Dr. Rafael Higashi UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE MEDICINA PÓS GRADUAÇÃO EM NEUROLOGIA Sumatriptano, trimebu...
DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE CONFLITOS DE INTERESSES Eu,  Rafael Higashi , autor da Dissertação intitulada “ Sumatriptano, tri...
Introdução
<ul><li>“ Transtorno neurológico primário de cefaléia episódica caracterizada por uma combinação de alterações neurológica...
Prevalência de Migrânea / ano  / sexo LIPTON e col., 2001
Impacto da Migrânea MENKEN, M MD; MUNSAT, TL. MD; TOOLE, JF. MD . The Global Burden of Disease Study: Implications for Neu...
Classificação da Migrânea  (SIC 2004) Sociedade Internacional de Cefaléia (SIC) 1.1  Migrânea sem aura 1.2  Migrânea com a...
Migrânea sem aura <ul><li>Pelo menos 5 crises  </li></ul><ul><li>Duração:  4 a 72 horas  </li></ul><ul><li>A dor ter pelo ...
Fisiopatologia da Migrânea NEJM 2002
NABIH M. RAMADAN, MD. Neurology 2005.
Tratamento da crise de Migrânea <ul><li>ESPECÍFICO </li></ul><ul><li>TRIPTANOS:  </li></ul><ul><ul><li>sumatriptano, rizat...
Tratamento da crise de Migrânea <ul><li>NÃO ESPECÍFICOS </li></ul><ul><li>ANALGÉSICOS :  paracetamol, aspirina, dipirona <...
Conceito emergente de politerapia na crise de Migrânea  <ul><li>A migrânea envolve múltiplos mecanismos fisiopatológicos <...
Mecanismos de a ção  farmacológicos <ul><li>Sumatriptano </li></ul><ul><li>Meloxican  </li></ul><ul><li>Trimebutina </li><...
Sumatriptano <ul><li>Ação nos receptores específicos 5HT  1B/1D </li></ul><ul><li>Vasoconstrição arterial </li></ul><ul><l...
NEJM 2002
<ul><li>Inibição da síntese de prostaglandinas (preferêncialmente a COX-2) </li></ul><ul><li>Diminuição da inflamação  </l...
Waeber C e Moskowitz M.A.  Neurology 2005
<ul><li>Interage com os receptores µ, K e  α  encefalinérgicos dos plexos intramurais de Auerback (mioentérico) e Meissner...
Objetivos <ul><li>Avaliar e comparar a eficácia do sumatriptano, trimebutina, meloxican  e a associação dos três em relaçã...
metodologia
Seleção da amostra <ul><li>Período do estudo:  Julho de 2006 a Fevereiro de 2007  </li></ul><ul><li>População estudada :  ...
Critérios de inclusão <ul><li>Diagnóstico:  migrânea com ou sem aura, segundo os critérios da SIC (2004) </li></ul><ul><li...
<ul><li>Mulheres grávidas ou lactantes </li></ul><ul><li>Doenças cardiovasculares; hematológicas; úlcera péptica; doença p...
<ul><li>Duplo cego, randomizado cruzado; </li></ul><ul><li>Aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da Faculdade de ...
Drogas utilizadas Frasco A Frasco B Frasco C Frasco D Trimebutina  200mg Sumatriptano  50 mg Meloxican  15mg Associação da...
Avaliação dos resultados ATENÇÃO: DEVERÁ SER PREENCHIDO PARA CADA CRIS E *Apenas para os pacientes que estavam SEM DOR em ...
Análise estatística <ul><li>Médias aritméticas; </li></ul><ul><li>Desvios padrões; </li></ul><ul><li>Valores mínimos e máx...
Resultados
<ul><li>Completaram o estudo:  42 pacientes  </li></ul><ul><li>Média de idade:  34 anos  </li></ul><ul><li>Distribuição qu...
Distribuição quanto ao diagnóstico dos pacientes Tipo de Migrânea
Intensidade das crises nos pacientes tratados com trimebutina (A), sumatriptano (B), meloxican (C) e a associação das três...
Presença de náusea com a AD, trimebutina, sumatriptano e meloxican
Presença de fotofobia das crises de migrânea tratadas com AD,  trimebutina, sumatriptano e meloxican
Características da Resposta Medicamentosa  <ul><li>Ausência de dor após 1 hora </li></ul><ul><li>Ausência de dor após 2 ho...
Resposta em relação à ausência de dor  após 1 hora
Resposta em relação à ausência de dor após 2 horas
Resposta a dor após 2 horas  (dor leve e ausência)
Ausência de náusea após 1hora
Ausência de náusea após 2 horas
Ausência de fotofobia após 1 hora
Ausência de fotofobia após 2 horas
Efeitos colaterais de pacientes com o uso das medicações
Medicação de resgate após 2 horas
Recorrência da dor durante 24 horas
Discussão <ul><li>Meloxican:  </li></ul><ul><li>Estudo inédito na migrânea </li></ul><ul><li>Resposta a dor (2h):  Meloxic...
Discussão <ul><li>Trimebutina:  </li></ul><ul><li>Estudo  inédito na migrânea em isolado </li></ul><ul><li>Resposta a dor(...
Nabih M. Ramadan, 2002 Ausência de dor em 2 horas (Triptanos) <ul><li>Taxa de resposta <10 % com placebo </li></ul><ul><li...
Krymchantowski e col, 2006 Estudo duplo cego, cruzado, randomizado, placebo controlado (rizatriptano x rizatriptano + trim...
Discussão <ul><li>Associação das três drogas: </li></ul><ul><li>Primeiro estudo da combinação </li></ul><ul><li>Não houve ...
Fuseau e col, 2001 Efeito da encapsulação na absorção do sumatriptano <ul><li>Baixa eficácia do sumatriptano encapsulado c...
Limitações do estudo <ul><li>Ausência do braço placebo </li></ul><ul><li>“  em qualquer estudo médico, todos os pacientes ...
Conclusão   <ul><li>Ausência de dor (1 e 2h):   </li></ul><ul><li>Sem diferença estatística </li></ul><ul><li>Resposta à d...
Conclusão   <ul><li>Ausência de náusea (1 e 2h):  </li></ul><ul><li>Sem diferença estatística </li></ul><ul><li>Ausência d...
Conclusão  <ul><li>Recorrência da dor:  </li></ul><ul><ul><li>Trimebutina (60%) </li></ul></ul><ul><ul><li>Meloxican (50%)...
Perspectivas futuras  <ul><li>Aumentar   a amostra </li></ul><ul><li>Incluir grupo  placebo </li></ul><ul><li>Apresentaçõe...
Agradecimentos especiais ao professor Pedro Ferreira Moreira Filho www.estimulacaoneurologica.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sumatriptano, trimebutina, meloxican e a associação das três drogas no tratamento da crise aguda de migrânea: Estudo duplo-cego, cruzado randomizado

4.212 visualizações

Publicada em

Trabalho publicado e apresentado por Dr. Rafael Higashi, médico neurologista sobre o uso do Sumatriptano, trimebutina, meloxican e a associação das três drogas no tratamento da crise aguda de migrânea. Defesa de mestrado apresentado para a coordenação da pós graduação de neurologia da Universidade Federal Fluminense, Niterói.

Publicada em: Saúde e medicina, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.212
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
365
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
75
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sumatriptano, trimebutina, meloxican e a associação das três drogas no tratamento da crise aguda de migrânea: Estudo duplo-cego, cruzado randomizado

  1. 1. Dr. Rafael Higashi UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE MEDICINA PÓS GRADUAÇÃO EM NEUROLOGIA Sumatriptano, trimebutina, meloxican e a associação das três drogas no tratamento da crise aguda de migrânea: Estudo duplo-cego, cruzado randomizado www.estimulacaoneurologica.com.br
  2. 2. DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE CONFLITOS DE INTERESSES Eu, Rafael Higashi , autor da Dissertação intitulada “ Sumatriptano, trimebutina, meloxican e associação das três drogas no tratamento da crise aguda de migrânea: estudo duplo-cego, cruzado e randomizado ”, declaro, de acordo com a resolução do Conselho Federal de Medicina, (aplicáveis aos últimos 5 anos e aos próximos): ( x ) que assumi todo o ônus do custo financeiro deste trabalho, salvo a encapsulação das amostras realizada pela Farmácia de Manipulação PhD e comprimidos do medicamento Sumatriptano fornecido pelo Laboratório Libbs, sem, entretanto, nenhuma contrapartida financeira para o desenvolvimento do presente estudo. Rio de Janeiro, 04 de Setembro de 2007. Rafael Higashi CREMERJ 5274345-3
  3. 3. Introdução
  4. 4. <ul><li>“ Transtorno neurológico primário de cefaléia episódica caracterizada por uma combinação de alterações neurológicas, gastrointestinais e autonômicas” </li></ul><ul><li>SILBERSTEIN, S.D., LIPTON, R.B. Neurology, v.44, n.7, p.6-16,1994 </li></ul>Conceito de Migrânea
  5. 5. Prevalência de Migrânea / ano / sexo LIPTON e col., 2001
  6. 6. Impacto da Migrânea MENKEN, M MD; MUNSAT, TL. MD; TOOLE, JF. MD . The Global Burden of Disease Study: Implications for Neurology . Archives of Neurology , volume 57(3), March 2000, pp 418-420 GRAU DE INCAPACIDADE PESO DA INCAPACIDADE CONDIÇÕES ASSOCIADAS 1 0.00 - 0.02 Vitiligo de face, peso menor que 2 desvios padrões 2 0.02 - 0.12 Diarréia aquosa, odinofagia severa, anemia severa 3 0.12 - 0.24 Fratura de punho, infertilidade, disfunção erétil, artrite reumatóide, angina 4 0.24 - 0.36 Amputação abaixo do joelho, surdez 5 0.36 - 0.50 Fístula reto-vaginal, retardo mental leve, Síndrome de Down 6 0.50 - 0.70 Depressão unipolar major, cegueira, paraplegia 7 0.70 - 1.00 Psicose ativa, demência, migrânea severa, quadriplegia
  7. 7. Classificação da Migrânea (SIC 2004) Sociedade Internacional de Cefaléia (SIC) 1.1 Migrânea sem aura 1.2 Migrânea com aura 1.2.1 Aura típica com cefaléia migranosa 1.2.2 Aura típica com cefaléia não-migranosa 1.2.3 Aura típica sem cefaléia 1.2.4 Migrânea hemiplégica familiar 1.2.5 Migrânea hemiplégica esporádica 1.2.6 Migrânea do tipo basilar 1.3 Síndrome periódica da infância comumente precursora de migrânea 1.3.1 Vômitos cíclicos 1.3.2 Migrânea abdominal 1.3.3 Vertigem paroxística benigna da infância 1.4 Migrânea retiniana
  8. 8. Migrânea sem aura <ul><li>Pelo menos 5 crises </li></ul><ul><li>Duração: 4 a 72 horas </li></ul><ul><li>A dor ter pelo menos DOIS seguintes aspectos: </li></ul><ul><ul><li>Unilateral </li></ul></ul><ul><ul><li>Pulsátil ou latejante </li></ul></ul><ul><ul><li>Moderada a intensa </li></ul></ul><ul><ul><li>Agravada por movimentos </li></ul></ul><ul><li>Exacerbada pelo menos UM dos seguintes: </li></ul><ul><ul><li>Náusea </li></ul></ul><ul><ul><li>Vômitos </li></ul></ul><ul><ul><li>Foto e fonofobia </li></ul></ul><ul><li>Não atribuível a outro transtorno </li></ul>(SIC 2004)
  9. 9. Fisiopatologia da Migrânea NEJM 2002
  10. 10. NABIH M. RAMADAN, MD. Neurology 2005.
  11. 11. Tratamento da crise de Migrânea <ul><li>ESPECÍFICO </li></ul><ul><li>TRIPTANOS: </li></ul><ul><ul><li>sumatriptano, rizatriptano, naratriptano, zolmitriptano, </li></ul></ul><ul><ul><li>eletriptano, flavotriptano, almotriptano </li></ul></ul><ul><li>DERIVADOS DO ERGOT : </li></ul><ul><ul><li>ergotamina e diidroergotamina </li></ul></ul>
  12. 12. Tratamento da crise de Migrânea <ul><li>NÃO ESPECÍFICOS </li></ul><ul><li>ANALGÉSICOS : paracetamol, aspirina, dipirona </li></ul><ul><li>ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTERÓIDES (AINES): indometacina, ácido mefenâmico, diclofenaco de sódio, ibuprofeno, naproxeno e rofecoxib </li></ul><ul><li>ANTI-EMÉTICOS: metoclopramida, domperidona </li></ul><ul><li>NEUROLÉPTICOS: clopromazina, haloperidol </li></ul><ul><li>CORTICÓIDES: dexametasona </li></ul>
  13. 13. Conceito emergente de politerapia na crise de Migrânea <ul><li>A migrânea envolve múltiplos mecanismos fisiopatológicos </li></ul><ul><li>Vários mecanismos fisiopatológicos e receptores </li></ul><ul><li>devem ser direcionados </li></ul><ul><li>O uso de politerapia direcionando vários mecanismos patológicos da migrânea </li></ul><ul><li>NABIH, M., RAMADAN, M.D. Targeting therapy for migraine: what to treat? Neurology , v.64, n.2, 2005. </li></ul><ul><li>PEROUTKA, S.J. Beyond monotherapy: rational polytherapy in migraine. Headache , v.38, p.18-22, 1998 </li></ul><ul><li>KRYMCHANTOWSKI, A.V. Acute Treatment of migraine. Breaking the paradigm of monotherapy. BMC Neurology , v.28, p.4, 2004. </li></ul>
  14. 14. Mecanismos de a ção farmacológicos <ul><li>Sumatriptano </li></ul><ul><li>Meloxican </li></ul><ul><li>Trimebutina </li></ul>
  15. 15. Sumatriptano <ul><li>Ação nos receptores específicos 5HT 1B/1D </li></ul><ul><li>Vasoconstrição arterial </li></ul><ul><li>Diminuição da inflamação neurogênica </li></ul><ul><li>Diminuição da ativação nociceptiva central trigeminal </li></ul>
  16. 16. NEJM 2002
  17. 17. <ul><li>Inibição da síntese de prostaglandinas (preferêncialmente a COX-2) </li></ul><ul><li>Diminuição da inflamação </li></ul><ul><li>Diminuição do extravasamento de proteínas plasmáticas </li></ul>Meloxican
  18. 18. Waeber C e Moskowitz M.A. Neurology 2005
  19. 19. <ul><li>Interage com os receptores µ, K e α encefalinérgicos dos plexos intramurais de Auerback (mioentérico) e Meissner (submucoso) </li></ul><ul><li>Ação procinética </li></ul><ul><li>Anti-espasmódica </li></ul>Trimebutina
  20. 20. Objetivos <ul><li>Avaliar e comparar a eficácia do sumatriptano, trimebutina, meloxican e a associação dos três em relação aos seguintes parâmetros: </li></ul><ul><ul><li>Ausência de dor (1 e 2h) </li></ul></ul><ul><ul><li>Resposta a dor (2h) </li></ul></ul><ul><ul><li>Ausência de náusea (1 e 2h) </li></ul></ul><ul><ul><li>Ausência de fotofobia (1 e 2h) </li></ul></ul><ul><ul><li>Recorrência da dor </li></ul></ul><ul><ul><li>Efeitos colaterais </li></ul></ul>
  21. 21. metodologia
  22. 22. Seleção da amostra <ul><li>Período do estudo: Julho de 2006 a Fevereiro de 2007 </li></ul><ul><li>População estudada : 50 pacientes . </li></ul><ul><li>Local do Estudo: </li></ul><ul><ul><li>Ambulatório de Investigação de Cefaléias - HUAP - UFF - Niterói </li></ul></ul><ul><ul><li>Centro de Avaliação e Tratamento da Dor de Cabeça, Rio de Janeiro (RJ) </li></ul></ul>
  23. 23. Critérios de inclusão <ul><li>Diagnóstico: migrânea com ou sem aura, segundo os critérios da SIC (2004) </li></ul><ul><li>Idade: entre 18 e 65 anos </li></ul><ul><li>Crises mensais de migrânea: 2 a 8 (dois meses anteriores) </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Mulheres grávidas ou lactantes </li></ul><ul><li>Doenças cardiovasculares; hematológicas; úlcera péptica; doença psiquiátrica; hepática; e/ou renal </li></ul><ul><li>Uso regular de AINE </li></ul><ul><li>Hipersensibilidade a uma das medicações do estudo </li></ul><ul><li>Utilização de quaisquer medicamentos para a crise nas 6 hs que antecederam o estudo </li></ul>Critérios de exclusão
  25. 25. <ul><li>Duplo cego, randomizado cruzado; </li></ul><ul><li>Aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da Faculdade de Medicina do HUAP-UFF; </li></ul><ul><li>Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE); </li></ul><ul><li>4 grupos em ordem diferentes (ABCD, BCDA, CDAB, DABC) </li></ul>Grupos estudados
  26. 26. Drogas utilizadas Frasco A Frasco B Frasco C Frasco D Trimebutina 200mg Sumatriptano 50 mg Meloxican 15mg Associação das três drogas
  27. 27. Avaliação dos resultados ATENÇÃO: DEVERÁ SER PREENCHIDO PARA CADA CRIS E *Apenas para os pacientes que estavam SEM DOR em 2 horas; Relate aqui todos os efeitos colaterais ou indesejáveis que ocorreram após ter tomado o(s) medicamento(s) __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ DATA: HORA DE INÍCIO: DOR? PRESENÇA DE ENJÔO? PRESENÇA DE SENSIBILIDADE À CLARIDADE ? No momento em que tomou o(s) medicamento(s) ( ) Leve ( ) Moderada ( ) Forte ( ) Sim ( ) Não ( ) Sim ( ) Não Após 1 hora ( ) Ausente ( ) Leve ( ) Moderada ( ) Forte ( ) Sim ( ) Não ( ) Sim ( ) Não Após 2 horas ( ) Ausente ( ) Leve ( ) Moderada ( ) Forte ( ) Sim ( ) Não ( ) Sim ( ) Não A dor voltou no dia seguinte? * ( ) Sim ( ) Não A dor estava presente após 24h de uso? ( ) Sim ( ) Não
  28. 28. Análise estatística <ul><li>Médias aritméticas; </li></ul><ul><li>Desvios padrões; </li></ul><ul><li>Valores mínimos e máximos com distribuição de freqüência simples e percentuais; </li></ul><ul><li>Teste não-paramétrico de X 2 ; </li></ul><ul><li>Teste não-paramétrico de Friedman; </li></ul><ul><li>Nível 5% de probabilidade(valor de p ≤0.05) </li></ul>
  29. 29. Resultados
  30. 30. <ul><li>Completaram o estudo: 42 pacientes </li></ul><ul><li>Média de idade: 34 anos </li></ul><ul><li>Distribuição quanto ao sexo: Maioria do sexo feminino (83%) </li></ul>Características da amostra
  31. 31. Distribuição quanto ao diagnóstico dos pacientes Tipo de Migrânea
  32. 32. Intensidade das crises nos pacientes tratados com trimebutina (A), sumatriptano (B), meloxican (C) e a associação das três drogas (D)
  33. 33. Presença de náusea com a AD, trimebutina, sumatriptano e meloxican
  34. 34. Presença de fotofobia das crises de migrânea tratadas com AD, trimebutina, sumatriptano e meloxican
  35. 35. Características da Resposta Medicamentosa <ul><li>Ausência de dor após 1 hora </li></ul><ul><li>Ausência de dor após 2 horas </li></ul><ul><li>Resposta a dor após 2 horas </li></ul><ul><li>Ausência de náusea após 1 hora </li></ul><ul><li>Ausência de náusea após 2 horas </li></ul><ul><li>Ausência de fotofobia após 1 hora </li></ul><ul><li>Ausência de fotofobia após 2 horas </li></ul><ul><li>Efeitos colaterais </li></ul><ul><li>Medicação de resgate após 2 horas </li></ul><ul><li>Recorrência da dor durante 24 horas </li></ul>
  36. 36. Resposta em relação à ausência de dor após 1 hora
  37. 37. Resposta em relação à ausência de dor após 2 horas
  38. 38. Resposta a dor após 2 horas (dor leve e ausência)
  39. 39. Ausência de náusea após 1hora
  40. 40. Ausência de náusea após 2 horas
  41. 41. Ausência de fotofobia após 1 hora
  42. 42. Ausência de fotofobia após 2 horas
  43. 43. Efeitos colaterais de pacientes com o uso das medicações
  44. 44. Medicação de resgate após 2 horas
  45. 45. Recorrência da dor durante 24 horas
  46. 46. Discussão <ul><li>Meloxican: </li></ul><ul><li>Estudo inédito na migrânea </li></ul><ul><li>Resposta a dor (2h): Meloxican 54,8% x sumatriptano 40,4% </li></ul><ul><li>Eficácia dos AINES x triptanos </li></ul><ul><li>Baixo custo </li></ul><ul><li>DIB, M. et al. Efficacy of oral Ketoprofen in the acute migraine. A double-blind randomized clinical trial. Neurology , v.58, p.1660-65, 2002. </li></ul><ul><li>THE ORAL SUMATRIPTAN AND ASPIRIN PLUS METOCLOPRAMIDE COMPARATIVE STUDY GROUP. A study to compare oral sumatriptan with oral aspirin plus oral metoclopramide in the acute treatment of migraine. Eur Neurol , v.32, p.177-84, 1992. </li></ul><ul><li>THE DICLOFENAC-K/SUMATRIPTAN MIGRAINE STUDY GROUP. Acute treatment of migraine attacks: efficacy and safety of a nonsteroidal anti-inflammatory drug, diclofenac-potassium, in comparison to oral sumatriptan and placebo. Cephalalgia , v.19, p.232-40, 1999. </li></ul>
  47. 47. Discussão <ul><li>Trimebutina: </li></ul><ul><li>Estudo inédito na migrânea em isolado </li></ul><ul><li>Resposta a dor(2h): 35% </li></ul><ul><li>Ausência a dor(2h): 12% </li></ul><ul><li>Maior recorrência da dor(24h): 60% </li></ul><ul><li>Maior % de medicação de resgate: 9.5% </li></ul><ul><li>KRYMCHANTOWSKI, A.V., MOREIRA FILHO, P.F., BIGAL, M.E. Rizatriptan vs rizatriptan plus trimebutine for the acute treatment of migraine: a double-blind, randomized, cross-over, placebo-controlled study. Cephalalgia , v.26, n.7, p.871-74, 2006 </li></ul>
  48. 48. Nabih M. Ramadan, 2002 Ausência de dor em 2 horas (Triptanos) <ul><li>Taxa de resposta <10 % com placebo </li></ul><ul><li>CNS Drugs 2002;16(3) </li></ul>
  49. 49. Krymchantowski e col, 2006 Estudo duplo cego, cruzado, randomizado, placebo controlado (rizatriptano x rizatriptano + trimebutina) <ul><li>rizatriptano + trimebutina </li></ul><ul><li>rizatriptano (monoterapia) </li></ul>Combinação do rizatriptano + trimebutina foi superior ao rizatriptano isolado Cephalalgia, 2006, 26,871-874
  50. 50. Discussão <ul><li>Associação das três drogas: </li></ul><ul><li>Primeiro estudo da combinação </li></ul><ul><li>Não houve diferença estatística </li></ul><ul><li>Motivos: encapsulação, estase gástrica, sensibilização central, efeito não aditivo </li></ul><ul><li>Mais efeitos adversos (10 pacientes) </li></ul><ul><li>Menor recorrência (11%) </li></ul><ul><li>KRYMCHANTOWSKI, A.V., ADRIANO, M., FERNANDES, D. Tolfenamic acid decreases migraine recurrence when used with sumatriptan. Cephalalgia , v.19, p.186-87, 1999. </li></ul><ul><li>TIMOTHY, R. et al. Sumatriptan and naproxen sodium for the acute treatment. Headache, v.45, p.983-991, 2005. </li></ul>
  51. 51. Fuseau e col, 2001 Efeito da encapsulação na absorção do sumatriptano <ul><li>Baixa eficácia do sumatriptano encapsulado comparado com originais </li></ul><ul><li>Fuseau e col. Clinical Therapeutics, vol. 23. NO. 2, 2001 </li></ul>
  52. 52. Limitações do estudo <ul><li>Ausência do braço placebo </li></ul><ul><li>“ em qualquer estudo médico, todos os pacientes – incluindo aqueles do grupo controle – deverão receber tratamento ou método diagnóstico comprovadamente eficaz ” </li></ul><ul><li>Declaração de Helsinki pela Associação Médica Mundial (out/2000) </li></ul><ul><li>“ Drogas usadas no tratamento agudo de migrânea deverão ser comparadas com placebo. Quando duas drogas presumidamente ativas são comparadas, o controle placebo deverá ser incluído, para testar a reatividade da amostra dos pacientes ” </li></ul><ul><li>Guideline para ensáios controlados de drogas na migrânea., 2 edição. Sociedade Internacional de Cefaléia. </li></ul><ul><li>Cephalalgia 2000. </li></ul><ul><li>Medicações na forma original </li></ul>
  53. 53. Conclusão <ul><li>Ausência de dor (1 e 2h): </li></ul><ul><li>Sem diferença estatística </li></ul><ul><li>Resposta à dor (2h): Sem diferença estatística </li></ul>
  54. 54. Conclusão <ul><li>Ausência de náusea (1 e 2h): </li></ul><ul><li>Sem diferença estatística </li></ul><ul><li>Ausência de fotofobia (1 e 2h): Sem diferença estatística </li></ul>
  55. 55. Conclusão <ul><li>Recorrência da dor: </li></ul><ul><ul><li>Trimebutina (60%) </li></ul></ul><ul><ul><li>Meloxican (50%) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sumatriptano (18%) </li></ul></ul><ul><ul><li>AD (11%) </li></ul></ul><ul><li>Efeitos colaterais: </li></ul><ul><ul><li>AD (N=10) </li></ul></ul><ul><ul><li>Trimebutina (N=6) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sumatriptano (N=5) e Meloxican (N=5) </li></ul></ul>
  56. 56. Perspectivas futuras <ul><li>Aumentar a amostra </li></ul><ul><li>Incluir grupo placebo </li></ul><ul><li>Apresentações originais </li></ul>
  57. 57. Agradecimentos especiais ao professor Pedro Ferreira Moreira Filho www.estimulacaoneurologica.com.br

×