Apresentação sobre mudanças - Fatec 2015

87 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o tema "Motivação" feito na Fatec de Cotia - SP - em 11 de Novembro de 2015.

Publicada em: Recrutamento e RH
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
87
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação sobre mudanças - Fatec 2015

  1. 1. Motivação
  2. 2. Intenção, Motivação e Ação
  3. 3. PENSAR/SABER Processo de Decisão e Comunicação da Visão/Missão Motivação Intenção Ação SENTIR/QUERER Processo de Motivação AGIR/PODER Processo de Ação Resultados CONTEXTO (permissão)
  4. 4. Os gregos entendiam sua relação com a vida em quatro dimensões:
  5. 5. Kosmos – O Universo
  6. 6. Polis – A Sociedade
  7. 7. Oikos – A Família
  8. 8. Ethos – O Eu
  9. 9. A Divina Unidade (essência) Ethos
  10. 10. O Eu dos “Eus” Oikos
  11. 11. Polis Polis O Eu da Família
  12. 12. Eu da sociedade Kosmos
  13. 13. Gestão física  Ação  Expressão  Materialização
  14. 14. Gestão Psíquica Comportamento  Direção  Intensidade  Ritmo do movimento
  15. 15. Valor  Intensão  Desejo  Propósito Gestão Espiritual
  16. 16. Motivação: Conjunto de processos que dão ao comportamento uma intensidade, uma direção determinada e uma forma de desenvolvimento próprias da atividade individual. Dicionário: Houaiss Motivação:
  17. 17. Motivação: Em sua mais alta definição a motivação é uma força genuína, que tem como instrumento de propulsão o incentivo! Tal incentivo parte de um desejo.
  18. 18. O desejo pode ter um significado único ou conjunto. E ele é a força motriz que parte do espírito. Motivação:
  19. 19. Motivação: Podemos atribuir ao desejo. Aspiração, querer, vontade, expectativa de possuir ou alcançar algo, anelo, pretensão, propósito, ambição. Motivação:
  20. 20. Entendemos, então, que a motivação é um processo que tem como base o desejo, e o mesmo leva ao incentivo que propicia o motivo a ação. Motivação:
  21. 21. Posteriormente esta motivação irá conduzir a uma série de ações e comportamentos que tem como meta final atingir um objetivo. Após esse objetivo ser alcançado sua motivação é suprida. E daí renasce um novo ciclo para se concretizar algo original. Motivação:
  22. 22. Motivação: No entanto, os contextos são grandes influenciadores do desejo e da motivação. Muito disso porque a sua força motriz não provém do espírito e sim das expectativas externas. Motivação:
  23. 23. Motivação: Daí podemos notar que a motivação é ,em muitas vezes, confundida com ordem, coação, medo, submissão. O que na verdade, não são de forma alguma forças motivacionais.
  24. 24. Imagine um estudante que sempre sonhou em cursar engenharia. Ele teve um desejo, se motivou, criou um incentivo e realizou uma ação para ingressar na universidade de sua escolha. Sua motivação foi alcançada quando ele concluiu o seu objetivo. Pegamos o contexto da universidade e da carreira por exemplo: Motivação:
  25. 25. Motivação: Os estímulos dessa motivação vieram da vontade de melhorar o mundo, de criar coisas que pudessem ajudar ao próximo. O estudante, então, consente que a Universidade que tanto sonhou, é o lugar certo para concretizar esse sonho. Motivação:
  26. 26. No entanto, ao passo que começa experienciar o contexto da instituição, relacionando-se com o seu ambiente entra em um estado de confrontamento porque o campo de força onde ele está presente muda com toda e qualquer atitude de qualquer pessoa. Motivação:
  27. 27. A visão idealista, inicial e sólida começa, então, a se fragmentar, pois o estudante percebe que as pessoas às quais gostaria de se relacionar veem o mundo de uma forma inteiramente diferente da sua e isto o deixa perplexo e inseguro quanto a sua ideia original. Motivação:
  28. 28. Começam a notar uma forte influência de sistemas de crenças e padrões de comportamentos a sua volta. Conforme os anos de estudos vão avançando, o estudante inicia um estado de complacência e conformismo e começa a ser mais automatizado em suas decisões. Motivação:
  29. 29. O ímpeto que tinha anteriormente virou um estado de consciência efêmero, algo intuído até como fantasioso. Motivação:
  30. 30. E agora vem a pergunta o que devo aprender com isso? Motivação:
  31. 31. PENSAR/SABER Processo de Decisão e Comunicação da Visão/Missão Motivação Intenção Ação SENTIR/QUERER Processo de Motivação AGIR/PODER Processo de Ação Resultados CONTEXTO (permissão)
  32. 32. Grato!!!
  33. 33. Site – www.picarelliassociados.com BLOG –www.picarelliassociados.com/blog Facebook – www.facebook.com/picarelliassociados Linkedin – www.linkedin.com/company/picarelli-consultores-associados

×