SOU JORNALISTA, ESCRITORA E APAIXONADA PELO QUE 
FAÇO. EDITO SUPLEMENTOS ALMANAQUE E CAMPO DO 
JORNAL O POPULAR (GO). PELO...
SOU ARTISTA PLÁSTICA, ILUSTRADORA E PROFESSORA 
UNIVERSITÁRIA. 
TRABALHO EM UM JORNAL DE GOIÂNIA CHAMADO O POPULAR, 
EM QU...
Lelê não gosta do que Vê. 
__ De onde vêm tantos 
cachinhos?, pergunta, sem saber o 
que fazer.
Joga pra lá, 
Puxa pra cá. 
Jeito não dá, 
Jeito não tem.
-De onde vêm tantos cachinhos?, a 
pergunta se mantém.
Como é o cabelo de Lelê? 
Por que Lelê não gosta do que vê? 
O que ela quer saber? 
O que vocês acham que ela vai faze...
“Toda pergunta exige resposta. 
Em um livro vou procurar!”, 
Pensa Lelê, no canto, a cismar.
Será que ela encontrará a resposta para sua 
pergunta? 
Por que será que os cabelos de Lelê são assim? 
O que vocês acham ...
Fuça aqui, 
fuça lá. 
Mexe e remexe até encontrar 
o tal livro, muito sabido!, que 
tudo aquilo pode explicar.
Depois do Atlântico, a África chama 
E conta uma trama de sonhos e medos 
De guerras e vidas e mortes no enredo 
Também de...
Puxado, armado, crescido, 
enfeitado 
Torcido, virado, batido, rodado 
São tantos cabelos, tão lindos, 
tão belos!
Lelê gosta do que vê! 
Vai à vida, vai ao vento 
Brinca e solta o sentimento
Descobre a beleza de ser como é 
Herança trocada no ventre da raça 
Do pai, do avô, de além-mar até
O negro cabelo é pura magia 
Encanta o menino e a quem se avizinha
Lelê já sabe que em cada cachinho 
Existe um pedaço de sua história
Que gira e roda no fuso da Terra 
De tantos cabelos que são a memória
Lelê ama o que vê! 
E você?
O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01
O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01
O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01
O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01
O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01
O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01

959 visualizações

Publicada em

deleite

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
959
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
167
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Fazer a leitura dos textos autobiográficos, explorando informações que ajudam a compreendê-los: onde nasceram, onde moram, se casaram e tiveram filhos, se receberam premiações e outros aspectos que os orientadores acharem interessante.
  • Estratégias de leitura: verificação, antecipação.
  • Verificação, inferência, antecipação.
  • O cabelo de Lelê 130506073114-phpapp01

    1. 1. SOU JORNALISTA, ESCRITORA E APAIXONADA PELO QUE FAÇO. EDITO SUPLEMENTOS ALMANAQUE E CAMPO DO JORNAL O POPULAR (GO). PELO TRABALHO DESENVOLVIDO NO ALMANAQUE, RECEBI UM PRÊMIO DA SOCIETY FOR NEWS DESIGN (SND), DE NOVA YORK. TENHO DUAS FILHAS, SABRINA E KAREN, QUE ME FAZEM ACREDITAR QUE A VIDA PODE SER MÁGICA TODO OS DIAS. SOU BRASILEIRA DE CARTEIRINHA: MINHA MÃE É CEARENSE; MEU PAI, TOCANTINENSE; NASCI NO RIO DE JANEIRO E MOREI ALGUNS ANOS EM SÃO PAULO E BRASÍLIA. FINALMENTE, VIM PARA GOIÂNIA, ONDE CASEI E TIVE MINHAS FILHAS. QUER MAIS BRASILEIRO QUE ISSO? MEU SONHO É TOCAR O CORAÇÃO DAQUELES QUE LÊEM MEUS LIVROS; ASSIM COMO JÁ FUI TOCADA POR VÁRIOS AUTORES. ESPERO QUE O LEITOR CURTA ESTA VIAGEM TANTO QUANTO EU! VALÉRIA BELÉM
    2. 2. SOU ARTISTA PLÁSTICA, ILUSTRADORA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA. TRABALHO EM UM JORNAL DE GOIÂNIA CHAMADO O POPULAR, EM QUE DESENVOLVO OS DESENHOS DO SUPLEMENTO INFANTIL ALMANAQUE. PARA ILUSTRAR, FAÇO PESQUISAS EM DIVERSAS ÁREAS DO CONHECIMENTO, HISTÓRIA, ARTES, ANTROPOLOGIA,... MISTURANDO VÁRIAS TÉCNICAS, COMO GRAVURAS, PINTURAS, DESENHOS E COLAGENS, CONSTRUO AS IMAGENS DOS LIVROS EU ILUSTRO. É ASSIM QUE VOU COLORINDO NÃO SÓ OS LIVROS, MAS TAMBÉM OS MEUS DIAS. ADRIANA MENDONÇA
    3. 3. Lelê não gosta do que Vê. __ De onde vêm tantos cachinhos?, pergunta, sem saber o que fazer.
    4. 4. Joga pra lá, Puxa pra cá. Jeito não dá, Jeito não tem.
    5. 5. -De onde vêm tantos cachinhos?, a pergunta se mantém.
    6. 6. Como é o cabelo de Lelê? Por que Lelê não gosta do que vê? O que ela quer saber? O que vocês acham que ela vai fazer?
    7. 7. “Toda pergunta exige resposta. Em um livro vou procurar!”, Pensa Lelê, no canto, a cismar.
    8. 8. Será que ela encontrará a resposta para sua pergunta? Por que será que os cabelos de Lelê são assim? O que vocês acham do cabelo dela? Vamos continuar a leitura para saber o que Lelê vai descobrir?
    9. 9. Fuça aqui, fuça lá. Mexe e remexe até encontrar o tal livro, muito sabido!, que tudo aquilo pode explicar.
    10. 10. Depois do Atlântico, a África chama E conta uma trama de sonhos e medos De guerras e vidas e mortes no enredo Também de amor no enrolado cabelo
    11. 11. Puxado, armado, crescido, enfeitado Torcido, virado, batido, rodado São tantos cabelos, tão lindos, tão belos!
    12. 12. Lelê gosta do que vê! Vai à vida, vai ao vento Brinca e solta o sentimento
    13. 13. Descobre a beleza de ser como é Herança trocada no ventre da raça Do pai, do avô, de além-mar até
    14. 14. O negro cabelo é pura magia Encanta o menino e a quem se avizinha
    15. 15. Lelê já sabe que em cada cachinho Existe um pedaço de sua história
    16. 16. Que gira e roda no fuso da Terra De tantos cabelos que são a memória
    17. 17. Lelê ama o que vê! E você?

    ×