Ministério deMinas e EnergiaJosé Carlos de Miranda FariasDiretor de Estudos de Energia Elétrica – EPERecife, 18 de abril d...
2Objetivos• preservar o interesse nacional• promover o desenvolvimento, ampliar o mercado detrabalho e valorizar os recurs...
iretoria de Estudos de Energia ElétricaChristiana Sciaudone – Recharge News 18/11/2011Energia Eólica transforma sudoeste d...
4Objetivos• preservar o interesse nacional• promover o desenvolvimento, ampliar o mercado detrabalho e valorizar os recurs...
164.80160.48 159.89 159.65144.72133.12121.88114.02108.93171.58174.58 175.31172.90161.99146.28143.33143.33 143.33175.53171....
Plano Decenal de Energia – PDE 2021Evolução da capacidade instalada por fonte de geração (GW e %)Total = 144 GWFONTE: EPE ...
7Objetivos• preservar o interesse nacional• promover o desenvolvimento, ampliar o mercado detrabalho e valorizar os recurs...
8POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de e...
Sistemas Isolados e Programa Luz para TodosRegulamentação• Lei 12.111 de 2009• Decreto 7246 de 2010• Portaria MME nº 600 d...
• CELPA – Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre- Projeto de Referência habilitado pela EPE;- Município: Porto de ...
Projetos de Referência – Luz para Todos• Diagrama Unifilar de um Sistema Individual (SIGFI)Fonte: Projeto de Referência – ...
• Miniusina com minirrede associada (MIGDI)Fonte: Projeto de Referência – CELPA Resex Verde para Sempre(Modificado) max 39...
• CELPA – Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre- Projeto de Referência habilitado pela EPE;- Município: Porto de ...
• CELPA – Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre- Projeto de Referência habilitado pela EPE;- Município: Porto de ...
• Eletrobras Amazonas Energia- 95 Sistemas em Barcelos e Carauari- Projeto de Referência em análise pela EPE;- Municípios:...
Fonte: German Solar Industry Association - BSW-Solar PV Price index 8/2011Na Alemanha, em agosto de 2011, o preço de siste...
17POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de ...
Leilões Compra de Energia de Novos EmpreendimentosAA-1A-2A-3A-4A-5Compra em “A-3” limitada a2% da carga de “A-5”Leilões de...
LEILÕESCONCRETIZADASEMPREENDIMENTOSCONTRATADOSCAPACIDADE(MW)ENERGIA MÉDIA(MWm)INVESTIMENTO(R$ bilhões)23 490 60.892 24.946...
LEILÕESCONCRETIZADASEXTENSÃO(km)INVESTIMENTO(R$ bilhões) (*)24 51.000 32Fonte: ANEELProjetos De Transmissão De Energia Elé...
21POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de ...
Projetos De Geração De Energia ElétricaGrande Interesse Dos InvestidoresTIPOPOTÊNCIA TOTALEMPREENDIMENTOSPARTICIPANTES(MW)...
VestasFuhrlanderWobben WindpowerAeris EnergySuzlonTecnomaqWobben WindpowerIMPSARM PernambucanaEoliceGamesaAlstomAccionaTor...
24POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de ...
208 218 385 5731,013 1,200 1,288 1,288 1,288 1,288 1,2882301,806 1,806 1,806 1,806 1,806528 528 528 5281,520 1,520 1,520 1...
Ministério deMinas e EnergiaFimmiranda.farias@epe.gov.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Empresa de Pesquisa Energética - José Carlos Miranda - Sinergia entre as políticas Industriais e Energéticas

669 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
669
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
70
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Empresa de Pesquisa Energética - José Carlos Miranda - Sinergia entre as políticas Industriais e Energéticas

  1. 1. Ministério deMinas e EnergiaJosé Carlos de Miranda FariasDiretor de Estudos de Energia Elétrica – EPERecife, 18 de abril de 2013Sinergia entre as PolíticasIndustrial e Energética2ª Conferência Internacional deEnergia Renovável dePernambuco
  2. 2. 2Objetivos• preservar o interesse nacional• promover o desenvolvimento, ampliar o mercado detrabalho e valorizar os recursos energéticos• proteger os interesses do consumidor quanto apreço, qualidade e oferta dos produtos• proteger o meio ambiente e promover a conservaçãode energia• garantir o fornecimento de derivados de petróleo emtodo o território nacionalPOLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)
  3. 3. iretoria de Estudos de Energia ElétricaChristiana Sciaudone – Recharge News 18/11/2011Energia Eólica transforma sudoeste da BahiaCharles Fernandes, prefeito de Guanambi, conta como foi a chegadada Renova: "A partir de 2007, a economia da cidade tomou um novorumo, com a proposta da energia eólica", explica. ...Mas para que a cidade pudesse aproveitar na totalidade osbenefícios da cadeia industrial eólica, foi necessário que a prefeiturainvestisse na realização de cursos profissionalizantes paraqualificação de operários dos canteiros de obras, como pedreiros etratoristas. ...Quem também iria se transformar em personagens da chegada daenergia eólica no sudoeste baiano seriam pessoas como TerezinhaCosta, uma guanambiense de 45 anos que vivia da plantação depalma ou Leôncio Carvalho, que criava gado e plantava milho efeijão.Dona Terezinha e seu Leôncio eram donos de terras sem valoreconômico algum, mas que davam acesso a área de lay-down dosparques, que é aonde se implantam as torres. Com o arrendamentodessas terras, os proprietários recebem em torno de R$ 5.500 porano por aerogerador que fica nos seus terrenos. O pagamento é feitomensalmente, por meio de depósito bancário, feito desde janeiro de2011, início das obras.Pedro Aurélio Teixeira, da Agência CanalEnergia, de Guanambi (BA)20/04/2012Energia Eólica - Impactos
  4. 4. 4Objetivos• preservar o interesse nacional• promover o desenvolvimento, ampliar o mercado detrabalho e valorizar os recursos energéticos• proteger os interesses do consumidor quanto apreço, qualidade e oferta dos produtos• proteger o meio ambiente e promover a conservaçãode energia• garantir o fornecimento de derivados de petróleo emtodo o território nacionalPOLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)
  5. 5. 164.80160.48 159.89 159.65144.72133.12121.88114.02108.93171.58174.58 175.31172.90161.99146.28143.33143.33 143.33175.53171.82 168.59166.80168.34164.77 163.21 163.58 163.58171.18168.54 166.86 165.64161.44152.36145.88142.46138.41100.00110.00120.00130.00140.00150.00160.00170.00180.002009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017PreçoMédioAnualdeContratação[R$/MWh]HIDRÁULICA ALTERNATIVAS RENOVÁVEIS FÓSSIL MÉDIOConsidera “Energia Botox”Fonte: EPEObs.: Valores referentes a dezembro de 2011Os Leilões De Energia Nova 2005-2011PREÇOS MÉDIOS DE CONTRATAÇÃO
  6. 6. Plano Decenal de Energia – PDE 2021Evolução da capacidade instalada por fonte de geração (GW e %)Total = 144 GWFONTE: EPE (PDE 2021)HIDRO84 GW72%NUCLEAR2 GW2%UTE17 GW14%PCH5 GW4%BIO8 GW7%EOL1 GW1%Participação das Fontes de GeraçãoDezembro/2011HIDRO94 GW65%NUCLEAR2 GW1%UTE25 GW17%PCH5 GW4%BIO10 GW7%EOL8 GW6%Participação das Fontes de GeraçãoDezembro/2015HIDRO117 GW64%NUCLEAR3 GW2%UTE26 GW14%PCH7 GW4%BIO13 GW7%EOL16 GW9%Participação das Fontes de GeraçãoDezembro/2021Total = 117 GW Total = 182 GWParticipação de Fontes Renováveis 84%2011 2015 2021
  7. 7. 7Objetivos• preservar o interesse nacional• promover o desenvolvimento, ampliar o mercado detrabalho e valorizar os recursos energéticos• proteger os interesses do consumidor quanto apreço, qualidade e oferta dos produtos• proteger o meio ambiente e promover a conservaçãode energia• garantir o fornecimento de derivados de petróleo emtodo o território nacionalPOLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)
  8. 8. 8POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de energia elétrica nas diversas regiõesdo país• utilizar fontes alternativas de energia, mediante oaproveitamento econômico dos insumos disponíveise das tecnologias aplicáveis• promover a livre concorrência• atrair investimentos na produção de energia• ampliar a competitividade do País no mercadointernacionalPOLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)
  9. 9. Sistemas Isolados e Programa Luz para TodosRegulamentação• Lei 12.111 de 2009• Decreto 7246 de 2010• Portaria MME nº 600 de 2010• Portaria MME nº 493 de 2011
  10. 10. • CELPA – Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre- Projeto de Referência habilitado pela EPE;- Município: Porto de Moz - Pará;- 11 MIGDIs¹ (miniusinas) e 1.202 SIGFIs² (sistemas individuais);- 1.422 Unidades consumidoras;- Potência Instalada Total: 670,70 kWp;- Investimento Estimado: R$ 23,6 Milhões;- Maiores Informações: http://www.celpa.com.br/sobre-a-celpa/pesquisas-e-desenvolvimento/1 – MIGDI: Microssistema isolado de geração e distribuição de energia elétrica2 – SIGFI: sistema individual de geração de energia elétrica com fonte intermitenteProjetos de Referência – Luz para Todos
  11. 11. Projetos de Referência – Luz para Todos• Diagrama Unifilar de um Sistema Individual (SIGFI)Fonte: Projeto de Referência – CELPA Resex Verde para Sempre(Modificado) (500Wpico)
  12. 12. • Miniusina com minirrede associada (MIGDI)Fonte: Projeto de Referência – CELPA Resex Verde para Sempre(Modificado) max 39 kW pico de painéis (275Wpico por painel)Projetos de Referência – Luz para Todos
  13. 13. • CELPA – Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre- Projeto de Referência habilitado pela EPE;- Município: Porto de Moz - Pará;- 11 MIGDIs¹ (miniusinas) e 1.202 SIGFIs² (sistemas individuais);- 1.422 Unidades consumidoras;- Potência Instalada Total: 670,70 kWp;- Investimento Estimado: R$ 23,6 Milhões;- Maiores Informações: http://www.celpa.com.br/sobre-a-celpa/pesquisas-e-desenvolvimento/1 – MIGDI: Microssistema isolado de geração e distribuição de energia elétrica2 – SIGFI: sistema individual de geração de energia elétrica com fonte intermitenteProjetos de Referência – Luz para Todos
  14. 14. • CELPA – Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre- Projeto de Referência habilitado pela EPE;- Município: Porto de Moz - Pará;- 11 MIGDIs¹ (miniusinas) e 1.202 SIGFIs² (sistemas individuais);- 1.422 Unidades consumidoras;- Potência Instalada Total: 670,70 kWp;- Investimento Estimado: R$ 23,6 Milhões;- Maiores Informações: http://www.celpa.com.br/sobre-a-celpa/pesquisas-e-desenvolvimento/1 – MIGDI: Microssistema isolado de geração e distribuição de energia elétrica2 – SIGFI: sistema individual de geração de energia elétrica com fonte intermitenteProjetos de Referência – Luz para Todos
  15. 15. • Eletrobras Amazonas Energia- 95 Sistemas em Barcelos e Carauari- Projeto de Referência em análise pela EPE;- Municípios: Barcelos e Carauari – Amazonas;- 71 MIGDIs (miniusinas) e 24 conjuntos de SIGFIs (sistemasindividuais);- 1.230 Unidades consumidoras.• Eletrobras Distribuição Acre– 1.033 SIGFIs na bacia do rio Tarauacá- Projeto de Referência em análise pela EPE;- Municípios: Tarauacá e Jordão – Acre;- 1.033 SIGFIs (sistemas individuais);- 1.033 Unidades Consumidoras.Projetos em análiseProjetos de Referência – Luz para Todos
  16. 16. Fonte: German Solar Industry Association - BSW-Solar PV Price index 8/2011Na Alemanha, em agosto de 2011, o preço de sistemas fotovoltaicos de até 100 kWp instalados em telhadosreduziu-se a 2.200 € /kWp, excluídos impostos. Em 2008 este valor era de 4.250 € /kWpA ENERGIA SOLAR NO MUNDOPREÇOS DE SISTEMAS COMPLETOS
  17. 17. 17POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de energia elétrica nas diversas regiõesdo país• utilizar fontes alternativas de energia, mediante oaproveitamento econômico dos insumos disponíveise das tecnologias aplicáveis• promover a livre concorrência• atrair investimentos na produção de energia• ampliar a competitividade do País no mercadointernacionalPOLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)
  18. 18. Leilões Compra de Energia de Novos EmpreendimentosAA-1A-2A-3A-4A-5Compra em “A-3” limitada a2% da carga de “A-5”Leilões de “A-5” e de “A-3”contratos com prazo de 15 a 35 anosUSINA HIDRELÉTRICAXINGO AL/SELei 10.848 de 2004Mucuripe - CEExpansão do Parque de Geração
  19. 19. LEILÕESCONCRETIZADASEMPREENDIMENTOSCONTRATADOSCAPACIDADE(MW)ENERGIA MÉDIA(MWm)INVESTIMENTO(R$ bilhões)23 490 60.892 24.946 230Não considera as usinas com outorga revogadaProjetos De Geração De Energia ElétricaGrande Interesse Dos InvestidoresRESULTADO CONSOLIDADO DOS LEILÕES DE ENERGIA NOVA2005 A 2012Fonte: EPE
  20. 20. LEILÕESCONCRETIZADASEXTENSÃO(km)INVESTIMENTO(R$ bilhões) (*)24 51.000 32Fonte: ANEELProjetos De Transmissão De Energia ElétricaGrande Interesse Dos Investidores(*) Valor correnteRESULTADO CONSOLIDADO DOS LEILÕES2000 A 2012
  21. 21. 21POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de energia elétrica nas diversas regiõesdo país• utilizar fontes alternativas de energia, mediante oaproveitamento econômico dos insumos disponíveise das tecnologias aplicáveis• promover a livre concorrência• atrair investimentos na produção de energia• ampliar a competitividade do País no mercadointernacionalPOLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)
  22. 22. Projetos De Geração De Energia ElétricaGrande Interesse Dos InvestidoresTIPOPOTÊNCIA TOTALEMPREENDIMENTOSPARTICIPANTES(MW)APORTES DE GARANTIA FINANCEIRANÚMERO DEPARTICIPANTESAPORTES(R$ milhões)EÓLICA 6.714 264 234UHE 988 5 164PCH 50 4 1BIOMASSA 300 2 10GÁS 368 2 11TOTAL 8.420 277 420LEILÃO DE DEZEMBRO DE 2012 (PÓS MP 579)
  23. 23. VestasFuhrlanderWobben WindpowerAeris EnergySuzlonTecnomaqWobben WindpowerIMPSARM PernambucanaEoliceGamesaAlstomAccionaTorresbrásAeris EnergyFundição BrasilTecsisWobben WindpowerSiemensGE WindS.A.W.E./EngebasaFundição BrasilWobben Windpower/WOEBCKIntecnialImpsaWEGROMIVöithMorenoAerogerador – construçãoAerogerador – operaçãoAerogerador – planejadoTorre – construçãoTorre – operaçãoPás – construçãoPás – operaçãoPás – planejadoFundiçãoSinovel (Office)Indústria Eólica no BrasilFONTE
  24. 24. 24POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)Objetivos• identificar as soluções mais adequadas para osuprimento de energia elétrica nas diversas regiõesdo país• utilizar fontes alternativas de energia, mediante oaproveitamento econômico dos insumos disponíveise das tecnologias aplicáveis• promover a livre concorrência• atrair investimentos na produção de energia• ampliar a competitividade do País no mercadointernacionalPOLÍTICA ENERGÉTICA NACIONALLei 9.478/97 (art. 1º)
  25. 25. 208 218 385 5731,013 1,200 1,288 1,288 1,288 1,288 1,2882301,806 1,806 1,806 1,806 1,806528 528 528 5281,520 1,520 1,520 1,5201,067 1,067 1,067861 861 86197722 23 29237 2474146021,0401,4713,1355,1837,111 7,1118,08801,0002,0003,0004,0005,0006,0007,0008,0009,0002003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016CapacidadeInstalada[MW]13º LEN 4º LER 12º LEN 3º LER 2º LFA 2º LER PROINFA EXTRA LEILÕES E PROINFAFonte: EPEPREÇO MÉDIOR$/MWhProinfa2005306,41Leilão2009169,08Leilões2010148,15135,54Leilões2011102,97102,93106,182005 2009 2010 2011Obs.: Valores referentes a março de 2012Crescimento Médio Anual (PROINFA)215 MW/anoCrescimento Médio Anual (LEILÕES)1.988 MW/anoPrevisão de mais contratações nosLeilões A-3 de 2012 e 2013A Evolução da Capacidade e do Preço Médio deContratação da Energia EólicaPreço100 R$/MWh51 US $/MWh
  26. 26. Ministério deMinas e EnergiaFimmiranda.farias@epe.gov.br

×