Cap. II – A seleção dos diretores da escola pública: da indicação política à eleição direta - Almeida<br />Trabalho desenv...
<ul><li>O autor nesse capítulo se propôs a compreender o contexto histórico do processo de escolha dos diretores de escola...
<ul><li>Segundo Almeida, há duas direções que podem ser tomadas em relação à consideração da forma do trabalho educativo e...
Segundo ele, esse tipo de seleção de diretor, por meio de indicação estava de certa forma relacionado a uma concepção de g...
<ul><li>Os autores utilizados como discussão teórica, chegaram as seguintes conclusões com suas pesquisas, no que se refer...
“O processo eletivo para escolha do diretor, apesar do caráter democrático e do movimento pela redemocratização do país a ...
<ul><li>A eleição para escolha de diretores no Estado do Paraná aconteceu da seguinte forma:</li></li></ul><li>Almeida (20...
<ul><li> O autor descreve cronologicamente como aconteceu o processo de escolha dos diretores da escola pública no Paraná,...
<ul><li> A partir das constatações feitas, Almeida (2004) salienta que é necessário debater e compreender qual gestão demo...
 Baseando em vários autores (Coutinho, Ciavatta, Azevedo, Oliveira, Weffort) para discutir os termos democracia, gestão de...
<ul><li> Almeida (2004) finaliza seu segundo capítulo considerando que o processo de escolha do diretor escolar, com um vi...
 Salienta ainda que nesse sentido, a gestão escolar democrática estaria vinculada a uma competência do diretor escolar e n...
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública

733 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Almeida - Cap II - A seleção dos diretores da escola pública

  1. 1. Cap. II – A seleção dos diretores da escola pública: da indicação política à eleição direta - Almeida<br />Trabalho desenvolvido na disciplina Estudos em Gestão Educacional, sob orientação do Prof. Dr. Paulo Gomes Lima<br />Dourados-MS<br />2011<br />
  2. 2. <ul><li>O autor nesse capítulo se propôs a compreender o contexto histórico do processo de escolha dos diretores de escola pública do Brasil e do estado do Paraná. Para isso, ele compreende que essa seleção é um processo que se explica pela análise de três dimensões, entendendo-as emergidas numa lógica histórica. Essas dimensões são:</li></li></ul><li><ul><li> Elencou como sendo relevante: discutir a compreensão das modalidades de escolha de diretores das escolas públicas e as implicações do trabalho educativo nesse processo. Para essa discussão, ela se pauta em três autores, na primeira e segunda parte do texto, que consideram o processo de seleção dos diretores, a partir de uma perspectiva histórica, quais sejam:</li></li></ul><li><ul><li> Elenca três condições históricas para sua discussão teórica, que são:</li></li></ul><li><ul><li> Na 3ª e 4ª parte, além dos dois autores como suporte teórico, subsidia-se em outros autores também, abordando sobre a eleição de diretores e a transição democrática no caso paranaense, analisando os avanços e conquistas dos professores a partir da década de 80, levando a:</li></ul>-> Ao final, realiza algumas considerações e reflexões acerca do papel da democracia na gestão escolar, sendo utilizada como pressuposto e princípio político, e para abarcar isso, ele se propõe a discutir:<br />
  3. 3. <ul><li>Segundo Almeida, há duas direções que podem ser tomadas em relação à consideração da forma do trabalho educativo e a compreensão da gestão escolar, são elas:</li></li></ul><li>“A concepção de gestão escolar que toma a natureza do trabalho educativo como expressão não-material, entende que a lógica da reprodução ampliada do capital pode ser negada enquanto essência da organização do trabalho educativo” (ALMEIDA, 2004, p. 81).<br /><ul><li> Ele afirma que a opção pela gestão democrática da escola pressupõe:</li></li></ul><li>O Estado tem um papel fundamental no período compreendido entre a década de 70 e os anos 2001, em que o autor, como já foi explicitado, se subsidiou em três autores para contextualizar sobre o processo de seleção de diretores das escolas públicas paranaenses. Desse modo, ele afirma que: <br />
  4. 4. Segundo ele, esse tipo de seleção de diretor, por meio de indicação estava de certa forma relacionado a uma concepção de gestão escolar burocratizado, envolvendo mecanismos no jogo de poder e da barganha política.<br /><ul><li>Deste modo, a direção escolar não era apenas um cargo político-partidário, mas uma função política central, que era não permitir a efetivação de um projeto político-educativo das classes subalternas. Neste sentido, a administração escolar é caracterizada como:</li></li></ul><li>“Restringe-se dessa forma a possibilidade de gestão democrática, pois dominava a lógica da despolitização, esvaziando-se a compreensão do que se faz na própria escola, do ponto de vista e da perspectiva histórica do trabalho educativo “(ALMEIDA, 2004, p. 87).<br />
  5. 5. <ul><li>Os autores utilizados como discussão teórica, chegaram as seguintes conclusões com suas pesquisas, no que se refere as modalidades de escolha de diretores escolares:</li></li></ul><li>
  6. 6.
  7. 7. “O processo eletivo para escolha do diretor, apesar do caráter democrático e do movimento pela redemocratização do país a partir da década de 80, esteve sob a pressão clientelista” (ALMEIDA, 2004, p. 115).<br />Com isso, o autor ressalta que:<br />
  8. 8. <ul><li>A eleição para escolha de diretores no Estado do Paraná aconteceu da seguinte forma:</li></li></ul><li>Almeida (2004) afirma que perdeu-se os avanços conquistados na década de 80, a afirmação de uma concepção de gestão escolar democrática a partir do processo seletivo de 1991 sofreu um revés, uma inflexão.<br />
  9. 9. <ul><li> O autor descreve cronologicamente como aconteceu o processo de escolha dos diretores da escola pública no Paraná, no qual segue infracitado:</li></li></ul><li>
  10. 10. <ul><li> A partir das constatações feitas, Almeida (2004) salienta que é necessário debater e compreender qual gestão democrática está presente nesse processo. Qual concepção de democracia tal processo aponta ou deveria apontar.
  11. 11. Baseando em vários autores (Coutinho, Ciavatta, Azevedo, Oliveira, Weffort) para discutir os termos democracia, gestão democrática, participação e democratização do Estado. Com isso, ele chega a algumas considerações, sendo elas:</li></li></ul><li>-> Almeida retrata que a discussão feita acerca da democracia na gestão escolar, há duas perspectivas defendidas pelos autores citados anteriormente, quais sejam:<br />
  12. 12. <ul><li> Almeida (2004) finaliza seu segundo capítulo considerando que o processo de escolha do diretor escolar, com um viés na concepção de gerência empresarial, deve por exemplo, ter como pressuposto a competência técnica do candidato a diretor escolar.
  13. 13. Salienta ainda que nesse sentido, a gestão escolar democrática estaria vinculada a uma competência do diretor escolar e não ao processo político e social ao qual a escola pública historicamente.</li>

×