Clonixinato de lisina versus naproxeno de sódio no

3.778 visualizações

Publicada em

Aula ministrada por Dr. Rafael Higashi sobre a comparação do Clonixinato de Lisina e o Naproxeno na crise aguda de enxaqueca.

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
350
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Clonixinato de lisina versus naproxeno de sódio no

  1. 1. Clonixinato de Lisina versus Naproxeno de Sódio no tratamento agudo de migrânea: estudo duplo cego , randomizado e cruzado Rafael Higashi MD AMBULATÓRIO DE CEFALÉIAS CRÔNICAS DO INDC UFRJ www.estimulacaoneurologica.com.br
  2. 2. Introdução <ul><li>O processo inflamatório faz parte crucial nas crises de migrânea e muitas drogas antiinflamatórias não esteroidais ( AINES) são efetivas no tratamento das crises de migrânea. </li></ul><ul><li>Apesar de sua eficácia o uso rotineiro de AINES têm sido limitado pelos seus efeitos colaterais e incompleta eficácia em alguns pacientes. </li></ul>
  3. 3. Objetivos <ul><li>Comparar a eficácia e tolerabilidade oral das formulações de Clonixinato de Lisina e Naproxeno de Sódio no tratamento de crises agudas de migrânea de moderada a forte intensidade. </li></ul>
  4. 4. Métodos e pacientes <ul><li>Local do estudo: dois ambulatórios neurológicos especializados em cefaléia situados em hospitais do Rio de Janeiro e Brasília dentre os meses de abril a dezembro de 2004. </li></ul><ul><li>População: </li></ul><ul><li>- 70 pacientes ( 62 mulheres e 8 homens) </li></ul><ul><li>- 18 a 71 anos ( média de 41 anos) </li></ul><ul><li>- Diagnóstico de migrânea sem aura de acordo com os critérios da Sociedade Internacional de Cefaléia. </li></ul><ul><li>Critério de Inclusão: pacientes em tratamento preventivo com uso drogas , exceto antiinflamatórios não esteroidais. </li></ul>
  5. 5. Métodos e pacientes <ul><li>Tipo de Estudo: duplo cego , cruzado, randomizado. </li></ul><ul><li>Metodologia: pacientes tratados em 2 crises de migrânea de moderada a forte intensidade. As doses foram de 250 mg de Clonixinato de Lisina e 550 mg de Naproxeno de Sódio. </li></ul>
  6. 6. Métodos e pacientes <ul><li>Métodos de Avaliação: </li></ul><ul><li>-A severidade do ataque foi baseado na escala analógica visual de dor de 0 ( sem dor ) a 3 (dor intensa). </li></ul><ul><li>-A severidade bem como a presença de nausea, fotofobia e efeitos colaterais foram avaliados no tempo 0 , 1 hora e 2 horas após o uso da droga. </li></ul><ul><li>-O consumo de medicação de resgate após 2 horas foi também comparado nos dois grupos. </li></ul><ul><li>-A análise estatística foi feito com com teste X 2 não paramétrico como também a análise de variança de Friedman, para verificar as diferentes associações entre respostas de tratamento em 1 hora e 2 horas no uso de medicação de resgate após 2 horas e incidência de efeitos colaterais achados nos dois grupos de pacientes. </li></ul>
  7. 7. ATENÇÃO: DEVERÁ SER PREENCHIDO PARA CADA CRISE * Apenas para os pacientes que estavam SEM DOR em 2 horas Relate aqui todos os efeitos colaterais ou indesejáveis que ocorreram após ter tomado o(s) medicamento(s): ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________   Data: Hora de início: Dor ? Presença de enjôo ? Presença de sensibilidade à claridade ? No momento em que tomou o(s) medicamento(s) ( ) Leve ( ) Moderada ( ) Forte ( ) Sim ( ) Não ( ) Sim ( ) Não Após 1 hora ( ) Ausente ( ) Leve ( ) Moderada ( ) Forte ( ) Sim ( ) Não ( ) Sim ( ) Não Após 2 horas ( ) Ausente ( ) Leve ( ) Moderada ( ) Forte ( ) Sim ( ) Não ( ) Sim ( ) Não A dor voltou no dia seguinte ? * ( ) Sim ( ) Não     A dor estava presente após 24 h de uso? ( ) Sim ( ) Não    
  8. 8. Resultados <ul><li>Sessenta pacientes ( 54 mulheres e 6 homens ) completaram o estudo. </li></ul><ul><li>Clonixinato de Lisina foi utilizado para tratar 16 crises severas e 43 moderadas enquanto o Naproxeno de Sódio foi utilizado em 19 crises severas e 39 moderadas. </li></ul><ul><li>Com o uso de Clonixinato de Lisina após 1h, 13,8% dos ataques estavam sem dor, após 2h, 35,6% estavam sem dor. </li></ul><ul><li>Para os ataques tratados com Naproxeno de Sódio após 1 h , 11,9 % e 32% após 2 h estavam sem dor . </li></ul>
  9. 10. Evolução da cefaléia com o tempo após o uso da medicação
  10. 11. Evolução da náusea com o tempo com ambos Clonixinado de Lisina e Naproxeno de Sódio
  11. 12. Evolução da fotofobia com o tempo com ambos Clonixinato de Lisina e Naproxeno de Sódio
  12. 15. Resultados <ul><li>59 crises tratados com CL, 8 usaram medicação de resgate comparado com 10 das 58 crises tratadas com NS. </li></ul><ul><li>Ausência de dor sustentada em 55% para CL e 60,1% para NS. </li></ul><ul><li>Recorrência presente em 45% das crises tratadas com CL e 38.9% com NS </li></ul>
  13. 16. Resultados : <ul><li>Os efeitos colaterais estavam presentes em 12 pacientes com o uso de Clonixinato de Lisina e 18 pacientes com o uso de Naproxeno de Sódio, incluindo vômitos (2 com CL e 3 com NS) , tonteira ( 3 para ambos), dor no estômago ( 4 para a CL e 7 para o NS), fadiga ( 5 com CL e 7 para NS). </li></ul><ul><li>25 pacientes preferiram CL e 25 NS , 8 pacientes para qualquer uma e 2 pacientes não expressaram preferência. </li></ul>
  14. 17. Conclusão <ul><li>Este estudo demonstrou que ambos o Clonixinato de Lisina e o Naproxeno de sódio são efetivos para tratar crises de migrânea de moderada a forte intensidade. Além disso , ambas as drogas apresentam razoável tolerabilidade. </li></ul>
  15. 18. Prof. Abouch e Edgard Raffaelli e Rafael Higashi no ambulatório de Cefaléias Crônicas do INDC / UFRJ
  16. 19. Obrigado a todos pela atenção ! Dr Rafael Higashi www.estimulacaoneurologica.com.br

×