Síndrome da rubéola congênita

4.442 visualizações

Publicada em

Breve apresentação sobre a Síndrome da Rubéola Congênita e sobre a vacina contra Rubéola

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
92
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • um togavírus (?), único membro do gênero Rubivirus erupções maculopapular (pontos de Forschheimer)
  • Síndrome da rubéola congênita

    1. 1. SIAT Síndrome da Rubéola Congênita & Vacina contra RubéolaPietro Baptista de AzevedoArthur Ludwig Paim 09/11/2007
    2. 2. Rubéola• Etiologia: vírus da Rubéola (RNA vírus)• Transmissão: inalação de gotículas respiratórias• Manifestações clínicas: – Doença leve ou assintomática (30%) – Linfadenopatia (cervical), erupções maculopapular (24-48 horas), enantema petequial no palato mole, coriza e conjuntivite
    3. 3. SRC Síndrome da Rubéola Congênita• Ocorre em 50% das infecções fetais por Rubéola• Quanto mais jovem o feto, mais grave a doença• Não há tratamento
    4. 4. Manifestações da SRC• Sinais/Sintomas Temporários (apenas ao nascimento) – Anormalidades ósseas – Cloudy córnea – Anemia hemolítica – Hepatite – Hepatoesplenomegalia – Icterícia – Baixo peso ao nascer – Linfadenopatia – Meningoencefalite – Pneumonia viral por Rubéola – Púrpura trombocitopênica
    5. 5. Manifestações da SRC• Sinais/Sintomas Permanentes (Desenvolvimentais) – Autismo – Disordens de comportamento – Doença cardíaca congênita (ducto arterioso patente, estenose pulmonar) – Criptorquidismo – Surdez – Doença cerebral degenerativa – Diabetes mellitus – Glaucoma – Hérnia inguinal – Retardo mental – Microcefalia – Miopia – Puberdade precoce – Retinopatia – Disordens tireoideanas
    6. 6. Vacina• Principais: MMR (tríplice viral) e RA 27/3 – Vírus vivo atenuado – Soroconversão: 98% – Reduz drasticamente o nº de infecções • EUA: – antes: 50.000 casos/ano (década de 1950) – Depois: 14 casos/ano (2002 – recorde histórico) – Vírus passa para o leite – Risco de infecção fetal – Risco teórico de SRC (1,3%)
    7. 7. Artigos• Prospective evaluation of pregnant women vaccinated agains rubella in southern Brazil(5)• Fetal risk associated with rubella vaccination during pregnancy(4)
    8. 8. Métodos• Pesquisa prospectiva de vacinação durante gravidez (desconhecida), em campanhas públicas de vacinação em massa• Avaliação – sorológica da mãe – clinica e sorologica do RN
    9. 9. Resultados• Nenhum caso de SRC foi associado com a vacina• Nº de malformações, natimortos e abortos espontâneos foi semelhante ao encontrado na população• Houve infecção fetal em menos de 7%
    10. 10. Conclusões• Ambos os estudos demonstraram evidências adicionais da FALTA de riscos associados a administração da vacina contra a rubéola durante a gestação• Vacinação inadvertida durante a gestação NÃO é indicação para o término da gestação• Administração na gestação reconhecida(?), risco é menor?
    11. 11. Referências Bibliográficas• 1. Cecil textbook of medicine. 22nd ed. Philadelphia: SAUNDERS, 2004.• 2. Harrisons principles of internal medicine. 16 th ed. New York: McGraw Hill, 2005.• 3. Current medical diagnosis & treatment : lange 2007. 46th ed. New York: Lange Medical Books/McGraw-Hill, 2007.• 4. Fetal Risk Associated With Rubella Vaccination During Pregnancy. Xiomara Badilla, Ana Morice, Maria L. Avila-Aguero, Elizabeth Saenz, Ilse Cerda, Susan Reef e Carlos Castillo-Solo´rzano• 5. Prospective evaluation of pregnant women vaccinatedagainst rubella in southern Brazil. Lenice Minussi, Renate Mohrdieck, Marilina Bercini, Tani Ranieri, Maria Teresa Vieira Sanseverino, Wakana Momino, Sidia Maria Callegari-Jacques e Lavínia Schüler-Faccini• 6. The meaning of the rubella vaccine for pregnant women. Lúcia Maria Tonzar Ristori Ozaki e Antonieta Keiko Kakuda Shimo• 7. Centers for Disease Control and Prevention Home Page (www.cdc.gov)

    ×