Matheus Novy | Pedro Quintero | Vitor Brandão
MATHEUS NOVY | PEDRO QUINTERO | VITOR BRANDÃO
sinopse
O filme cria suas imagens e sons a partir de uma história trágica: dois homens negros, moradores da
maior periferi...
PERIFERIA
POBRE - PRETO - DEFICIENTE FÍSICO
Adirley Queirós
Favela Potente
O não representante que nos
representou no cinema.
(https://favelapotente.wordpress.com/201...
Favela Potente
Somos um grupo de pessoas preocupadas em promover a cultura e a força
produtiva que há nas favelas brasilei...
Brando Sai, Preto Fica
Brando Sai, Preto Fica
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Brando Sai, Preto Fica

165 visualizações

Publicada em

Slides a respeito do filme Branco Sai, Preto Fica e do trabalho do diretor Adirley Queiróz.

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
37
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brando Sai, Preto Fica

  1. 1. Matheus Novy | Pedro Quintero | Vitor Brandão MATHEUS NOVY | PEDRO QUINTERO | VITOR BRANDÃO
  2. 2. sinopse O filme cria suas imagens e sons a partir de uma história trágica: dois homens negros, moradores da maior periferia de Brasília, ficam marcados graças à ação criminosa de uma polícia racista e territorialista da Capital Federal. Mas esses homens não se sentem confortados em contar a história de maneira direta e jornalística. Eles querem fabular, querem outras possibilidades de narrar o passado, abrindo para um presente cheio de aventuras e ressignificações, propondo um futuro.
  3. 3. PERIFERIA POBRE - PRETO - DEFICIENTE FÍSICO
  4. 4. Adirley Queirós Favela Potente O não representante que nos representou no cinema. (https://favelapotente.wordpress.com/2014/11/21/adirley-queiroz-o-nao- representante-que-representou-ceilandia-no-cinema/) “Eu vou estabelecer o diálogo entre o centro e a periferia. Isso é horrível, cara. Esse é o papel mais mesquinho que existe, eu já passei por ele em alguns momentos e não percebo às vezes. Esse é um perigo pra mim. Algumas pessoas já me acusam muitas vezes disso e elas têm razão, porque o papel que eu ocupo, às vezes, de ter obrigação de responder a tudo, é ser codificador. E o codificador é perverso também. Eu não quero ser representante de porra nenhuma, não aceito esse lugar. Não quero mesmo. E se for pra ser isso eu prefiro largar tudo”,
  5. 5. Favela Potente Somos um grupo de pessoas preocupadas em promover a cultura e a força produtiva que há nas favelas brasileiras. Aceitamos textos de qualquer pessoa disposta a colaborar com a nossa proposta: de promover as produções que abordem de maneira positiva o que tem sido feito, pensado, debatido, discutido, desenvolvido nas quebradas ou por pessoas que de lá vieram.

×