Identificar os pacientes corretamente

13.109 visualizações

Publicada em

"Identificar os pacientes corretamente" é o tema da aula preparada pela equipe do INTO (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia). Trata-se de uma das 6 metas Internacionais de segurança do paciente definidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Ano: 2008

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.109
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.774
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
278
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Identificar os pacientes corretamente

  1. 1. Meta Internacional de Segurança 1Meta Internacional de Segurança 1Identificar os pacientesCorretamenteAula preparada pelo Serviço de Educação Permanente em Enfermagemsob a coordenação da Enf. Roseluci Salles
  2. 2. Metas Internacionais de Segurança do PacienteMetas Internacionais de Segurança do PacienteEm 2002 , os países membros da Organização Mundialde Saúde (OMS) acordaram na Assembleia Mundial de Saúdeuma resolução sobre a segurança do paciente.Em 2003 a The Joint Commission Accreditation ofhealtcare Organization (JCAHO) começou a exigir que oshospitais implementassem 11 metas de segurança, incluindo amelhoria na identificação do paciente, comunicação e marcaçãocorreta do sítio cirúrgico.A JCAHO divulgou e aplicou padrões de segurança dopaciente nas organizações por ela acreditadas.Em outubro de 2004, a OMS cria a Aliança Mundial paraa Segurança do Paciente (World Alliance for Patient Safety)com o objetivo de chamar atenção para o problema desegurança.
  3. 3. Esta Aliança tem elaborado programas e diretrizesque visam sensibilizar e mobilizar profissionais de saúdee população para a busca de soluções que promovam asegurança do paciente, divulgando conhecimento edesenvolvendo ferramentas que possibilitem a mudançade realidade no cenário mundial.O lançamento em 2005 das Metas Internacionaisde Segurança do Paciente é um exemplo destesprogramas.O INTO adotou as 6 primeiras MetasInternacionais de Segurança do Paciente a partir dainserção das mesmas, em 2008, nos Padrões deAcreditação da Joint Comission International paraHospitais.
  4. 4. Metas Internacionais de SegurançaMetas Internacionais de Segurançado Pacientedo Paciente• Meta 1 - Identificar os pacientes corretamente• Meta 2 - Melhorar a efetividade da comunicação entreos profissionais de saúde• Meta 3 - Melhorar a segurança no uso de medicamentosde alta vigilância• Meta 4 - Assegurar cirurgias com local de intervençãocorreto, procedimento correto e paciente correto• Meta 5 - Reduzir os riscos de infecções associadas aoscuidados à saúde• Meta 6 - Reduzir os riscos de lesões ao pacientedecorrentes de quedas• Meta 1 - Identificar os pacientes corretamente
  5. 5. Meta 1Meta 1Identificar os pacientescorretamenteFoto: Vinícius Arruda
  6. 6. Quando Identificar o paciente?Quando Identificar o paciente?Na admissão do paciente externo ou transferido;Sempre que a identificação for retirada;Sempre que a identificação apresentar danos.
  7. 7. Quando checar a identificaçãoQuando checar a identificaçãodo paciente?do paciente?Antes da realização de quaisquer serviços ouprocedimentos, ressaltando-se:• Antes da administração de medicamentos,sangue e hemoderivados;• Na coleta de amostras de sangue e outraspara testes clínicos;
  8. 8.  Use pelo menos dois códigos identificadores No INTO, é utilizado o nome completo e o número doprontuário; Outros exemplos: Nome da mãe e data de nascimento;ATENÇÃO!ATENÇÃO!O número do leito é localizador e não identificador.NomeNúmero deprontuárioComo Identificar?Como Identificar?
  9. 9. Todos os profissionais, pacientes eacompanhantes devem participar ativamente,zelando pelo processo de identificação.Quem é responsável?Quem é responsável?Foto: Vinícius Arruda
  10. 10. Padronize oPadronize oprocesso deprocesso deidentificação doidentificação dopacientepaciente
  11. 11. Padronize a identificação do pacientePadronize a identificação do paciente:Os dados a serem preenchidos;O membro de colocação dapulseira;A sequência de escolha no casode impossibilidade de identificação;O uso de cores para identificaçãode riscos;Fotos: Vinícius ArrudaNo INTO é utilizado osentido horário a partirdo membro superiordireito no caso deimpossibilidades.
  12. 12. Padronize a identificação do pacientePadronize a identificação do paciente:No caso de impossibilidade de identificação nosmembros, por exemplo, amputados totais, utilizaroutras formas para confirmar os dados, como uso decrachás ou etiquetas;
  13. 13. Atenção na identificação deAtenção na identificação depacientes:pacientes: com o mesmo nome; com identidadedesconhecida; comatosos, confusos ousob efeito de açãomedicamentosa.Foto: Vinícius Arruda
  14. 14. Confirme SEMPRE a identificação doConfirme SEMPRE a identificação dopaciente antes de quaisquerpaciente antes de quaisquerprocedimentos ou serviços:procedimentos ou serviços: na pulseira; na prescrição médica; e no rótulo do medicamento/hemocomponente, antesde sua administração.Foto: Vinícius Arruda
  15. 15.  A integridade dasinformações nos locais deidentificação do paciente(ex.: pulseiras, crachás eetiquetas) A integridade da pele domembro no qual a pulseiraestá posicionada.Verifique rotineiramenteVerifique rotineiramente::Fotos: Vinícius Arruda
  16. 16. Identificação de RiscosIdentificação de RiscosRiscos relacionados a outras Metas Internacionaisde Segurança do Paciente, podem ser sinalizadosvisualmente através de um código de cores naspulseiras.Foto: Vinícius Arruda
  17. 17. Modelo da padronização de coresModelo da padronização de coresutilizadas no INTOutilizadas no INTOIDENTIFICAÇÃO DO PACIENTEIDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE•Branca: com nome completo e número do prontuário, atendendoà Meta1.IDENTIFICAÇÃO DE RISCOIDENTIFICAÇÃO DE RISCO•Vermelha: Alergia medicamentosa (Meta 3).•Azul: Precaução de contato (Meta 5).•Laranja: Risco de quedas.(Meta 6)Fotos: Vinícius Arruda
  18. 18. ATENÇÃO!ATENÇÃO!O paciente pode estar exposto a maisde um risco!Fotos: Vinícius Arruda
  19. 19. É imprescindível que sejamdesenvolvidas estratégiasde Educação Permanentepara todos os profissionaisenvolvidos na assistência àsaúde acerca doconhecimento de todas asrotinas institucionais,especialmente asrelacionadas aidentificação do paciente.Foto: Vinícius Arruda
  20. 20. Campanhas visando aidentificação corretado paciente sãoimportantes paradesenvolver umacultura de segurança.
  21. 21. ReferênciasReferências• Conselho Regional de Enfermagem do Estado de SãoPaulo.10 PASSOS para a segurança do paciente. SãoPaulo:2010.• Joint Comission International. Padrões de Acreditaçãoda Joint Comission International para Hospitais.Consórcio Brasileiro de Acreditação de Sistemas eServiços de Saúde. Rio de Janeiro: CBA:2010.• World Health Organization. World Alliance for PatientSafety:forward programme 2005.France: 2004.

×