Lição 3 As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó

1.111 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.111
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 3 As Pragas Divinas e as Propostas Ardilosas de Faraó

  1. 1. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Lição 3 – 19/01/2014
  2. 2. Assembléia de Deus Ministério Shekinah TEXTO ÁUREO “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo" (Ef 6.11).
  3. 3. Assembléia de Deus Ministério Shekinah VERDADE PRÁTICA Como salvos por cristo, podemos pela fé vencer o diabo em suas investidas contra nós.
  4. 4. Assembléia de Deus Ministério Shekinah I. AS PRAGAS ENVIADAS E A PRIMEIRA PROPOSTA DE FARAÓ 1. Pragas atingem o Egito (Êx 7.19-12.33). 2. A primeira proposta (Êx 8.25). Esboço da Lição II. FARAÓ NÃO DESISTE 1. A segunda proposta de faraó (Êx 8.28). 2. A terceira proposta de faraó (Êx 10.7). III. A PROPOSTA FINAL DE FARAÓ 1. A situação caótica do Egito. 2. A quarta e última proposta.
  5. 5. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO Deus havia declarado que se Faraó não deixasse o seu povo sair do Egito, Ele feriria os egípcios com várias pragas (Êx 3.19,20). Em Êxodo 7.4,5, Deus reiterou o envio de flagelos terríveis sobre o Egito, os quais tinham como propósitos: julgar tanto o governo quanto o povo por seus atos, e também apressar a saída dos hebreus e mostrar o poder de Deus sobre os deuses egípcios. A partir da ocorrência da segunda praga (a das rãs, Êx 8.1-15), Faraó passa a fazer uma série de propostas ardilosas e destruidoras a Moisés e Arão.
  6. 6. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO SIGNIFICADO DA PALAVRA PRAGA Ação de imprecar males contra alguém. A imprecação de pragas. Grande calamidade. Pessoa ou coisa que aflige. Grande quantidade de coisas importunas, de animais nocivos. Bras. Erva daninha. Rogar praga(s) a, fazer imprecações contra alguém
  7. 7. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO Dez pragas são registradas: 1. 7.14-25: água em sangue. 2. 8:1-15: infestação das rãs. 3. 8.16-19: insetos (ou piolhos). 4. 8.20-32: infestação das moscas (com os hebreus sendo poupados [8.22]). 5. 9.1-7: peste sobre o gado (com os hebreus sendo poupados [9.4,6]). 6. 9.8-12: úlceras sobre homens e animais. 7. 9.13-35: saraiva, trovões e raios (com exceção da área destinada aos hebreus [9.26]). 8. 10.1-20: infestação de gafanhotos. 9. 10.21-29: três dias de densas trevas. 10. 11.1-12.36: morte dos primogênitos, tanto do povo como do gado (com exceção dos hebreus, caso se preparassem de forma correta [12.7,13]).
  8. 8. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO 1.ª PRAGA – AGUAS TRANSFORMADA EM SANGUE (ÊXODO 7.14-25) Foi um golpe contra o deus Hapi, o deus protetor das inundações do Rio Nilo. O Rio Nilo era considerado um deus e o deus hapi intervia junto o deus Nilo nas inundações. Deus resolveu zombar dessas divindades que não tiveram forças para impedir que suas águas apodrecessem e cheirassem mal. 2.ª PRAGA – A INVASÃO DE RÃS (ÊXODO 8.1-15) Os egípcios relacionavam as rãs com a deusa da fertilidade (Hekt). Todos que queriam a fertilidade invocavam tal divindade. O Deus verdadeiro zombou também dessa divindade, pois ela não conseguiu impedir que o Egito fosse invadido por rãs.
  9. 9. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO 3.ª PRAGA – A INVASÃO DE PIOLHOS (ÊXODO 8.16-19) O pó da terra, considerado sagrado no Egito, converteu-se em insetos muito importunadores. Os sacerdotes egípcios, ao ministrarem nos lugares sagrados, usavam vestes brancas de linho. Estas deveriam ser alvas, extremamente alvas. Raspavam a cabeça e, antes de entrar para o lugar sagrado, examinavam minuciosamente, porque não podiam ter no seu corpo ou suas vestes qualquer inseto imundo e abjeto. Curavam as pessoas usando o pó sagrado da terra do Egito. Esse pó considerado sagrado agora causava grandes feridas ao egípcios. Era uma profanação ao seus deuses. Devido a essa praga os sacerdotes egípcios ficaram impossibilitados de cumprirem seus rituais. 4.ª PRAGA – A INVASÃO DE MOSCAS (ÊXODO 8.20-32) Os egípcios tinham em deus chamado Belzebu, que na crença deles era poderoso para afugentar moscas. Enxames de moscas cobriram a terra do Egito. Infernaram Faraó e seu povo. Sacerdotes e magos clamaram a Belzebu e nada aconteceu. Mais um deus desmoralizado.
  10. 10. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO 5.ª PRAGA – PESTE NOS ANIMAIS (ÊXODO 9.1-7) Foi um golpe contra Amom, o deus adorado em todo Egito, tinha a forma de um carneiro, animal sagrado. No baixo Egito, Amom era adorado em forma de um touro, ou bode, deus protetor dos rebanhos do Egito. Como se pode notar, tal divindade foi incapaz de proteger o rebanho egípcio. 6.ª PRAGA – ÚLCERAS (ÊXODO 9.8-12) Um duro golpe contra o deus Tifon. Na crença deles essa divindade protegia os egípcios contra qualquer ferida que fosse causada por qualquer coisa. Os sacerdotes invocavam a Tifon e as cinzas do altar dele eram jogadas em todos os doentes. Agora, os próprios sacerdotes foram os primeiros a serem infectados.
  11. 11. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO 7.ª PRAGA – SARAIVA (ÊXODO 9.13-35) Um golpe contra a deusa Serafis, protetora da lavoura do Egito. A tempestade de trovões, raios e saraiva devastou a vegetação, destruiu as colheitas de cevada e de linho e matou os animais do Egito. Este tipo de tempestade era quase desconhecido do Egito. O termo trovão em hebraico significa literalmente “Vozes de Deus” e aqui insinua que Deus falava em juízo contra aquela nação pagã e contra seu panteão de deuses. Os egípcios que escutaram a advertência de Deus, conseguiram salvar o seu gado. 8.ª PRAGA – INVASÃO DE GAFANHOTOS (ÊXODO 10.1-20). Os egípcios tinham além de Serafis, tinham também a Isis que protegiam toda a vegetação de suas terras. A praga de gafanhotos trazida por um vento oriental consumiu a vegetação que havia sobrado da tempestade de saraiva. Isis e Serafis foram impotentes para proteger o Egito dos gafanhotos.
  12. 12. Assembléia de Deus Ministério Shekinah INTRODUÇÃO 9.ª PRAGA – TREVAS (ÊXODO 10.21-29) As trevas encobriram o Egito inteiro, excetuando a terra de Gósen, onde Israel habitava. As trevas foram totais e absolutas. Um homem não conseguia ver o outro mesmo que estivesse a um palmo apenas na sua frente. Fora um grande golpe a todos os deuses do Egito, especialmente contra o deus Rá, o deus solar. Os luminares celestes, objetos de culto, eram incapazes de penetrar à densa escuridão. Foi um golpe direto contra o próprio Faraó, suposto filho de Rá, Faraó era chamado de “O FILHO DE SOL”. 10.ª PRAGA – A MORTE DOS PRIMOGÊNITOS (ÊXODO 11.1-12.36) O Egito estava completamente arruinado (Êxodo 10.7). Agora, passado cerca de um ano desde a primeira praga, vem o cumprimento da Lei da Semeadura. Os egípcios tinham matado as crianças dos judeus, agora eles mesmos colhiam o fruto da sua semeadura. A morte sobreveio à meia-noite. Um grande clamor de desespero ouviu-se por todo o Egito; e Moisés e seu povo não somente tiveram permissão para sair, mas foram exortados a saírem do Egito, de modo insistente. Acresça-se a isso que a Israel foram dados suprimentos abundantes para que pudessem partir.
  13. 13. Assembléia de Deus Ministério Shekinah I. AS PRAGAS ENVIADAS E A PRIMEIRA PROPOSTA DE FARAÓ 1. Pragas atingem o Egito (Êx 7.19-12.33). Faraó endureceu o seu coração e não deixou o povo partir (Êx 7.13,14,22; 8.15,19,32; 9.7,34,35; 4.21; 7.3; 9.12; 10.1,27; 11.10; 14.4,8,17).
  14. 14. Assembléia de Deus Ministério Shekinah I. AS PRAGAS ENVIADAS E A PRIMEIRA PROPOSTA DE FARAÓ 2. A primeira proposta (Êx 8.25). "Ide, sacrificai ao vosso Deus nesta terra“ (Êx 8.25). Esta atitude representava a falta de santidade, de separação das coisas deste mundo. Deus exige santidade do seu povo: “E serme-eis santos, porque eu, o Senhor sou santo, e separei-vos dos povos, para serdes meus” (Lv 20.26). Esta proposta exigia que Israel cultuasse a Deus NO EGITO, em meio aos falsos deuses.
  15. 15. Assembléia de Deus Ministério Shekinah II. FARAÓ NÃO DESISTE 1. A segunda proposta de Faraó (Êx 8.28). “Somente que indo, não vades longe” (Êx 8.28). Isto representava uma separação, parcial do Egito. Atualmente muitos já aceitaram esta proposta e querem viver um cristianismo sem compromisso com Deus e sem a cruz. A segunda proposta de Faraó resultaria em o povo de Deus sair do Egito, mas o Egito não sair deles (Tg 4.4,5; 1 Jo 2.15). Assim fez a mulher de Ló, que saiu de Sodoma, mas não tirou Sodoma do seu coração e da sua mente, e perdeu-se (Gn 19.17,26; Lc 17.32).
  16. 16. Assembléia de Deus Ministério Shekinah II. FARAÓ NÃO DESISTE 2. A terceira proposta de Faraó (Êx 10.7). b) Maridos sem as esposas; homens viajando no deserto e as crianças sem os pais. O Diabo quer a ruína do casamento (Êx 1.16). Oremos por um avivamento espiritual sobre os casais que servem ao Senhor. c) Miscigenação devastadora. Os jovens de Israel sozinhos no deserto a caminho de Canaã se casariam com moças pagãs, idólatras. Por sua vez, as jovens deixadas no Egito se casariam com os incrédulos egípcios. Enfim, haveria perda de identidade dos hebreus como povo do Senhor.
  17. 17. Assembléia de Deus Ministério Shekinah III. A PROPOSTA FINAL DE FARAÓ 1. A situação caótica do Egito. A praga das trevas acabara de ocorrer, e todo o Egito durante três dias seguidos ficou sem luz. Só havia luz nas casas dos hebreus (10.21-23). Faraó teve muitas oportunidades, mas não deu ouvidos à voz do Senhor e não atendeu aos apelos de Moisés. A cada praga o coração de Faraó se tornava mais endurecido. O rei do Egito escolheu resistir a Deus e teve seu país devastado pelas pragas.
  18. 18. Assembléia de Deus Ministério Shekinah III. A PROPOSTA FINAL DE FARAÓ 2. A quarta e última proposta “Ide, servi ao Senhor; somente fiquem ovelhas e vossas vacas” (Êx 10.24). Esta atitude representava a falta de sacrifícios, de entrega ao Senhor e de adoração. Evangelho sem a cruz de Cristo não é evangelho autêntico. A quarta e última proposta. A ovelha e a vaca eram animais cerimonialmente “limpos” para oferendas de sacrifícios a Deus na época da Lei (1 Pe 2.25; Hb 13.15,16). Sem as ovelhas e vacas não haveria sacrifícios. Não haveria entrega ao Senhor.
  19. 19. Assembléia de Deus Ministério Shekinah CONCLUSÃO A atitude do cristão hoje ante as traiçoeiras propostas do Maligno deve ser a mesma dos representantes de Israel, Moisés e Arão: "Nem uma unha ficará" no Egito (Êx 10.26). Satanás figurado em Faraó não mudou em relação à sua luta contra o povo de Deus. Ele continua a tentar o crente de muitas maneiras para fazê-lo cair, inclusive com más insinuações, sugestões, conclusões etc. "Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo" (1 Co 15.57).

×