Heleny Galati

475 visualizações

Publicada em

livros, biografia

Publicada em: Educação, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
475
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Heleny Galati

  1. 1. Biografia, Livros e Entrevista<br />HelenyGalati<br />
  2. 2. No Brasil, talvez pela nossa falta de tradição ou mesmo pela dificuldade que o processo impõe. Não temos uma publicação 'não acadêmica' voltada diretamente para a divulgação de novos escritores. Os jornais e revistas fazem isso de maneira esparsa.<br />Informalmente resolvi propor uma lista com alguns novos escritores poucos conhecidos. Essas listas servem para que os leitores tenham alguma referência em busca de algum novo escritor(a). A lista também demonstra que temos um grupo muito bom de novos escritores. Essa lista pode ser que carregue algumas injustiças, deixando de fora algum novo escritor que mereça atenção. Mas espero que listas complementares apareçam.<br />Infelizmente, o meu processo de seleção não contou com a ajuda direta de críticos, nem com votações ou indicações de leitores, editores, etc.<br /> <br />A lista:<br />André Laurentino (1972, Olinda) - Seu primeiro romance, A paixão de Amâncio Amaro, foi publicado em 2005. O livro retrata a paixão e os sonhos do pernambucano Amâncio Amaro sobre a sua musa, Luzinete.Carola Saavedra (1973, Santiago/Chile) - Veio para o Brasil aos 3 anos de idade. Seu primeiro livro foi Do lado de fora publicado em 2005. Teve repercussão com a publicação de Flores Azuis e Paisagem com dromedário, de 2008 e 2010 respectivamente.<br />Michel Laub (1973, Porto Alegre) - Autor de quatro romances. O primeiro amor é de 2001. Depois vieram Longe da água em 2004 e O segundo tempo em 2006. O mais recente é O gato diz Adeus de 2009 em que quatro diferentes personagens falam sobre seus relacionamentos.Verônica Stigger (1973, Porto Alegre) - Autora de contos e crônicas. Seu primeiro livro,O trágico e outras comédias, foi publicado em 2004. Publicou Os anões e recebeu inúmeros elogios da crítica especializada. Também escreveu GranCabaretDemenzial.<br />E claro, não poderia esquecer da escritoraHelenyGalati, eu a escolhi para falar um pouco sobre sua tragetória.<br />
  3. 3. Sobre Heleny <br />HelenyGalati nasceu em São Paulo, Brasil, em 14 de março.Desde cedo demonstrou facilidade para a escrita e leitura. Começou seus estudos no Colégio ItalloSetti, em São Bernardo do Campo, tendo passado pelo Colégio Regina Mundi e Santa Amália.<br />Aos 10 anos entrou para a escola pública, onde seguiu até a idade de 16 anos, quando foi aprovada em vestibular na Faculdade de Engenharia Industrial em São Bernardo do Campo. Terminou seus estudos do Ensino Médio no Colégio Objetivo, e foi aprovada nos vestibulares das Universidades: USP São Carlos, Mackenzie, FAAP e Escola de Engenharia Mauá. Onde formou-se Engenheira Elétrica.<br />Estudar sempre foi paixão entranhada em Heleny. Pós-graduou-se em Administração de Empresas  e Engenharia de Computação. Sempre curiosa e a procura de desafios., fundou sua própria empresa e passou a atuar no mercado de desenvolvimento de software. Mais tarde especializou-se em Educação online e trabalhou por sete anos como consultora e educadora de Tecnologia Educacional. Foi professora do curso de pós-graduação da Faculdade de Informática de Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais.Sua paixão por educação a levou a proferir inúmeras palestras sobre o assunto e escrever para jornais e revistas especializados. Foi então que o amor pela escrita, que havia ficado adormecido começou a aflorar.<br />Um de seus pensamentos: “Escrever é tão necessário para mim quanto ar, água e alimento.”<br />
  4. 4. Livros<br />Em 2010, lançou seu primeiro romance Asif, Perdão, onde narra a experiência da vida de uma mulher e sua relação com tecnologia e o amor.<br />Asif, Superação o segundo volume desta história virtual-real será lançado em maio de 2011.<br />
  5. 5. Asif, Perdão<br />No título do livro existe a palavra Perdão. No entanto o que é ou não perdoado está implícito na história. O livro fala de vida.Do tempo no qual se começa a aprender. A infância e as percepções que temos com nosso olhar ingênuo. Fala da adolescência e suas inseguranças, da idade adulta, que nos cobra tanto. Não é uma história cronológica, biografia de alguém. É, de certa forma, a história de todos nós.Apresenta como uma empresária se posiciona e sobrevive no mundo de negócios e mesmo com o crescimento da participação feminina, um mundo masculino em algumas áreas. Mostra sua força, personalidade e acima de tudo como, de alguma forma, uma profissional forte decidida pode ser uma pessoa frágil, despedaçada por anos de desprezo e desamor.Permeia os relacionamentos com a influência da tecnologia em nossa vida. Facilitando e abrindo caminhos novos, possibilidades impensadas.Desta forma a personagem Beatriz poderia ser qualquer uma de nós. E o relacionamento dela com Coddy poderia acontecer com qualquer um. A tecnologia só foi o caminho para o outro lado do mundo, nova cultura e gatilho para mudanças.Os sites de relacionamento, ou mensagem instantânea, podem ser positivos. Depende de como você os encara.Escolha andar ao lado de Beatriz. Em sua sala de CEO, sentada a seu lado no carro ou avião. Acompanhe-a nas reuniões e lembranças. Viva com ela o nascimento do desejo e de um sentimento que não consegue identificar.E quando o virtual não é mais suficiente. Acompanhe-a a uma viagem pela Índia e Europa. Pelas diferenças e semelhanças que só comprovam que somos todos humanos.. Decida com ela, faça escolhas, se apaixone. E por que não? Aprenda.<br />
  6. 6. Asif, Superação<br />Continuação de Asif - Perdão. a ser lançado em junho de 2011. Agora Beatriz sai do virtual e segue a procura de respostas. O que sente por Coddy? Quem ele é realmente?O primeiro porto onde irá parar é Nova Delhi. Capital de um país místico, com cultura muito diferente da ocidental. Entretando não é isso que a preocupa. Como encontrar alguém em uma cidade com 16 milhões de habitantes, não tendo nenhuma informação a respeito dessa pessoa?Como terminará esse encontro caso aconteça? Ela encontrará as respostas à suas perguntas?Beatriz e seus seguranças aterrissam em Nova Delhidispostos a vencer os obstáculos e o destino. Sorte ou como Breatriz diz O Universo resolve conspirar para que o caminho seja o que tem de ser.<br />
  7. 7. HelenyGalati é apaixonada pelo ser humano e seus romances retratam essa paixão. Através de historias que misturam o real e o imaginário. Ela traça paralelos entre culturas, religiões e forma de encarar os acontecimentos. Suas histórias são como a vida, plurais, com diversos enredos um entrelaçado ao outro. Sempre procurando apresentar formas diferentes de se superar.<br />Adepta da tecnologia. Escreve para seu blog e é figura presente no twitter.<br />
  8. 8. Luz<br />Que alma é essa que tenho?Levada, pintada, flexível.Que alma é essa?Lavada, transparente, impossível.Alma minha.Minha alma.Buscada e perdidaAchada e esquecidaQue alma é essa que tenho?Ou será que ela me tem?Alma, almaBrilho sem luzDo que souVou e venhoEm minha alma.<br />
  9. 9. Entrevista com HelenyGalati<br />Qual o livro mais marcante que já leu até hoje?<br />Heleny - Essa é complicada. Cada livro teve sua importância em minha vida. A maioria ficou marcada com os momentos que vivi, relacionados com as alegrias e tristezas, sucessos e fracassos. Para cada época teria um: Mulherzinhas de MayAlcott marcou meus 10 anos. Depois vieram outros, o mais recente foi FreedomatMidnight sobre a independência da Índia... Mas ai pelo meio tem muito livro, muito autor: Cecília, Carlos, Clarice, Vasconcellos, Dumas, e tantos outros...<br />Você distingue o escritor pelo gênero – poesia, conto, romance, etc – ou acredita que escritor é escritor e ponto?<br />Heleny - Acho que cada um se sente confortável com um estilo. Como o pintor que prefere aquarela, tinta a óleo. O jeito de expressar em um estilo muitas flui melhor, traz mais dor ou prazer, dependendo do que o escritor deseja viver com aquele livro.<br />Quando esta a escrever um livro compartilha a história com alguém para se aconselhar, por exemplo: um amigo ou familiar? <br />Heleny - Não. EU prefiro “despejar” tudo de uma vez, sem muito critério. Disse uma vez que os livros saem de mim como um jorro, explosão de idéias, sentidos. Necessidade premente de me livrar de tudo aquilo. Depois de pronto, algumas vezes conto a amigos... ou compartilho trechos no Facebook...<br />O que a motiva a escrever? <br />Heleny - Tenho mais de um milhão de histórias e estórias para contar. Aprecio dividir experiências, idéias e tentar levar alguém informação às pessoas. Desejo compartilhar, ao mesmo tempo que tirar de mim um pouco daquilo que vivi, como que descarregar meu hard disk em um backup eterno. Resumindo; escrevo porque preciso.<br />
  10. 10. Você tem um gênero favorito? Qual?<br />Heleny - Não. Leio e escrevo sobre qualquer tema ou gênero. Asif é um romance autobiográfico, Alexander é ficção, Luzes da Turquia é uma espécie de diário de viagem... Tenho dois projetos sobre religião e outro sobre Praga. E mais, tenho um policial engatado e um livro infantil Assim, escrevo. Simples assim.<br />Alguns escritores, além de grandes artistas, são vistos como “seres superiores” por alguns leitores. Você tem ídolos escritores? Quais?<br />Heleny - Não. Não tenho ídolos. Considero algumas pessoas excepcionais em seus campos de atuação. Einstein, Mountbatten, Mehemet II, Julio Verne, Virgina Wolf, e mais alguns poucos que para mim se superaram, como Madre Teresa, Gandhi. Escritores, talvez um clássico: Shakeaspere...<br />Se você pudesse, como acabaria com o analfabetismo no Brasil e como implantaria o hábito de leitura?<br />Heleny - Sou bastante experiente para saber que nunca se ACABA com algo, sempre irá existir uma pequena população que não pode, quer ou não tem acesso a educação. Não confio mais nas instituições formais. O modo de ensinar está parado no século 19. Tudo é pouco estimulante para mentes que estão focadas em mídia, rapidez, dinamismo. <br />Pensando nisso, estou com um projeto para criar centos culturais, onde as pessoas poderão ter acesso a cultura. Não é estudo. Mesmo aqueles que são analfabetos poderão se instruir. Centros para levar as pessoas a pensar e não apenas despejar informação nelas. O mundo digital quebra um pouco o paradoxo de que se não leio não sou capaz de aprender... E certamente, por experiência, depois que se começa a prender o passo seguinte e quer ler e escrever.<br />Muitas vezes engessamos mentes nas necessidades formais de aprendizado, esquecendo que cada um é cada um. <br />Como incentivar o hábito de leitura. Lendo. Sem restrições. Percebo que os livros que são obrigatórios na escola, estão pouco focados na experiência que a criança ou o jovem tem. Para apreciar a grandiosidade de um escritor como Guimarães Rosa, Cecília Meirelles, entre outros, é preciso ter uma consciência do espaço e tempo em que viveram, e acima de tudo ser aberto a leitura. Ao impor essa leitura a nosso jovens, prestamos um desserviço e tornamos tudo muito “chato” como eles dizem.<br />Alguém não me lembro quem, disse que um livro é bom quando os jovens desejam lê-lo. Esse desejo é que deveria ser incentivado e respeitado. Não vamos formar no Ginásio ou colegial especialistas em literatura.<br />
  11. 11. Luzes da Turquia<br />HelenyGalatilançará seu livro sobre sua viagem a Turquia.<br />O resultado deste trabalho será apresentado em Dezembro/Janeiro. <br />No site abaixo você tem a oportunidade de acompanhar toda a viagem e produção do Luzes da Turquia. Imagens, vídeos, entrevistas e textos serão disponibilizados àqueles que fizerem companhia.<br />“O povo é hospitaleiro, a comida saborosa, os perfumes maravilhosos e a paisagem deslumbrante.” - diz Heleny.<br />Site “Luzes da Turquia”: www.luzesturquia.net<br />
  12. 12. Novos Projetos<br />Tenho paixão pela leitura. Leio pelo menos um livro por semana, às vezes mais. Existe apenas uma coisa que gosto mais que ler, viajar. Faço viagens por puro prazer. Conhecer novos lugares, cultura. Ter experiências variadas permite que a escrita fique mais condimentada, especial.Além de gostar de viajar, ler e escrever. Sou uma pessoa cheia de idéias. Bilhões delas. Não seria eu se não estivesse atolada nelas a todo momento. O próximo livro já está no forno, ou melhor no computador, e para escrever esse livro precisei viajar.Fui a Istanbul, na Turquia. Uma cidade maravilhosa em sua história, beleza e povo. Me apaixonei por ela.A escolha por Istanbul para esta viagem veio da necessidade de encontrar um personagem. Andando pelas ruas, conversando com as pessoas e acima de tudo fazendo amizades, o encontrei. E ele é tudo que esperava para meu Alexander. Bonito, inteligente e muito divertido. Alguém repleto de amor e esperanças.Alexander é um livro que nos transporta pela história e finalmente para Istambul atual. Nele, aquilo que parece ilógico, impossível acontece e envolve uma menina e um menino. Homem e mulher. É sobre amor que constrói e liberta. Sobre o dia a dia e o sonho. Adaptação, aprendizado e fé.Como disse minha cabeça fervilha de idéias. Em Istambul conheci um rapaz, guia turístico, que mostrou a cidade sob uma perspectiva muito pessoal. Com ele andei por ruas estreitas, subi ladeiras íngremes e até tomei chá no alto de um morro que tinha um cemitério em sua encosta. Vi Istambul do povo e não apenas a turística, e melhor, sob o olhar de alguém que é apaixonado por história, seu país e pela vida.Surgiu uma amizade muito grande entre nós e a idéia: uma aventura de carro pela Turquia, pelo menos parte dela. Registrar isso em fotos, história, lendas e sensações. Vamos escrever esse livro juntos, ele e eu. Será uma experiência e tanto passar 50 dias na Turquia percorrendo locais repletos de magia, história e charme. Registrar nossas impressões e emoções. Duas visões, um homem e uma mulher. Será mais que um guia turístico é um sonho a compartilhar.<br />HelenyGalati<br />
  13. 13. Site: www.helenygalati.net<br />Blog: www.luzesturquia.net<br />Blog: helenyfalando.blogspot.com<br />Livro: www.asifsaga.net<br />Twitter: www.twitter.com/helenyg<br />Facebook: www.facebook.com/heleny.galati<br />Site, Blogs, Livros<br />
  14. 14. Raiane, por quê escolheu HelenyGalati para sua apresentação?<br />A primeira vez que li o blog da Heleny me encantei, a maneira como escreve convida a querer ler mais e mais, é um vício! <br />Nesses anos que eu estou nesse mundo, ainda não pude entender muita coisa. Porém, tem certas coisas que nem têm que ser compreendidas.<br />Eu não acho que eu tenho todas as coisas que eu quero. Nem acho que me faltem muitas. Eu só dou graças a Deus, todos os dias, por Ele ter me escolhido, dentre todas as pessoas do mundo, para me apresentar a HelenyGalati e eu ter a oportunidade de lê-la.<br />Heleny não é simplesmente mais uma mulher no mundo.Ela nasceu pra fazer a diferença, pois ela é diferente.Por isso, eu a escolhi! <br />Existem várias Heleny’s no mundo, mas com certeza nenhuma é como HelenyGalati.<br />E como já disse uma vez: “Vinicius de Morais que me desculpe, mas HelenyGalati é fundamental e essencial!”<br />RaianeMórbis<br />

×