Exame Neurológico: Síndrome Extrapiramidal

25.385 visualizações

Publicada em

Aula (2002) do DR. Rafael Higashi (médico neurologista) sobre Síndrome Extrapiramidal .

Publicada em: Educação
1 comentário
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • preciso de uma ajuda, meu filho tem um tremor nas mãos, quando ele vai por alguma coisa na boca quase derruba tudo. me sinto péssima com isso. quando ele tinha 4 dias ele caiu de uma altura de um metro mais ou menos. será q isso é consequencia do tombo? pois o pediatra disse q com o tempo poderia afetar alguma parte do corpo dele. hoje alem do tremor, ele fala algumas palavras erradas. preciso de uma ajuda , vou deixar meu eail, me manda uma resposta por favor. d.budia@uol.com.br
    aguardo uma resposta. pois levei ele em varios neuro e fiz tres ressonancia mas nao descobriram nada. aguardo uma resposta obrigada.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
25.385
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
339
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
295
Comentários
1
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exame Neurológico: Síndrome Extrapiramidal

  1. 1. Síndrome Extrapiramidal Dr. Rafael Higashi Médico neurologista www.estimulacaoneurologica.com.br
  2. 2. Sistema Extrapiramidal <ul><li>Filogenéticamente o mais antigo; </li></ul><ul><li>Trata-se segundo DeJong: “Um conceito funcional e os conhecimentos são provenientes do estudo de doenças caracterizadas por distúrbios do tônus, movimento e postura.” </li></ul><ul><li>Lesões anatômicas nos neurônios motores corticais (córtex frontal pré-motor) ou subcorticais (gânglios da base, tálamo, subtálamo, formação reticular), cujos axônios não decussam nas pirâmides. </li></ul><ul><li>Academicamente por questões didáticas ensina-se os núcleos da base (núcleo caudado e lenticular formando o corpo estriado) como centro do controle das manifestações extrapiramidais. </li></ul><ul><li>Pode-se classificar as síndromes extrapiramidais subdividindo-se em duas síndromes: o do paleoestriado constituido pelo sistema nigropalidal e o neoestriado pelo sistema putamenocaudada. </li></ul>
  3. 4. Distúrbios extrapiramidais: <ul><li>Desordens hipocinéticas: bradicinesia, acinesia, pobreza geral na motricidade automática ocorre nas síndromes parkinsonianas. </li></ul><ul><li>Desordens hipercinéticas: grupo de movimentos anormais espontâneos podem ser de origem extrapiramidal ou de outros setores como os movimentos convulsivos, mioclonias e histéricas. </li></ul>
  4. 6. Desordens hipocinéticas: Parkinsonismo <ul><li>Síndrome descrita em 1817, por James Parkinson, com o nome de paralisia agitante (shaking palsy). </li></ul><ul><li>A tríade clássica rigidez, acinesia e tremor, aos quais se deve somar a instabilidade postural. </li></ul>
  5. 7. Rigidez muscular <ul><li>Rigidez Plástica. </li></ul><ul><li>Os músculos do segmento são afetados como um todo. </li></ul><ul><li>A via dopaminérgica, que se origina da substância negra, gera uma influência moduladora sobre o corpo estriado, por meio de uma inibição dos interneurônios estriados colinérgicos. No parkinsonismo , essa informação inibitória se perde ocorrendo predomínio da ação excitatória da acetilcolina. </li></ul><ul><li>Sinal da roda dentada. </li></ul><ul><li>Diferente da hipertonia elástica. </li></ul>
  6. 8. Bradicinesia <ul><li>Diminuição da expressão facial denominada como hipomimia. </li></ul><ul><li>Perda do balanço dos membros superiores na marcha. </li></ul><ul><li>Baixo volume de voz. </li></ul><ul><li>Diminuição do piscamento. </li></ul>
  7. 10. Tremor <ul><li>Tremor de repouso </li></ul><ul><li>Frequência habitual de 4 a 6 c/s </li></ul><ul><li>Diminui oa ato voluntário e ao dormir </li></ul><ul><li>Movimento de rolar dinheiro ou contar pílulas, prósupinação ou flexoextensão do antebraço </li></ul>
  8. 11. Classificação do tipo tremor <ul><li>Tremor em repouso </li></ul><ul><li>Tremor de ação </li></ul><ul><li>a) Postural </li></ul><ul><li>b) Cinético </li></ul><ul><li> - simples: não existe alvo direcionado </li></ul><ul><li> - intencional: a amplitude aumenta durante a movimentação (prova dedo no nariz) </li></ul><ul><li> - tarefas específicas: exacerba com tarefas específicas (escrever) </li></ul><ul><li> - isométricos: tremor que ocorre durante a contração voluntária do músculo contra um objeto estacionário e rígido (mão do examinador) </li></ul>
  9. 12. Síndromes comuns de tremor: <ul><li>Tremor da Doença de Parkinson: frequência baixa (4 a 6 c/s) em repouso, inibido durante o movimento e sono. Agravado pelo stress emocional. </li></ul><ul><li>Tremor Essencial Clássico: bilateral, simétrico postural ou cinético. História familiar de tremor na família é comum. </li></ul><ul><li>Tremor fisiológico: presente em todos as pessoas de diferentes graus, comumente postural e frenquência alta (8 a 12 c/s). Causa usualmente reversível (ex. cafeína). </li></ul>
  10. 13. Instabilidade postural <ul><li>Perda de reflexos posturais (permitem que se mantenha a postura ereta na posição sentada ou em pé sem que se necessite de qualquer esforço voluntário). </li></ul><ul><li>Os parkinsonianos assumem a postura com a cabeça e tronco fletidos anteriormente e tem muita dificuldade de ajustar a sua postura quando se inclinam ou quando há súbitos ou deslocamentos do corpo, o que lhes facilita quedas ao solo. </li></ul>
  11. 14. Classificação Etiológica do Parkinsonismo <ul><li>Primária: 80% dos casos, sendo aí caracterizada a Doença ou Mal de Parkinson </li></ul><ul><li>Secundária: </li></ul><ul><li>Medicamentos - Antieméticos ou antipiscicóticos </li></ul><ul><li>Infecções - neurolues (estriatites sifilíticas), cisticercose, encefalites, AIDS </li></ul><ul><li>Intoxicações - monóxido de carbono, manganês </li></ul><ul><li>Vascular - AVCs, arteriosclerose </li></ul><ul><li>Trauma - grandes TCEs ou microtraumatismos repetidos </li></ul><ul><li>Tumores - principalmente de região temporal, comprimindo o diencéfalo </li></ul><ul><li>Heredodegenerativas - Degenarações olivo-ponto cerebelares, doença de Wilson (provoca deposição de cobre) </li></ul><ul><li>Parkison-Plus - paralisia supranuclear progressiva, Síndrome de Sky-Droger (degeneração estriatonigral) </li></ul><ul><li> </li></ul>
  12. 16. Doença de Parkinson : <ul><li>Prevalência estimada 150 por 100.000 habitantes. </li></ul><ul><li>1% da população com idade maior que 65 anos. </li></ul><ul><li>Testes laboratoriais e imagem não são úteis. </li></ul><ul><li>Fisiopatologia relacionado com toxinas ambientais, stress oxidativo e genético . </li></ul><ul><li>Diagnóstico histopatológico: presença de Lewy bodies e depleção de dopamina na substância Nigra. </li></ul><ul><li>Manifestação clínica apatir de 70 a 80 % da perda de dopamina na substância nigra. </li></ul>
  13. 18. Sintomas e sinais: <ul><li>Sintomas insidiosos não específicos que precedem o parkinsonismo como fadiga, astenia, alteração da personalidade. </li></ul><ul><li>Manifestações clássicas: Tremor, rigidez, bradicinesia e instabilidade postural. </li></ul><ul><li>Manifestações secundárias: desordem do sono(42%), constipação(50%), dor(50%), depressão(40%) e demência(20%). </li></ul><ul><li>Os sinais manifestam inicialmente unilateral e então progride assimetricamente . </li></ul><ul><li>Importante perguntar se existe a dificuldade em realizar tarefas específicas como levantar da cama. </li></ul>
  14. 22. Desordens hipercinéticas
  15. 23. Atetose <ul><li>Movimentos involuntários em partes mais distais do membro , no tronco , pescoço e face. Os músculos envolvidos contraem-se devagarosamente. </li></ul><ul><li>A causa mais comum é a paralisia cerebral, aparecem após 1 a 2 anos de vida. Inicialmente as crianças apresentam hipotônicas descritas como floppy baby(boneca de pano). </li></ul><ul><li>Outras causas: Doença de Hallervorden-Spatz, Panencefalite esclerosante subaguda e TCEs. </li></ul>
  16. 24. Coréias <ul><li>Causas : Coréia de Sydenham, coréia gravídica, doença de Huntington, coréia medicamentosa(l-dopa, hidantoinatos, hôrmonios contraceptivos, neurolépticos etc.), Coreatetose paroxística familiar, doença de Wilson , tirotoxicose, encefalites, doença cerebrovascular e etc. </li></ul>
  17. 27. Distonias <ul><li>Movimentos lentos com contrações musculares muito rigorosas de longa duração que acometem grupos musculares isolados , um segmento corporal ou grande extensões corporais. </li></ul><ul><li>Assumen um caráter de contorção ou rotação de um segmento. A caimbrã do escritor aparece como a causa mais comum na prática neurológica. </li></ul><ul><li>Tendência a apresentar posturas bizarras ( Postura do Distônica). </li></ul><ul><li>Podem apresentar focal ou generalizada. </li></ul><ul><li>Maior chance de generalização quanto mais cedo o início da abertura do quadro. </li></ul>
  18. 28. Tipos de Distonia: <ul><li>Distonia muscular deformante </li></ul><ul><li>O torcicolo espasmótico </li></ul><ul><li>Discinesia orofacial espontânea </li></ul><ul><li>Blefaroespasmo ( doença de Meige ) </li></ul><ul><li>Cãimbra do escritor </li></ul><ul><li>Causas secundárias : medicamentos bloqueador dos receptores dopaminérgicos estriatais (metoclopramida, neurolépticos), l-Dopa, paralisia cerebral, doença de parkinson, doença de Hallervorden-Spatz . </li></ul>
  19. 32. Tiques: <ul><li>Movimentos involuntários repetitivos e estereotipados que aparecem em determinadas pessoas quando colocadas sob tensão emocional. </li></ul><ul><li>O portador de um tique sente que o movimento pode ser inibido por controle voluntário, mas quando o faz , percebe que uma sensação angustiante vai avolumando-se no seu íntimo, que só alivia após o aparecimento do tique. </li></ul><ul><li>Normalmente movimentos simples como protrusão dos lábios(bico), protrusão do queixo(colarinho apertado), pigarrear, elevação do ombro, piscamento repetido das pálpebras e etc. </li></ul><ul><li>Freqüente entre crianças entre 2 a 6 anos. </li></ul><ul><li>Síndrome de Gilles de la Tourette . </li></ul>
  20. 34. Balismo <ul><li>Sucessivos movimentos involuntários rápidos e violentos de grandes áreas do corpo que se deslocam subitamente, devido a contrações musculares enérgicas e de curta duração. </li></ul><ul><li>De maneira geral acomentem um lado do corpo chamado de hemibalismo . </li></ul><ul><li>Lesões extensas da área subtalâmica contralateral (núcleo subtalâmico de Luys) . </li></ul><ul><li>Causa mais comum acidente vascular hemorrágico e isquêmico e mais raramente tumores cerebrais. </li></ul>
  21. 35. Referências Bibliográficas: <ul><li>Semiologia Médica : Celmo Celeno Porto; terceira edição. </li></ul><ul><li>Propedêutica Neurológica Básica: Wilson Luiz Sanvito; editora Ateneu 2002. </li></ul><ul><li>Principles of Internal Medicine: Harrison`s; XV edição. </li></ul><ul><li>Atlas Mosby em Cores e Texto de Neurologia: Parkin; I edição 1998. </li></ul><ul><li>Handbook of Symptom-Oriented Neurology: Kerri S. Remmel , Reem Bunyan: edição 2002 </li></ul>
  22. 36. Obrigado ! www.estimulacaoneurologica.com.br

×