constitucionais. A reação do novo governante iria começar por Sobral. 6 D50 ; 0311!¡ D
  5. 5. l-lrsrórun or: SOBRAL 0 próprio Senador Alencar foi a Sobral prender os opositores liderados por Xavier Torres. Era o Inicio da Sedição de Sobral. O natal dos sobralenses seria marcado por tiros de canhão. A casa do Senador Liberal Francisco Paula Pessoa, onde nos dias atuais ñca o Colégio Santana. serviu de sede para as tropas do governador. Após alguns dias de negociações sem sucesso e dois dias de conflitos, as forças conservadoras foram derrotadas, resultando em mortes e prisão dos líderes. Em 12 de janeiro de 1841, o Senador Alencar. como forma de agradecimento à fidelidade dos membros do Partido Liberal que lhes deram apoio na Sedição, baixou Lei Provincial gue elevou Êobral à condição de Cidade. 0 nome bizarro de Fidelíssima Cidade de Januária do Acaraú. foi uma homena em à Princesa Januária irmã do Im redor Pedro Il. Em 1842, já com os Conservadores no comando, o novo presidente do Ceará José Joaquim Coelho atendeu aos pedidos dos sobralenses e substituiu o nome de Cidade de Januária para definitivamente e simplesmente Sobral. A pecuária, o algodão e o café, não eram atividades que necessitavam de mão de obra em larga escala. Isso explica em parte, o pouco peso do escravo na economia cearense. Sobral, segundo o historiador Raimundo Girão, foi um dos maiores cariveiros de escravos do Ceará. Paradoxalmente foi também um dos lugares dc maior atividade dos intelectuais abolicionistas e uma das primeiras cidades a acabar com a escravidão. Mas, o porquê de tantos escravos? A presença negra já existia com forca no final do século XVIII quando os negros construíram a Capela do Rosário em 1790. No início do século XIX já ocorria pelas ruas da antiga povoação da Caiçara o cortejo da Festa dos Reis Congos. Existem registros históricos que comprovam que por ser uma região de entroncamento comercial, havia um intenso comércio de escravos africanos em Sobral que demandavam para outras Vilas. Em 1860 sobral tinha oficialmente l6.429 escravos, o que correspondia 16% da população. Mas não devemos esquecer que a pujança da sociedade sobralensc fazia existir uma grande quantidade de "negros de aluguel" (ou “negros do ganho"), principalmente nos serviços domésticos e no comercio. Nas ruas era comum ver aristocratas e suas familias se deslocando de líteira e também as sinhás e sinhazinhas nas ruas tendo uma negra fazendo-lhe companhiamuda e segurando uma sombrinha ñancesa. Nesse cenário os castigos corporais aos escravos rebeldes eram constantes, o que não em diferente do resto do pais. Com o ñrn da Guerra do Paraguai em 1870 a luta abolicionista ganha força. Nesse mesmo ano é fundada em Sobral a Sociedade Manumissora que tinha por objetivo libertar os escravos através da compra de cartas de aiforria. Outras entidades abolícionistas surgiram posteriormente, como foi o caso da Sociedade Abolicionista (1871) e do Clube Abolicionista Sobralense (1883). María Tom ásia Figueira de Merlo Em um momento em que as mulheres ainda viviam presas ao patriarcalismo, a sobralense Maria Tomâsia teve uma atuação ntarcante ao fundar a Sociedade das Senhoras Libertadoras em 1880. 0 jomal 0 Libertador, um dos mais importantes porta-vozes do movimento aboiicíonista. fez ao longo do ano de 1882 diversas citações sobre o destaque "das dignas irmãs de Iracema", como também destacava as ações de Maria Tomásia em Fortaleza e no interior. 7 QM: : QUI/ Id
  6. 6. HISTÓRIA m: SOBRAL O “13 de maio" snbraiense A partir da década de 1870 o esornvismo em Sobral foi dccaindo. As entidades abolicionistas eompravam Cartas de Alfonia. e um outro fator foi a seca de 1876-77 que intensificou o tráfico inter-provincial do norte para o sudeste. Na capital, em Janeiro de 1881, os jangadeiros liderados pelo "Dragão do Mar" proibiam o embarque e desembarque de cativos no Porto de Fortaleza. Calda vez mais a economía não dependia da mão-de-obra negra. Aos poucos os escravos iam sendo libenados. Por ocasião da inauguração da Estrada de Ferro de Sobral (1882). movidos pelo espirito de modemidade, os aristoczatas e intelectuais da cidade alforriaram vários escravos. No dia 2 dc fevereiro de M384, quatro anos antes da Lei Áurea (13 de Maio de 1833), a Câmara Municipal de Sobrai declara libertos os escravos Antes, em janeiro de [883, Acarape (atual cidade de Redenção) libertou píoneiramente seus cativos. E em 25 de março o Govemo Provincial do Ceará libertou oficialmente todos os escravos do solo alencarino, dai a expressão “Tem da Luz". Desde sua origem, Sobral assumiu a liderança política, econômica c, sobretudo religiosa do noroeste. Prova incontcste disso ocorreu em 1915, quando o Papa Bento XV criou a Diocese de Sobral. Para isso, muito contribuiu a obediência do clero local mediante o projeto de "rornanização" da Igreja desde o final do século XIX. Eram tempos diñceis. O mundo passava pela Primeira Guerra Mundial, no sul do Estado o Padre Cícero era excomungado pela Igreja, devido as práticas do catolicismo popular e o seu envolvimento com o coronelismo. 0 prestígio de Sobra¡ era nítido, visto que um ñlho da terra seria nomeado como primeiro bispo, no caso Dom José Tupinambá da Frota. Em 1916, houve a sagraçio episcopal do destacado religioso sobralense. Dom Jose Tupinambá foi o mais destacado bem feitor de Sobral. Dinâmico. futurista e em certos momentos conservador ao extremo, o Bispo alavancou o desenvolvimento da cidade na prirocíra metade do século XX, através da construção do Seminário Diocesano (que deu origem à Universidade Vale do Acaraú), da Santa Casa e dc várias instituições de ensino. Na década de 3D, Dom José se destacou na luta contra o comunismo através da LEC (Liga Eleitoral Católica), instituição politico-religiosa de nivel estadual que procurava controlar o eleitorado em meio a suposta "ameaça vermelha". No contexto sócio-religioso do Ceará, no Século XIX, o nome do sobralcnse José Antônio Maria Ibiapina surge como a maior figura da Igreja do Brasil, sob o ponto de vista do catolicismo social, segundo Gilberto Freire. Nasceu em Sobral. a 5 de agosto de ¡806 c faleceu nn Paraiba em 1883. Seu pai, Francisco Miguel Pereira Ibiapina fo¡ morto em !825 em Fortaleza, devido a sua participação na Confederação Dom Equador. 0 "apóstolo cearense" entrou para a Igreja somente aos 47 anos. Antes havia ocupado importantes cargos na politica e na magistratura. Deixou a vida pública e depois de ser ordenado padre em 1855, seguiu pelos sertões, com sua obra evnngelizadoro em favor dos pobres. 8 OSG. : Ibn/ ID
  7. 7. HISTÓRIA ot-z SOBRAL Devido o seu prestígio politico e com a ajuda do povo, construiu casas de caridade, q hospitais, cemitérios, açudes, igrejas, escolas, em várias províncias nordestinas e em especial na Paraiba. Para muitos estudiosos suas ações o colocam em uma posição mais favorável do que a do Padre Cícero, dentro do processo de canonização junto à cúpula do Vaticano. Quando em 1915 o cientista Albert Einstein anunciou a sua Teoria da Relatividade, havia a necessidade de sua comprovação experimental direta, o que poderia ser feito por ocasião de um eclipse total do sol. Invisível no Hemisfério setentrional, o eclipse total do sol, previsto para 1919, poderia ser observado satisfatoriamente pelos cientistas de dois pontos da terra: Sobral e na Ilha de Porto Príncipe na Áfri. Sobral recebeu uma Comissão Cientifica de astrônomos e tisicos da Inglaterra. dos Estados Unidos e do Rio de Janeiro, com n tim de observar o fenômeno, medir o peso da luz e comprovar a Teoria da Relatividade. A aparelhagem complexa c avançada para a época, combinada com as condições do tempo favorável, foram fundamentais para que as observações feitas em Sobral (por ocasião do eclipse total do sol ocorrido a 29 de maio de 1919), servissem para a coleta de informações. A cidade foi destaque na imprensa intemacional. A comissão brasileira foi composta por oito membros, tendo à frente, Henrique Marize, chefe do Observatório do RJ. Durante o eclipse foi possível a visualização das estrelas que estavam ao seu redor. Com uma câmera acoplada ao telescópio foram feitas oito fotos perfeitas, onde havia, pelo menos, sete estrelas. Os resultados desse trabalho foram publicados meses depois e discutidos no encontro cientifico realizado, em Londres, no día 6 de novembro de 1919. Kléber Teixeira *n DICAS PARA O VEHIBIILAII DA INA - UNIVERSIDADE VALE D0 ACARAÚ: O Datas, nomes de figuras ilustres e de praças, tradicionalmente estão corretas. o Quase sempre, as provas em formato de proposições i, i1 111 e 1V, rem o maior número de proposições corretas. o É comum se usar o termo não para que uma proposição tique incorreta. t Tenha cuidado com os séculos. É comum uma alternativa estar errada grotescamcnte por causa do século. Veja o esquema correto da evolução dos séculos: X < l - não houve nenhum tipo de ocupação, não só em Sobralcomo no Ceará. Vll - não houve efetiv ocupação econômica de Sobral -s não XVIII' VIII - Importante, houve o estabelecimento da Fazenda Caiçara e a elevação à Vila Distinta e Real de Sobral (1173). A pecuária e o algodão, este no ñnal do século. caracterizam a economia L( - Elevação à cidade com o nome de Fidelissima Cidade dc Januária do Acaraú em 1841, depois somente Sobral ( 1842). A economia agora ganha o Café, a Estrada de Ferro e as atividades industriais. IX r! >< 9 OSC. : 0372111)

×