Poríferos

1.598 visualizações

Publicada em

Aula sobre os Poríferos.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poríferos

  1. 1. Poríferos Pedro Henrique Queiroz
  2. 2. Características Gerais • Porifera = possuidor de poros ( 5 a 10 mil spp). • Primeiros organismos do reino animal, porém parazoários. • Habitat aquático, na maioria marinho e fixos a substratos. • Nutrição por meio da filtração da água ao redor com digestão intracelular por meio das células especiais chamadas de coanócitos.
  3. 3. Classes de Poríferos • Classificadas através dos elementos esqueléticos. Podem ser compostas por fibras protéicas ou espículas minerais de carbonato de cálcio ( CaCO3) ou de sílica (H2Si07). • Classe Demospongiae, Calcarea e Hexactinellida.
  4. 4. • Desmospongiae (do grego demos, povo + spongos, esponja) inclui a maior variedade das esponjas modernas. Diferenciam-se por possuírem um esqueleto de fibras de espongina, uma substância exclusiva destes animais. A Espongina é muito usada para a fabricação de esponjas sintéticas e não produz as espículas. Estas formam o rígido esqueleto das esponjas (Filo Porífera), assim como fornecem proteção contra predadores. • Calcarea (do latim calcis, calcário) é uma classe de esponjas que se distingue dos outros poríferos pelos seus indivíduos serem constituídos por espículas calcárias de calcite (carbonato de cálcio). Existem esponjas calcáreas por todos os oceanos do mundo, a maioria restrita a águas costeiras relativamente rasas. Há cerca de 150 espécies de esponjas calcárias. • Hexactinellida (do grego hex, seis + aktis, raio; e do latim -ellus, sufixo diminutivo) é uma classe) caracterizada por possuir um esqueleto de espículas de sílica, e são comumente chamadas de esponjas-de-vidro. Existem esponjas-de-vidro no mundo inteiro e são os poríferos predominantes da Antártida. Ao contrário das esponjas calcáreas que são de águas rasas, são encontradas em águas profundas, a maioria vivendo entre 200 e 1.000m, já tendo sido dragadas inclusive de zonas abissais.
  5. 5. Anatomia e Fisiologia • Organização apenas em tecidos não especializados. • Pinacócitos revestem a parte externa; • Porócito são células dotadas de um poro que atravessa de lado a lado.
  6. 6. • Coanócitos são células flageladas, em forma de colarinho, que revestem o átrio da esponja. É o movimento dos flagelos que cria a corrente que circula através do corpo. • Amebócitos estão localizadas entre as camadas de pinacócitos e coanócitos. Originam todo o tipo de célula das esponjas. Responsável pelo crescimento e regeneração.
  7. 7. Reprodução • As espécies podem ser monóicas ou dióicas. • Assexuada: - fragmentação, graças a sua elevada capacidade regenerativa; - brotamento ( figura), formando expansões na superfície da esponja - mãe; - gemulação, criando um pequeno aglomerado de amebócitos, abrigados em um envoltório resistente que contém espículas.
  8. 8. • Sexuada: Espermatozóides liberados na água, enquanto os óvulos ficam presos à parede do corpo da esponja. Após a fecundação há uma multiplicação das células produzindo uma bola de células flageladas que forma uma larva, a anfiblástula. A larva anfiblástula é li- berada pelo ósculo e após se fixa em um sub- strato que origina uma nova esponja.

×