Le Monde
QUEM DIZ ?
  • Tendência independente
  • 1940 e 1950 = neutralista e
    anticolonialista
  • 1970 e 1980 = posição
    e...
O COMEÇO
• Primeira edição: 18 de dezembro de 1944
• Logo após entrada dos aliados em Paris e pouco
  antes do fim da II G...
A CRIAÇÃO
• Criação: primeiro-ministro, o
   general Charles de Gaulle
• Desejo: jornal conhecido
internacionalmente, inst...
UM IDEAL
• Beuve-Méry = cristão austero e solitário = obcessão
  em não contrair dívidas = pagava salários inferiores
• Pr...
PARA QUEM ?
O Le Monde é, desde sua criação, direcionado
  aos intelectuais franceses e à elite dirigente

Tentou buscar o...
• O jornal acabou por tornar-se como os
  outros, deixando de ser considerado o
  “jornal para intelectuais”.



• No exte...
COM QUAIS EFEITOS?

• Desde a fundação, mais influente jornal
  francês, formador de opinião e da
  agenda nacional:
    “...
EM QUE CANAL?
Sobre a mídia tradicional (jornal impresso), a
jornalista Pollyana Ferrari diz:

"a tradicional tem como objetivo falar co...
Jornal online (mídia digital)
• Objetivo
• Informações básicas na introdução da
  notícia
• Conter links, imagens, fotos, ...
O QUE DIZ?
TRANSFORMAÇÃO




CONFRONT
O          GU ER R A
           CI VI L
                       FOFOCA
A CRISE
• “O dinheiro espera ao pé da escada” Bieve-
  Méry
• 1969: Saída de Bieve-Méry
• 1970: auge dos exemplares
• 1977...
CONFRONTO
• Década de 70: Um jornal que confronta o
  Estado
“O jornal acumula as vantagens ou as
  obrigações de ser um ó...
Guerra Civil na redação
• A problemática sucessão:
  –   Até 1969: Beuve-Méry
  –   1969 – 1980 : Jacques Fauvet
  –   198...
A análise dá lugar ao “furo”
•   Mudanças de prioridade
•   Obsessão ao furo de reportagem
•   Estilo mais simples
•   Tem...
Le Monde
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Le Monde

595 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
595
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Le Monde

  1. 1. Le Monde
  2. 2. QUEM DIZ ? • Tendência independente • 1940 e 1950 = neutralista e anticolonialista • 1970 e 1980 = posição esquerdista • 1990 = antimitterrandista • Atualmente = posições de centro • Formar opiniões = pouco objetivo • Conservadores o chamavam esquerdista
  3. 3. O COMEÇO • Primeira edição: 18 de dezembro de 1944 • Logo após entrada dos aliados em Paris e pouco antes do fim da II Guerra • Sucessor do jornal Le Temps • Le Temps: "a burguesia feita em jornal" e "o maior jornal da república“ • Jornal Vespertino e impresso em folha única • No mês seguinte ao lançamento: racionamento de papel = nova formatação • Cortar tiragem pela metade = não perder conteúdo • Tamanho berlinês = entre o standard e o tablóide
  4. 4. A CRIAÇÃO • Criação: primeiro-ministro, o general Charles de Gaulle • Desejo: jornal conhecido internacionalmente, instrumento de consciência nacional • Nome = ênfase aos assuntos internacionais • Pouca informação sobre o dia-a- dia da capital • L´Humanité: "instrumento da burguesia e da ideologia dominante" = ameaça ao jovem • Não tinha o prestígio do Le Temps, mas um ano depois vendia o seu dobro
  5. 5. UM IDEAL • Beuve-Méry = cristão austero e solitário = obcessão em não contrair dívidas = pagava salários inferiores • Prestar contas = transparência • Nunca aceitar um convite para jantar com pessoas que pudessem pedir algo em troca • Lema: "Dizer a verdade, custe o que custar. Sobretudo, se custar.“ • Não era objetivo = formava opinião • Criticado: levava-se muito a sério e relutava ao retificar erros = entregar as armas ao inimigo • Publicava poucas fotos e páginas = tamanho minúsculo de letra
  6. 6. PARA QUEM ? O Le Monde é, desde sua criação, direcionado aos intelectuais franceses e à elite dirigente Tentou buscar outros grupos a partir de mudanças em seu layout, mas estas nao foram bem aceitas. “Mudanças cosméticas”
  7. 7. • O jornal acabou por tornar-se como os outros, deixando de ser considerado o “jornal para intelectuais”. • No exterior é, ainda hoje, considerado o principal jornal da França. Pode ser encontrado em universidades e, certamente, em chancelarias.
  8. 8. COM QUAIS EFEITOS? • Desde a fundação, mais influente jornal francês, formador de opinião e da agenda nacional: “nas redações da televisão se elaboram os sumários das notícias “com o Le Monde aberto sobre seus joelhos. Isto faz do jornal o coração do dispositivo mediatico na França e, em ultima analise, o poder entre os poderes” • É um dos jornais mundiais que mais foi objeto de estudo, teses e livros • O seu modelo inspirou El País, da Espanha e La Repubblica, de Roma
  9. 9. EM QUE CANAL?
  10. 10. Sobre a mídia tradicional (jornal impresso), a jornalista Pollyana Ferrari diz: "a tradicional tem como objetivo falar com uma grande quantidade de pessoas; oferecer conteúdo jornalístico capaz de agradar, por exemplo mais de um milhão de assinantes da maior revista semanal brasileira. Ou, no caso da TV de propagar um programa de entrevistas, de auditório ou mesmo jornalístico para todos os lares brasileiros". http://hortolandia.hoyler.edu.br/pontodevista/artigostexto.html
  11. 11. Jornal online (mídia digital) • Objetivo • Informações básicas na introdução da notícia • Conter links, imagens, fotos, animações, etc. • Veloz, eficiente. • Objetivo: atingir o indivíduo digital
  12. 12. O QUE DIZ?
  13. 13. TRANSFORMAÇÃO CONFRONT O GU ER R A CI VI L FOFOCA
  14. 14. A CRISE • “O dinheiro espera ao pé da escada” Bieve- Méry • 1969: Saída de Bieve-Méry • 1970: auge dos exemplares • 1977: Déficit, salário alto, redação inchada • “Aventuras esquerdizantes”
  15. 15. CONFRONTO • Década de 70: Um jornal que confronta o Estado “O jornal acumula as vantagens ou as obrigações de ser um órgão quase oficial e um órgão de oposição.É a expressão de nossa sociedade e também da oposição que quer outra”
  16. 16. Guerra Civil na redação • A problemática sucessão: – Até 1969: Beuve-Méry – 1969 – 1980 : Jacques Fauvet – 1982: André Laurens – 1985 : André Fontaine – 1991: Jacques Lesourne – 1994: Jean-Marie Colombani • RESULTADO: Brigas+ Déficit= Endividamento
  17. 17. A análise dá lugar ao “furo” • Mudanças de prioridade • Obsessão ao furo de reportagem • Estilo mais simples • Temas atuais • Menos relevantes

×