COMO FAZER UMA
RESENHA
-. .ra

! sumiu-nba

 

tnuoafuumhucrvlà unaiaosn-&sñwrzpou manwmrcancmwvuaab-a-. xxwnoo P# anixi-h-

Como um gênero textu...
-. .ra

 Uídfíí6Cí &hàífâfiüflíü ; Píñiâ ÍÊAISQÚÉÉQJ«HIÍÍJÊJ í 1m

O objetivo da resenha é guiar o
leitor pelo emaranhado ...
Uídfíí9Cí &hàífâfiüflíü ; Píñiâ Íâlclfâííüâd -XIÍÍJUOsJ f?  1m

Como um síntese,  a resenha deve ir
direto ao ponto,  mesc...
!Wi-tâu-vftv

No entanto,  sendo um gênero necessariamente
breve,  é perigoso recorremos ao erro de
sermos superficiais de...
-. .ra

Resenha Crítica

 í§fíí0C%É mm ; Píñdâ ¡Ênclãíííâd -MIÍÍ/ âs) f* *LEOMÃF

o Na resenha acadêmica crítica,  os oito...
-_ * , _ l 'ñltííl ii:  c i' i 'ci : iii _ir- ir-ii( l
Ílf-iti ; t-. hlf-i i'i . -4 _I ii : :F  iii! ? Í( IÍI»
:  iiir-i ,...
. .1 __/ ,'. 
;a ! É
, _ _ __. .,
L
.  -
1"
. .
l
or
Ã
*li-t
l -
n  y
i-
«r
, .
P-
b í
t
F”
'lt
l

   

parte,  você vai d...
a 6. Recomende a obra:  você já leu,  resumiu e já deu sua
opinião,  agora é hora de analisar para quem o texto é realment...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resenha

214 visualizações

Publicada em

Aula prática de resemha

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
214
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha

  1. 1. COMO FAZER UMA RESENHA
  2. 2. -. .ra ! sumiu-nba tnuoafuumhucrvlà unaiaosn-&sñwrzpou manwmrcancmwvuaab-a-. xxwnoo P# anixi-h- Como um gênero textual, uma resenha nada mais é do que um texto em forma de síntese que expressa a opinião do autor sobre um determinado fato cultural, que pode ser um livro, um filme, peças teatrais, exposições, shows e etc.
  3. 3. -. .ra Uídfíí6Cí &hàífâfiüflíü ; Píñiâ ÍÊAISQÚÉÉQJ«HIÍÍJÊJ í 1m O objetivo da resenha é guiar o leitor pelo emaranhado da produção cultural que cresce a i . cada dia e que tende a confundir até os mais familiarizados com todo esse conteúdo.
  4. 4. Uídfíí9Cí &hàífâfiüflíü ; Píñiâ Íâlclfâííüâd -XIÍÍJUOsJ f? 1m Como um síntese, a resenha deve ir direto ao ponto, mesclando momentos de pura descrição com momentos de pura crítica direta. O resenhista que conseguir equilibrar perfeitamente esses dois pontos terá escrito a resenha ideal. -. .ra
  5. 5. !Wi-tâu-vftv No entanto, sendo um gênero necessariamente breve, é perigoso recorremos ao erro de sermos superficiais demais. Nosso texto precisa mostrar ao leitor as principais características do fato cultural , sejam elas boas ou ruins, mas sem esquecer de argumentar em determinados pontos e nunca usar expressões como "Eu gosto" ou " Eu não gostei". ídfiíscüê unabou-&fsmznou @É ÍÊIJNUÚÉÊGdJDÍÉ/ Éx) f* JÁU-PCÀF r 7"** w ¡ r r V' ¡rr m : :r-r , r : :: r r , 7 . l . . › l ¡ . ~! 1 à , r . -_ A 'f l . l _ 'f . r t' 1 l - L l I i -. - _ . l - i l ' ' l i l
  6. 6. -. .ra Resenha Crítica í§fíí0C%É mm ; Píñdâ ¡Ênclãíííâd -MIÍÍ/ âs) f* *LEOMÃF o Na resenha acadêmica crítica, os oitos passos a seguir formam um guia ideal para uma produção completaz. o 1. Identifique a obra: coloque os dados bibliográñcos essenciais do livro ou artigo que você vai resenhar;
  7. 7. -_ * , _ l 'ñltííl ii: c i' i 'ci : iii _ir- ir-ii( l Ílf-iti ; t-. hlf-i i'i . -4 _I ii : :F iii! ? Í( IÍI» : iiir-i , l 'i *I ir-: :it f. :m 'rs-sai i' ififi Isis¡ : draw: -s r ~'. ' ' , ii , | '-. ¡ ? atua : a if IN#- : z A -p 'E' g A §, ~- n* L ç 7 ' 'o ' ¡811 "4 )Õ_| _' _ k 'V4 §h4 . l "T-kr : í l '-2- . ' v ' ' I . . r l : ;ci -; "J i su. : _ia *i I ¡Ç! :.11 ii iai' TI? - , nui iii: ii rir-tri( : i i_ »iai
  8. 8. . .1 __/ ,'. ;a ! É , _ _ __. ., L . - 1" . . l or à *li-t l - n y i- «r , . P- b í t F” 'lt l parte, você vai dar sua opinião. Argumente baseando-se em teorias de outros autores, fazendo comparações ou até mesmo utilizando-se de explicações que foram dadas em aula. É dificil encontrarmos resenhas que utilizam mais de 3 parágrafos para isso, porém não há um limite estabelecido. Dê asas ao seu senso crítico. à'. l Fñíúló' o 4. Descreva o conteúdo: aqui sim, utilize de 3 a 5 parágrafos para resumir claramente o texto resenhado; E . ;à l a 5. Analise de forma critica: nessa parte, e apenas nessa l , l l . r , ¡ _ , ¡ ¡. . . . , . , L. :lia 511:' _ii” f¡ l 'É «Kim FJ ' 'É ' 'HPE f” "Y ' '"' V: “ . i 'f' b” E a¡ ' 'v' b! ' c' 'f' A: 'l i- . 1 l t v i . 1 «l i i n n¡ i
  9. 9. a 6. Recomende a obra: você já leu, resumiu e já deu sua opinião, agora é hora de analisar para quem o texto é realmente útil ( se for útil para alguém). 'a i a 7. Identifique o autor: aqui você fala quem é o autor da obra que , ,i foi resenhada e não o autor da resenha(no caso você). Fale . , brevemente da vida e de algumas outras obras do escritor ou , Í pesquisador. l o 8. Assine e identifique-se: no último parágrafo você escreve seu nome e fala algo como “Resenha Critica - Escola Estadual ¡ Junto ao CELD - Língua Portuguesa - Turma: ?" i, 1 l 3”'~i “ , a w": i 'v' *r . 'w*'w°'›s. li iççtiptnx 'am Il 7g¡ rap¡ V. , 'ççíil ; gw '”I'›': QIT'; c». -““ ~'. n : in ; HW l . w. “r- t' l a'. “i *

×