COLETÂNEA POÉTICA
CAPÃO BONITO/SP
COLETÂNEA POÉTICA
CAPÃO BONITO/SP
U
RO
O T
S
U
RO
O T
S
Versos GameleirosVersos Gameleir...
Versos GameleirosVersos GameleirosOUTROS
OUTROS
2015
COLETÂNEA POÉTICA
Edição, Capa e Revisão
Juraci B Chagas e Rogério Machado
Diagramação, Digitação, Fotografia e Arte Final
Rogério Machado
I...
Eis a nova cepa de versos com certidão de nascimento aqui expedida ou
cá radicados, atendem pelo nome Outros Versos Gamele...
Versos Gameleiros
Antonio Celso dos
Santos, escritor, poeta
c a p ã o - b o n i t e n s e ,
funcionário público da
Secreta...
Versos Gameleiros
Acordar
Antonio Celso
A palavra, o sentimento, a ideia Paz,
Não ocupa lugar no discurso do mundo,
Todos ...
Versos Gameleiros
Amigo
Antonio Celso
Olhando para a sua vida agora
Não sei realmente o que dizer,
Tenho certeza de que vo...
Versos Gameleiros
Amores
Antonio Celso
Cada coração que bate apaixonado
Está renovando a velha esperança,
Luta permanente ...
Versos Gameleiros
12
Antonio Celso
Coisas Inúteis
Analisando a vida, dissecando suas nuances,
Noto que somos pobres coleci...
Versos Gameleiros
13
Antonio Celso
Somos os agentes da transformação
A vida toda participamos das mudanças
Nem sempre com ...
Versos Gameleiros
Antonio Celso
14
Doces Saudades
Agora já com tantos janeiros por companhia
Navegando nas águas cibernéti...
Versos Gameleiros
15
Felicidade
Antonio Celso
Ah! Que saudade da velha infância
Não tínhamos noção do significava aquela r...
Versos Gameleiros
Antonio Celso
16
Agora é uma boa hora para um balanço,
Na vida sempre devemos fazer uma análise
Tendo em...
Seja
Coitado de mim que sonhei tanto,
Esperei encontrar um mundo melhor, o paraíso,
Lamentei amargamente quando me descobr...
Antonio Celso
18
Versos Gameleiros
Qualquer Um se Apaixonaria
...qualquer um se apaixonaria
pela pessoa errada uma vez na ...
19
Versos Gameleiros
Versos Gameleiros
ra iJu cra iJu c
Juraci B. Chagas, natural de Capão Bonito,
Estado de São Paulo. Professor, cronista, po...
21
Versos Gameleiros
Juraci B Chagas
Petit Honneur
(Honorica)
Filhadiletadasdores,
Fortalezafeitadefé;
Cincopartos,cincoch...
Juraci B Chagas
22
Versos Gameleiros
Igrejinha
CapeladeS.Benedito,
BairroMatodoPavão,
MinhaDuomodeMilão!
Confesseiaímeuspe...
Versos Gameleiros
23
Juraci B Chagas
Conselhos
Aldeia, túmulo dos sonhos
E o fecundo reduto da fé;
Por que velar esperança...
Juraci B Chagas
24
Versos Gameleiros
Boneca de Vitrine
Espelho dos nossos sonhos,
Reflexo de nossas vontades;
Estímulo dos...
Juraci B Chagas
25
Versos Gameleiros
Cantiga
Havia um doce entendimento
Entre os meus olhos e os teus;
Quando eu buscava o...
Juraci B Chagas
26
Versos Gameleiros
Até Breve
Eu nunca pude te dizer adeus,
Para esquecer de te esquecer
E pensar que, at...
Juraci B Chagas
27
Versos Gameleiros
Segredo
Escolheu entre as árvores a mais frondosa
E gravou, num coração, uma palavra ...
28
Versos Gameleiros
Juraci B Chagas
Riozinho
O rio, como a gente,
É mais importante na foz
Do que na sua nascente!
Quiser...
Juraci B Chagas
29
Versos Gameleiros
Complexo de Eucalipto
Melancólicas cidades transplantadas,
Falsas Paris ou novas Amst...
Juraci B Chagas
30
Versos Gameleiros
Em Tempo
Não me arrependo do que não fiz
Por medo, timidez ou indecisão
E porque a so...
31
Versos Gameleiros
Versos Gameleiros
- In Memorian -
J o ã o L a f a y e t t i
Gomes Barreto —
pinhalense (SP) por
n a s c i m e n t o , m a ...
Versos Gameleiros
Lafayetti Barreto
33
O Início
O começo é difícil,
O começo é sempre difícil,
O medo do primeiro passo,
O...
Versos Gameleiros
Lafayetti Barreto
34
Velhapaineiraàbeiradaestrada
Eracomoummarco
Ostentandoaltaneiraasfloresróseas.
Nada...
Versos Gameleiros
Lafayetti Barreto
35
Procuraascicatrizesdassuasiniciais,
Nãoexistemnemsinais,
Comoomenino,elastambémdesa...
Versos Gameleiros
Lafayetti Barreto
36
Não Aprendi
Me ensinaste que os sonhos são reais,
Me ensinaste o que é o amor, o qu...
Versos Gameleiros
Lafayetti Barreto
37
Maktub
“Assim estava escrito”
Diz o ditado que alguma sábia mente
Há muito perdida ...
Versos Gameleiros
Lafayetti Barreto
38
Caça e Caçador
Eu sempre te quis,
sempre te amei,
mas para ti, eu não existia,
e de...
Versos Gameleiros
39
Lafayetti Barreto
Nada Mais
De todos os beijos que dei,
Guardei os sabores,
De todas as mulheres que ...
Lafayetti Barreto
40
Versos Gameleiros
O tempo correu, o tempo passou
E o que ontem eu era,
Hoje não mais sou
É tudo passa...
Lafayetti Barreto
41
Versos Gameleiros
Para Sempre
(Para Nice)
Depoisdetudopeloquejuntopassamos,
Esofremos,vivemos,rimosec...
42
Versos Gameleiros
Estendo meus bracinhos
Com um largo sorriso,
Ainda desprovido de dentinhos
Na ânsia de seu colo
Cheio...
43
Versos Gameleiros
Versos Gameleiros
Caros leitores:
Entre escritos dedicados a amigos, a paixões e escritos
descrevendo perspectivas feminin...
45
Versos Gameleiros
Agruras das escolhas
Osvaldo de Oliveira
Aqui jazem os restos mortais de um homem estafado da sua vid...
46
Versos Gameleiros
Sobreosteusombros,opesoenormedastuasprópriasescolhas
Opreçocaroquesepagaparaserdonodoprópriodestino
P...
47
Versos Gameleiros
Osvaldo de Oliveira
Teus: os milagres e as crenças;
Estas que escravizam os que me acusam,
Mesmo que ...
48
Versos Gameleiros
Osvaldo de Oliveira
Dedicado À
Tu não sabes
Quanta saudade eu tenho
Dasduas noites que rolaram aquele...
49
Versos Gameleiros
Osvaldo de Oliveira
Lamento
Quero gritar
Mas estou sufocada
Há um nó na minha garganta
Que me impede ...
Osvaldo de Oliveira
50
Versos Gameleiros
O Falso Sábio e o Sermão
Ditei-lhe mais uma vez sobre a sombra por trás do teu re...
Osvaldo de Oliveira
51
Versos Gameleiros
A vela escondida
Entre as páginas deste livro poento
Será a salvação noite adentr...
Osvaldo de Oliveira
52
Versos Gameleiros
Renascido
O poeta renasceu!
Há 3 anos esteve sumido
Perdido no abismo profundo
Do...
Osvaldo de Oliveira
53
Versos Gameleiros
Tranque-se no quarto
E grite para dentro
Até seus olhos ficarem vermelhos
Até que...
54
Versos Gameleiros
Osvaldo de Oliveira
Vire a ultima página deste livro velho
Este fora muito triste para nós.
Respire u...
55
Versos Gameleiros
Versos Gameleiros
Rogério Marcos Machado
(erremachado@bol.com.br), poeta,
cronista, contista, professor e
jornalista, part...
Versos Gameleiros
57
Rojer Rÿoz
Dalai Lama
Nesse incerto passatempo deste mundo
aos reflexos não compete exatidão
nem as r...
Versos Gameleiros
58
Rojer Rÿoz
Invento motivos pra dizer o teu nome
e quando te vejo nas ruas
elas ficam nuas
...só pra t...
Versos Gameleiros
59
Rojer Rÿoz
Cerrando meus olhos
num místico blues
tantos outros motivos me deixaram calado
Segui seu s...
Versos Gameleiros
Rojer Rÿoz
60
Na cinzenta acidentada avenida
onde poucos se detém à lucidez
eu também viajo feito o vent...
Versos Gameleiros
Rojer Rÿoz
61
A fome - obra do homem
bastardo filho da terra
estúpido estopim da guerra
estúpido sapiens...
Versos Gameleiros
Rojer Rÿoz
62
era preciso viver novamente
renascer das cinzas
sentir a brisa no rosto
a chuva fina a esc...
Versos Gameleiros
Rojer Rÿoz
63
ando sempre pelo meio-fio
o fio da navalha
no limiar das reações
é por ser sóbrio
é por se...
Versos Gameleiros
Rojer Rÿoz
64
Cabraliana
(Para João Cabral de melo Neto)
o engenheiro esculpiu a pedra
e à ela pendeu pa...
Versos Gameleiros
Rojer Rÿoz
65
quando nós não formos mais tão jovens
e o cortante vento impiedoso do inverno
partir nosso...
Versos Gameleiros
Rojer Rÿoz
66
hoje em dia: “todo carteiro é poeta!?”
ávidos em conhecer os meandros e a delícia da escri...
Versos Gameleiros
67
Versos Gameleiros
Dri akDri ak
Adriane Cristina Bernardo
da Silva (Drika) nasceu em
18 de Junho de 1994, natural
de Capão ...
69
Versos Gameleiros
Adriane Cristina (Drika)
Lembranças Dolorosas
Sorri, em meio às lágrimas
Sorriso de uma ilusão
Que nã...
70
Versos Gameleiros
Adriane Cristina (Drika)
Frutos do Amor de Deus
Um dia na varanda,
Vamos rir dessa chuva
Momentânea
T...
71
Versos Gameleiros
Adriane Cristina (Drika)
Passageiro Invisível
Uma pancada a menos ou a mais
Que diferença faz?
Não, n...
72
Versos Gameleiros
Adriane Cristina (Drika)
O inevitável
Acho que eu e Deus
Poderíamos fazer tu feliz.
Amei alguém
Que n...
73
Versos Gameleiros
Adriane Cristina (Drika)
Eu Consigo
Você me persegue
como o sol que ilumina
Você me persegue nos meus...
Adriane Cristina (Drika)
74
Versos Gameleiros
Palavras ao Vento
Às vezes falamos coisas
Que não deveríamos falar
Nem coisa...
Adriane Cristina (Drika)
75
Versos Gameleiros
Ausência Esquecida
Não queria isso
Para mim, longe estava
Melhor ou pior, nã...
Adriane Cristina (Drika)
76
Versos Gameleiros
Olhares Entrelaçados
Quando estou perto de ti
Começo a tremer
Não sei o por ...
Adriane Cristina (Drika)
77
Versos Gameleiros
Luar
Quando fui me apaixonar mudei
Minha maneira de pensar
Quando te vi chor...
Adriane Cristina (Drika)
78
Versos Gameleiros
Descobri Que...
Descobri que não vale
A pena sonhar
Se não for se realizar
D...
79
Versos Gameleiros
Versos Gameleiros
Al neiAl nei
Nascida em Santos/SP
em 21 de outubro de 1983 e
residente em Capão Bonito
desde 2007, curso...
81
Versos Gameleiros
Aline Nóbrega
"Sigo meu caminho
Sem saber para onde vou.
Dou o próximo passo
Sendo guiada pelo Senhor...
82
Versos Gameleiros
Aline Nóbrega
Toda Mulher...
"Toda mulher deseja um beijo apaixonado, um carinho na face, um afago no...
Versos Gameleiros
83
Aline Nóbrega
O Que Queremos
"Contos de Fada não existem...
Na verdade acho que desde pequeninas nós ...
Versos Gameleiros
84
Aline Nóbrega
Aprendi
“aprendi a viver cada momento como único, especial e algo que não
volta mais.
A...
Versos Gameleiros
85
Aline Nóbrega
que conseguir respirar fundo e sentir o chão sob os pés... Agradeça a
Deus. Ele não nos...
Versos Gameleiros
86
Aline Nóbrega
“Nós, seres humanos, vivemos constantes adaptações, viramos
mutantes na vida eu diria e...
Versos Gameleiros
87
Aline Nóbrega
Coração
Será que estou enlouquecendo?
Ou o horror me assola?
A mágoa que se expande?
Ou...
Versos Gameleiros
88
Aline Nóbrega
Para Onde Caminha Nossa Nação?
Para onde caminha nossa nação?
Cheios de hipocrisia, des...
Versos Gameleiros
89
Aline Nóbrega
Um ser nasce
E muda a sua vida
A gente fica boba,
Alegre e envaidecida.
O espelho se mo...
Versos Gameleiros
90
Aline Nóbrega
Você Chegou
Você chegou e se tornou
Importante para o meu viver
A partir daí, tudo mudo...
Versos Gameleiros
91
“Verão”
Brisa quente logo cedo
E o sol se torna o grande astro
A plateia acorda alegre
Sem canseira e...
Versos Gameleiros
92
Versos Gameleiros
El ina eEl ina e
Elaine Rocha nasceu em Capão
Bonito.
Professora de Educação Infantil,
licenciada em Let...
Versos Gameleiros
94
Versos Gameleiros
95
Elaine Rocha
Viajante
De um planeta
Desconhecido
Um ser de sonhos
Coloridos
Que se em encontra
Em out...
Versos Gameleiros
96
Elaine Rocha
Desculpas
Palavras que tampam o vácuo, disfarçando a imperfeição
Mistério secreto que us...
Versos Gameleiros
97
Elaine Rocha
Temporologia
O tempo transforma
O tempo deforma
Ilusões
O tempo no leva
A seguir
Em outr...
98
Versos Gameleiros
Elaine Rocha
Momento Transcendente
Transito por esse
Um mundo trovão
Mundo ladrão
Sem definição
Trans...
99
Versos Gameleiros
Elaine Rocha
Insanidade
Não vejo, o que vejo
Não escuto, o que escuto
Se escuto ignoro
Oh! Ignorância...
100
Versos Gameleiros
Elaine Rocha
Quem Sou Eu?
Um ser sem limites
Um ser sem barreiras
Atravessando fronteiras
No sem fim...
101
Versos Gameleiros
Elaine Rocha
Despedida
Faltam cinco minutos
Ele olhou para ela
Ela olhou para ele
E o tempo olhou pa...
Versos Gameleiros
102
Elaine Rocha
Papo de Mano
Rapa da que to fora
Ta minha hora
Ta no meu momento
Que as coisas não se r...
Versos Gameleiros
103
Elaine Rocha
Pedidos
Pedi que o tempo me desce respostas
O tempo passou e elas não chegaram
Pedi a v...
Versos Gameleiros
104
Elaine Rocha
Receita de Amor Perfeito
Um amor não vivido dividido
Em pedaços, palavras, instantes, m...
Versos Gameleiros
105
JulianaJuliana
Juliana Maria da
Costa, 28 anos, nascida em
Capão Bonito, em 27 de
novembro de 1986, filha de
Júlio Ferraz ...
Versos Gameleiros
107
Juliana Maria da Costa
Colocação
És meu mais amado...
Mais querido...
Mais sonhado...
Tradutor de me...
108
Versos Gameleiros
Juliana Maria da Costa
Flor Azul
Com doces palavras de carinho
Alguém minha simpatia conquistou
Trou...
109
Versos Gameleiros
Juliana Maria da Costa
Que a flor azul era esse alguém
Que de longe veio para me fazer tão bem
Meu s...
110
Versos Gameleiros
Juliana Maria da Costa
Deixa
DEIXA eu te amar por inteiro
Sentir seu corpo, sentir seu cheiro
Ser se...
111
Versos Gameleiros
Juliana Maria da Costa
Ilusão
“Ilusão, sonho, saudades”
Do que eu nunca tive...
Do que jamais terei....
112
Versos Gameleiros
Juliana Maria da Costa
Indefinição
Não feche os olhos esta noite
E nem se vá sem ainda me responder
...
113
Versos Gameleiros
Juliana Maria da Costa
Lamento
Nem que eu pudesse escrever
Todas as palavras desse mundo
Eu jamais c...
Juliana Maria da Costa
114
Versos Gameleiros
Olho para o espelho
toco meu rosto
Mas não me reconheço...
Será que toda essa...
Juliana Maria da Costa
115
Versos Gameleiros
Teus Olhos
Meus olhos estão tristes
Choram não sei por quê
Acho que sei o mot...
Juliana Maria da Costa
116
Versos Gameleiros
Vazio
Eu odeio a maneira como me trata com tanta desconsideração
Deixa-me à e...
Juliana Maria da Costa
117
Versos Gameleiros
Versos Sem Rima
Mesmo que esses versos sejam trazidos do fundo do meu coração...
118
Versos Gameleiros
Versos Gameleiros
Rai sasRai sas
Me chamo Raissa
Moraes, natural de
Capão Bonito, minha
inspiração vem do
ultrarromantismo...
Versos Gameleiros
120
121
Versos Gameleiros
Raissa Moraes
Sozinho mais uma vez
Coraçãozinho dilacerado
Ainda insiste no nada?
A batalha se inici...
122
Versos Gameleiros
Raissa Moraes
Miseráveis
Não finja que isso não existe
Aconteceu de fato
Não podemos mudar o que já ...
Versos Gameleiros
123
Raissa Moraes
O Passado no Futuro
Concluído que isto não passa de um sonho
Enxergando com lucidez pe...
Versos Gameleiros
124
Raissa Moraes
Sou a menina dos olhos da morte
Sou o menino da verdade em chamas
Sou o alvorecer tard...
Versos Gameleiros
125
Raissa Moraes
Pensado bem
Nada mudou
Apenas mudou o foco
No fim estaremos lado-a-lado como sempre
De...
Versos Gameleiros
Raissa Moraes
126
Retornando
Navegando por águas lamacentas
Sigo neste destino sombrio
Buscando um modo ...
Versos Gameleiros
Raissa Moraes
127
Contos de Fadas
Quando a meia-noite chegar
A magia se extinguirá
Sobrará apenas a lemb...
Versos Gameleiros
Raissa Moraes
128
Outubro
Ele era como o frio das noites mais geladas
Com uma alma fria
Com uma escuridã...
Versos Gameleiros
Raissa Moraes
129
Rosas Mortas
Doce donzela que sonha com a morte
Sozinha neste vale sóbrio
Buscando a v...
Versos Gameleiros
Raissa Moraes
130
Apague todas as luzes
Não quero ver o vazio
Quando passar pela porta
Vá! Siga seu cami...
Versos Gameleiros
131
Versos Gameleiros
132
Versos Gameleiros
133
Em quase todas as edições, tanto capa como contracapa apresentaram
alguma referência a Capão Bonito....
Versos Gameleiros
134
Versos Gameleiros
135
5
7
20
32
44
56
68
80
93
106
119
133
Prefácio
Antonio Celso dos Santos
Juraci B Chagas
João Lafayett...
Versos Gameleiros
136
Outros Versos Gameleiros
Outros Versos Gameleiros
Outros Versos Gameleiros
Outros Versos Gameleiros
Outros Versos Gameleiros
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Outros Versos Gameleiros

802 visualizações

Publicada em

Outra partícula dos versos nascidos em terras gameleiras, um projeto filantrópico e cultural que merece ser perpétuo, mais ainda que o tão esperado motor-eterno...

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
802
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Outros Versos Gameleiros

  1. 1. COLETÂNEA POÉTICA CAPÃO BONITO/SP COLETÂNEA POÉTICA CAPÃO BONITO/SP U RO O T S U RO O T S Versos GameleirosVersos GameleirosVersos GameleirosVersos Gameleiros
  2. 2. Versos GameleirosVersos GameleirosOUTROS OUTROS 2015 COLETÂNEA POÉTICA
  3. 3. Edição, Capa e Revisão Juraci B Chagas e Rogério Machado Diagramação, Digitação, Fotografia e Arte Final Rogério Machado Ilustrações incidentais Isabela Rosa e Thiago Lara. 1ª edição 2015 Ficha técnica Copyright© 2015 Dos Autores VERSOS GAMELEIROS E CRÔNICAS CAPÃO-BONITENSES PARA DOWNLOAD GRATUITO: Versos 2009 - http://www.slideshare.net/RMMachado/versos-gameleiros Crônicas - http://www.slideshare.net/RMMachado/daqui-daldeia-a-crnica-capobonitense Versos 2012 - http://www.slideshare.net/RMMachado/novos-versos-gameleiros Versos 2015 - http://www.slideshare.net/RMMachado/outros-versos-gameleiros Versos Gameleiros 2009 Entidade agraciada: Grupo de Voluntários no Combate ao Câncer - GVCC 200 - exemplares “...daqui d’aldeia!” - A Crônica Capão-Bonitense - 2009 Entidade agraciada: Centro Recreativo Educacional Artístico Renascer - CREAR 200 - exemplares Novos Versos - 2012 Entidades agraciadas: GVCC - 100 exemplares Associação do Senhor Jesus Para Pessoas Desamparadas - Asilinho - 100 exemplares Outros Versos - 2015 Entidade agraciada: Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE 200 - exemplares
  4. 4. Eis a nova cepa de versos com certidão de nascimento aqui expedida ou cá radicados, atendem pelo nome Outros Versos Gameleiros e vêm somar-se aos anteriormente publicados: Versos Gameleiros e “...daqui d'aldeia!” A Crônica Capão-Bonitense, lançados em 2009 e NovosVersos Gameleiros, editado no ano de 2012. Auspicioso e alvissareiro parece ser esse alvorecer de milênio, posto que em apenas seis anos quatro obras foram apresentadas ao público local e aos leitores de todo o globo - o material também encontra-se disponível para downloadgratuitonosdomíniosSlideshare. A ideia desse projeto filantrópico e cultural, como já lembrado noutras edições, pertence ao professor, poeta, cronista e pesquisador capão-bonitense Juraci Braz das Chagas, o qual nos procurou em meados do final da década passada para juntos trabalharmos em sua configuração e execução, proposta que foi abraçada de pronto, afinal, não é a toda hora que aparece alguém com tão nobre intenção semelhante. Mecenas anônimos são os responsáveis pelo financiamento da obra, mantendo viva a chama dos inspirados construtores prestigiados nos livros; esse financiamento acontece de maneira voluntária e prazerosa tão logo essas pessoam conhecem o destino dado ao produto final: 100 exemplares são divi- didos entre os autores, os quais nada pagam pela publicação, e os 200 restantes, uma vez que a tiragem total da obra é de 300 exemplares, são doados para alguma entidadeprestadoradeserviçosrelevantesàcomunidadedeCapãoBonito. Dentre os autores presentes nesses outros versos, destaquemos a nova e merecida homenagem póstuma para Lafayetti Barreto, trovador que em seu trabalho apresenta as cores incofundíveis do romantismo, da sensibilidade, da docilidade, do singelo, do observador e daquele que nos conduz à reflexão pelas vias do contraditório implícito nas composições apresentadas - bandeira de todo poeta. Há ainda - pois sem elas seria incompleta a poesia - ao longo do livro as linhas escritas pelas mãos do feminino ser, onde se desdobram o amor, o afeto, a ausênciacomoformascontundentesdeexpressão. Versejadores foram chamados às penas, com dó e piedade, versos foram diversificados, personas em seus estados emocionais deitaram linhas de prazer ou penúria, a reflexão sobressaiu-se dessa calda encomendada, tudo pelo avesso fez-se outra vez, cantaram das volúpias, da dor impessoal de cada um, mas versaram suas quimeras verdades, às vezes em notas carregadas de suor, noutras situações com a leveza do eterno inatingível, harpa que não se podesingir, tintar... É assim que acontecem esses outros versos gameleiros, com a rispidez do acaso a resvalar na infertilidade do dia após o outro. Jovens são a maioria dessesversos,jovensmontanhasadizeroquepensamseuspés. RogérioMarcosMachadoéprofessor,poeta,cronista,contistaejornalista. Prefácio 5
  5. 5. Versos Gameleiros Antonio Celso dos Santos, escritor, poeta c a p ã o - b o n i t e n s e , funcionário público da Secretaria de Estado da Educação onde sempre procurou pautar o seu trabalho focado em fazer a m i g o s e c u l t i v a r amizades, daquelas que ficarão para a vida toda. Graças a Deus nesses mais de 30 anos de função profissional não são poucos os filhos dessa terra querida que não só passaram pelos bancos escolares, mas compartilharam suas vidas e seus sonhos com esse sonhador... Espírita, ou pelo menos um constante aprendiz da Doutrina Espírita desde a mais tenra idade, onde levado pela saudosa mãezinha procurou nesse iluminado aprendizado pautar suas ações e seus atos dentro da linha do amor e do respeito pela vida e ao próximo. Hoje, esposo, pai e avô e nessa constante busca do aprendizado, vem nessas despretensiosas páginas compartilhar com todos os amigos algumas ideias e iniciar uma nova fase no seu eterno sonho de escrever... Não tendo a pretensão neste pequeno trabalho de criar ideias ou grupos de discussão faz apenas uma leve brincadeira com um assunto que esta nas rodas de conversas na nossa região e procurando usar a Doutrina Espírita como pano de fundo... Que Deus abençoe a todos aqueles que fizerem nestas páginas seu local de encontro e de visitas. C lsoeC lsoe
  6. 6. Versos Gameleiros Acordar Antonio Celso A palavra, o sentimento, a ideia Paz, Não ocupa lugar no discurso do mundo, Todos que detém o poder e dele se utilizam Olham quase sempre para a vida com desdém, Navegam na contramão de todas as necessidades, Invadem o cotidiano e a intimidade Organizando o mundo de acordo com suas torpes leis! Coisa muito estranha é mesmo a vida Está sempre ofertando o melhor a todos Lamentavelmente alguns querem ser os únicos donos, Somente para si as maiores riquezas existem, O pobre tolo passa a vida cuidando do que não é seu... Dificilmente acordam a tempo da correção, O tempo torna-se curto e passa meteórico, São grandes sonâmbulos, jamais acordam... Sabendo de tudo isso é hora de acordar! A vida pede seres inteligentes e lúcidos, Naqueles que querem crescer e evoluir ela investe, Temos todos as mesmas chances, mesmas ocasiões. Os que aproveitarem caminham felizes e realizados, São poucos os que o fazem, mas transformam o mundo... 9
  7. 7. Versos Gameleiros Amigo Antonio Celso Olhando para a sua vida agora Não sei realmente o que dizer, Tenho certeza de que você está perdido na sua caminhada... Olhe como está o seu momento, Não perca tempo com as desculpas Isso não vai lhe ajudar em nada, O seu hoje precisa ser o das mudanças... Cada fase já vivida ficou no passado Esperar que algo de bom dele retorne agora, Lógico que isso é uma grande e tola ilusão! Saiba que o tempo a tudo transforma O que é novo velho se torna, até você... Dificuldades de se aceitar todos têm O que se pode fazer é se renovar Sempre procurando estar novo no novo dia que chegar... Sim a cada segundo renascemos, A vida só acaba quando desistimos. Não tenha, portanto medo do futuro, Trabalhe, transforme o hoje com muito carinho, O amanhã chegará inteirinho, cheio de novidades, Somos eternos viajantes cósmicos, aprendizes do viver... 10
  8. 8. Versos Gameleiros Amores Antonio Celso Cada coração que bate apaixonado Está renovando a velha esperança, Luta permanente da humanidade Sonho que faz o homem crer, O amanhã com amor sempre será melhor... Dois corações pulsando na mesma sintonia, Olhando na mesma direção do mesmo horizonte São apenas semeadores, semeando sonhos... Amando tudo se transforma para melhor Nascem novas flores no deserto das velhas lamas Tantos sorrisos, abraços e algo mais a distribuir. Os dias ficam mais iluminados, coloridos, Nova vida... Ou a velha de sempre repaginada... Invade o mundo os apaixonados em bando, Os outros coitados... Babando de inveja! Somos todos fadados a passar por isso Afinal estamos em constante mutação Não conhecendo o futuro temos que entender o presente, Trabalhando as emoções, aprimorando os sentimentos. Os corações se encontrarão e usando a mesma linguagem, Serão os grandes inventores a aprimorar o amor... 11
  9. 9. Versos Gameleiros 12 Antonio Celso Coisas Inúteis Analisando a vida, dissecando suas nuances, Noto que somos pobres colecionadores, Temos o tosco e constante hábito O que nos passa ao lado, olhar, cotidiano, Nunca deixamos abandonado onde está Isso tudo o que nos atinge, nos envolve Orgulhosamente lutamos para reciclar... Somos como aqueles ratinhos das florestas Acumulamos ao longo do viver Nos nossos dias tantas quinquilharias... Tivéssemos noção de que reciclar é transformar Outra não seria a nossa reação Sempre que algo, alguma coisa nos chegasse à vida. Cada vez que optamos por guardar alguma coisa Estamos simplesmente acumulando desnecessidades... Lotam os consultórios fazendo análise velhos colecionadores, São pessoas frustradas, tristes que nunca (se) perdoaram, O coração e a alma vão ficando muito, muito pesados... Delicadamente a vida nos ensina O viver tem que se tornar leve, bem mais leve, Saberemos um dia descartar amores estragados?...
  10. 10. Versos Gameleiros 13 Antonio Celso Somos os agentes da transformação A vida toda participamos das mudanças Nem sempre com a noção precisa dos fatos, Todos sem exceção são responsáveis O planeta é o nosso palco de testes, Somos o cientista maluco e as cobaias... Cada transformação na Terra por menor que seja Estará condicionando o homem a um novo status Logo as novas gerações têm que se adaptar Sabendo que o mérito ou a culpa será dos pais ou avós, Os construtores do futuro e das novas s gerações somos nós... Assim sendo, é necessário estar atento Navegando pela vida plenamente consciente Temos conosco a herança e a deixaremos O que recebemos e construirmos serão o cenário, Novos seres humanos chegam para usufruir e julgar Invadindo como gafanhotos nossos domínios, Os espaços que foram nossos deles um dia serão... Decididamente não somos donos de nada O velho sonho da posse absoluta é mera ilusão, Somos apenas viajantes da nave vida e desconhecemos a rota... Decisões
  11. 11. Versos Gameleiros Antonio Celso 14 Doces Saudades Agora já com tantos janeiros por companhia Navegando nas águas cibernéticas do século vinte e um Tenho que fazer uma pequena parada O ultimo porto da viagem está se aproximando... Nisso de viver, conquistar, possuir, ser feliz. Invadimos tudo ao redor e perdemos O ponto de referência, as marcas da estrada... Caminhantes há que seguem perdidos Esperando vivenciar uma mágica qualquer Lutando não para conquistar a perfeição, São apenas velhos e tolos enganadores, Olhando-os qualquer um vê a derrota bem maquiada... Do seu lado caminham outros seres mais lúcidos Orgulhosamente ostentando suas parcas vitórias, Sendo todas muito bem lavadas com o suor! Sim! Precisamos dos momentos de avaliação! A vida necessita que a conheçamos muito bem, Não podemos estar nela e assim tão alheios... Todos um dia teremos as nossas doces saudades, Os momentos maravilhosos a nos enriquecerem, Só temos que saber viver e viver muito bem!
  12. 12. Versos Gameleiros 15 Felicidade Antonio Celso Ah! Que saudade da velha infância Não tínhamos noção do significava aquela riqueza, Todos passamos por ela e a deixamos esquecida... Os grandes conquistadores da Terra Nascem, crescem, aprendem e aplicam Invadindo, conquistando, destruindo, poluindo O mundo ao seu redor, as suas e as outras vidas... Coitado desse pobre e solitário milionário Está sempre como o único guardião das riquezas Lutando só contra tudo e todos, Somente descobre o que perdeu Olhando para a vida que se foi e que ele não viveu... Descontando alguns poucos mais lúcidos O ser humano está sempre vendendo a alma Sem conhecer o seu real valor e quem ela pertence... Se o viver não fosse tão difícil A humanidade seria muito, muito mais feliz! No seu coração transbordaria a paz, Teria no olhar mais esperança, Os seus caminhos a levariam para um futuro melhor, Somos crianças grandes que não aprenderam a brincar...
  13. 13. Versos Gameleiros Antonio Celso 16 Agora é uma boa hora para um balanço, Na vida sempre devemos fazer uma análise Tendo em mãos todos os dados, fatos, situações, Olhando com honestidade os dias já vividos Não sendo como sempre condescendente consigo, Inspecionar os atos, os sentimentos, as conquistas, derrotas... O melhor momento jamais deve ser o ultimo. Cada fase do viver tem sua história E se o iniciamos dependentes de tudo e todos Logo nos tornamos os senhores do mundo, Somente poucos sobrevivem à sua insidia, O mau construtor não edifica, destrói a vida... Descontentes na caminhada muitos o são, O grande sonho muitas vezes fenece sem acontecer, São poucos os corajosos a sobressair das massas... Sabe aquele grande amor que morreu ontem? Às vezes se foi apenas porque alguém temeu Não ter coragem de assumir o mundo alheio, Temos muitos solitários à procura de abraços, sorrisos, O carinho tão sonhado, a companhia da felicidade... Somos produtos da vida, não sobras dela! Balanço
  14. 14. Seja Coitado de mim que sonhei tanto, Esperei encontrar um mundo melhor, o paraíso, Lamentei amargamente quando me descobri Sem nenhuma condição de fuga possível, O mundo que sonhei não existia... Saio todos os dias pelos caminhos A encontrar pessoas tão desatentas, Não sabem que o espaço que utilizam Tem a dimensão exata do universo, O mesmo espaço que outros desfrutam e vivem, São grandes fabricantes de lixo e restos... Amigo, amiga... Desculpem o desabafo, Não dá mais prá segurar na garganta, Temos que falar, gritar, gritar, gritar!!!!! O mundo é meu, seu, nosso, de todos, Não joguem lixo nas avenidas, ruas, praças, Isso nos torna tão pequenos, O ambiente se emporcalha e nós vivemos nele! Dedique alguns minutos, alguns passos, O que estiver no seu caminho recolha, embale! Seja o exemplo, o modelo, o mundo e nós agradecemos... Versos Gameleiros 17 Antonio Celso
  15. 15. Antonio Celso 18 Versos Gameleiros Qualquer Um se Apaixonaria ...qualquer um se apaixonaria pela pessoa errada uma vez na vida... Jamais quero viver novamente o “nando”, o “nei”, ou o “nado”. E não tem nada pior que uma “nite” Agora to na fase do “liz” e quero viver para sempre na “az”...
  16. 16. 19 Versos Gameleiros
  17. 17. Versos Gameleiros ra iJu cra iJu c Juraci B. Chagas, natural de Capão Bonito, Estado de São Paulo. Professor, cronista, poeta bissexto e compositor musical. Criador de temas musicais relacionados à cultura regional, colaborador de jornais e revistas da região de Sorocaba, como participação em mais de duas dezenas de antologias poéticas. Teve um livro publicado pela Shan Editores, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, intitulado “Remansos e Correntezas”, composto de poemasecanções. Trabalhos recentes: organização de duas antologias poéticas – Versos Gameleiros e Novos Versos Gameleiros, e um livro de crônicas com autores locais, comfinalidadesfilantrópicas. Pesquisas publicadas: Nossas Origens Tropeiro-Gameleiras; Caminhos do Peabiru; Capão Bonito – Palco da Revolução de 32 e Nomes Italianos de Nossa Comunidade, com citação no livro “Matarazzo – ColossoBrasileiro”,deRonaldoCostaCouto. Temas musicais premiados: cinco primeiros lugares no FIMA (Festival Intermunicipal de Música Amadora) de Capão Bonito – Campo Santo / Velho Leão / Argila, Suor e Sapé / Olho D’Água e Porto Esperança; duas segundas colocações – Velha Viola e Cirandar e dois terceiroslugarescomascançõesRioParanapanemaeTrincheirasde32. Festivais Sertanejos (dois organizados pela Secretaria de Estado da Cultura e TV Cultura de São Paulo). Três temas vencedores: João do Monjolo,TemperodeCabocloeEcosSertanejos. O autor possui ainda músicas gravadas comercialmente, trabalhos desconhecidos do público e projetos para publicação de duas novasobrasliterárias.
  18. 18. 21 Versos Gameleiros Juraci B Chagas Petit Honneur (Honorica) Filhadiletadasdores, Fortalezafeitadefé; Cincopartos,cincochagas, Semprerendendograças Aosteussantosprotetores; Servadacrençacristã Dequequalquersofrimento Seriaaglóriadoamanhã. Tuaúltimadesmama Eoteusegundoespinho, Tragocomigoalembrança Dosodoresdetuasvelas, Doslouvoresdatuareza, Dasvirtudesdoteuvinho; Dossaboresdatuamesa, Dossaberesdoteuninho!
  19. 19. Juraci B Chagas 22 Versos Gameleiros Igrejinha CapeladeS.Benedito, BairroMatodoPavão, MinhaDuomodeMilão! Confesseiaímeuspecados, Antesdetê-lospraticado; Minhaprimeiracomunhão! Vieramoutroscaminhos, Encruzilhadas,espinhos Enuncamaisfuiomesmo. Embarcarnessalembrança Écomonascerdenovo; Quererapostarnumsonho Devoltarasercriança!
  20. 20. Versos Gameleiros 23 Juraci B Chagas Conselhos Aldeia, túmulo dos sonhos E o fecundo reduto da fé; Por que velar esperanças, Enquanto veredas e andanças Esperas ansiosas por ti? Ponha-te a caminhar! Siga os sinais da vontade; Teus passos hão de mostrar Que a realidade do mundo Não corresponde à fantasia; Que não há lugares menores E heróis podem ser pequenos; Às vezes, como os vilões, Também destilam venenos. Portanto, vá em frente! Mas não esqueça a utopia E a crença de que, todo dia, Os anjos superam demônios!
  21. 21. Juraci B Chagas 24 Versos Gameleiros Boneca de Vitrine Espelho dos nossos sonhos, Reflexo de nossas vontades; Estímulo dos desejos De se comprar saciedade Ou um pedaço do céu Nos passos Gisele Bundchen, Gemidos de Sharapova, Nas tranças de Rapunzel. Mulher bonita, privilégio! Bem que minha mãe dizia: - Precisa ganhar na loteria, Quem já nasceu poesia?
  22. 22. Juraci B Chagas 25 Versos Gameleiros Cantiga Havia um doce entendimento Entre os meus olhos e os teus; Quando eu buscava os teus olhos, Estavam sempre nos meus! Teus olhos, porém, partiram... Deixando tão sós os meus E estes nunca mais viram Olhos meigos como os teus! Hoje meus olhos a vagar Não veem mais os que os veem, Procuram os olhos sem par, Que fitá-los já não vêm!
  23. 23. Juraci B Chagas 26 Versos Gameleiros Até Breve Eu nunca pude te dizer adeus, Para esquecer de te esquecer E pensar que, até morrer, Estaria sempre a querer Novamente te encontrar Em algum lugar, Para poder desfrutar Dessa luz intensa Desse teu olhar. Eu nunca vou te esquecer, Porque em cada amanhecer Continuarei a sonhar Com os carinhos teus. E quando a saudade doer, Eu voltarei a me lembrar Que eu nunca pude te dizer adeus!
  24. 24. Juraci B Chagas 27 Versos Gameleiros Segredo Escolheu entre as árvores a mais frondosa E gravou, num coração, uma palavra mágica Sintetizando outra história trágica: Um barco sem porto e um porto sem mar! Talvez um dia venham decifrar O significado deste parco enredo: Estão contidas, em poucas letrinhas, A chave do tesouro: um grande segredo!
  25. 25. 28 Versos Gameleiros Juraci B Chagas Riozinho O rio, como a gente, É mais importante na foz Do que na sua nascente! Quisera ser apenas um riacho, Não um riozinho de Roma, Que dá até nome a aeroporto, Mas um córrego qualquer, Perdido em algum lugar! Ah! Se eu pudesse... Despir-me da falsa importância, Que me impele a essa ânsia, De, um dia, morrer no mar!
  26. 26. Juraci B Chagas 29 Versos Gameleiros Complexo de Eucalipto Melancólicas cidades transplantadas, Falsas Paris ou novas Amsterdã! Estilos e gostos duvidosos. Vontades dissimuladas A esconder um banzo evidente E uma exposição permanente Da identidade perdida! Octávio Paz nos diria: Complexo de bastardia! Mesmo Guevara e seus mantras De fé e orgulho postiços, À ideia se renderia: “Abajo del Rio Grande, Hasta el Estrecho de Magallanes, Somos todos mestiços...”
  27. 27. Juraci B Chagas 30 Versos Gameleiros Em Tempo Não me arrependo do que não fiz Por medo, timidez ou indecisão E porque a sorte não quis; Os anseios que viram realidade, Tornam-se apenas lembranças e saudade. Mas, nas poucas coisas que fiz, Tentei, como o máximo jeito, Mostrar, quase sem efeito, A minha expressão da verdade. Os fracassos, se eu quisesse, Nem poderia contar; Muito mais fácil seria Somar os pingos da chuva, Contar as ondas do mar.
  28. 28. 31 Versos Gameleiros
  29. 29. Versos Gameleiros - In Memorian - J o ã o L a f a y e t t i Gomes Barreto — pinhalense (SP) por n a s c i m e n t o , m a s capão-bonitense de coração — entre outras coisas, poeta, contista e cronista, pelo prazer de escrever; adquiriu este hábito quando, nos temposdeestudantefoi nomeado redator de O Lábaro, periódico estudantil, onde, por muitasvezes,tinhaquecompletarespaçosembrancodascolunas. a ay ttiL f ea ay ttiL f e A PESSOA E O PASSARINHO (Novos Versos Gameleiros - 2012) A pessoa que passa vê um passarinho, O passarinho que a pessoa que passa vê, Vê a pessoa que passa. A pessoa que vê o passarinho, Pensa que o passarinho não a vê, Mas o passarinho que a viu, voa. E não se veem mais Nem passarinho Nem pessoa, pois Voou o passarinho E passou a pessoa.
  30. 30. Versos Gameleiros Lafayetti Barreto 33 O Início O começo é difícil, O começo é sempre difícil, O medo do primeiro passo, O exitar da primeira braçada, O disparar do coração ao primeiro bater de asas, São medos e incertezas do começo, Mas não se pode ficar parado, O não fazer nada é vegetar Sinta as emoções do arriscar, Confia! Dá o primeiro passo – Anda! Dá o primeiro mergulho – Nada! Bate as asas, Voa!
  31. 31. Versos Gameleiros Lafayetti Barreto 34 Velhapaineiraàbeiradaestrada Eracomoummarco Ostentandoaltaneiraasfloresróseas. Nadamaisalegravaomeninoqueemdemandaaosítio, Delongeaavistava.Eraenorme,secular, Paradaquasequeobrigatória Paraqueele,comseucanivete Castigasseseutroncocomsuasiniciais. Eotempopassoueeletomounovosrumos, Nuncamaisvoltou, Despareceu... Agora,passadotantotempoasaudadeofazretornar, Evoltaapisaromesmocaminhoqueemmeninopisara. Muitacoisamudou, Muitascasasondeantesnadahavia, Parabólicas, Fios, Novossítios, Coisasquenãoexistiamemsuameninice. Ovelhocasarãodesuainfância,existiriaainda? Aceleraopassoansioso, Namenteénovamentemenino, Omeninoquedesapareceu. Súbito,ocoraçãoacelera, Vislumbra,depoisdacurva,acopaflorida, Avelhapaineira! Apertaopasso,rápidochegaatéela, Amesmavelhapaineira,maisbonitaainda Abraça-seaoseutronco, Paineira Velha
  32. 32. Versos Gameleiros Lafayetti Barreto 35 Procuraascicatrizesdassuasiniciais, Nãoexistemnemsinais, Comoomenino,elastambémdesapareceram. Tudopassou,otempocorreu, Somenteelacontinualálinda,desafiandootempo Comosenadativesseacontecido. Eeleficapensando: “Porqueotempopassa, Nãopodiaserassim,comapaineira, Sempreamesma?” Sórestaasaudadedaquelestempos. Eabraçadoàpaineira, Ovelhomeninodesaparecidochora...
  33. 33. Versos Gameleiros Lafayetti Barreto 36 Não Aprendi Me ensinaste que os sonhos são reais, Me ensinaste o que é o amor, o que é amar, A ver os princípios e finais, A ver num lago, a beleza do mar. E tu me ensinaste ainda mais, Me ensinaste a sorrir, a cantar, E até me encantar com coisas banais, A sonhar acordado, suspirar! Me ensinaste o que nunca senti, Me ensinaste a te amar, te querer E já não poder mais viver sem ti, E depois de tudo isto acontecer, Tu simplesmente, partes e te esqueces Que não me ensinaste como te esquecer.
  34. 34. Versos Gameleiros Lafayetti Barreto 37 Maktub “Assim estava escrito” Diz o ditado que alguma sábia mente Há muito perdida na eternidade Criara pelas bandas do Oriente, E eu sempre cri no ditado, Pois sempre cri que nada acontece simplesmente, Nada, nada é casualidade, Tem que estar escrito em algum lugar. E um dia, assim, tão de repente, Pões em mim este teu olhar tão bonito Com que sempre sonhei, E sorridente me confessas teu amor irrestrito, E eu, sorrindo, ouço do fundo do meu inconsciente: - Se assim foi, é porque assim estava escrito.
  35. 35. Versos Gameleiros Lafayetti Barreto 38 Caça e Caçador Eu sempre te quis, sempre te amei, mas para ti, eu não existia, e de tudo eu fiz para chamar tua atenção, queria ter-te ao meu lado, mas para ti, eu não existia. E eu sempre te amando, como sempre te amei, até que um dia cansei, fingi que não mais te amava e com o tempo não mais te amei. E assim foi o dia da caça. Agora teus olhares quentes, os sorrisos que sempre esperei, noto nos teus gestos, o amor, mas nem a beleza de teus lábios ardentes despertam mais a chama que apagou. Esqueci o que queria esquecer. E este foi o dia do caçador.
  36. 36. Versos Gameleiros 39 Lafayetti Barreto Nada Mais De todos os beijos que dei, Guardei os sabores, De todas as mulheres que amei, Não esqueci os amores, E tudo está na minha mente; E em cada ruga deste rosto decadente Já de fim de inverno, Há uma história de amor eterno. Isto é tudo o que restou, Minha mente de sonhos povoada E minhas rugas de vida acabada. Nada mais sou. Pode a pessoa que por mim passa, Passar sem pensar Que existe alguém Que nela pensa loucamente? Pode! Você é a pessoa que passa Eu, sou a pessoa que pensa. Pode?
  37. 37. Lafayetti Barreto 40 Versos Gameleiros O tempo correu, o tempo passou E o que ontem eu era, Hoje não mais sou É tudo passado, é tudo saudade De tudo o que vivi Desde a mais tenra idade. Meus amigos já não existem, Nem parentes, nem amores Só os sonhos persistem. Tudo se foi, o tempo levou E eu sempre quis que o tempo voltasse E o tempo nunca mais voltou, O que fiz, o que passei, Perdeu-se na bruma do tempo Lá está tudo o que sonhei. E se um dia eu causar saudade a alguém, Que isso fique apenas em sonho, Pois minha vida será assim também, E tudo o que fiz ou de fazer deixei Estará na bruma do tempo Onde perdido, logo estarei. Bruma
  38. 38. Lafayetti Barreto 41 Versos Gameleiros Para Sempre (Para Nice) Depoisdetudopeloquejuntopassamos, Esofremos,vivemos,rimosechoramos Aolongodenossaatribuladaexistência, Depoisqueotempopassouepesousemclemência, Aquichegamosnós,eudecabelobranco Etu,mantendosempreestesorrisofranco. Ejuntosassim,continuamosseguindo, Eoquesempresentiequeaindaestousentindo, Quecorraotempo,quecontinueapassar, Poisnemotempo,nemninguémpodealterar, Epossodizeragora,aquiounoutroplano, Quesempretequis,sempreteameiemuitoteamo, Equecorraotempo,quepasse,mesmoassim Estareiteamandoatéquechegueomeufim.
  39. 39. 42 Versos Gameleiros Estendo meus bracinhos Com um largo sorriso, Ainda desprovido de dentinhos Na ânsia de seu colo Cheio de segurança. E procuro entre múrmuros Dizer-lhe o que sinto... Como meu coraçãozinho Transbordante de esperança Bate muito mais forte Ante suas palavras de carinho E olho em seus olhos Perguntando em meu sorriso De carinho e de agrado... Você sente minha vida? Pois é a você que eu a devo, E este sorriso e minha força Meu querido vovô amado (De Hannah para vovô Barreto, bisneta de vovô Barreto e tataraneta de vovô Barreto em Capão Bonito no dia 23/02/96) Vovô Lafayetti Barreto O toquinho de gente por quem eu orava antes que nascesse, chegou! Hannah, Deus te abençoe! Tê-la nos meus braços, Com cuidado e medo Da tua fragilidade Me emociona, E me emociona ainda mais, Saber que ao te beijar Estou beijando duas filhas de uma só vez, Pois ser avô, é ser duas vezes pai. Hannah
  40. 40. 43 Versos Gameleiros
  41. 41. Versos Gameleiros Caros leitores: Entre escritos dedicados a amigos, a paixões e escritos descrevendo perspectivas femininas de intempéries da vida também estão escritos que refletem a rebeldia, o arrependimento, o delírio, a tristeza, a dúvida, a dissolução, a ironia, a esperança, a magia, as consequências... Um conjunto de experiências empíricas e reflexões abstratas dos últimos 4 anos que se converteram em palavras em um raio de 14 dias, durante o total de 7 horas e que aqui estão agora, disponíveis para todos lerem. Apreciem e odeiem sem moderação. Osvaldo.´.
  42. 42. 45 Versos Gameleiros Agruras das escolhas Osvaldo de Oliveira Aqui jazem os restos mortais de um homem estafado da sua vida Nesta cama solene descansa o corpo pesado do trabalhador Seus sonhos e metas não são mais fortes que suas dores nas costas Aqueles braços que o acolhiam não aquecem mais seus ferimentos Descrente no retorno da volúpia da juventude A concupiscência converte-se em impotência e desanimo da vida Fatigado pela rotina pleonástica, ela procura por auxílio, procura por emprego, procura por saídas Em marolas de fumaça aspergidas no quarto aos finais de semana Mas quando o vapor barato se acaba, tornam as dores a acometer a sua alma cansada Eis as agruras de um cotidiano comum, De um homem prosaico num mundinho banal Eis que a maior das transgressões se revela ao homem Como o reflexo de suas próprias escolhas mal pensadas E da falta de perspectiva que sua alma perdida encontra em toda parte.
  43. 43. 46 Versos Gameleiros Sobreosteusombros,opesoenormedastuasprópriasescolhas Opreçocaroquesepagaparaserdonodoprópriodestino Poucosestãopreparadosparaserlivres, Poucos estão preparados para encarar o abismo e o fracasso como formasdesereerguercomnobrezaerenovação. Sobre estes ombros que carregas está o peso enorme que lhe força a arcaracoluna, As tuas responsabilidades, que são muitas, doem a tua cabeça e o teu coração Mas tu persistes e perdura, pois em tua essência, reside um vaso claro, limpo, Onde descansa a mais pura água, onde lá tu podes nadar livremente. E lá moramosteussonhos.Tuacriançainterioreláapazhabita. Lá tu encontras o que procuras e não te enganas com mais falácias humanas. Vejasdiantedetiasestrelasescrevendoteunomenodestino, Paraquenãobusquesmaisabrigonasasascegasdoimpulso Paraquenãobusquesmaisexílionestafumaçafriaelúridaqueinspiras E para que não sofras mais por pungir a quem amas quando queres ferir somenteatimesmo. Nãodeixesquetuasabedoriaseaflijacomodesespero E prosperes procurando observar a luz do Sol Maior, onde te será reveladaarealbeleza, Aquela que o sol emana com seus raios sobre as águas, espalhando a paz eoequilíbrioparaoscamposlongínquos. Estesraiosquetuverástodasasmanhãsdar-te-ãoavitória E assim tu seguirás o teu caminho livre e purificado com o reflexo do céu em teu berço marinho de ouro. Aquário Osvaldo de Oliveira
  44. 44. 47 Versos Gameleiros Osvaldo de Oliveira Teus: os milagres e as crenças; Estas que escravizam os que me acusam, Mesmo que não me acusassem os que me escravizam.. Eis toda sua dor feita em átomos: Mas não tem jeito: sou como todos um sujeito imperfeito! A contradição, A falsa razão, Descobrindo no meio do fim que as surpresas tendem sempre a vir, Entre escombros e entre os muros que construímos para não aceitar que somos o mesmo, Entre as mentiras que criamos para suprir nossa ignorância, ano após ano... E tudo isto que vi carrego comigo através destes versos... Ausência da sabedoria absoluta Negando planos de um futuro Defendendo a ausência desses valores universais que eles defendem, Crendo em não crer, crendo sem crer, crendo em quem não crê, Crendo sem ninguém crer, Aceitando a mentira, inventando verdades Inventando valores, criando rumores Inventando amores, matando-os... Sabendo que tudo isso é mentira e que verdade cabe em pouco mais que uma linha Dizendo que o que digo não quer dizer nada E que palavras não mudam nada, e nada sempre fora um eterno vir a ser, Sem explicação, E por si só: vil... Esta minha correspondência completa! Correspondência Completa
  45. 45. 48 Versos Gameleiros Osvaldo de Oliveira Dedicado À Tu não sabes Quanta saudade eu tenho Dasduas noites que rolaram aquele beijo. Há tanto tempo não a vejo... ...mas basta fechar os olhos Para sentir o teu cheiro aqui comigo. Venha e me deixe leva-la embora Deixe-me olhar Através das lentes dos teus óculos, Penetrar além dos limites da tua íris E vê-la como tu és realmente... Deixe-me recitar os versos Que somente habitam em meu peito Ao pé do teu ouvido Venha e me deixe leva-la embora Apenas feche os teus olhos E me deixe fazer esta noite valer a pena. Venha... e me deixe leva-la embora.
  46. 46. 49 Versos Gameleiros Osvaldo de Oliveira Lamento Quero gritar Mas estou sufocada Há um nó na minha garganta Que me impede de te dizer eu te amo Quero correr Mas estou cansada As correntes prendem-me neste estado de inércia Quero sumir Mas não consigo deixa-lo Quero viver Mas não consigo esquecê-lo Sobre tudo o que eu prometi a nós dois... Eu só lamento mesmo.
  47. 47. Osvaldo de Oliveira 50 Versos Gameleiros O Falso Sábio e o Sermão Ditei-lhe mais uma vez sobre a sombra por trás do teu regresso. Esta vida, esta soma de coincidências predestinadas, de criaturas procrastinadas, De mártires esquecidos e líderes caídos, Estes ciclos eternos que governam os teus dias e estes prédios e estas jaulas frias, Toda a dor o fará enxergar a verdade que renegas. Tu insistes nestas coisas vãs, vai de um lado a outro sem saber aondequeres chegar, Acabarás cego pela convicção das tuas próprias inverdades! Depois do vento atroz da tormenta que eu enviar tu encontrarás a verdade que renegas. Esta vida que tu continuas é só mais uma entre as muitas futuras Tu tornarás a andar neste solo seco enquanto não aceitares o tuaculpa Todas estas pinturas tristes irão queimar até se consumirem com a chama do desespero. Toda a dor o fará enxergar a verdade que renegas. Tu oscilas entre uma crença e outra, mas não comprovas nada que acreditas ser a verdade. Depois do vento atroz da tormenta repousa a verdade que tu renegas. Abaixo da tua ignorância e do teu orgulho se encontra a chama que lhe iluminará para a verdade.
  48. 48. Osvaldo de Oliveira 51 Versos Gameleiros A vela escondida Entre as páginas deste livro poento Será a salvação noite adentro Ela iluminará minha cabeça Quando as ideias ficarem nubladas Ela aquecerá o meu peito Quando eu me sentir desolado Ela perscrutará o íntimo do meu ser Arrancando as larvas da tristeza Preenchendo o vazio com a sua gentileza Alimentando meu pulmão com seu alento Enquanto avanço nos versos deste livro poento. Lembre-me dos versos que eu esqueci Solte as mãos da amnésia Oh santa vela... Ilumina a minha cabeça. Potbook II
  49. 49. Osvaldo de Oliveira 52 Versos Gameleiros Renascido O poeta renasceu! Há 3 anos esteve sumido Perdido no abismo profundo Do infinito! Na garganta do submundo oriundo Nas axilas e nas nádegas de um mundo sujo! Desnorteado com a imoralidade humana E a profanidade própria! Agora é a hora Hoje é um novo dia que brilha A estrela da manhã anuncia O renascimento do poeta!
  50. 50. Osvaldo de Oliveira 53 Versos Gameleiros Tranque-se no quarto E grite para dentro Até seus olhos ficarem vermelhos Até que sinta que sua cabeça vai explodir. Toque bem alto aquela música selvagem E expulse seus demônios Grite tão alto que não possa Mais ouvir seus pensamentos Arranque a dor Que habita o seu corpo Com as unhas. Deixe as guitarras ferozes Conduzirem a sua carcaça imunda Para fora de toda a merda que você odeia Deixe a voz gutural atravessar os seus ouvidos E fuja por um momento de si mesma. Neste momento você se sente mais viva Neste momento você se sente mais livre Toque bem alto aquela música selvagem E expulse seus demônios! Sufocada
  51. 51. 54 Versos Gameleiros Osvaldo de Oliveira Vire a ultima página deste livro velho Este fora muito triste para nós. Respire um pouco E esqueça os versos que reviveram Aqueles sentimentos amargos de outrora. Vire a última página deste livro velho E escreva um novo épico Para o teu triunfo! Vire a página e esqueça Vire a página, respire e levante a cabeça: Uma nova história está sendo escrita. Vire a Página
  52. 52. 55 Versos Gameleiros
  53. 53. Versos Gameleiros Rogério Marcos Machado (erremachado@bol.com.br), poeta, cronista, contista, professor e jornalista, participou de diversas antologias literárias pelo Brasil. Colaborador de periódicos locais (O Expresso, A Tribuna Sudoeste eFatoNovo),tambémfoi editordo hebdo O Buriense. Em 2002, publicou Gatos Apimentados (Scortecci Editora/SP) , em 2013 lançou, pelo Clube de Autores (www.clubedeautores.com.br), os livros Algumas Mais os Três BanquinhoseLinhasparaDepois do Acaso e em 2014 o trabalho intituladoBoêmiaRapsódia-OSacrossantoAsponatodeQueijoVelho. Capão-bonitense até a última unha do pé, confessa extrema alegria em participar de tão importante coletânea com outros cantadores desta místicaTerraGamelis. ojer RÿR ozojer RÿR oz TREM DAS CORES EM BRAILE (Canto - literal - pela Inclusão) (Versos Gameleiros - 2009) O azul é bem assim: uma cor de trejeitos a cheirar com Jasmim; já a cor de laranja, para os de pisquê mais arguta, terá, além da textura, também o sabor da fruta. A rosa, ah, a rosa..., tão decantada em versos, tem, no osso de sua essência, os tons e os sons da prosa. O verde, colorido esperanto que encrespa o mar, possui a fragrância solúvel das águas e a travessa doçura desse tato sem-par.
  54. 54. Versos Gameleiros 57 Rojer Rÿoz Dalai Lama Nesse incerto passatempo deste mundo aos reflexos não compete exatidão nem as rugas do seu riso amarelado nos socorrem nem despertam Nossos velhos tinham medo das muralhas nossos cegos nos doaram a visão nos prendemos a valores obscuros até que o medo estuprou nossa ambição Dos que gritam nas montanhas solitárias nada herdamos a não ser a solidão dos que oram nas entranhas sobriamente nos somente reservaram a insensatez Nada somos porque o nada nos criou tão seguros de que somos tão eternos esquecemos que são ternas as manhãs nossos prantos viram ecos e ressoam ...no ar
  55. 55. Versos Gameleiros 58 Rojer Rÿoz Invento motivos pra dizer o teu nome e quando te vejo nas ruas elas ficam nuas ...só pra te mostrar passam os ventos e as estações e apressadas... as pessoas mas te separo na multidão feito acorde dissonante entre partituras, lingeries e emoções caem as folhas no outono e um por de sol quase escarlate me traz o teu sabor, que eu não tenho e que é tão doce passam as flores e as tempestades e apressadas... as pessoas mas te reparo na multidão como a caça ao caçador entre armadilhas, champanhe e sedução eu preciso embalar o teu nome alguma coisa nas cordas vocais de forma lânguida e prazerosa te traduzir na minha língua ...O Teu Nome
  56. 56. Versos Gameleiros 59 Rojer Rÿoz Cerrando meus olhos num místico blues tantos outros motivos me deixaram calado Segui seu sorriso até o precipício e no meio do início não restam vestígios de que tudo se foi - azul - Mordendo meus lábios sonhando os seus voando no vento semente sem sol Palavras sem rumo às coisas do amor no meu sobretudo no bolso interior pedaços de frases - caladas - Segredos são mudos seus olhos a luz me prende seu beijo num lírico blues Pedaços
  57. 57. Versos Gameleiros Rojer Rÿoz 60 Na cinzenta acidentada avenida onde poucos se detém à lucidez eu também viajo feito o vento e invento - o vilarejo - de ruas lamacentas e felizes onde poucos se detém à lucidez do cimento arquitetado a bel-prazer dos meninos e canções dos arrabaldes que se escondem e se fecham em casulos deformados onde ...loucos, se detém à lucidez pela vida, pela noite pelos becos e sinopses como nuvens carregadas em silêncio pelo vento (que invento!) da tormenta (que invento!) Naus - fragatas Túneis e tornados Inconstante Instável Calmaria Mendigos Nua praia - noite escura pela vida, pela noite na cinzenta acidentada avenida onde outros se detém à lucidez dos profetas ...sem caminhos nem certezas...
  58. 58. Versos Gameleiros Rojer Rÿoz 61 A fome - obra do homem bastardo filho da terra estúpido estopim da guerra estúpido sapiens encare seu desespero diante do espelho da sua pobre alma ignorante A fome - obra do homem nem ricos nem pobres nem bispos nem lordes nem negros nem brancos bastardo entulho na Terra maldito senhor da guerra estúpido sapiens O TRIGO - O MILHO E O ARROZ A TERRA - A ÁGUA E O SAL O CÉU - O SOL E O MEL O LIXO - O LUXO E O PUDOR O GOVERNO - A CULTURA E O PODER O HIATO - O YIN E O YANG O BEATO - O MONGE E A CRUZ A MULHER - A VIDA E A MÃE O TRIGO - O MILHO E O ARROZ Há Fome para Herbert de Souza (Betinho) e, no entanto, há fome! ...pobre do homem...
  59. 59. Versos Gameleiros Rojer Rÿoz 62 era preciso viver novamente renascer das cinzas sentir a brisa no rosto a chuva fina a escorrer pela face então era preciso viver novamente agarrar a vida com unhas e dentes ou seja o que for sussurrar palavras sem sexo no seu ouvido sentir o toque da sua pele nas minhas mãos o seu coração batendo no meu. “...eu estive dormindo, hibernando... em sono profundo, de mal com o mundo!” foi bom ver os olhos de Dylan outra vez não tinha jeito de Zimmerman ..era Dylan eu sei! fatos esmiuçados sobre a humanidade das vidas melodias sincopadas como poesias desleixo e metodologia tudo é nexo nesse caos cabelos cansados ao voo do vento rosto agredido pela ferrugem do tempo Mas eu vi a essência nos olhos sem transtornos nem impossibilidades ...foi bom ver os olhos de Dylan outra vez... “Foi bom ouvir os olhos de Dylan outra vez...”
  60. 60. Versos Gameleiros Rojer Rÿoz 63 ando sempre pelo meio-fio o fio da navalha no limiar das reações é por ser sóbrio é por ser inconsequente o meio-fio é um limite - ilimitável - é o que está por vir é o que já foi é a justiça é a caridade é a pouca-vergonha e a pouca idade ...assunto pessoas sobre o mundo sobre o meio-fio sigo caminhando sempre pelo meio-fio como um grande desafio sem estética nem adjetivos só um grande desafio e rumando sempre para lugar algum que seja um algum qualquer mas que esteja por onde eu possa passar com passos compassados e afoitos sempre pelo meio-fio nem à sarjeta nem à calçada nem branco nem negro Alma em Libra E sob os olhares incrédulos dos crentes atônitos sou cinza ou prisma ou arco-iris não por ser sórdido nem por ser altruísta só por nada ser ...Nada Além do meu ser.
  61. 61. Versos Gameleiros Rojer Rÿoz 64 Cabraliana (Para João Cabral de melo Neto) o engenheiro esculpiu a pedra e à ela pendeu palavras não disse a que vinha nem se fez preciso ao extremo apenas contemplava sua obra parafraseada de cabelos brancos exumando verbos até versarem por si só numa decadência de sílabas fortes - acadêmicas!... - o poeta atira a pedra esculpida, lascada, lasciva que voa na métrica da gravidade até atingir a fronte dos desavisados pode o poeta? pode o poeta! ...se puder... pode o poeta!?.
  62. 62. Versos Gameleiros Rojer Rÿoz 65 quando nós não formos mais tão jovens e o cortante vento impiedoso do inverno partir nossos ossos restarão, então, lembranças, vagas lembranças de tudo o que foi dito de tudo o que passou (...e não foi escrito) quando as cores do mundo parecerem opacas confusas sem vida nem brilho restarão então, lembranças, severas lembranças como forma de castigo - penitência - ou autoflagelação a nos fustigar diariamente como uma tempestade de areia esmerilhando lixando desbastando nossa alma, nossa pureza e, lentamente ...toda sombra de esperança - e de certeza!... Sombria Poesia (Ótica pré-sexagenária)
  63. 63. Versos Gameleiros Rojer Rÿoz 66 hoje em dia: “todo carteiro é poeta!?” ávidos em conhecer os meandros e a delícia da escrita que provavelmente já fazia o troglodita um rabisco, um afresco, nos primórdios da escrita e os tempos passaram como um filme, uma fita certamente Camões, Cervantes, Bilac e M. de Assis assimilaram assuntos, cada qual a seu tempo bisbilhotaram histórias, criaram momentos E deixaram escola, deixaram sementes responda-me agora, ou então prontamente: na sua opinião, no seu entender uma poesia, “mirim”, uma poesiazinha miúda, concreta, compacta, pequenininha aborda uma causa, um assunto ou um parecer? se assim lhe parece então vou lhe dizer ótimos autores, escritores, poetas levam tempo criando poemas que viajam no tempo e espaço isso, eu também mesmo faço não me contento com pouco, nem fico por baixo hoje acabei de ensinar a “única forma de se criar” aquela poesia pequena, miúda e... Singular Poetagens (Como se fazer uma poesiazinha?)
  64. 64. Versos Gameleiros 67
  65. 65. Versos Gameleiros Dri akDri ak Adriane Cristina Bernardo da Silva (Drika) nasceu em 18 de Junho de 1994, natural de Capão Bonito (SP), filha de Abrão Pedro da Silva e Nivia Aparecida Bernardo da Silva. Teve uma infância muito feliz, apesar das dificuldades. Ex- Projovem c o m m u i t o o r g u l h o , concluiu sua faculdade de Letras em 2014, Seu hobby é ler. Estudar e escrever p o e m a s , n o s q u a i s , consegue expressar suas ideias e em alguns, seus sentimentos pela vida. Sua inspiração vêm de Deus, natureza e alguns momentos que vi veu , seus autores favoritos são Shakespeare eCamões, entreoutros.
  66. 66. 69 Versos Gameleiros Adriane Cristina (Drika) Lembranças Dolorosas Sorri, em meio às lágrimas Sorriso de uma ilusão Que não terminou. No meu pensamento, Você era perfeito, Era como num livro Que no começo era bom No final houve surpresas. As canções, as palavras ditas Ainda continua a vagar na Minha memória Não é ou era só uma história Será que voltarás para mim? Só nos meus pensamentos, na minha ilusão, só assim.
  67. 67. 70 Versos Gameleiros Adriane Cristina (Drika) Frutos do Amor de Deus Um dia na varanda, Vamos rir dessa chuva Momentânea Talvez, já estejamos Com algumas raízes Com frutos Não posso deixar meu orgulho Ser mais forte, que o propósito De Deus que são melhores que o meu. Um dia nós iremos cantar Aquela canção que o meu e o teu coração Testificou. Meu coração sente saudade do teu Meus olhos sentem saudade dos teus Creio que Deus sabe quando Você vai matá-la.
  68. 68. 71 Versos Gameleiros Adriane Cristina (Drika) Passageiro Invisível Uma pancada a menos ou a mais Que diferença faz? Não, não, não vou Aceitar que façam isso De novo, mesmo sendo quem eu queira Mesmo tendo gostado da cereja. Mesmo tendo compatibilidade, Mesmo que os sinais digam sim Vou seguir assim Só Até mais um dia desses... Quem sabe ou não? Quem pode dizer? Ah! Só o coração.
  69. 69. 72 Versos Gameleiros Adriane Cristina (Drika) O inevitável Acho que eu e Deus Poderíamos fazer tu feliz. Amei alguém Que não é ninguém. Se todos esses versos (Amor é fogo que arde sem se ver...) Fossem para mim eu seria feliz Até o fim. Amizade, quem disse que Ela não pode virar amor? Basta apenas atravessar uma linha Ah! Se você estivesse na minha.
  70. 70. 73 Versos Gameleiros Adriane Cristina (Drika) Eu Consigo Você me persegue como o sol que ilumina Você me persegue nos meus Pensamentos, no meu ouvir e falar. Do sol eu posso me esconder, Mas de você, não consigo, jamais esquecer. O que eu faço agora? Como parar o sol ou vou junto a você?
  71. 71. Adriane Cristina (Drika) 74 Versos Gameleiros Palavras ao Vento Às vezes falamos coisas Que não deveríamos falar Nem coisas que deveríamos sentir. Falamos coisas que não sentimos Ou por interesses Como se merecessem Mas no fundo cada um expressa o que é Essas palavras saem como uma espada Afiada, que sem querer Machuca aquela pessoa que dizemos Que amamos e as ferimos. Essa espada às vezes Demora a sair E quando sai, demora a cicatrizar.
  72. 72. Adriane Cristina (Drika) 75 Versos Gameleiros Ausência Esquecida Não queria isso Para mim, longe estava Melhor ou pior, não sei. Às vezes queria se transformar Em uma pessoa invisível Para ninguém me ver Ou ao menos saberem o que Falam de VERDADE. Ao menos ir para longe Ver se tem alguém que me ame ou Para que sintam a minha falta aqui. Quando ouvirem a minha música favorita, Ler meus livros prediletos Com certeza vão se lembrar de mim.
  73. 73. Adriane Cristina (Drika) 76 Versos Gameleiros Olhares Entrelaçados Quando estou perto de ti Começo a tremer Não sei o por que. Difícil viver nesta situação Que estamos Estou sozinha nessa solidão A Dois. Espero você e você me espera Ficamos neste jogo de hoje ou para sempre Nosso olhar de cruzam Nossas mãos se entrelaçam E os nossos corações se apaixonam.
  74. 74. Adriane Cristina (Drika) 77 Versos Gameleiros Luar Quando fui me apaixonar mudei Minha maneira de pensar Quando te vi chorar, junto chorei Somos dois em um Estaremos juntos em qualquer Situação, mesmo que diga que não Nem que eu consiga esconder O quanto gosto de você Você vai olhar em meus olhos E ele irá revelar Tudo o que eu não consigo demonstrar Não sei viver de saudade Não sei amar pela metade Desculpa se não sei Expressar esse amor É que guardo comigo As palavras lindas que Deveriam ser ditas a você. Esse meu medo de amar Que me deixa confusa Mas não se preocupe O nosso amor é mais forte.
  75. 75. Adriane Cristina (Drika) 78 Versos Gameleiros Descobri Que... Descobri que não vale A pena sonhar Se não for se realizar Descobri que o amor Ele não existe, Existe só onde Pode ter esperança E não há semelhança. Descobri que não se pode confiar Em ninguém, tem que confiar em si mesmo E não desanimar. Descobri que amigos são só para As boas horas, Nas más eles somem E o ódio te consome.
  76. 76. 79 Versos Gameleiros
  77. 77. Versos Gameleiros Al neiAl nei Nascida em Santos/SP em 21 de outubro de 1983 e residente em Capão Bonito desde 2007, cursou Pedagogia na Universidade de Santo Amaro e trabalha como professora, atuando na E d u c a ç ã o I n f a n t i l . Participando pela segunda vez da coletânea de poemas sente-se honrada por ter seus singelos poemas publicados, deixando registrado seus pensamentos e sentimentos, seus sonhos e devaneios... “Dedico esses pequenos poemas primeiramente a Deus por ter me dado a vida e a chance de conhecê-lo, por Ele ser tão grande e presente em minha vida. Dedico a minha filha Anne Rebeca a quem tanto amo e sempre foi a luz, a alegria e a força dos meus dias. Dedico ao meu esposo Oséias e pelo companheiro que ele me é, pelo amor que lhe tenho. Dedico aos meus pais Roberto e Telma que foram meu alicerce, guia e sempre serão os grandes amores da minha vida. Por fim dedico também ao meu amigo e companheiro Rogério Machado, o qual me deu a feliz oportunidade de conhecê-lo e de participar de breve trecho de sua vida e também me permitiu conhecer e participar mais uma vez desta coletânea.”
  78. 78. 81 Versos Gameleiros Aline Nóbrega "Sigo meu caminho Sem saber para onde vou. Dou o próximo passo Sendo guiada pelo Senhor. Alegre vou seguindo As lágrimas cicatrizam as feridas. Perseverante, com fé caminho Com a esperança das batalhas vencidas...." "Às vezes é difícil conter sentimentos. Encontrar passado com presente, relembrar sonhos. Querendo sentir o vento batendo no rosto, trazendo novos ares e boas novas. Concretizar planos e sonhar novos sonhos..."
  79. 79. 82 Versos Gameleiros Aline Nóbrega Toda Mulher... "Toda mulher deseja um beijo apaixonado, um carinho na face, um afago nos cabelos, um aperto na cintura... Toda mulher deseja um abraço acolhedor, seguro, protetor, carinhoso... Toda mulher deseja se sentir única, amada, completa, desejada, segura, compreendida... Toda mulher deseja gentilezas, cavalheirismo, cumplicidade, companheirismo... Toda mulher deseja flores, chocolates, mimos, ser lembrada, ser importante... Toda mulher deseja alguém pra lhe aquecer, pra lhe proteger, pra lhe amar... Toda mulher deseja conversas, risadas, gestos inesperados de carinho, amor e gentileza... Toda mulher deseja um namorado, um noivo, um marido, um amigo, um irmão, um pai, um amante, um companheiro em um único conteúdo... Toda mulher deseja ser reconhecida, respeitada, admirada... Toda mulher deseja andar de mãos dadas, um abraço inesperado pelas costas, um sorriso sincero, um olhar de admiração, bilhetinhos e mensagens fora de hora... Toda mulher deseja que um homem a estude, veja os detalhes, faça planos dos seus planos, torne importante sua opinião, que faz de tudo pra tornar real seus sonhos e desejos mais profundos... Temos a capacidade de acreditar em príncipe encantado... Talvez não de cavalo branco e um palácio, mas que tenha as atitudes e o dom de fazê-la se sentir uma princesa, que faça valer a pena, que faça darmos o melhor de nós... Toda mulher deseja... O desejo pode adormecer, se ferir, congelar... Mas nunca morrer.”
  80. 80. Versos Gameleiros 83 Aline Nóbrega O Que Queremos "Contos de Fada não existem... Na verdade acho que desde pequeninas nós mulheres idealizamos momentos e situações que são somente fantasias românticas. Como já li num post certa vez: É culpa da Disney as mulheres acharem que vão encontrar um príncipe encantado e culpa da Playboy os homens imaginarem que as mulheres são perfeitas. Mas acho que no fundo, todas nós esperamos que a magia perfeita e romântica dos contos de fada fossem verdadeiras. Quando a realidade nos coloca os pés no chão, nos tornamos mais maduras e aceitamos a realidade tal qual é. Na verdade, eu só acho que toda mulher tem o desejo de sentir-se especial. O que nos fazem, o que acham que merecemos... Esperamos isso sim pois quando tudo é de qualquer jeito... nos sentimos qualquer uma, nada mais... E na verdade não somos mesmo melhor do que ninguém...”
  81. 81. Versos Gameleiros 84 Aline Nóbrega Aprendi “aprendi a viver cada momento como único, especial e algo que não volta mais. Aprendi que TUDO é permissão de Deus, e Ele não permite algo que não podemos carregar. Se nossas forças se findarem no caminho, Ele nos sustenta e nos carrega Aprendi que em tudo devemos dar graça e ver que todos têm seus problemas e lutas diárias, às vezes até maior do que o que passamos e isso se tornam uma lição e nos dá força de seguir em frente. Aprendi que a orientação de todas as decisões de nossa vida tem de vir de Deus, não sabemos o que pedimos, não sabemos o que realmente nos é melhor, não vemos o futuro, mas Ele TUDO sabe e sempre será o melhor guia, o melhor consolo, a melhor direção. Aprendi que para um momento ser especial não precisamos de uma data especial, qualquer momento pode ser especial desde que você queira que ele seja. Aprendi que não devemos deixar nada para depois, pra amanhã, para algum dia... Nunca sabemos quanto tempo nós temos, quanto tempo terá as pessoas que amamos e quais adversidades podem surgir que nos impeçam e nos deixe frustrados pela perca do momento que não enxergamos como oportunidade. Aprendi que você é o único a poder lutar pelos seus sonhos e que o mais importante é nunca deixar de sonhar... Aprendi que nada acontece por acaso, se uma adversidade vier, depois
  82. 82. Versos Gameleiros 85 Aline Nóbrega que conseguir respirar fundo e sentir o chão sob os pés... Agradeça a Deus. Ele não nos tira, nos livra. Aprendi que o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã e esse amanhã pode demorar, mas precisamos ser forte e confiar em Deus. Aprendi que as vezes nos desesperamos, perdemos o chão, nos sentimos encurralados, sentimos solidão, amargura, tristeza... É normal, é do ser humano, mas não podemos deixar que isso nos domine e se torne um fardo, uma depressão. Uma hora passa, uma hora cicatriza, uma hora vira a página, mas depende muito mais de nós do que possamos imaginar. Aprendi que o orgulho, a soberba, a inveja, a mentira, a maldade, a falta de respeito, de compaixão... não nos levam a lugar algum. Ninguém é melhor ou pior do que ninguém. E somos tão frágeis, dependentes de Deus, da sua misericórdia e do nosso próximo, seja esse "próximo" quem for.”
  83. 83. Versos Gameleiros 86 Aline Nóbrega “Nós, seres humanos, vivemos constantes adaptações, viramos mutantes na vida eu diria e essa mutação é constante já que tudo ao redor contribui para o próximo "Eu" que vamos nos tornar. A essência é sempre a mesma, porém a forma de agirmos e pensarmos torna-se uma eterna mudança devido a todas as situações vivenciadas. Cada um é o que é em partes por sua essência e em partes pelos acontecimentos vividos: o alicerce familiar (ou a falta dele), os amores, as decepções, as frustrações, as perdas, os ganhos, as alegrias, os desaforos, o "pouco caso" e o "muito caso" de várias pessoas, as conquistas, as lágrimas derramadas... Tudo se estrutura e se reestrutura. Não somos uma única pessoa a vida inteira passamos por incríveis metamorfoses. É necessário mudar a forma de agir e pensar pra poder se adaptar à vida. E pra quem tem uma vida em constantes mudanças acaba se sentindo um camaleão, tentando se adaptar. Mas é incrível, uma frase, palavras, atitudes... podem mudar o rumo de tudo de um instante para o outro... Mesmo assim, prossiga com uma frase: "Seja essência, não aparência", mude, se adapte quando for necessário, mas se algo abalar sua essência... É bom tomar cuidado pra não se perder!” Mutações
  84. 84. Versos Gameleiros 87 Aline Nóbrega Coração Será que estou enlouquecendo? Ou o horror me assola? A mágoa que se expande? Ou a solidão que me apavora? Me perco em mim mesma Com meu eu vazio Um frio... Um calafrio... No closet do meu coração Vejo sonhos enterrados Objetivos não alcançados Sentimentos desolados Amor mal acabado Um coração que pulsa pesado Triste Inconstante Desesperado. Será que estou enlouquecendo? Ou o horror me assola? A mágoa que se expande? Ou a solidão que me apavora? Me perco em mim mesma Com meu eu vazio Um frio... Um calafrio... No closet do meu coração Vejo sonhos enterrados Objetivos não alcançados Sentimentos desolados Amor mal acabado Um coração que pulsa pesado Triste Inconstante Desesperado. Infelizmente a faxina agendada Nunca pôde ser feita Os objetivos continuam empilhados Em cima da prateleira. Os sonhos até os perdi Nem consigo mais encontrar O amor que um dia vivi Foi embora pra não mais voltar. O coração empoeirado Pulsa devagar Geme desesperado Não consegue mais se recordar. Infelizmente a faxina agendada Nunca pôde ser feita Os objetivos continuam empilhados Em cima da prateleira. Os sonhos até os perdi Nem consigo mais encontrar O amor que um dia vivi Foi embora pra não mais voltar. O coração empoeirado Pulsa devagar Geme desesperado Não consegue mais se recordar. Boiando em meu ser Como num mar turbulento Seguindo um longo caminho Até o firmamento. Vai ao longe com o vento Sem mais nada esperar Embalado pelas ondas Seguindo o grande mar. “A solidão é reflexiva, embora extremamente amarga...” “A música me liberta, me dá asas... vôo para dentro de mim mesma e acalento o meu coração.”
  85. 85. Versos Gameleiros 88 Aline Nóbrega Para Onde Caminha Nossa Nação? Para onde caminha nossa nação? Cheios de hipocrisia, desordem, corrupção Corrompido coração Euforia e falta de ação. Celular importado e barriga vazia Roupas de marca aos montes A educação uma orgia A desordem sempre defronte. Muitos se depredam Hora ou outra em protesto Sem firmeza pelo que lutam Sem “Ordem e Progresso” Para onde caminha nossa nação? Dói o coração ao dizer Tentam mudar o mundo Sem seus problemas resolver. Gritam muito e sem sentido Apedrejam o bem alheio Gritos, ai’s, zunidos Leigos e desordeiros. A mudança vem por meio Da ordem e da união Com educação e respeito Isso sim muda o futuro da nação.
  86. 86. Versos Gameleiros 89 Aline Nóbrega Um ser nasce E muda a sua vida A gente fica boba, Alegre e envaidecida. O espelho se mostra diferente Não há como negar A conta bancária não rende Multiplicam contas a pagar. Os brinquedos espalhados no chão Vêm a casa enfeitar Essa nova decoração Alegra o nosso lar. A noite vira dia Os saltos viram rasteiras Um sorriso se torna a maior alegria Sentimentos se alicerçam pra vida inteira. Ser Mãe
  87. 87. Versos Gameleiros 90 Aline Nóbrega Você Chegou Você chegou e se tornou Importante para o meu viver A partir daí, tudo mudou Meu pensar, meu agir e o meu parecer. Tive medo no primeiro instante De sofrer e me machucar Mas você provou triunfante Que poderia, de verdade, me amar. A solidão foi embora Os fantasmas não me assustam mais Nada mais me apavora Separar de ti não quero jamais. Que esse respeito e união Sejam eternos e alicerçados Que não mais sinta sofreguidão Nem tenha o coração despedaçado.
  88. 88. Versos Gameleiros 91 “Verão” Brisa quente logo cedo E o sol se torna o grande astro A plateia acorda alegre Sem canseira e cansaço. As chuvas fortes lavam a terra, Enchem os rios, regam a plantação. Alegram toda a gente Faz prosperar toda a nação. Assim é o verão Alegre, próspero e quente Esquenta o coração Deixa a alma contente. Aline Nóbrega
  89. 89. Versos Gameleiros 92
  90. 90. Versos Gameleiros El ina eEl ina e Elaine Rocha nasceu em Capão Bonito. Professora de Educação Infantil, licenciada em Letras e Pedagogia. Apaixonada pelas palavras.
  91. 91. Versos Gameleiros 94
  92. 92. Versos Gameleiros 95 Elaine Rocha Viajante De um planeta Desconhecido Um ser de sonhos Coloridos Que se em encontra Em outra dimensão Bem longe e bem Perto do meu Coração. Se perdendo e se Encontrando Em algum Lugar Em apenas Um olhar A procura de alguém Para amar Em outro lugar Em lugar qualquer Em outro caminho Cruzando o meu Vivendo em mim Habitante de um coração.
  93. 93. Versos Gameleiros 96 Elaine Rocha Desculpas Palavras que tampam o vácuo, disfarçando a imperfeição Mistério secreto que usamos para não haver mágoas Soltas ao vento Disfarçar o que sentimos O tempo passou A vida correu Tudo se escondeu Eu nada vivi Nada senti Não sei O que estou fazendo aqui? Angústias Vomito as palavras no papel. Elas caem e grudam e exalam um cheiro, um gosto, um sabor de alguém que um dia Viveu, pensou e amou. O Ato de Escrever
  94. 94. Versos Gameleiros 97 Elaine Rocha Temporologia O tempo transforma O tempo deforma Ilusões O tempo no leva A seguir Em outra direção Caminhos diferentes Caminhos reais Caminhos banais Sem ilusão Sem coração Caminhos-mistério Bota palavras ao vento E toca o vazio Em busca da imensidão Deixa o tempo sorrir E te dizer Estou aqui pode vir Não vais partir Somente engano não deixa De ser para tentar Maquiar o que pode Acontecer Dando vasão a tudo Para se deixar no nada
  95. 95. 98 Versos Gameleiros Elaine Rocha Momento Transcendente Transito por esse Um mundo trovão Mundo ladrão Sem definição Transito no passado No presente e No futuro Enquanto eu duro. Sonhe com aquilo que você quiser, seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida. Não temos o que queremos, mas sim o que nos é lícito ter.
  96. 96. 99 Versos Gameleiros Elaine Rocha Insanidade Não vejo, o que vejo Não escuto, o que escuto Se escuto ignoro Oh! Ignorância Fuga dos insensatos Desatino dos esquecidos Percalços dos sanos Desculpa dos insanos Ilusão. Mansidão desculpa dos covardes Apelo do constrangimento Pela carência do saber Quebra de ligação apoio na escuridão Estágio eficaz E nada mais. A razão de ser não permanece em si mesma, mas no que motiva a transformar-se.
  97. 97. 100 Versos Gameleiros Elaine Rocha Quem Sou Eu? Um ser sem limites Um ser sem barreiras Atravessando fronteiras No sem fim. Uma ausência presente Um coração pungente que ninguém sente. Uma anônima procurando conhecer alguém. Mais quem? Além de mim mesma Um marinheiro sem mar Um viajante sem rumo Você escreveu em mim No meu coração só há de haver tinta do infinito que marca e não sai. A saudade Em segundos você me aparece, Fico sem ação, Troca algumas, Palavras E faz disparar meu coração. Apenas através das palavras Consigo ter um pedaço de você Tão distante Tão real
  98. 98. 101 Versos Gameleiros Elaine Rocha Despedida Faltam cinco minutos Ele olhou para ela Ela olhou para ele E o tempo olhou para os dois E a imensidão se entrepôs No ronco dos motores No vento que trepida Na distância presente Em uma vida que se torna ausente Despedida Um adeus E dois corações.
  99. 99. Versos Gameleiros 102 Elaine Rocha Papo de Mano Rapa da que to fora Ta minha hora Ta no meu momento Que as coisas não se resolvem Empatando os esquemas Em uma conspiração Clareia a tua mente e E descobre o espaço sideral Encontra a ti mesmo E descobre a razão.
  100. 100. Versos Gameleiros 103 Elaine Rocha Pedidos Pedi que o tempo me desce respostas O tempo passou e elas não chegaram Pedi a vida que me desse motivo Ávida passou não me dando nada Pedi a mim mesma coragem Procurei e quando não buscava encontrei Pedi a deus tudo o que for bom Ele não me deu mais nada Me fez enxergar Pedi a aqueles que amo para sempre Eles gravaram em mim No meu coração Seus nomes. Não te dou rosas Nem margaridas Te dou sementes de Ipê Que dão flores pra toda vida. Ah! Estes olhos parados, travessos, tranquilos Sem ilusão Sem certeza de ser De espera algo acontecer em vão Por caminhos que o levam sozinhos.
  101. 101. Versos Gameleiros 104 Elaine Rocha Receita de Amor Perfeito Um amor não vivido dividido Em pedaços, palavras, instantes, momentos, sorrisos, alegrias, medo. Sobraram as lembranças que logo estarão no esquecimento. Te amo com todas as razões de um insensato. Pelo que é, e não pode ser. Pela vazão das palavras que fluem intensamente.
  102. 102. Versos Gameleiros 105
  103. 103. JulianaJuliana Juliana Maria da Costa, 28 anos, nascida em Capão Bonito, em 27 de novembro de 1986, filha de Júlio Ferraz da Costa - f u n c i o n á r i o d o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), falecido em 1996 - e de Vera Lúcia Silveira da Costa, boa mãe e dona de casa. E s c r e v e s u a s poesias desde os 14 anos, sendo essa a terceira participação nos Versos Gameleiros. É estudante de Letras, graduando-se em licenciatura plena, visto que seu sonho, desde criança, sempre foi ser professora. Trabalha atual- mente na secretaria da EE. Dr.RaulVenturelli. Versos Gameleiros
  104. 104. Versos Gameleiros 107 Juliana Maria da Costa Colocação És meu mais amado... Mais querido... Mais sonhado... Tradutor de meu ser, Presença que me acolhe Mesmo longe, mesmo sem se ver... Aqui estás presente... marcaste meu coração... E dele ninguém Haverá de te arrancar. És quem me afasta da solidão E me traz de volta à vida Que antes parecia perdida Mergulhada no azul escuro Que se transformou No melhor do meu mundo. Num prefácio inseguro Entrelaço meus dedos nos teus E o beijo que você me deu Nada de mim haverá de tirar A doçura do que é tocar tua pele A agonia que a distância fere Estás distante do meu ser Porém muito mais perto Em meu coração Tua presença... Eu sinto crescer.
  105. 105. 108 Versos Gameleiros Juliana Maria da Costa Flor Azul Com doces palavras de carinho Alguém minha simpatia conquistou Trouxe para meus dias sem vida Um pouco de luz, um tanto de cor Trago comigo algo que falou Sobre uma rara flor azul Mas em toda história jamais ouvi dizer Que um dia alguém a encontrou... Foi assim que passei a procurar Essa flor azul eu precisava encontrar Dias e noites passei a escolher Alguns lugares onde eu a pudesse vislumbrar... E cada vez que a flor azul eu procurava Alguma coisa lá dentro de mim mudava Um brilho que voltou a iluminar O sorriso que em mim eu mesma matava... E de tanto dia e noite a flor eu procurar Sem saber mais onde encontrar Foi assim que sem querer Eu comecei então a perceber...
  106. 106. 109 Versos Gameleiros Juliana Maria da Costa Que a flor azul era esse alguém Que de longe veio para me fazer tão bem Meu sorriso esse alguém despertou Trouxe de volta as coisas Que um dia meu coração amou Trouxe de volta as palavras Que em nenhum lugar eu encontrava Esses versos dedico a você Alguém que jamais imaginei conhecer Eu precisava das suas palavras Para me soltar das amarras Que o destino me prendeu Foi você, rara flor azul... Que este poema... me devolveu...
  107. 107. 110 Versos Gameleiros Juliana Maria da Costa Deixa DEIXA eu te amar por inteiro Sentir seu corpo, sentir seu cheiro Ser seu porto, ser seu cais Ser o seu amor e muito mais... DEIXA eu te dar meu coração Trazer para você momentos de emoção Tocar tua pele, teus lábios beijar Sentir como é doce a magia de te amar... DEIXA eu te embalar em sentimentos Ficar aqui contigo este momento Quero ser sua alegria, seu amor Quero estar contigo onde preciso for... DEIXA eu segurar a tua mão Levar-te para longe da escuridão Dá-me teu amor por merecer Dou-te todo carinho que quiseres receber.
  108. 108. 111 Versos Gameleiros Juliana Maria da Costa Ilusão “Ilusão, sonho, saudades” Do que eu nunca tive... Do que jamais terei... Porque nada mais levarei desta vida A não ser a eterna dor da sua renúncia Levarei para sempre o beijo Que tanto desejei e jamais recebi Levarei na alma somente as suas lembranças Como uma fonte que jamais secará E que trará a vida nos momentos Em que eu pensar já ter morrido de saudades Levarei o brilho dos teus olhos Para que nos momentos de escuridão Seja a luz que ilumine e conduza os meus passos Para que um novo dia eu possa ainda enxergar Levarei para sempre comigo O eterno desejo de te pertencer Como se fosses único para mim E como seu eu fosse única para você. Que essas lembranças que carrego Sejam o fardo que para sempre levarei Curvada aos teus pés, teu corpo desejei Tuas mãos, nas noites frias, sonhei entrelaçar No sussurro de tua voz ao meu ouvido, Sentir tua pele, sentir teus lábios a me desejar Em tantos outros procurei sem encontrar O sorriso doce que em teus lábios um dia fiz surgir Procurei matar esse desejo em mim Mas em meio à multidão, por onde quer que eu fosse Meus olhos procuravam apenas os teus Na infinita sede de teu corpo amar Na infinita ilusão de um dia te pertencer.
  109. 109. 112 Versos Gameleiros Juliana Maria da Costa Indefinição Não feche os olhos esta noite E nem se vá sem ainda me responder O que é o Amor para você... Talvez seja um lugar de descanso Um oásis no deserto, um remanso Ou uma chama que te mantenha aquecido Um momento que jamais será esquecido... Talvez seja uma companhia se estás sozinho Talvez seja o verdadeiro caminho Que para casa de volta te levará Talvez a lembrança que você nunca esquecerá... Talvez seja um oceano em tormenta Ou apenas uma chama que te esquenta Que te mantém vivo nas noites frias Que traz algum sentido aos teus dias... Talvez seja a morte ou a vida Talvez o encontro ou a despedida Ou ainda o esquecimento ou a paz Talvez um adeus, adeus para nunca mais. O que é o Amor para você? Em versos me responda... Pois eu preciso saber.
  110. 110. 113 Versos Gameleiros Juliana Maria da Costa Lamento Nem que eu pudesse escrever Todas as palavras desse mundo Eu jamais conseguiria dizer Da saudade e do amor Que eu sinto por você Em teus braços era onde Agora eu queria estar Seu carinho era o que eu queria sentir Fazendo meu coração Na paz da sua presença descansar. Sinto falta do seu sorriso E da paz que só sentia com você Hoje vivo a lamentar a saudade de alguém Que não consigo esquecer.
  111. 111. Juliana Maria da Costa 114 Versos Gameleiros Olho para o espelho toco meu rosto Mas não me reconheço... Será que toda essa dor... Será que eu mereço? Não sei em qual página virada ficou o sorriso que um dia esses lábios enfeitou Levaram o melhor pedaço do meu coração o melhor espaço Deixaram o vazio da incerteza a ferir Deixaram esse rosto que não consigo definir Não sou eu em frente a esse espelho Não me reconheço em tudo isso que me tornei O que houve com os sonhos que um dia eu sonhei? Saudade, tristeza e nostalgia... Neste rosto de expressão tão fria Mas quem sabe algum dia... Algum sorriso volte a brilhar. Perdição
  112. 112. Juliana Maria da Costa 115 Versos Gameleiros Teus Olhos Meus olhos estão tristes Choram não sei por quê Acho que sei o motivo Choram por não te ver Nos teus olhos encontrei Uma razão para viver Foi por esses olhos de paz Foi por eles que me apaixonei Porém teus olhos tão meigos Não mais pude encontrar Perdi para sempre seu amor Mas jamais deixarei de te amar Hoje vivo a procurar A razão desse meu viver O brilho dos teus olhos Não consigo esquecer.
  113. 113. Juliana Maria da Costa 116 Versos Gameleiros Vazio Eu odeio a maneira como me trata com tanta desconsideração Deixa-me à espera, espreitando na escuridão À procura de um sorriso que desejo encontrar À espera de uma boca que desejo tanto beijar Odeio a forma como me trata sem carinho São tantas promessas e nenhum caminho Meus passos seguem sozinhos por essa noite fria Sem sua presença, sem sua companhia No silêncio de sua ausência fico a divagar À espera desse sonho se realizar Um convite, uma esperança de ir além De tudo aquilo que sei que desejas também As horas passam e sozinha novamente ficarei Desejando seus lábios que nunca beijarei Dormirei na esperança vazia de um dia te ter aqui Abraçado junto a mim quando a noite fria cair. Jamais irei te esquecer. .. Apenas deixarei que morram em mim as lembranças de você
  114. 114. Juliana Maria da Costa 117 Versos Gameleiros Versos Sem Rima Mesmo que esses versos sejam trazidos do fundo do meu coração Você jamais fará ideia do quanto me custaram estas palavras... "Ab imo pectore" Eu poderia escrever as mais belas palavras Mas sei que essa tristeza estaria aqui presente Sinto saudades do que nunca tive Seu abraço, seu toque, sua pele Eu poderia escrever a mais bela canção Mas jamais meu coração deixaria de te querer E meus olhos jamais esqueceriam o brilho do teu sorriso Prendeste-me pelo encanto do teu olhar Pela doçura de teus lábios que jamais toquei Tua pele encostada a minha São devaneios de uma noite que nunca tive Por mais que as estrelas brilhem acima de mim Nenhuma delas trará a luz para as minhas trevas Tua presença era mais que brilho, mais que claridade Era o Sol que aquecia as minhas manhãs E tudo, de repente, em nada se tornou As palavras ficaram perdidas no silêncio frio Da incerteza que leva embora as esperanças E o que resta aqui é a saudade, o vazio e a solidão Talvez um frio que nenhum calor jamais aquecerá Teus olhos eram mais que luz as minhas trevas... Teu sorriso era a chama que meu coração incendiava... Teus lábios eram os lábios que em sonho eu beijava... Hoje estás distante, jamais alcançarei novamente teu espaço Na embriaguez dos meus sentidos, paralisada por meus medos Sei que seu adeus foi o ponto final que encerra a nossa história Que começou em meus sonhos e terminou em sua realidade.
  115. 115. 118 Versos Gameleiros
  116. 116. Versos Gameleiros Rai sasRai sas Me chamo Raissa Moraes, natural de Capão Bonito, minha inspiração vem do ultrarromantismo e da música gotica, Álvares de Azevedo é minha maior paixão, amo todas as suas poesias. Escrever pra mim é viajar para algo novo, d e s c o b r i r n o v a s sensações e sonhar com um mundo novo"
  117. 117. Versos Gameleiros 120
  118. 118. 121 Versos Gameleiros Raissa Moraes Sozinho mais uma vez Coraçãozinho dilacerado Ainda insiste no nada? A batalha se inicia Novamente você cai A razão prevaleceu Quebrado mais uma vez Coraçãozinho dilacerado Ainda não aprendeu a lição? Seu sentimentalismo sempre te mata Continua preso no mesmo círculo Se afogando em teu próprio mar Chorando mais uma vez Coraçãozinho dilacerado Quando irá aprender que amar dói? Coração Dilacerado
  119. 119. 122 Versos Gameleiros Raissa Moraes Miseráveis Não finja que isso não existe Aconteceu de fato Não podemos mudar o que já foi Preste atenção nas suas palavras Veja o mal que fez a todos Não há um modo de esquecer Seguindo neste mesmo vale Vamos em caminhos opostos Nos tornamos apenas miseráveis nesta história Não aja como se você não fizesse parte Metade dessa culpa inútil é sua Sua mente não está tão leve assim Vá! Não suporto ver seu rosto Seguindo seu destino longe de mim Não há um modo de esquecer Seguindo no mesmo caminho tortuoso Seguiremos em lados opostos No final, apenas miseráveis da mesma história
  120. 120. Versos Gameleiros 123 Raissa Moraes O Passado no Futuro Concluído que isto não passa de um sonho Enxergando com lucidez pela primeira vez em anos Seguindo pelas sombras, ao som do mar Sonhos que se cruzam ao fim da rua Medos que se revelam sob o luar Pessoas que se encontram no destino da vida Entrelaçando cada pedaço desse mundo, eu sigo Cada detalhe, como um quebra-cabeça da minha razão O passado sempre sobrepõem o futuro de forma dolorosa Mesmo estando ciente de que nada é real A dor se sobrepõem como um golpe fatal Adeus, meu amado Mesmo estando lúcido neste lugar sagrado As ilusões são tão nítidas, tocaveis Não há dor, não há medo, não há esperança Entrelaçando cada pedaço desse mundo, eu sigo Cada detalhe, por insignificante que seja, como um quebra- cabeça O passado sempre influência o futuro de uma forma dolorosa Entrelaçando cada pedaço dessa vida, eu sigo Cada detalhe deste imenso quebra- cabeça O passado sempre se sobrepõem ao futuro de forma dolorosa
  121. 121. Versos Gameleiros 124 Raissa Moraes Sou a menina dos olhos da morte Sou o menino da verdade em chamas Sou o alvorecer tardio Sou a borboleta que voa pra longe Sou a solidão desmedida deste lugar Sou a luz a banhar tal leito Sou a alegria que ficou para trás Sou a luxuria a muito esquecida Sou as trevas a banhar este deleite Sou como o vento que leva o que marcou Sou como o tempo que não apaga o que se solidificou Sou como a verdade que machuca mas é real Sou como a dor que judia e é fatal Sou como um vazio, igual a você Sou
  122. 122. Versos Gameleiros 125 Raissa Moraes Pensado bem Nada mudou Apenas mudou o foco No fim estaremos lado-a-lado como sempre Desejando que tudo não passasse de um sonho No fim sempre desejando o impossível Ainda lembro quando começamos a sonhar juntos Quando víamos o mesmo destino em nossa frente Agora isso parece tão longe... Pensando bem Nada fez sentido Apenas ficou mais claro Desejamos encontrar o pote de ouro Sem se importar com o que vinha pela frente Sem saber o que realmente queríamos Ainda me lembro do som da sua voz Quando ainda sonhávamos o mesmo sonho Agora nada disso faz sentido Ainda lembro do dia em que te vi Quando queríamos as mesmas coisas Agora isso ficou perdido num passado incerto Passado Incerto
  123. 123. Versos Gameleiros Raissa Moraes 126 Retornando Navegando por águas lamacentas Sigo neste destino sombrio Buscando um modo de voltar para casa Tentei buscar o infinito longe de seus olhos Sem me dar conta de que eles eram tudo o que queria Sozinha, sigo neste mesmo círculo Mesmo procurando algo a muito perdido O vento que me guia não me levará a você Não importa o quanto eu tentei Navegando neste rio de lágrimas Busco agora o conforto do seu abraço Como pude buscar o paraíso sem eles? Cega demais para ver Que o calor do teu abraço Era o que mais desejava Mesmo buscando o frescor da noite Não encontrei o calor do teu abraço Sozinha buscando refúgio Retornando para casa Sonhando sozinha, como sempre Você simplesmente não estará lá
  124. 124. Versos Gameleiros Raissa Moraes 127 Contos de Fadas Quando a meia-noite chegar A magia se extinguirá Sobrará apenas a lembrança Na alegria de nascer No medo de morrer Dormirá para sempre Nada disso dura para sempre É tão falso que chega a ser cruel Nada realmente importa Maçã envenenada aos lábios da moça Sete amores que lamentam a dor Beijo do amor verdadeiro Presa na torre Anos a esperar Solidão eterna Nada dura para sempre É tão falso que chega a ser cruel Nada realmente importa Dançando no baile encantado Temendo e amando a fera Maldições e mais maldições Nada dura para sempre É tão falso que chega a ser cruel Nada realmente importa
  125. 125. Versos Gameleiros Raissa Moraes 128 Outubro Ele era como o frio das noites mais geladas Com uma alma fria Com uma escuridão interminável em teu ser Ele era como os ventos fortes do deserto Com uma dor incalculável no olhar Com um coração ardente Amor e ódio Luz e sobras De um modo vivendo juntos Ele era como um doce anoitecer Escuro, sublime, misterioso O anoitecer eterno Ele era como o som gélido do vento Com sua dor a me enfeitiçar Com tua escuridão a me envolver Amor e ódio Luz e sombra A contradição de alguma forma vivendo juntos
  126. 126. Versos Gameleiros Raissa Moraes 129 Rosas Mortas Doce donzela que sonha com a morte Sozinha neste vale sóbrio Buscando a verdade nessas rochas Doces amores encontros neste silêncio O alento que tanto desejava Estava nos braços dele Agora não há mais nada para lutar Um caminho vazio, foi o que restou Apenas um punhado de rosas mortas Doce donzela vestida de branco Sonhando neste mesmo vale sombrio Desejando que não fosse real Doce passado ainda tão vivo Sozinha neste caminho amaldiçoado Procurando o cura para a dor Não há mais para lutar A luz dos olhos dele se apagou para sempre Sobrou apenas, um punhado de rosas mortas
  127. 127. Versos Gameleiros Raissa Moraes 130 Apague todas as luzes Não quero ver o vazio Quando passar pela porta Vá! Siga seu caminho Vou aprender a viver aqui Na solidão, na dor, no medo Leve com você o melhor de mim Deixe comigo apenas o resto Não preciso de mais nada Vá encontrar o seu caminho Não olhe para trás Não quero te deter Sozinha neste quarto Juntando os pedaços Vou seguir meu caminho Vá encontrar a felicidade Que eu nunca te dei E me deixe na solidão Não se prenda por mim Siga seu caminho E me deixe morrer aqui Apenas apague todas as luzes Não quero ver o vazio Quando passar pela porta Porta
  128. 128. Versos Gameleiros 131
  129. 129. Versos Gameleiros 132
  130. 130. Versos Gameleiros 133 Em quase todas as edições, tanto capa como contracapa apresentaram alguma referência a Capão Bonito. O primeiro volume trouxe na capa em imagem editada a Rua Floriano Peixoto, provavelmente a mais tradicional dedicada ao comércio da cidade; “...daqui d'aldeia!” A Crônica Capão- Bonitense, apresentou em sua contracapa o granito vermelho, variedade mineral endêmica do Município que, justamente por isso, carrega o nome de Granito Vermelho Capão Bonito ou Red Capão; ainda nessa coletânea de cronistas, imagem de Bromélia faz homenagem àquela que recebe o vistoso título de Flor do Panema,como carinhosamente por aqui é conhecido o Paranapanema, rio cujo berço de suas águas está localizado em terras gameleiras, aliás, cabe lembrar que as páginas internas desse mesmo livro carregam imagens dessas nascentes, de ruas da cidade, do Rio das Almas e também o registro da queda anunciada da velha e centenária paineira do Jardim Cruzeiro. São registros fotográficos, artísticos e históricos com a intenção de cadastrar alguma situação, condição, curiosidade, algum aspecto tradicional ou peculiaridade capão- bonitense, uma vez que após a impressão - embora o advento da informática e da rede mundial de computadores permita o acesso sem essa necessidade -, o livro cuida de perpetuar as intenções ali colocadas e acaba por servir como referência para outras gerações ou mesmo para contemporâneos alheios às informações de seuconteúdo. O trabalho do terceiro volume não cuidou de seguir a mesma proposta gráfico-conceitual e destaca-se pelas ilustrações de Isabela e Thiago, jovens nascidos nestas produtivas terras. A capa sugere Regalo de um Poeta, do premiado Pablo Neruda, enfim, não há referências implícitas, subliminares nem o uso da semiótica para fins semânticos. Esta composição, ora entregue, retoma suas origens e vem à carga com a bela fotografia dos céus de Capão Bonito, na maioria das vezes sempre limpos, alvos e de azul ultraceleste, remetendo-nos a todos ao perigoso rodamoinho do eterno bucólico, do idílico, do efêmero, do etéreo..., são as cores predominantes na bandeira do Município, o que nos permite cairmos sentimentalmente em banzo quando estamos noutros lugares com os mesmos céus; talvez, apenas por pura filosofia, a bandeira cigana também ter tais cores cremos que poderia... Voltemos, entre tantos outros, ao universo desses outros versos, pois há ainda outra mensagem implicitada, a qual, no entanto, não entregaremos assim, de mão beijada. Fica para alguma outra resenha, mas, creiam, vale a pena colocar os miolos a matutar. Os Editores Posfácio
  131. 131. Versos Gameleiros 134
  132. 132. Versos Gameleiros 135 5 7 20 32 44 56 68 80 93 106 119 133 Prefácio Antonio Celso dos Santos Juraci B Chagas João Lafayetti Gomes Barreto Osvaldo de Oliveira Rojer Rÿoz (Rogério Marcos Machado) (Drika) Adriane Cristina Bernardo da Silva Aline Nóbrega Rodrigues Elaine Aparecida Rocha de Proença Juliana Maria da Costa Raissa Moraes Posfácio SUMÁRIO Impressão e acabamento: Alternativa Artes Gráficas - (15) 3542-3830 - grafica.alternativa2010@yahoo.com.br
  133. 133. Versos Gameleiros 136

×