Psicanalistas

1.355 visualizações

Publicada em

Historia da psicanálise em fotos.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.355
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicanalistas

  1. 1. OS PSICANALISTAS Precursores da história
  2. 2. Muitos foram os que contribuíram para a formação e desenvolvimento da ciência psicanalítica. Esta série apresenta os precursores que fizeram esta história.
  3. 3. Philippe Pinel (1745-1826) Médico francês, considerado por muitos o pai da psiquiatria. Notabilizou-se por ter considerado que os seres humanos que sofriam de perturbações mentais eram doentes e que ao contrário do que acontecia na época, deviam ser tratados como doentes e não de forma violenta. Foi o primeiro médico a tentar descrever e classificar algumas perturbações mentais.
  4. 4. Jean-Martin Charcot (1825-1893) Foi um médico e cientista francês; alcançou fama no terreno da psiquiatria na segunda metade do século XIX. Foi um dos maiores clínicos e professores de medicina da França e, juntamente com Guillaume Duchenne, o fundador da moderna neurologia. Suas maiores contribuições para o conhecimento das doenças do cérebro foram o estudo da afasia e a descoberta do aneurisma cerebral e das causas de hemorragia cerebral.
  5. 5. Jozef Breuer (1842-1925) Breuer descobriu, em 1880, que ele havia aliviado os sintomas de depressão e hipocondria (histeria) de uma paciente, Bertha Pappenheim, depois de induzi-la a recordar experiências traumatizantes sofridas por ela na infância. Para isso Breuer fez uso da hipnose e de um método novo, a terapia de conversa.
  6. 6. Sigsmund Schlomo Freud (1856-1939) Freud inicia seu pensamento teórico assumindo que não há nenhuma descontinuidade na vida mental. Ele afirmou que nada ocorre ao acaso e muito menos os processos mentais. Há uma causa para cada pensamento, para cada memória revivida, sentimento ou ação.
  7. 7. Paul Eugen Bleuler (1857-1939) Bleuer é conhecido por nomear a esquizofrenia, doença que era anteriormente conhecida como dementia praecox. Bleuler entendeu que a condição não era uma demência ou exclusiva de indivíduos jovens (praecox significa precoce). Assim, ele nomeou a doença com um termo menos estigmatizante, mas ainda controverso das raízes gregas schizo (dividida) e phrene (mente).
  8. 8. Wilhelm Fliess (1858-1928) As influências diretas do Flies para o nascimento da psicanálise são consideradas geralmente sem importância. Não obstante, Flies foi o primeiro a chamar a atenção de Freud para o significado dos gracejos como material útil para a pesquisa psicanalítica. Por suspeita de que Freud tivesse plagiado algumas de suas ideias, a amizade foi rompida por Flies em 1902 e os amigos se afastaram.
  9. 9. Adolf Meyer (1866-1950) Neuropatologista. Não interessado em metapsicologia adotou um método psicobiológico de senso prático para o estudo de transtornos mentais, enfatizando o inter-relacionamento de sintomas e funções psicológicas e biológicas individuais.
  10. 10. Alfred Adler (1870-1937) Adler jamais aceitou a primazia da teoria da libido, a origem sexual da neurose ou a importância dos desejos infantis. Sua teoria da personalidade postulou um empenho por auto-estima e tentativa de superar um sentimento de inferioridade. Ele igualava saúde psicológica à consciência social construtiva.
  11. 11. Sandor Ferenczi (1873-1933) Psiquiatra e psicanalista húngaro. A obra escrita de Ferenczi é composta de numerosos artigos, redigidos em estilo inventivo e sempre ligados à realidade. Escreveu inúmeros artigos pré-psicanalíticos, dentre eles, “Espiritismo”, dedicado à telepatia.
  12. 12. Carl Gustav Jung (1875-1961) Jung , criador da psicologia analítica, em contraposição à tese freudiana do inconsciente, postula que o comportamento humano é condicionado não apenas pela história individual, mas também racial e coletiva.
  13. 13. Alfred Ernest Jones (1879-1958) Alfred Ernest Jones foi um neuropsiquiatra e psicanalista galês, além de biógrafo oficial de Sigmund Freud. Aluno de Emil Kraepelin, Ernest Jones introduziu a psicanálise na Grã- Bretanha e foi presidente da Associação Psicanalítica Internacional.
  14. 14. Marie Bonaparte (1882-1962) Psicanalista e escritora francesa ligada a Sigmund Freud. Utilizou-se de sua fortuna para ajudar a popularizar a psicanálise. Também ajudou Freud a fugir da Alemanha nazista.Escreveu extensa obra, grande parte dela explorando os mistérios da sexualidade feminina.
  15. 15. Melanie Klein (1882-1960) Uma analista leiga educada na Alemanha. Sua teoria da psicopatologia, baseada na observação de brinquedo livre de crianças, diz que a agressão inata excessiva ou a reação psíquica à agressão era a causa de distúrbios emocionais severos como os transtornos psicóticos.
  16. 16. Hermann Rorschach (1884-1922) Psiquiatra e psicanalista freudiano suíço, mais conhecido por desenvolver um teste projetivo conhecido como o teste da mancha de tinta de Rorschach. Este teste teria sido projetado para refletir partes inconscientes da personalidade que se "projeta" nos estímulos.
  17. 17. Otto Rank (1884-1939) Ele via cada pessoa como um artista cuja tarefa final é a criação de uma personalidade individual. Para Rank, o neurótico é um artiste manque, uma pessoa cujo forte impulso criativo é frustrado pelo uso negativo da vontade.
  18. 18. Karen Horney (1885-1952) A médica psicanalista Karen Horney, enfatizou a preeminência de influências sociais e culturais sobre o desenvolvimento psicossexual, focalizou sua atenção sobre as psicologias divergentes de homens e mulheres e explorou as vicissitudes dos relacionamentos maritais.
  19. 19. Franz Alexander (1891-1964) Foi da segunda geração de psicanalistas. Ele lançou os fundamentos para as áreas da medicina psicossomática, medicina comportamental e psicofisiologia. Criou a base para o modelo biopsicossocial e estudou a mente e o corpo em um momento em que a psiquiatria americana, apesar das idéias originais de Freud, tornara-se puramente psicológica em orientação.
  20. 20. Harry Stack Sullivan (1892-1949) A teoria de Sullivan é fundamentalmente uma teoria de necessidades e ansiedade. As necessidades são as necessidades por satisfação e as necessidades por segurança. Sullivan definiu segurança como a ausência de ansiedade.
  21. 21. Anna Freud (1895-1982) Ela publicou estudos das crianças debaixo de tensão em “Crianças Jovens em Tempo de Guerra” e “Crianças Sem Família” junto com Dorothy Burlingham. Depois ela disse: “Eu fui especialmente afortunada toda minha vida. Desde o começo, eu pude me mover de um lado para outro entre prática e teoria.”
  22. 22. Donald Woods Winnicott (1896-1971) Para Winnicott, cada ser humano traz um potencial inato para amadurecer, para se integrar; porém, o fato de essa tendência ser inata não garante que ela realmente vá ocorrer. Isto dependerá de um ambiente facilitador que forneça cuidados que precisa, sendo que, no início, esse ambiente é representado pela mãe suficientemente boa.
  23. 23. Wilfred Ruprecht Bion (1897-1979) Foi um psicanalista britânico, pioneiro em dinâmica de grupo. O pensamento geral de Bion enquadra-se no pensamento da escola da Teoria das Relações Objetais.
  24. 24. Wilhelm Reich (1897-1957) Foi um discípulo dissidente de Sigmund Freud, propôs a gênese da neurose como consequência dos conflitos de poder que se estabelecem nas relações sociais e suas implicações emocionais e psicológicas.
  25. 25. Erich Seligmann Fromm (1900-1980) Fromm defendeu a tese de um humanismo normativo: O ser humano tem, segundo Fromm, não tem apenas necessidades básicas físicas, mas também necessidades básicas psíquicas, enraizados em sua existência.
  26. 26. Jacques-Marie Émile Lacan (1901-1981) Sua primeira intervenção na psicanálise é para situar o Eu como instância de desconhecimento, de ilusão, de alienação, sede do narcisismo. Lacan reafirma, a divisão do sujeito, pois o Inconsciente seria autônomo com relação ao Eu. E é no registro do Inconsciente que deveríamos situar a ação da psicanálise.
  27. 27. Carl Ransom Rogers (1902-1987) Dentre os autores que se opuseram ás teorias do inconsciente e buscaram formas alternativas para explicar o fenômeno da motivação humana, está Carl Rogers. Para ele, em último caso, só temos acesso aos dados de nossa experiência consciente. Nossa vida é determinada em grande parte pelas escolhas que fazemos e pelo conceito que desenvolvemos acerca de nós mesmos.
  28. 28. Erik Homburger Erikson (1902-1994) Com base em pesquisas sobre a influência de fatores culturais no desenvolvimento psicológico formulou a teoria segundo a qual as sociedades criam mecanismos institucionais que propiciam e enquadram o desenvolvimento da personalidade, embora as soluções específicas para problemas similares variem de cultura para cultura.
  29. 29. Burrhus Frederic Skinner (1904-1990) O único meio razoável para a compreensão do homem é o de seu comportamento manifesto: o mundo da objetividade. Através da explicação do autor, tomamos conhecimento de que o comportamento é extremamente complexo, desde que é um processo, e não uma coisa.
  30. 30. Viktor Emil Frankl (1905-1997) Viktor Emil Frankl foi um médico psiquiatra austríaco, fundador da escola da Logoterapia, que explora o sentido existencial do indivíduo e a dimensão espiritual da existência. De uma forma prática e simples assim diferenciava a Psicanálise da Logoterapia: Na psicanálise, o paciente tem que contar coisas que, às vezes, são muito desagradáveis. Na logoterapia o paciente tem de ouvir coisas que, às vezes, são muito desagradáveis.
  31. 31. Abraham Harold Maslow (1908-1970) Segundo Abraham Maslow , grande parte da natureza interna é inconsciente. O reprimido permanece, no entanto, como determinante do comportamento. A fonte de repressão pode ser externa ou intra-psíquica.
  32. 32. Françoise Dolto (1908-1988) Pode-se resumir assim a obra e pesquisa de F. Dolto como uma tentativa para uma boa maternagem, de fazer com que a criança seja bem situada dentro de seu esquema corporal e sua imagem corporal, pelo efeito que ela denominava como “castração simboligenica”.
  33. 33. Família de Freud
  34. 34. Sigmund Freud, G. Stanley Hall, Carl Jung; Abraham A. Brill, Ernest Jones, Sándor Ferenczi 1909
  35. 35. Sigmund Freud, Sándor Ferenczi, Hanns Sachs Otto Rank, Karl Abraham, Max Eitingon e Ernest Jones 1922
  36. 36. Sigsmund Freud e Wilhelm Fliess
  37. 37. Sigmund Freud e seu cão Yofi
  38. 38. Produzido por: Felix J Lescinskiene 2014

×