Seminário Invader-B 27 Nov 2015

731 visualizações

Publicada em

Apresentação de resultados do projecto e discussão sobre a utilização de controlo natural

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
112
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Procurar foto linda de dunas
  • Seminário Invader-B 27 Nov 2015

    1. 1. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Dê a sua opinião  Se pensar nas luzes de um semáforo qual delas associa mais facilmente: 1. às plantas invasoras 2. ao controlo natural de plantas invasoras? Por favor, escreva a cor (para 1 e 2) num post it e entregue-nos.
    2. 2. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 INVADER-B - Gestão de plantas INVasoras em Portugal: da prevenção à DEtecção Remota e controlo biológico de Acacia longifolia
    3. 3. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Acacia longifolia | O problema • Árvore Australiana • Introdução: finais séc. XIX | início XX para estabilizar dunas • Actualmente: invade áreas extensas de dunas costeiras e outros habitats em Portugal, Espanha, França e Itália • Invasora (Dec.-Lei n.º 565/ 99, de 21 de Dezembro)
    4. 4. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Árvore Australiana • Introdução: finais séc. XIX | início XX para estabilizar dunas • Actualmente: invade áreas extensas de dunas costeiras e outros habitats em Portugal, Espanha, França e Itália • Invasora (Dec.-Lei n.º 565/ 99, de 21 de Dezembro) • Ponto-chave: produção massiva de sementes  banco de sementes muito numeroso, com grande longevidade  elevado potencial de (re-)invasão rápida Acacia longifolia | O problema
    5. 5. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    6. 6. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Acacia longifolia - o problema (1)
    7. 7. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    8. 8. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Acacia longifolia - o problema (1)
    9. 9. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Principais impactes (desde 2001): • Diminuição da biodiversidade; ameaça a espécies e habitats protegidos, e.g., sítios Natura 2000 e Áreas Protegidas, …1 1(Marchante et al., 2003, 2015; Marchante, 2001, 2011, Rascher et al., 2011, Hellmann et al., 2011) Acacia longifolia | O problema
    10. 10. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    11. 11. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    12. 12. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    13. 13. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    14. 14. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Principais impactes (desde 2001): • Diminuição da biodiversidade; ameaça a espécies e habitats protegidos, e.g., sítios Natura 2000 e Áreas Protegidas, …1 • Alterações a nível do solo2 • Agravamento das alterações com o tempo de invasão 1(Marchante et al., 2003, 2015; Marchante, 2001, 2011, Rascher et al., 2011, Hellmann et al., 2011) 2(Marchante et al., 2008a,b, Marchante 2008, Rodríguez-Echeverría, 2010) Acacia longifolia | O problema 0 0.02 0.04 0.06 0.08 0.1 0.12 0.14 AA AR NI Azotototal(%) Azoto (solo) Nitrificação AA AR NI
    15. 15. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Principais impactes: • Diminuição da biodiversidade; ameaça a espécies e habitats protegidos, e.g., sítios Natura 2000 e Áreas Protegidas, …1 • Alterações a nível do solo2 • Agravamento das alterações com o tempo de invasão • Diminuição da produtividade florestal 1(Marchante et al., 2003, 2015; Marchante, 2001, 2011, Rascher et al., 2011, Hellmann et al., 2011) 2(Marchante et al., 2008a,b, Marchante 2008, Rodríguez-Echeverría, 2010) Acacia longifolia | O problema
    16. 16. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Acacia longifolia - o problema
    17. 17. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Principais impactes: • Diminuição da biodiversidade; ameaça a espécies e habitats protegidos, e.g., sítios Natura 2000 e Áreas Protegidas, …1 • Alterações a nível do solo2 • Agravamento das alterações com o tempo de invasão • Diminuição da produtividade florestal • Alteração das condições de fogo • Impactes económicos: >> 1M€ + dados não disponíveis 1(Marchante et al., 2003, 2015; Marchante, 2001, 2011, Rascher et al., 2011, Hellmann et al., 2011) 2(Marchante et al., 2008a,b, Marchante 2008, Rodríguez-Echeverría, 2010) Acacia longifolia | O problema
    18. 18. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    19. 19. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Controlo mecânico e químico disponíveis Solução actual…
    20. 20. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    21. 21. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Controlo mecânico e químico disponíveis • Demasiado dispendioso Solução actual…
    22. 22. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    23. 23. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Sucesso baixo devido ao banco-de-sementes Controlo mecânico e químico disponíveis • Demasiado dispendioso Solução actual…
    24. 24. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015
    25. 25. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Sucesso baixo devido ao banco-de-sementes Controlo mecânico e químico disponíveis • Demasiado dispendioso Controlo natural? Alternativas sustentáveis são necessárias Solução actual…
    26. 26. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 INVADER - B Procura de outras soluções…
    27. 27. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Objectivos principais: 1) Avaliar impactes de Acacia longifolia a nível das redes-de-interação plantas-galhas e comunidades associadas | situação de referência 2) Analisar redes-de-interação para avaliar: 1) efeitos indiretos do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae, antes da sua libertação |ferramenta preditiva 2) prever eficácia do agente controlo natural 3) Mapear distribuição de A. longifolia recorrendo a deteção remota |ferramenta útil para a gestão da espécie 4) Avaliar hipótese de usar deteção remota para monitorizar os efeitos de T. acaciaelongifoliae | intensidade de floração 5) (avaliar o estabelecimento de T. acaciaelongifoliae e a sua eficácia) 6) Aumentar participação do público na implementar um programa piloto de deteção (precoce) de espécies invasoras
    28. 28. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Objectivos principais: 1) Avaliar impactes de Acacia longifolia a nível das redes-de-interação plantas-galhas e comunidades associadas |situação referência 2) Analisar as redes-de-interação para avaliar: 1) efeitos indiretos do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae, antes da sua libertação |ferramenta preditiva 2) prever eficácia do agente controlo natural 3) Mapear distribuição de A. longifolia recorrendo a deteção remota |ferramenta útil para a gestão da espécie 4) Avaliar hipótese de usar deteção remota para monitorizar os efeitos de T. acaciaelongifoliae | intensidade de floração 5) (avaliar o estabelecimento de T. acaciaelongifoliae e a sua eficácia) 6) Aumentar participação do público na implementar um programa piloto de deteção (precoce) de espécies invasoras
    29. 29. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Galhas Comunidades associadas? Porquê?
    30. 30. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 insecto formador-de-galhas  controlo natural de A. longifolia a introduzir em Portugal Trichilogaster acaciaelongifoliae 1mm
    31. 31. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Avaliar impactes indirectos da invasão por acácia-de-espigas • Caracterizar a situação pré-introdução do agente de controlo natural – inovador em estudos de controlo natural T1. Avaliação de impactes em redes-de-interacção: plantas-galhas e comunidades associadas Plantas Galhas Parasitóides & inquilinos ?
    32. 32. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Desenho experimental Comunidades nativas vs. Invadidas • 8 sítios ao longo da costa • Amostragens mensais 12 (4) meses • Transectos: 20 X 2m X 2m Pouco invadidas Muito invadidas Moderadamente invadidas
    33. 33. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Em cada transecto: Plantas Galhas colhidas e man- tidas em laboratório Insectos: • Galhadores • Parasitóides • Inquilinos Redes-de- interacção em áreas: pouco, moderadamente e muito invadidas
    34. 34. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Plantas Galhas Parasitóides e inquilinos Nativa Exótica Acacia longifolia Inquilino Parasitóide Gema Inflorescência Folha Ramo Fruto Rede-de-interacção plantas-galhas-parasitóides/inquilinos 4 sítios x 3 níveis de invasão x 12 meses: • 6068 galhas (31 espécies), em 22 espécies de plantas • 1841 parasitóides (40 espécies) • 273 inquilinos (41 espécies)
    35. 35. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Invasão por Acacia longifolia: diversidade e abundância de plantas, galhas, inquilinos & parasitóides Nenhuma galha em espécies exóticas  especificidade Inquilino Parasitóide Gema Inflorescência Folha Ramo Fruto Nativa Exótica Acacia longifolia Impactes de Acacia longifolia Nível de invasão por Acacia longifolia
    36. 36. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Objectivos principais: 1) Avaliar os impactes de Acacia longifolia a nível das redes-de-interação plantas-galhas e comunidades associadas | situação de referência 2) Analisar as redes-de-interacção para avaliar: 1) efeitos indiretos do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae, antes da sua libertação |ferramenta preditiva 2) prever eficácia do agente controlo natural 3) Mapear distribuição de A. longifolia recorrendo a deteção remota |ferramenta útil para a gestão da espécie 4) Avaliar hipótese de usar deteção remota para monitorizar os efeitos de T. acaciaelongifoliae | intensidade de floração 5) (avaliar o estabelecimento de T. acaciaelongifoliae e a sua eficácia) 6) Aumentar participação do público na implementar um programa piloto de deteção (precoce) de espécies invasoras
    37. 37. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 T2. Previsão de efeitos de T. acaciaelongifoliae Alguns parasitóides e inquilinos podem potencialmente interagir com o agente de controlo natural (vermelho) – afectar o seu sucesso? ? Plantas (m2) Galhas (1000 ind.) Inquilinos/ Parasitóides (100 ind.)
    38. 38. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Objectivos principais: 1) Avaliar os impactes de Acacia longifolia a nível das redes-de-interação plantas-galhas e comunidades associadas | situação de referência 2) Analisar as redes-de-interação para avaliar: 1) efeitos indiretos do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae, antes da sua libertação |ferramenta preditiva 2) prever eficácia do agente controlo natural 3) Mapear distribuição de A. longifolia recorrendo a deteção remota |ferramenta útil para a gestão da espécie 4) Avaliar hipótese de usar deteção remota para monitorizar os efeitos de T. acaciaelongifoliae | intensidade de floração 5) (avaliar o estabelecimento de T. acaciaelongifoliae e a sua eficácia) 6) Aumentar participação do público na implementar um programa piloto de deteção (precoce) de espécies invasoras
    39. 39. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Área de estudo: • 98.314 ha, da Figueira da Foz até Furadouro • S. Boa Viagem • Dunas • Ria Aveiro • RNDunas S. Jacinto • Rede Natura 2000 Invasoras: • Acacia longifolia e outras acácias T3. Mapeamento e evolução de Acacia longifolia
    40. 40. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Mapeamento A. longifolia |Landsat OLI • Exatidão global 78,5% • 8691 ha invadidos por A. longifolia | 3040 ha outras acácias Limites areas protegidas Ardeu 1995 Ardeu 1993 Pinhal Pinhal invadido A.long Eucaliptal Invasão A. long Invasão intensa A.long Acacia spp Água Área de inundação, Agrícolas e urbanas Dunas e matos
    41. 41. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Imagens de satélite de 2000 a 2014 (LandSat) Analizámos as alterações de cobertura do solo Identificámos 9 processos de alteração em áreas de vegetação • 3 principais associados a invasão por A. longifolia RNDSãoJacinto MNQuiaios Evolução temporal dos processos de alteração
    42. 42. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • "recuperação após remoção“ – torna-se arbusto dominante • "intensificação cobertura vegetal“ – sub-coberto pinhal • “recuperação de vegetação após fogo” – geral Processos de alteração da cobertura do solo associados a Acacia longifolia Crescimento vegetal após fogo 2005 SBV Crescimento vegetal após fogo 2005 Mira Recuperação de vegetação após remoção Intensificação de coberto vegetal Outras áreas Zonas arbustivas Matos Pinhal Pinhal invadido por A. long Eucaliptal Invasão A. long Invasão intensa A. long Acacia spp
    43. 43. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Objectivos principais: 1) Avaliar os impactes de Acacia longifolia a nível das redes-de-interação plantas-galhas e comunidades associadas | situação de referência 2) Analisar as redes-de-interação para avaliar: 1) efeitos indiretos do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae, antes da sua libertação |ferramenta preditiva 2) prever eficácia do agente controlo natural 3) Mapear distribuição de A. longifolia recorrendo a deteção remota |ferramenta útil para a gestão da espécie 4) Avaliar hipótese de usar deteção remota para monitorizar os efeitos de T. acaciaelongifoliae | intensidade de floração 5) (avaliar o estabelecimento de T. acaciaelongifoliae e a sua eficácia) 6) Aumentar participação do público na implementar um programa piloto de deteção (precoce) de espécies invasoras
    44. 44. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Metodologia Deteção de floração Monitorização Estimativa de nº flores Veículo Aéreo não tripulado (VANT)
    45. 45. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Pontos de controlo no terreno Aquisição de imagem por VANT: 8 áreas aprox. 64 ha cada
    46. 46. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • % de cobertura de flores/m2 • 60 a 90 amostras/imagem • 30 locais aleatoriamente pré-escolhidos Medição de parâmetros em campo:
    47. 47. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Grande variabilidade dentro de cada local | situações: Exemplo: dunas a sul da Tocha
    48. 48. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015  Exatidão global > 95 a 99% ; Coeficiente Kappa: 86 a 99% Deteção de floração Zona de dunas transversais a Norte da Tocha A. longifolia ao longo da duna
    49. 49. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Monitorização – como funcionará: • Trichilogaster acacialongifoliae diminui a intensidade de floração  no limite não existem flores detetáveis pelo VANT Dunas em pico de floração Pinhal pouco invadido em pico de floração Dunas fora do pico de floração Densidadedefloração/m2
    50. 50. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Baixas correlações campo vs. VANT Porquê? Quiaios | Estimativa do nº de flores Florescontadasemcampo(n.º) Cobertura de flores VANT (% m2)
    51. 51. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Baixas correlações campo vs. VANT Porquê? • Variabilidade de A. longifolia • Variabilidade de habitats • Flor coberta Quiaios | Estimativa do nº de flores Como espécie dominante Perto do oceanoSub-bosque de pinheiro
    52. 52. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Baixas correlações campo vs. VANT Porquê? • Variabilidade da A. longifolia • Variabilidade de habitats • Flor coberta • Câmara VANT não vê o mesmo que olho humano… • “irregularidades” aliadas ao voo Quiaios | Estimativa do nº de flores Florescontadasemcampo(n.º) Necessário melhorar a relação entre o medido em campo com o medido pelo VANT Cobertura de flores VANT (% m2)
    53. 53. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Quiaios | Estimativa do nº de flores • Mas é possível estimar o nº de flores apenas usando os dados de campo: Cobertura de flores em campo (% m2) Florescontadasemcampo(n.º)
    54. 54. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Monitorização – Vantagens e limitações • Limitações: • VANTs – Incapazes de detetar floração coberta • Dependente de condições meteorológicas • Áreas relativamente pequenas em comparação com outras plataformas • Vantagem: • Rápido e relativamente barato • Repetível • Áreas muito maiores relativas a trabalho de campo “normal” • Eficaz e altamente preciso nos picos da floração • Capaz de detectar A. longifolia em sub-coberto
    55. 55. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Objectivos principais: 1) Avaliar os impactes de Acacia longifolia a nível das redes-de-interação plantas-galhas e comunidades associadas | situação de referência 2) Analisar as redes-de-interação para avaliar: 1) efeitos indiretos do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae, antes da sua libertação |ferramenta preditiva 2) prever eficácia do agente controlo natural 3) Mapear distribuição de A. longifolia recorrendo a deteção remota |ferramenta útil para a gestão da espécie 4) Avaliar hipótese de usar deteção remota para monitorizar os efeitos de T. acaciaelongifoliae | intensidade de floração 5) (avaliar o estabelecimento de T. acaciaelongifoliae e a sua eficácia) 6) Aumentar participação do público (escolar) na implementação de um programa piloto de deteção (precoce) de plantas invasoras
    56. 56. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • 47 Sessões de sensibilização sobre plantas invasoras e/ ou controlo natural, das quais 12 para público escolar T5.Detecção, sensibilização e ciência-cidadã:
    57. 57. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • 47 Sessões de sensibilização sobre plantas invasoras e/ ou controlo natural, das quais 12 para público escolar • Desenvolvimento de novos perfis de espécies exóticas (invasoras.pt) • Inclusão de espécies exóticas ainda pouco frequentes em Portugal (detecção precoce) • Desenvolvimento de “ficha” para identificação do agente controlo natural T5.Detecção, sensibilização e ciência-cidadã:
    58. 58. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Dinamização do mapa de avistamentos em invasoras.pt • Site | App • Treino | ensino da identificação das espécies • 10 Workshops (±12 espécies) Detecção (precoce) e ciência-cidadã:
    59. 59. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Dinamização do mapa de avistamentos em invasoras.pt • Site | App • Treino | ensino da identificação das espécies • 10 Workshops (±12 espécies) • Guia plantas invasoras • Página internet • Facebook Detecção (precoce) e ciência-cidadã: Prémio do público no “European Science TV & New Media Festival and Awards” na categoria produção interactiva em novos media
    60. 60. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Detecção (precoce) e ciência-cidadã:
    61. 61. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Detecção (precoce) e ciência-cidadã: • Dinamização do mapa de avistamentos em invasoras.pt • Site | App • Treino | ensino da identificação das espécies • 10 Workshops (±12 espécies) • Guia plantas invasoras • Página internet • Facebook • 6659 registos validados no mapa
    62. 62. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Sensibilização e participação do público: • fundamental para prevenção e para detecção (precoce) de espécies invasoras • estratégica para acompanhar dispersão do agente de controlo natural | detecção de galhas • Não é fácil “comprometer” cidadãos (estudantes em particular) na participação activa e regular no registo de avistamentos, mas… • (+) acções com componente prática têm mais sucesso • (-) dificuldade na identificação das espécies é ponto-chave • Dados gerados pela plataforma de mapeamento úteis para ciência e gestão das espécies Algumas considerações:
    63. 63. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Acacia longifolia altera estrutura das redes-de-interacção entre plantas e comunidades de galhas  diminui abundância e diversidade de plantas, galhas, inquilinos e parasitóides • LandSat  útil para mapear A. longifolia; série temporal  identi- fica correctamente processos que influenciam expansão da espécie • VANT - eficaz e altamente preciso para detectar A. longifolia nos picos da floração  monitorização do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae • Sensibilização e participação do público: fundamental para prevenção e para detecção (precoce) de espécies invasoras, mas não é fácil fidelizar cidadãos Pontos chave a reter:
    64. 64. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Objectivos principais: 1) Avaliar os impactes de Acacia longifolia a nível das redes-de-interação plantas-galhas e comunidades associadas | situação de referência 2) Analisar as redes-de-interação para avaliar: 1) efeitos indiretos do agente de controlo natural, Trichilogaster acaciaelongifoliae, antes da sua libertação |ferramenta preditiva 2) prever eficácia do agente controlo natural 3) Mapear distribuição de A. longifolia recorrendo a deteção remota |ferramenta útil para a gestão da espécie 4) Avaliar hipótese de usar deteção remota para monitorizar os efeitos de T. acaciaelongifoliae | intensidade de floração 5) (avaliar o estabelecimento de T. acaciaelongifoliae e a sua eficácia) 6) Aumentar participação do público na implementar um programa piloto de deteção (precoce) de espécies invasoras
    65. 65. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Até já…
    66. 66. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Uso de uma espécie (específica para o hospedeiro) para controlar outra espécie que se tornou problemática;  a 1ª é considerada inimigo natural da 2ª Controlo natural
    67. 67. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Uso de uma espécie (específica para o hospedeiro) para controlar outra espécie que se tornou problemática;  a 1ª é considerada inimigo natural da 2ª Desvantagens: • introdução de uma espécie exótica • potenciais riscos para as espécies nativas/ não-alvo • risco do agente ser vector de parasitas/ parasitóides/ … • investimento elevado em investigação Controlo natural Tempo Densidadedapopulação densidade da invasora densidade do agente libertação do agente de controlo densidade desejável de nativas limite de danos
    68. 68. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Uso de uma espécie (específica para o hospedeiro) para controlar outra espécie que se tornou problemática;  a 1ª é considerada inimigo natural da 2ª Desvantagens: • introdução de uma espécie exótica • potenciais riscos para as espécies nativas/ não-alvo • risco do agente ser vector de parasitas/ parasitóides/ … • investimento elevado em investigação Controlo natural
    69. 69. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Controlo natural Vantagens: • Princípios e protocolos cientificamente credíveis • “Amigo do ambiente”, não poluidor • Pode afectar apenas a espécie-alvo (invasora) • Baixos custos a longo prazo - sustentável • “Ferramenta-chave” para a gestão das espécies invasoras globalmente (CBD; EPPO; European Strategy Invasive Alien Species) • Bom historial de segurança…
    70. 70. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Desde finais de 1800, > 400 agentes contra ca. 150 PLANTAS- alvo/ infestantes • Muitas plantas significativa ou permanentemente controladas • Algumas dessas plantas são invasoras em Portugal: • A. longifolia: Trichilogaster acaciaelongifoliae e Melanterius ventralis • Acacia dealbata: Melanterius maculatus • Hakea sericea: Carposina autologa… • Eichhornia crassipes: Neochetina eichhorniae … Controlo natural – no mundo
    71. 71. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • > 176 predadores/ parasitoides contra INSECTOS (Portugal) • Apenas 3 contra PLANTAS: • 2010. 1º| Reino Unido: Aphalara itadori para controlar Fallopia japonica • 2014. 2º | Reino Unido: fungo para controlar Impatiens glandulifera • 2015. 3º | Portugal: Trichilogaster acaciaelongifoliae para controlar Acacia longifolia Controlo natural – na Europa
    72. 72. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • > 176 predadores/ parasitoides contra INSECTOS (Portugal) • Apenas 3 contra PLANTAS: • 2010. 1º| Reino Unido: Aphalara itadori para controlar Fallopia japonica • 2014. 2º | Reino Unido: fungo para controlar Impatiens glandulifera • 2015. 3º | Portugal: Trichilogaster acaciaelongifoliae para controlar Acacia longifolia Controlo natural – na Europa
    73. 73. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • > 176 predadores/ parasitoides contra INSECTOS (Portugal) • Apenas 3 contra PLANTAS: • 2010. 1º| Reino Unido: Aphalara itadori para controlar Fallopia japonica • 2014. 2º | Reino Unido: fungo para controlar Impatiens glandulifera • 2015. 3º | Portugal: Trichilogaster acaciaelongifoliae para controlar Acacia longifolia Controlo natural – na Europa
    74. 74. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Trichilogaster acaciaelongifoliae 1mm [imagens à lupa]
    75. 75. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Trichilogaster acaciaelongifoliae 1mm [imagens à lupa]
    76. 76. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Libertado: 1982, África do Sul • Reduziu produção de sementes (85-100%) • Limitado por temperaturas muito baixas • Não afeta plantas não-alvo (galhas negligenciáveis em Acacia melanoxylon e Albizzia lophanta) • Parasitóides nativos • Referido como exemplo de sucesso de controlo natural T. acaciaelongifoliae – “cv de agente”
    77. 77. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Hymenoptera: Pteromalidae Australiano • insecto específico, formador de galhas • de dimensões muito reduzidas - ca. 3mm • ♀: partenogénica • ♀: oviposição em gemas florais (e vegetativas) • ciclo de vida anual - 362 dias dentro das galhas • ♀ emergem, procuram gemas florais, põem ovos e morrem Trichilogaster acaciaelongifoliae
    78. 78. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 • Hymenoptera: Pteromalidae Australiano • insecto específico, formador de galhas • de dimensões muito reduzidas - ca. 3mm • ♀: partenogénica • ♀: oviposição em gemas florais (e vegetativas) • ciclo de vida anual - 362 dias dentro das galhas • ♀ emergem, procuram gemas florais, põem ovos e morrem Trichilogaster acaciaelongifoliae
    79. 79. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Curto prazo: • Reduz produção sementes e taxa dispersão • Diminui adição de sementes ao banco-de-sementes Longo prazo: • Reduz germinação (pós-fogo / outra perturbação) • Galhas nas gemas vegetativas  redução da folhada; planta fica mais susceptível/ debilitada • condições de stress – podem morrer Trichilogaster acaciaelongifoliae
    80. 80. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Curto prazo: • Reduz produção sementes e taxa dispersão • Diminui adição de sementes ao banco-de-sementes Longo prazo: • Reduz germinação (pós-fogo / outra perturbação) • Galhas nas gemas vegetativas  redução da folhada; planta fica mais susceptível/ debilitada • condições de stress – podem morrer Trichilogaster acaciaelongifoliae
    81. 81. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Como foi o processo que levou à autorização de libertação?
    82. 82. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 2003. Pedido de autorização (ICN) 2004. Autorização para testes confinados 2005-2010. testes especificidade 2011-12. Pedido libertação: ICNF  DGAV 2013. Comité Fitossanitário Per. (CE), Estados Membros 2014-15. Análise de Risco - EFSA 2015. CFP OK; DGAV – ICNF OK 2015 -… Libertação >12 anos
    83. 83. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Resumindo… As vantagens do controlo natural de A. longifolia: • Método “amigo do ambiente” • Afecta apenas a planta-alvo (invasora) – específico • Baixos custos a longo prazo • Método sustentável • Relação custo-benefício muito favorável • África-do-Sul - reduziu a produção de sementes (> 85%) e atrasou o crescimento vegetativo • Diminuiu dispersão da A. longifolia e potencial de (re-) invasão
    84. 84. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Desmistificando: • Exótico. seguro; usado e estudado na África-do-Sul desde 1982 • Riscos para as espécies nativas/ não-alvo. negligenciável • Elevados investimentos em investigação. já seleccionado e estudado antes  investimento reduzido • Trichilogaster acaciaelongifoliae pode ser usado com segurança Controlo natural pode contribui para diminuir os impactes económicos e ecológicos de Acacia longifolia de forma sustentável e sem efeitos indesejáveis
    85. 85. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Novo projecto de continuidade… com mais inovação Futuro … www.invasoras.pt
    86. 86. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Ponderar o uso de outros agentes de controlo biológico para outras plantas invasoras em Portugal? - mimosa (Acacia dealbata) - austrália (Acacia melanoxylon) - háquea-picante (Hakea sericea) … O outro futuro..
    87. 87. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 OBRIGADA
    88. 88. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Agradecimentos INVADER-B: INVAsive plant species management in Portugal: from early DEtection to Remote sensing and Biocontrol of Acacia longifolia Equipa do projecto: Elizabete Marchante, Hélia Marchante, Francisco López Núñez, Nuno Sá, Paula Castro, Ruben Heleno, Sabrina Carvalho, Cristina Morais, Ana Torrinha, Sérgio Ribeiro. Com a colaboração de: Lurdes Barrico, António C. Gouveia, Catarina Schreck dos Reis, Daniela Basílio, Elisabete Almeida, Helena Freitas, Joaquim Santos, José Maia, Maria Abelho, Vitor Carvalho, etc. Obrigada! Mais informação: www.invasoras.pt | invader@uc.pt https://www.facebook.com/InvasorasPt
    89. 89. Seminário INVADER-B & Controlo Natural | Coimbra | 27 Novembro 2015 Questões?

    ×