Acordo Ortográfico da Língua
Portuguesa
16 de dezembro de 1990
• O Novo Acordo Ortográfico da Língua
Portuguesa está em vigor desde janeiro de
2009, mas passou a ser obrigatório em 2013...
História: Do latim ao português atual
Celtas
Iberos
Púnico-fenício
Lígures
Gregos
Latim
• O latim era no início um idioma rude que
pertencia a agricultores e pastores.
Evolução da língua portuguesa:
• Latim lusitânico, língua falada na Lusitânia deste
a implantação do latim até o séc. V;
•...
Português Arcaico – Carta de Pero Vaz
de Caminha
O que é a reforma ortográfica?
• É um tratado internacional cujo objetivo é
unificar a ortografia do português para uso
do...
Por quê?
• Por causa disso:
"A adopção de uma única ortografia entre
países de língua portuguesa pode ser
óptima."
- Do ponto de vista da ortografia, existem diferenças
bastante relevantes na língua portuguesa. E não apenas
entre os dois...
• É importante ressaltar que a pronúncia, o
vocabulário e a sintaxe permanecem
exatamente como estão. A novidade é a
unifi...
Mas por que demorou tanto para se
colocar em prática o acordo?
• Originalmente, o combinado era que todos os
membros da Co...
Países participantes do acordo em
Lisboa:
• Angola
• Brasil
• Cabo Verde
• Guiné-Bissau
• Moçambique
• Portugal
• São Tomé...
Onde se fala português:
• O português é a língua oficial de Portugal,
Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau,
Moçambique...
As mudanças:
Alfabeto
• O acréscimo das letras K, W e Y.
• O alfabeto passa a ter 26 letras, em vez das 23
que tinha antes.
A B C D E F...
Exemplos:
• km (quilômetro),
• KLM (companhia aérea),
• K (potássio),
• W (watt),
• www (sigla de world wide web, expressã...
Novo acordo ortográfico: acento
circunflexo
• Nada muda na acentuação dos
verbos ter, vir e seus derivados.
• Eles continu...
O acento agudo desaparece das palavras da língua
portuguesa em três casos, como se pode ver a seguir:
Acento diferencial
• O acento diferencial é utilizado para permitir a identificação mais
fácil de palavras homófonas, ou s...
No entanto:
• duas palavras obrigatoriamente continuarão recebendo
o acento diferencial:
• pôr (verbo) mantém o circunflex...
Uso do hífen:
• O hífen deixa de ser empregado nas seguintes
situações:
- quando o prefixo termina em vogal e o
segundo el...
No entanto:
• O hífen permanece quando o prefixo termina
com r (hiper, inter e super) e a primeira letra
do segundo elemen...
Trema, um sinal a menos
• O trema, sinal gráfico de dois pontos usado
em cima do u para indicar que essa letra, nos
grupos...
No entanto:
• O acordo prevê que o trema seja mantido em
nomes próprios de origem estrangeira, bem
como em seus derivados....
Uso de Vogais Átonas E e I
Sufixo (-ano) + i
• Havaí – havaiano (antes havaeano)
• Itália – italiano (antes italeano)
Sufi...
Mudanças na acentuação e no uso do
trema
• Os ditongos abertos tônicos éi e ói perdem o
acento agudo quando caem na penúlt...
E por que o acento agudo não saiu
dessas palavras?
• Anéis
• Herói (s)
• Fiéis
• Anzóis
Porque são oxítonas (acento tônico...
Cai o acento circunflexo de palavras
paroxítonas terminadas em ôo e em
êem.
• Vôo – voo
• Dêem – deem
• Enjôo – enjoo
• Vê...
Atenção:
• As flexões dos verbos ter e vir na 3ª pessoa do
plural no presente do indicativo mantêm o
acento.
• Têm
• Vêm
D...
Não se usa acento gráfico (´ou ^) em palavras
paroxítonas para diferenciá-las de outras palavras
com a mesma grafia (homóg...
Atenção:
• O verbo pôr (infinitivo) e pôde (flexão na 3ª
pessoa do singular do pretérito perfeito do
verbo poder) mantêm o...
Perdem o acento agudo as vogais tônicas i e u
de palavras paroxítonas, quando antecedidas
de ditongos:
• Boiúno – boiuno
•...
Verbos arguir e redarguir
• Nestes verbos, deixa-se de usar o acento agudo no u tônico quando na
flexão este acento cai em...
Exceções
• Palavras que antes eram escritas com hífen, e
sofreram o processo de aglutinação:
Girassol
Madressilva
Mandachu...
Os nomes de lugares geográficos
(topônimos) com prefixos Grão e Grã, ou
quando o primeiro elemento é verbal, e
quando os e...
Têm hífen palavras compostas que
designam espécies botânicas e
zoológicas:
• Couve-flor
• Erva-doce
• Andorinha-do-mar
• B...
Usa-se hífen (não travessão) entre elementos
que formam não uma palavra, mas um
encadeamento vocabular:
• Ponte Rio-Niteró...
Não se usa hífen:
• Locuções substantivas:
Café da manhã
Fim de semana
Cão de guarda
Locuções adjetivas
• Cor de açafrão
• Cor de vinho
Locuções Pronominais
• Cada um
• Ele mesmo
• Quem quer que seja
Locuções Adverbiais
• À vontade
• À parte
• Depois de amanhã
Locuções Prepositivas
• A fim de
• Acerca de
• Por meio de
• A par de
Locuções Conjuncionais
• Contanto que
• No entanto
• Logo que
Locuções que usam hífen por terem
sidos consagradas pelo uso:
• Água-de-colônia
• Arco-da-velha
• Cor-de-rosa
• Mais-que-p...
Mudanças no uso do
hífen em palavras
compostas por
prefixação e
recomposição
Geralmente, palavras compostas com prefixos
ou falsos prefixos usa-se hífen se o segundo
elemento começa por h:
• Anti-his...
Porém, quando se usam prefixos des-
e in- caem o h e o hífen:
• Desumano
• Inabitável
• Desonra
• Inábil
Também com os prefixos co- e re-
caem o h e o hífen:
• Coabitar
• Coerdar
• Reabilitar
• Reabitar
Passa a se usar hífen entre o prefixo e o segundo
elemento quando o prefixo termina na mesma
vogal pela qual começa o segu...
Nos prefixos terminados em a, já
era uso vigente, agora consolidado
pela regra:
• Contra-almirante
• Extra-articular
• Ult...
Exceção:
• O prefixo co- se aglutina com segundo
elemento começado por o:
Cooptar
Coobrigação
Exceção: O prefixo re- se aglutina com
palavras começadas por e.
• Reeleição
• Reestudar
• Reerguer
Usa-se hífen com circum- e pan- quando
seguidos de elemento que começa por vogal, m
e n, além do já citado h:
• Circum-nav...
Prefixos hiper-, inter-, super-, ciber- e nuper- com o
segundo elemento começando com letra r ou h:
• Hiper-requintado
• I...
E não se usa hífen em outros casos nos quais o
prefixo termina em consoante e o segundo
elemento começa em vogal ou consoa...
Quando o prefixo ou falso prefixo termina em
vogal e o segundo elemento começa por r ou s
não se usa mais hífen e a consoa...
Não se usa hífen quando o prefixo ou falso
prefixo termina em vogal e o segundo elemento
começa por vogal diferente ou con...
Sempre se usa hífen com os seguintes
prefixos e falsos prefixos:
• Ex-
• Sota-
• Vice-
• Vizo-
• Pré-
• Pró-
• Pós-
Usa-se hífen nas formas verbais com
pronomes átonos:
• Diga-me
• Vestir-se
• Vingá-lo
• Dizer-lhes
Atenção!
• Se a quebra de linha ocorre onde há um hífen
gramatical, recomenda-se repetir o hífen no
início da linha seguin...
Fonte Bibliográfica
•CUNHA, Celso & CINTRA, Lindley. Nova
Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro:
Lexikon, 6...
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Acordo ortográfico da língua portuguesa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Acordo ortográfico da língua portuguesa

392 visualizações

Publicada em

Slides com o resumo do novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
392
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acordo ortográfico da língua portuguesa

  1. 1. Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa 16 de dezembro de 1990
  2. 2. • O Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa está em vigor desde janeiro de 2009, mas passou a ser obrigatório em 2013. • O objetivo da mudança é unificar a ortografia oficial de oito países que tem o português como idioma oficial – Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.
  3. 3. História: Do latim ao português atual Celtas Iberos Púnico-fenício Lígures Gregos
  4. 4. Latim • O latim era no início um idioma rude que pertencia a agricultores e pastores.
  5. 5. Evolução da língua portuguesa: • Latim lusitânico, língua falada na Lusitânia deste a implantação do latim até o séc. V; • Romance lusitânico, língua falada na Lusitânia do séc. VI ao séc. IX; • Português proto-histórico, língua falada na Lusitânia do séc. IX ao final do séc. XII; • Português arcaico, princípios do séc. XIII à primeira metade do séc. XIV, a língua começa a ser codificada gramaticalmente; • Português moderno, se estende da segunda metade do séc. XIV aos nossos dias.
  6. 6. Português Arcaico – Carta de Pero Vaz de Caminha
  7. 7. O que é a reforma ortográfica? • É um tratado internacional cujo objetivo é unificar a ortografia do português para uso dos 200 milhões de falantes nativos da língua no mundo.
  8. 8. Por quê? • Por causa disso: "A adopção de uma única ortografia entre países de língua portuguesa pode ser óptima."
  9. 9. - Do ponto de vista da ortografia, existem diferenças bastante relevantes na língua portuguesa. E não apenas entre os dois países. Nas outras seis nações que falam e escrevem o português (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) ocorre o mesmo. - Para acabar com essas diferenças, foi criado, em 1990, um acordo. "A existência de duas grafias oficiais acarreta problemas na redação de documentos em tratados internacionais e na publicação de obras de interesse público", defendia o filólogo Antônio Houaiss, o principal responsável pelo processo de unificação aqui no Brasil.
  10. 10. • É importante ressaltar que a pronúncia, o vocabulário e a sintaxe permanecem exatamente como estão. A novidade é a unificação da grafia de algumas palavras.
  11. 11. Mas por que demorou tanto para se colocar em prática o acordo? • Originalmente, o combinado era que todos os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) deveriam ratificar o acordo para que ele tivesse valor. • Em 2004, porém, os chefes de Estado da CPLP decidiram que bastava a aprovação de três nações para a reforma ortográfica entrar em vigor. • O Brasil, no entanto, definiu que mudaria o jeito de escrever somente se Portugal também o fizesse (e o "sim" de Lisboa às novas normas só veio no ano de 2007).
  12. 12. Países participantes do acordo em Lisboa: • Angola • Brasil • Cabo Verde • Guiné-Bissau • Moçambique • Portugal • São Tomé e Príncipe
  13. 13. Onde se fala português: • O português é a língua oficial de Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor- Leste.
  14. 14. As mudanças:
  15. 15. Alfabeto • O acréscimo das letras K, W e Y. • O alfabeto passa a ter 26 letras, em vez das 23 que tinha antes. A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y Z
  16. 16. Exemplos: • km (quilômetro), • KLM (companhia aérea), • K (potássio), • W (watt), • www (sigla de world wide web, expressão que é sinônimo para a rede mundial de computadores). Em palavras estrangeiras incorporadas à língua. Exemplo: sexy, show, download, megabyte.
  17. 17. Novo acordo ortográfico: acento circunflexo • Nada muda na acentuação dos verbos ter, vir e seus derivados. • Eles continuam com o acento circunflexo no plural (eles têm, eles vêm)
  18. 18. O acento agudo desaparece das palavras da língua portuguesa em três casos, como se pode ver a seguir:
  19. 19. Acento diferencial • O acento diferencial é utilizado para permitir a identificação mais fácil de palavras homófonas, ou seja, que têm a mesma pronúncia. Atualmente, usamos o acento diferencial - agudo ou circunflexo - em vocábulos como pára (forma verbal), a fim de não confundir com para (a preposição), entre vários outros exemplos. • Com a entrada em vigor do acordo, o acento diferencial não será mais usado nesse caso e também nos que estão a seguir: • péla (do verbo pelar) e pela (a união da preposição com o artigo); • pólo (o substantivo) e polo (a união antiga e popular de por e lo); • pélo (do verbo pelar) e pêlo (o substantivo); • pêra (o substantivo) e péra (o substantivo arcaico que significa pedra), em oposição a pera (a preposição arcaica que significa para).
  20. 20. No entanto: • duas palavras obrigatoriamente continuarão recebendo o acento diferencial: • pôr (verbo) mantém o circunflexo para que não seja confundido com a preposição por; • pôde (o verbo conjugado no passado) também mantém o circunflexo para que não haja confusão com pode (o mesmo verbo conjugado no presente). Observação: já em fôrma/forma, o acento é facultativo.
  21. 21. Uso do hífen: • O hífen deixa de ser empregado nas seguintes situações: - quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com as consoantes s ou r. Nesse caso, a consoante obrigatoriamente passa a ser duplicada; - quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente.
  22. 22. No entanto: • O hífen permanece quando o prefixo termina com r (hiper, inter e super) e a primeira letra do segundo elemento também é r. Exemplos: hiper-requintado, super-resistente.
  23. 23. Trema, um sinal a menos • O trema, sinal gráfico de dois pontos usado em cima do u para indicar que essa letra, nos grupos que, qui, gue e gui, é pronunciada, será abolido. • É simples assim: ele deixa de existir na língua portuguesa. Vale lembrar, porém, que a pronúncia continua a mesma.
  24. 24. No entanto: • O acordo prevê que o trema seja mantido em nomes próprios de origem estrangeira, bem como em seus derivados. Exemplos: Bündchen, Müller, mülleriano.
  25. 25. Uso de Vogais Átonas E e I Sufixo (-ano) + i • Havaí – havaiano (antes havaeano) • Itália – italiano (antes italeano) Sufixo (-ano) + e átono • Acre – acriano (antes acreano) • Açores – açoriano (antes açoreano)
  26. 26. Mudanças na acentuação e no uso do trema • Os ditongos abertos tônicos éi e ói perdem o acento agudo quando caem na penúltima sílaba (paroxítonas): Idéia (s) - ideia (s) Jóia (s) – joia (s) Geléia (s) – geleia (s) Apóia (s) – apoia (s)
  27. 27. E por que o acento agudo não saiu dessas palavras? • Anéis • Herói (s) • Fiéis • Anzóis Porque são oxítonas (acento tônico na última sílaba)!
  28. 28. Cai o acento circunflexo de palavras paroxítonas terminadas em ôo e em êem. • Vôo – voo • Dêem – deem • Enjôo – enjoo • Vêem – veem • Crêem – creem • Abençôo – abençoo • Lêem - leem
  29. 29. Atenção: • As flexões dos verbos ter e vir na 3ª pessoa do plural no presente do indicativo mantêm o acento. • Têm • Vêm Diferente da 3ª pessoa do singular: tem e vem.
  30. 30. Não se usa acento gráfico (´ou ^) em palavras paroxítonas para diferenciá-las de outras palavras com a mesma grafia (homógrafas). • Pára (flexão de parar) e para (preposição) - PARA • Péla (s) (subst. Fem), pelas (flexão de pelar) e pela (s) (contração por + a(s)) – PELA (S) • Pélo (flexão de pelar), pêlo (subst. Masc.) e pelo (contração por + o) – PELO (S) • Péra (s) (subst. Fem. = pedra), pêra (s) (subst. Fem.) e pera (prep. = para) – PERA (S) • Pólo (s) (subst. Masc.) e polo (s) (combinação de por + lo (s)) – POLO (S)
  31. 31. Atenção: • O verbo pôr (infinitivo) e pôde (flexão na 3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do verbo poder) mantêm o acento, diferente das preposições por e da flexão da 3ª pessoa do singular do presente do indicativo pode)
  32. 32. Perdem o acento agudo as vogais tônicas i e u de palavras paroxítonas, quando antecedidas de ditongos: • Boiúno – boiuno • Feiúra – feiura • Baiúca – baiuca • Alauíta – alauita ATENÇÃO: Mantém o acento agudo quando a palavra é proparoxítona (feiíssimo, bauínia) ou oxítona (tuiuiú, teiú, teiús)
  33. 33. Verbos arguir e redarguir • Nestes verbos, deixa-se de usar o acento agudo no u tônico quando na flexão este acento cai em sílaba do seu radical (flexões rizotônicas). Exemplo: Argúo – arguo Redargúo – redarguo Argúis – arguis Redargúis – redarguis Argúi – argui Redargúi – redargui Argúem – arguem Redargúem – redarguem Argúa – argua Redargúa – redargua Argúa – argua Redargúa – redargua Argúas – arguas
  34. 34. Exceções • Palavras que antes eram escritas com hífen, e sofreram o processo de aglutinação: Girassol Madressilva Mandachuva Pontapé Paraquedas Paraquedistas Passatempo
  35. 35. Os nomes de lugares geográficos (topônimos) com prefixos Grão e Grã, ou quando o primeiro elemento é verbal, e quando os elementos estão ligados por artigos, usa-se hífen: • Grão-Pará • Grã-Bretanha • Passa-Quatro (primeiro elemento verbal) • Trás-os-Montes (primeiro elemento verbal e artigo de ligamento) • Todos-os-Santos (elementos ligados por artigo)
  36. 36. Têm hífen palavras compostas que designam espécies botânicas e zoológicas: • Couve-flor • Erva-doce • Andorinha-do-mar • Bem-te-vi • Leão-marinho
  37. 37. Usa-se hífen (não travessão) entre elementos que formam não uma palavra, mas um encadeamento vocabular: • Ponte Rio-Niterói • Liberdade-Igualdade-Fraternidade
  38. 38. Não se usa hífen: • Locuções substantivas: Café da manhã Fim de semana Cão de guarda
  39. 39. Locuções adjetivas • Cor de açafrão • Cor de vinho
  40. 40. Locuções Pronominais • Cada um • Ele mesmo • Quem quer que seja
  41. 41. Locuções Adverbiais • À vontade • À parte • Depois de amanhã
  42. 42. Locuções Prepositivas • A fim de • Acerca de • Por meio de • A par de
  43. 43. Locuções Conjuncionais • Contanto que • No entanto • Logo que
  44. 44. Locuções que usam hífen por terem sidos consagradas pelo uso: • Água-de-colônia • Arco-da-velha • Cor-de-rosa • Mais-que-perfeito • Pé-de-meia • Ao Deus-dará • À queima-roupa
  45. 45. Mudanças no uso do hífen em palavras compostas por prefixação e recomposição
  46. 46. Geralmente, palavras compostas com prefixos ou falsos prefixos usa-se hífen se o segundo elemento começa por h: • Anti-histórico • Super-homem • Multi-horário • Mini-habitação
  47. 47. Porém, quando se usam prefixos des- e in- caem o h e o hífen: • Desumano • Inabitável • Desonra • Inábil
  48. 48. Também com os prefixos co- e re- caem o h e o hífen: • Coabitar • Coerdar • Reabilitar • Reabitar
  49. 49. Passa a se usar hífen entre o prefixo e o segundo elemento quando o prefixo termina na mesma vogal pela qual começa o segundo elemento: • Antiinflamatório -> anti-inflamatório • Teleeducação -> tele-educação • Neoortodoxia -> neo-ortodoxia
  50. 50. Nos prefixos terminados em a, já era uso vigente, agora consolidado pela regra: • Contra-almirante • Extra-articular • Ultra-alto
  51. 51. Exceção: • O prefixo co- se aglutina com segundo elemento começado por o: Cooptar Coobrigação
  52. 52. Exceção: O prefixo re- se aglutina com palavras começadas por e. • Reeleição • Reestudar • Reerguer
  53. 53. Usa-se hífen com circum- e pan- quando seguidos de elemento que começa por vogal, m e n, além do já citado h: • Circum-navegação • Circum-meridiano • Pan-africano
  54. 54. Prefixos hiper-, inter-, super-, ciber- e nuper- com o segundo elemento começando com letra r ou h: • Hiper-requintado • Inter-resistente • Super-radical • Inter-hospitalar
  55. 55. E não se usa hífen em outros casos nos quais o prefixo termina em consoante e o segundo elemento começa em vogal ou consoante diferente de r ou h: • Subsequência • Sublinear • Interativo • Hiperativo • Superabundante • Hiperacidez • interlocução
  56. 56. Quando o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s não se usa mais hífen e a consoante r ou s é duplicada: • Ultra-som -> ultrassom • Eco-sistema -> ecossistema • Mini-saia -> minissaia • Contra-regra -> contrarregra • Co-seno -> cosseno • Semi-reta -> semirreta • Anti-semita -> antissemita
  57. 57. Não se usa hífen quando o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por vogal diferente ou consoante (se esta for r ou s, como visto antes, se duplica) • Auto-escola-> autoescola • Extra-escolar -> extraescolar • Co-piloto -> copiloto • Supra-estrutura -> supraestrutura • Auto-imune -> autoimune • Contra-ordem -> contraordem
  58. 58. Sempre se usa hífen com os seguintes prefixos e falsos prefixos: • Ex- • Sota- • Vice- • Vizo- • Pré- • Pró- • Pós-
  59. 59. Usa-se hífen nas formas verbais com pronomes átonos: • Diga-me • Vestir-se • Vingá-lo • Dizer-lhes
  60. 60. Atenção! • Se a quebra de linha ocorre onde há um hífen gramatical, recomenda-se repetir o hífen no início da linha seguinte.
  61. 61. Fonte Bibliográfica •CUNHA, Celso & CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Lexikon, 6ª ed..2013. •SGARIONI, Mariana. Novo acordo ortográfico: mudanças no jeito de escrever. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica- pedagogica/novo-jeito-escrever-424059.shtml •NOVA ESCOLA. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/novo-acordo-ortografico/

×