Sistema Nervoso

3.108 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.108
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema Nervoso

  1. 1. SISTEMA NERVOSO  Células do Tec. Nervoso  Morfologia do Neurônio  Impulso Nervoso  Sinapse Nervosa  Anatomia do Sist. Nervoso  Divisão Funcional do Sistema Nervoso  Arco Reflexo  Principais Distúrbios Nervosos.
  2. 2. Organização do Sistema Nervoso Humano Divisão Partes Sistema Nervoso Central (SNC) Encéfalo e Medula Espinhal Sistema Nervoso Periférico (SNP) Nervos e gânglios Funções Gerais Processamento e Integração de informações Condução de informações entre órgão receptores de estímulos, o SNC e órgãos efetores (músculos, por ex.)
  3. 3. Células do Sistema Nervoso: Glia Oligodendrócitos Bainha isolante (Bainha de mielina) das fibras nervosas no SNC Astrócitos Associado aos capilares  Suporte nutricional e físico aos neurônios Células de Schwann Bainha isolante (Bainha de mielina) das fibras nervosas no SNP
  4. 4. ESTRUTURA BÁSICA DO NEURÔNIO DENDRITO AXÔNIO S CORPO CELULAR Núcleo Bainha de mielina Célula de Schwann Axônio Bainha de mielina Nódulo de Ranvier
  5. 5. TIPOS DE NEURÔNIOS NEURÔNIO SENSORIAL CORPO CELULAR Direção da condução CORPO CELULAR AXÔNIO NEURÔNIO ASSOCIATIV O DENDRITOS AXÔNIO CORPO CELULAR AXÔNIO NEURÔNIO MOTOR DENDRITOS
  6. 6. PROPAGAÇÃO DO IMPULSO NERVOSO - - + + + + + ++ + + + + ----+ + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + - - - - - + - - - - - - - +-+-+ + + + + + + + _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ + _ _ _+_+ _ +_ _+_ + + _ _ _ _+_ + + _ _++ _ + __ ++ __ Potencial de repouso: diferença de potencial entre a superfície externa e interna, mantida pela Bomba Na/K Potencial de ação: inversão (despolarização) do potencial de repouso, ocasionado pela mudança temporária de permeabilidade aos íons Na/K
  7. 7. O POTENCIAL DE MEMBRANA NO IMPULSO NERVOSO Potencial de ação Limiar  Tudo ou nada
  8. 8. CONDUÇÃO SALTATÓRIA Potencial de Ação Mielina Axônio Condução saltatória
  9. 9. Sinapse: local de comunicação entre neurônios ou entre neurônios e outras células (músculos, por ex.) Axônio MITOCÔNDRIAS SINAPSE QUÍMICA  Neurotransmissores: Acetilcolina, adrenalina Dopamina, serotonina Neurotransmissore s Proteínas receptoras 1. Remoção dos neurotransmissore s (enzimas) 2. Agentes que impedem esta remoção Potencial de Ação Vesículas Sinápticas Fenda Sináptica MIOFIBRILA
  10. 10. ransferindo informações dos neurônios para outras célula Sinapse excitatória “facilitam” o potencial de ação Sinapse inibitória Dificultam o potencial de ação
  11. 11. Vesícula Sináptica Transportado r Receptor Droga 1.NEUROTRANSMISSOR ES SÃO REABSORVIDOS NAS SINAPSES NORMAIS 2.AS MOLÉCULAS DA 3.O NÚMERO DE4.A SINAPSE É MENOS DROGA IMPEDEM A RECEPTORES SENSÍVEL APÓS A DIMINUE RETIRADA DA DROGA REABSORÇÃO E PROVOCAM A SUPERESTIMULAÇÃO DA MEMBRANA PÓSSINÁPTICA DEPENDÊNCIA DE DROGAS E A SINAPSE
  12. 12. REGENERAÇÃO  Neurônios maduros não se dividem  Regeneração dos axônios em caso de lesão  Células tronco neurais: dão origem a novas células nervosas (glia e neurônios)
  13. 13. EVOLUÇÃO DO SISTEMA NERVOSO S.N.Central gânglios periféricos Cordão nervoso ventral S.N. difuso gânglios cerebrais Cordões nervosos Cnidários Anelídeos Axônio gigante Cérebro Moluscos Platelmintos
  14. 14. EVOLUÇÃO DO SISTEMA Cérebro NERVOSO 2 Cérebro Cerebelo Medula Cordão nervoso ventral Cervical Torácico Lombar Artrópodes Anel Nervoso Nervos radiais Nervos Femoral Ciático Tibial Equinodermos
  15. 15. Desenvolvimento de Embriológico do Encéfalo Tubo neural Rombencéfalo Mesencéfalo III II IIIb Mielencéfalo IIIa Metencéfalo II Mesencéfalo Prosencéfalo I Ib Diencéfalo Ia Telencéfalo
  16. 16. CÉREBRO VERTEBRADO ANCESTRAL- PEIXE Tálamo Lobo Óptico Cérebro Bulbo olfatório Cerebelo Medula Bulbo Ponte Hipófise Hipotálamo Diencéfalo Rombencéfalo Telencéfalo Prosencéfalo Mesencéfalo
  17. 17. EVOLUÇÃO DO CÉREBRO NOS VERTEBRADOS Medula Bulbo Cerebelo Lobo Óptico Mesencéfalo Cérebro Bulbo olfatório
  18. 18. Rombencéfalo DESENVOLVIMENTO DO CÉREBRO HUMANO Mesencéfalo Medula Diencéfalo Telencéfalo Tálamo Cérebro PROSENCÉFALO Hipotálamo Cerebelo Bulbo Ponte Hipófise
  19. 19. LOBOS CEREBRAIS SULCO CENTRAL Área motora voluntária LOBO FRONTAL: Pensamento, emoções ÁREA DE BROCA Parte motora da fala Tato e outras áreas sensoriais LOBO PARIETAL Área de interpretação LOBO OCCIPTAL Visão LOBO TEMPORAL Audição PONTE e BULBO respiração e batimentos cardíacos CEREBELO Equilíbrio
  20. 20. CÉREBRO- Corte Sagital CORPO CALOSO TÁLAMO Em coordenação regulam várias atividades do corpo O hipotálamo detecta alterações no corpo, libera neurotransmissores que atuam na hipófise que produz hormônios HIPÓFISE HIPOTÁLAMO PONTE MEDULA CEREBELO
  21. 21. PROTEÇÃO DO S. N. C. O encéfalo e a medula estão protegidos pelos elementos ósseos (crânio e vértebras), por membranas finas chamadas meninges e pelo líquido cefalorraquidiano (cerebroespinal) Existem três meninges: - A dura–máter, a camada mais externa, é espessa, dura e fibrosa, e protege o tecido nervoso do ponto de vista mecânico. - A aracnóide, a camada intermédia, é mais fina, sendo responsável pela produção do líquido cefalorraquidiano. - A pia-máter, a camada mais interna, é muito fina e vascularizada. é a única membrana
  22. 22. SIST. NERVOSO S.N. VOLUNTÁRIO S.N. AUTÔNOMO SIMPÁTICO Nervos que partem das regiões TORÁCICA e LOMBAR Principal neurotransmissor ADRENALINA e NORADRENALINA PARASSIMPÁTICO Nervos que partem das regiões ENCÉFALO e MEDULA FINAL (SACRAL) Principal neurotransmissor ACETILCOLINA
  23. 23. DILATA (-) SECREÇÃO CONTRAE (+) SECREÇÃO PARASIMPÁTICO SIMPÁTIC O DILATA BRONQUÍOLOS AUMENTA BATIMENTOS CONTRAE BRONQUÍOLOS DIMINUE BATIMENTOS SECRETA ADRENALINA DIMINUE SECREÇÃO DIMINUE MOTILIDADE RETÉM CONTEÚDO CÓLON RETARDA O ESVAZIAMENTO AUMENTA SECREÇÃO AUMENTA MOTILIDADE ESVAZIA O CÓLON ESVAZIA A BEXIGA
  24. 24. ARCO REFLEXO ESTÍMULO Substância branca Substância cinzenta corpo celular localizado no gânglio DORSAL neurônio sensitivo Receptor Corpúsculo de Paccini interneurô nio VENTRAL neurônio motor MEDULA Músculo efetor
  25. 25. PRINCIPAIS DISTÚRBIOS DO SIST. NERVOSO múltipla: uma doença auto-imune. Destruição da Esclerose bainha de mielina. problemas visuais, distúrbios da linguagem, da marcha, do equilíbrio, da força.
  26. 26. PRINCIPAIS DISTÚRBIOS DO SIST. NERVOSO Formação defeituosa de uma proteína (tau) Alzheimer: que participa dos microtúbulos com conseqüente destruição dos neurônios. Afeta a memória, aprendizado e a fala.
  27. 27. PRINCIPAIS DISTÚRBIOS DO SIST. NERVOSO Parkinson: acentuada redução de dopamina nos centros motores, causando tremores, lentidão e dificuldade de locomoção
  28. 28. PRINCIPAIS DISTÚRBIOS DO SIST. NERVOSO AVC: obstrução de uma artéria. Lesão irreversível. Fatores de risco: pressão arterial elevada, alto colesterol, obesidade.
  29. 29. As figuras abaixo mostram um segmento de neurônio durante um impulso nervoso (A) e a representação gráfica desse fenômeno (B). Analise-as e avalie as proposições apresentadas. ( F ) A fase (a) da figura B corresponde ao segmento 1 na figura A. ( V ) O segmento 1 da figura A está representado por (b) na figura B. ( V ) A fase (b) na figura B representa a repolarização, ocasionada pela entrada de K+. ( V ) O segmento 2 na figura A está representado por (a) na figura B. ( F ) A fase (a) da figura B representa a despolarização, ocasionada pela saída de Na+.
  30. 30. Na figura ilustra-se uma sinapse nervosa, região de interação entre um neurônio e uma outra célula. Com relação a esse assunto, é correto afirmar que: ( V ) A fenda sináptica está compreendida entre a membrana pré-sináptica do neurônio (1) e a membrana pós-sináptica da célula estimulada (2). ( V ) Na extremidade do axônio existem vesículas sinápticas (3), que contêm substâncias como a acetilcolina e a noradrenalina. ( V ) Os neurotransmissores liberados pelo axônio ligam-se a moléculas receptoras (4) na membrana pós-sináptica. ( V ) Canais iônicos (5), na membrana pós-sináptica, permitem a entrada de íons Na+ na célula.

×