Falando de Carne SuFalando de Carne Suíína: Umana: Uma
Visão do Mercado Nacional eVisão do Mercado Nacional e
Internaciona...
d:My DocumentsConferênciasNegócios & Tendências na Pecuária de CorteProdução de Carnes por espécies 1948-2007.xls
Em 1979 ...
d:My DocumentsConferênciasNegócios & Tendências na Pecuária de CorteProdução de Carnes por espécies 1948-2007.xls
Cresce a...
E muda a preferência por espE muda a preferência por espééciescies
d:My DocumentsConferênciasNegócios & Tendências na Pecu...
A carne de Aves apresenta o maiorA carne de Aves apresenta o maior ííndice de crescimento entre todas asndice de crescimen...
Vejam que a carne suína é a menos comercializada internacionalmente
CarnesCarnes -- participaparticipaçção no mercado inte...
CarnesCarnes -- participaparticipaçção no mercado internacionalão no mercado internacional
Crescimento agregado em relaCre...
A participaA participaçção brasileira na produão brasileira na produçção mundial de carnesão mundial de carnes
d:My Docume...
A participaA participaçção brasileira na exportaão brasileira na exportaçção mundial de carnesão mundial de carnes
d:My Do...
Menor presenMenor presençça da carne sua da carne suíína na dieta do brasileiro.na na dieta do brasileiro.
d:DadosPaisesBr...
A nA níível mundial seguirvel mundial seguiráá a expansão de renda. No Brasil, as taxas seguirãoa expansão de renda. No Br...
Pop. 14.726.059
2004 2005
R$ 7.333 R$ 7.476
Rendimento médio anual
Pop. 51.065.275
Pop. 13.040.246
2004 2005
R$ 10.520 R$ ...
Fatores que contribuFatores que contribuííramram àà expansão da carne de frangoexpansão da carne de frango
PrePreççoo
Vers...
Em 2006, a média do consumo mundial de carne suína deverá ser de 16,4 kg/hab,
sendo de 29,5 kg/hab nos países desenvolvido...
Brasil - suinocultura brasileira na dependência das exportações para seu
crescimento nos últimos anos.
d:My DocumentsDados...
Mercado ExternoMercado Externo –– Carne SuCarne Suíínana –– Brasil não pode exportar para aBrasil não pode exportar para a...
Brasil não pode exportar para países que representam 55% das importações
mundiais
O que nos podemos concluir dos slides anteriores?O que nos podemos concluir dos slides anteriores?
O futuro da exportaO fu...
O que nos podemos concluir dos slides anteriores?O que nos podemos concluir dos slides anteriores?
O mercado internacional...
Exportar para o Japão deveria ser a maior prioridade
para a suinocultura brasileira
Exportar para o Japão. Vivi esta exper...
Qualidade comeQualidade começça no comea no começço.o.
Não se pode usar inputs de segunda e esperar produtosNão se pode us...
Sobrevivência atravSobrevivência atravéés da Qualidades da Qualidade
Não existe o conceito de mais ou menos ou de 99,9%Não existe o conceito de mais ou menos ou de 99,9%
certo em uma cultura ...
Os preOs preçços mundiais de carnes deverão permanecer em recuperaos mundiais de carnes deverão permanecer em recuperaçção...
Mui lamentavelmente aMui lamentavelmente a ““superalojitesuperalojite agudaaguda”” + retomada do com+ retomada do coméérci...
Ofertas abundantes em 2006
pressionaram os preços da carne suína,
que cederam 16% em meados de 2006
comparado com o início...
Carne Suína - Produção
d:My DocumentsWWFWWF FafáPigmeat-1998-2007 ABC Food Outlook Dec 2006.xls
Carne Suína - Import
d:My DocumentsWWFWWF FafáPigmeat-1998-2007 ABC Food Outlook Dec 2006.xls
FatimashareddocsWWFFood Outlook Dec 2006 PigMeat- ABC.xls
Carne Suína - Exports
FatimashareddocsWWFFood Outlook Dec 2006 PigMeat- ABC.xls
Carne Suína
FatimashareddocsWWFFood Outlook Dec 2006 PigMeat- ABC.xls
Carne Suína
Panorama da Carne SuPanorama da Carne Suíínana
Planeta China continua mandando e desmandandoPlaneta China continua mandand...
d:My DocumentsProjeçõesUSDA 2000-2017Pork Trade to 2016.xls
ProjeProjeçções Mercado Internacional de Carnesões Mercado Int...
Carne Bovina - Exportação
d:My DocumentsDadosMundo2006Food Outlook Dec 2006 BovineMeat-.xls
Como podem ver, aftosaComo podem ver, aftosa éé seletiva e sseletiva e sóó atinge o suatinge o suííno brasileiro queno bra...
Menor ritmo de crescimento no futuroMenor ritmo de crescimento no futuro
d:My DocumentsProjeções2050 Interim ReportMeat ag...
Simplesmente porque hSimplesmente porque háá futuro no futuro.futuro no futuro.
E porque valerE porque valeráá a pena segu...
Simplesmente porque hSimplesmente porque háá futuro no futuro.futuro no futuro.
E porque valerE porque valeráá a pena segu...
Quod vadis? ou Qui Vadit?
O problema não é se haverá futuro. Já vimos que haverá futuro.
O problema é quem participará des...
11ºº Sanidade animalSanidade animal
22ºº Sanidade animalSanidade animal
33ºº Sanidade animalSanidade animal
44ºº Sanidade ...
11ºº Foco no mercado domFoco no mercado domééstico deve ser o som do nossostico deve ser o som do nosso vaneirãovaneirão
2...
ConcluindoConcluindo
O mercado internacional de carne suO mercado internacional de carne suíína não serna não seráá aa ““s...
ConcluindoConcluindo
Mas permitamMas permitam--me que eu me repita: a solume que eu me repita: a soluçção não estão não es...
E como despedida um ensinamento do Prof.Peter J.Brews:
A missão de expandir o mercado doméstico de carne suína pertence a
...
Muito Obrigado
Muito Obrigado
Accs   falando de carne suína- uma visão do mercado nacional e internacional
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Accs falando de carne suína- uma visão do mercado nacional e internacional

226 visualizações

Publicada em

A vision of the Brazilian and international pork meat market in 2007

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
226
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Accs falando de carne suína- uma visão do mercado nacional e internacional

  1. 1. Falando de Carne SuFalando de Carne Suíína: Umana: Uma Visão do Mercado Nacional eVisão do Mercado Nacional e InternacionalInternacional Osler DesouzartOsler Desouzart osler@odconsulting.com.brosler@odconsulting.com.br ACCS Concórdia, 28.07.2007 2ª Suileite
  2. 2. d:My DocumentsConferênciasNegócios & Tendências na Pecuária de CorteProdução de Carnes por espécies 1948-2007.xls Em 1979 a carne Suína ultrapassa a carne Bovina Em 1995 a carne de Aves ultrapassa a carne Bovina EvoluEvoluçção da Produão da Produçção de Carnes por Espão de Carnes por Espééciescies
  3. 3. d:My DocumentsConferênciasNegócios & Tendências na Pecuária de CorteProdução de Carnes por espécies 1948-2007.xls Cresce a produCresce a produçção mundial de carnes ...ão mundial de carnes ...
  4. 4. E muda a preferência por espE muda a preferência por espééciescies d:My DocumentsConferênciasNegócios & Tendências na Pecuária de CorteProdução de Carnes por espécies 1948-2007.xls
  5. 5. A carne de Aves apresenta o maiorA carne de Aves apresenta o maior ííndice de crescimento entre todas asndice de crescimento entre todas as carnes desde o anos 80carnes desde o anos 80 d:My DocumentsWWFMeat Production by category of countries 1948-1985 - Historical Series.xls
  6. 6. Vejam que a carne suína é a menos comercializada internacionalmente CarnesCarnes -- participaparticipaçção no mercado internacionalão no mercado internacional d:My DocumentsWWFEvolução da Export de Carnes, espec. 65-2006.xls
  7. 7. CarnesCarnes -- participaparticipaçção no mercado internacionalão no mercado internacional Crescimento agregado em relaCrescimento agregado em relaçção a 1975ão a 1975 d:My DocumentsWWFEvolução da Export de Carnes, espec. 65-2006.xls
  8. 8. A participaA participaçção brasileira na produão brasileira na produçção mundial de carnesão mundial de carnes d:My DocumentsDadosPaisesBrasilGeralProdução carnes em 65, 75, 85, 95, 00, 03 a 07 Brasil e Mundo rev.mar 07.xls
  9. 9. A participaA participaçção brasileira na exportaão brasileira na exportaçção mundial de carnesão mundial de carnes d:My DocumentsDadosPaisesBrasilGeralExportação carnes em 65, 75, 85, 93-07 Brasil e Mundo rev.mar 07.xls
  10. 10. Menor presenMenor presençça da carne sua da carne suíína na dieta do brasileiro.na na dieta do brasileiro. d:DadosPaisesBrasilGeralCarnes Brasil 65-03 Disponibilidade per capita.xls
  11. 11. A nA níível mundial seguirvel mundial seguiráá a expansão de renda. No Brasil, as taxas seguirãoa expansão de renda. No Brasil, as taxas seguirão abaixo das mabaixo das méédias mundiais. >Renda = + Consumo de Carnesdias mundiais. >Renda = + Consumo de Carnes d:My DocumentsProjeçõesProjectedRealPerCapitaIncomeValues 2000-2014 P.S..xls
  12. 12. Pop. 14.726.059 2004 2005 R$ 7.333 R$ 7.476 Rendimento médio anual Pop. 51.065.275 Pop. 13.040.246 2004 2005 R$ 10.520 R$ 11.088 Rendimento médio anual Pop. 78.557.264 2004 2005 R$ 10.798 R$ 11.424 Rendimento médio anual 2004 2005 R$ 10.483 R$ 10.848 Rendimento médio anual Melhoria da distribuiMelhoria da distribuiçção da renda per capitaão da renda per capita Não se deve confundir necessidade com demanda. Necessidade só vira demanda quando há meios econômicos (renda) para satisfazê-la. O Brasil possui contrastes de renda que condicionam consumo, havendo ainda uma população considerável a ser incorporada ao consumo. Melhoria de distribuição de renda impactará positivamente a demanda futura. Essa é a boa notícia. A má notícia é que não se melhora distribuição de renda via assistencialismo, mas via desenvolvimento e educação (cf. Coréia, China, Vietnam, Chile, etc) POP. 26.999.776
  13. 13. Fatores que contribuFatores que contribuííramram àà expansão da carne de frangoexpansão da carne de frango PrePreççoo VersatilidadeVersatilidade Qualidade consistenteQualidade consistente SaborSabor Facilidade de preparoFacilidade de preparo Novos produtosNovos produtos FFáácil de encontrarcil de encontrar PresenPresençça em carda em cardáápiospios institucionaisinstitucionais ReputaReputaçção de carne saudão de carne saudáávelvel Ausência de restriAusência de restriççãoão religiosareligiosa Conhecido comoConhecido como lowlow fatfat Dietas recentesDietas recentes revalorizandorevalorizando proteproteíínas animaisnas animais OpOpçções para consumo emões para consumo em todas as refeitodas as refeiçções, incluindoões, incluindo aperitivosaperitivos Somente um desses fatores é desfavorável à carne suína. X Principais motores Todos os demais dependem de nós, membros da cadeia.
  14. 14. Em 2006, a média do consumo mundial de carne suína deverá ser de 16,4 kg/hab, sendo de 29,5 kg/hab nos países desenvolvidos e de 13,0 kg/hab nos países em desenvolvimento. Vejamos o impacto se o Brasil alcançasse essas médias. A má e a boa notícia é que o brasileiro come pouca carne suína. As soluções para a suinocultura não dependem de humores estrangeiros, mas de lograrmos expandir esse consumo d:My DocumentsDadosPaisesBrasilSuínosConsumo adicional potencial de carne suína 2007-2020.xls
  15. 15. Brasil - suinocultura brasileira na dependência das exportações para seu crescimento nos últimos anos. d:My DocumentsDadosPaisesBrasilGeralBrasil 1996-2007.xls
  16. 16. Mercado ExternoMercado Externo –– Carne SuCarne Suíínana –– Brasil não pode exportar para aBrasil não pode exportar para a maioria dos grandes importadores mundiaismaioria dos grandes importadores mundiais d:My DocumentsWWFWWF FafáPigmeat-2005-2007 ABC Food Outlook Dec 2006 imports pareto.xls
  17. 17. Brasil não pode exportar para países que representam 55% das importações mundiais
  18. 18. O que nos podemos concluir dos slides anteriores?O que nos podemos concluir dos slides anteriores? O futuro da exportaO futuro da exportaçção brasileira de carne suão brasileira de carne suíína estna estáá no Japão,no Japão, RRúússia e outros passia e outros paííses asises asiááticos.ticos. Concentrar 65% das exportaConcentrar 65% das exportaçções a um paões a um paíís nãos não éé exportaexportaçção.ão. ÉÉ dependência a garantia de crises gradependência a garantia de crises graçças ao efeito vagaas ao efeito vaga--lume.lume. E não se esqueE não se esqueççam que o mercado brasileiro estam que o mercado brasileiro estáá sempre aberto.sempre aberto.
  19. 19. O que nos podemos concluir dos slides anteriores?O que nos podemos concluir dos slides anteriores? O mercado internacional de carne suO mercado internacional de carne suíína não serna não seráá aa ““salvasalvaçção daão da lavouralavoura”” para a suinocultura brasileirapara a suinocultura brasileira As exportaAs exportaçções altamente concentradas na Rões altamente concentradas na Rúússia nos colocamssia nos colocam nas mãos dos filhos donas mãos dos filhos do PutinPutin A falta de acesso ao mercado do Japão e NAFTA colocam aA falta de acesso ao mercado do Japão e NAFTA colocam a suinocultura brasileira na periferia do mercado internacionalsuinocultura brasileira na periferia do mercado internacional O BrasilO Brasil éé altamente competitivo na produaltamente competitivo na produçção de carne suão de carne suíína e jna e jáá tem exemplos de zelo qualitativo, mas insuficientes para atendertem exemplos de zelo qualitativo, mas insuficientes para atender um mercado das exigências do japonêsum mercado das exigências do japonês PadronizaPadronizaçção, uniformidade, qualidade permanente e emão, uniformidade, qualidade permanente e em constante melhora,constante melhora, rastreabilidaderastreabilidade total, alimentos seguros etotal, alimentos seguros e livres de contaminalivres de contaminaçção e de resão e de resííduos de drogas,duos de drogas, etcetc são assão as matmatéérias que caem no vestibular no mercado do Japão. E nele nãorias que caem no vestibular no mercado do Japão. E nele não se permite uma segunda tentativa.se permite uma segunda tentativa. PreparemPreparem--se desde jse desde jáá com uma revolucom uma revoluçção qualitativa para queão qualitativa para que possamos aceder, e depois dominar, o mercado japonês.possamos aceder, e depois dominar, o mercado japonês. O futuro da exportaO futuro da exportaçção brasileira de carne suão brasileira de carne suíína estna estáá no Japão,no Japão, RRúússia e outros passia e outros paííses asises asiááticos.ticos.
  20. 20. Exportar para o Japão deveria ser a maior prioridade para a suinocultura brasileira Exportar para o Japão. Vivi esta experiência em 1984, quando fui chamado pelos japoneses para conhecer o padrões de produtos que eles esperavam receber do Brasil no futuro, que começou em 1985.
  21. 21. Qualidade comeQualidade começça no comea no começço.o. Não se pode usar inputs de segunda e esperar produtosNão se pode usar inputs de segunda e esperar produtos de primeira.de primeira. Um suUm suííno vendido a preno vendido a preçço prêmio não pode ser feito emo prêmio não pode ser feito em instalainstalaçções caindo aos pedaões caindo aos pedaçços, usando raos, usando raçção deão de segunda, com os lotes manejados por pessoalsegunda, com os lotes manejados por pessoal despreparado e com adespreparado e com a ““ditadura dos custosditadura dos custos”” ditandoditando que se deve usar sempre os ingredientes mais baratosque se deve usar sempre os ingredientes mais baratos Valor no final da cadeia comeValor no final da cadeia começça com valor no ina com valor no iníício dacio da cadeiacadeia Não use combustNão use combustíível barato no carro novo quevel barato no carro novo que compraste.compraste. Não permita que aNão permita que a ““ditadura dos custosditadura dos custos”” impeimpeçça aa a criacriaçção de valor.ão de valor. Qualidade tem que comeQualidade tem que começçar no comear no começço e ir por toda ao e ir por toda a cadeia atcadeia atéé o fim. Não existe qualidadeo fim. Não existe qualidade ““parcialparcial””, ou, ou qualidade squalidade sóó em partes do processo, ou em algunsem partes do processo, ou em alguns departamentos ou parte do tempo.departamentos ou parte do tempo.
  22. 22. Sobrevivência atravSobrevivência atravéés da Qualidades da Qualidade
  23. 23. Não existe o conceito de mais ou menos ou de 99,9%Não existe o conceito de mais ou menos ou de 99,9% certo em uma cultura de qualidade como a japonesa.certo em uma cultura de qualidade como a japonesa. Exigem, não perdoam erros e consideram baixa qualidadeExigem, não perdoam erros e consideram baixa qualidade desrespeito e fator de imediata desqualificadesrespeito e fator de imediata desqualificaçção de umão de um fornecedor.fornecedor. Oferecem como contrapartida um mercado crescente,Oferecem como contrapartida um mercado crescente, exigente, remunerador e sem sobressaltos.exigente, remunerador e sem sobressaltos. A aftosa evitarA aftosa evitaráá nosso acesso imediato, mas um dianosso acesso imediato, mas um dia chegaremos lchegaremos láá.. Temos pouco tempo para construir a adequaTemos pouco tempo para construir a adequaççãoão qualitativa exigida pelo mercado japonês.qualitativa exigida pelo mercado japonês. Vamos comeVamos começçar jar jáá esse trabalho de construesse trabalho de construçção dessaão dessa base sbase sóólida de demanda para a carne sulida de demanda para a carne suíína brasileira.na brasileira.
  24. 24. Os preOs preçços mundiais de carnes deverão permanecer em recuperaos mundiais de carnes deverão permanecer em recuperaçção atão atéé 2008, ap2008, apóós as quedas de 2005 a jun06 ligadas a episs as quedas de 2005 a jun06 ligadas a episóódios de doendios de doenççasas
  25. 25. Mui lamentavelmente aMui lamentavelmente a ““superalojitesuperalojite agudaaguda”” + retomada do com+ retomada do coméérciorcio internacional de carnes de aves deverão arriscam de frear a recuinternacional de carnes de aves deverão arriscam de frear a recuperaperaççãoão do predo preçços internacionais das carnes suos internacionais das carnes suíínas, apesar da nova realidadenas, apesar da nova realidade dos grãos.dos grãos. USA – Preços Export Produtos Congelados USA – Preço Atacado, Carré, 6-8 kg, US Central Japão – Preço de importação CIF, cortes congelados desossados
  26. 26. Ofertas abundantes em 2006 pressionaram os preços da carne suína, que cederam 16% em meados de 2006 comparado com o início de 2005. Estoques elevados no Japão, destinatário de ¼ das importações mundiais de carne suína, ocasionaram acentuadas quedas nos preços de importação do Japão. Em 2007 os preços elevados dos grãos deveriam pressionar para cima os preços. Entretanto, o acentuado crescimento das integrações nos Estados Unidos e um dólar favorável à exportação daquele país devem mitigar a alta dos preços internacionais. Esse crescimento da oferta permitiu que os Estados Unidos aumentassem sua participação no mercado internacional de carne suína de 16% em 2003 para 25% em 2007.
  27. 27. Carne Suína - Produção d:My DocumentsWWFWWF FafáPigmeat-1998-2007 ABC Food Outlook Dec 2006.xls
  28. 28. Carne Suína - Import d:My DocumentsWWFWWF FafáPigmeat-1998-2007 ABC Food Outlook Dec 2006.xls
  29. 29. FatimashareddocsWWFFood Outlook Dec 2006 PigMeat- ABC.xls Carne Suína - Exports
  30. 30. FatimashareddocsWWFFood Outlook Dec 2006 PigMeat- ABC.xls Carne Suína
  31. 31. FatimashareddocsWWFFood Outlook Dec 2006 PigMeat- ABC.xls Carne Suína
  32. 32. Panorama da Carne SuPanorama da Carne Suíínana Planeta China continua mandando e desmandandoPlaneta China continua mandando e desmandando Dinamismo significativo naDinamismo significativo na ÁÁsiasia –– Vietnam, Filipinas, Tailândia eVietnam, Filipinas, Tailândia e CorCorééia.ia. UUéé?!! A?!! A ÍÍndia não era vegetariana? Sim, praticavam ondia não era vegetariana? Sim, praticavam o vegetarianismovegetarianismo econômicoeconômico Brasil continua no sebastianismo de aguardar que a RBrasil continua no sebastianismo de aguardar que a Rúússia abra,ssia abra, mas hmas háá esperanesperançças com a campanha da ABCS da qual infelizmente aas com a campanha da ABCS da qual infelizmente a indindúústria ainda eststria ainda estáá afastada, embora comece a namorar.afastada, embora comece a namorar. RRúússia seguirssia seguiráá protegendo, estimulando produprotegendo, estimulando produçção local, mas aão local, mas a expansão de seu consumo se verificarexpansão de seu consumo se verificaráá muito almuito aléém de suam de sua capacidade de expandir producapacidade de expandir produçção. Darão. Daráá preferência a abrir parapreferência a abrir para onde lhe convonde lhe convéém politicamente e de onde os prem politicamente e de onde os preçços não sejamos não sejam predatpredatóórios.rios. Febre aftosa continuarFebre aftosa continuaráá nos afastando do Japão.nos afastando do Japão. ChinaChina –– quosquequosque tandemtandem? Tem? Tem áágua para produzir? Atgua para produzir? Atéé quando?quando?
  33. 33. d:My DocumentsProjeçõesUSDA 2000-2017Pork Trade to 2016.xls ProjeProjeçções Mercado Internacional de Carnesões Mercado Internacional de Carnes
  34. 34. Carne Bovina - Exportação d:My DocumentsDadosMundo2006Food Outlook Dec 2006 BovineMeat-.xls
  35. 35. Como podem ver, aftosaComo podem ver, aftosa éé seletiva e sseletiva e sóó atinge o suatinge o suííno brasileiro queno brasileiro que representa 2,9% da produrepresenta 2,9% da produçção e 13% daão e 13% da exportexport. Não afeta bovino,. Não afeta bovino, onde temos 13% da produonde temos 13% da produçção e 26% daão e 26% da exportexport mundial. Mexer commundial. Mexer com o bovino brasileiroo bovino brasileiro éé mexer com os premexer com os preçços da carne a nos da carne a níível mundial.vel mundial.
  36. 36. Menor ritmo de crescimento no futuroMenor ritmo de crescimento no futuro d:My DocumentsProjeções2050 Interim ReportMeat aggregate production and demand.xls
  37. 37. Simplesmente porque hSimplesmente porque háá futuro no futuro.futuro no futuro. E porque valerE porque valeráá a pena seguir na pecua pena seguir na pecuáária?ria?
  38. 38. Simplesmente porque hSimplesmente porque háá futuro no futuro.futuro no futuro. E porque valerE porque valeráá a pena seguir na pecua pena seguir na pecuáária?ria?
  39. 39. Quod vadis? ou Qui Vadit? O problema não é se haverá futuro. Já vimos que haverá futuro. O problema é quem participará desse futuro Os sobreviventes serão aqueles que: - colocarem qualidade (quality) como valor intrínsico - buscarem criar valor (create value), sem descurar dos custos, mas sem se submeter à ditadura dos custos - tiverem foco no cliente/consumidor (client focused) - tiverem estratégia (se não sabes onde vai, qualquer caminho serve), planos quantificados e datados e itens de controle (strategy, plans and control) - decidirem baseados em fatos e dados (facts & data) - estiverem conscientes que a única coisa que não muda é a certeza de que tudo muda e seguirá mudando. Portanto, informação constante, atualização permanente e sobretudo melhorias contínuas (permanent improvement) e nunca ficar feliz com o que já logrou (Never happy) - estiverem abertos a aprender e aceitar cooperação (sei que não sei - I know that I do not know) - não sofrerem de complexo de Luiz XIV - aprenderem a cooperar com seus concorrentes para o crescimento de seu segmento como um todo (Cacem em bando - Hunt in pack), prestigiando suas associações que devem ser profissionalizadas e mais neutras que a Suiça.
  40. 40. 11ºº Sanidade animalSanidade animal 22ºº Sanidade animalSanidade animal 33ºº Sanidade animalSanidade animal 44ºº Sanidade animalSanidade animal 55ºº Sanidade animalSanidade animal 66ºº Sanidade animalSanidade animal 77ºº Sanidade animalSanidade animal 88ºº Sanidade animalSanidade animal 99ºº Sanidade animalSanidade animal 1010ºº Sanidade animalSanidade animal 1111ºº Sanidade animalSanidade animal 1212ºº Sanidade animalSanidade animal 1313ºº Sanidade animalSanidade animal 1414ºº Sanidade animalSanidade animal 1515ºº Sanidade animalSanidade animal 1616ºº Sanidade animalSanidade animal 1717ºº Sanidade animalSanidade animal 1818ºº Sanidade animalSanidade animal 1919ºº Sanidade animalSanidade animal 2020ºº Sanidade animalSanidade animal Os 20 Maiores DesafiosOs 20 Maiores Desafios
  41. 41. 11ºº Foco no mercado domFoco no mercado domééstico deve ser o som do nossostico deve ser o som do nosso vaneirãovaneirão 22ºº Ataque da IrlandaAtaque da Irlanda àà carne bovina e tentativa da Argentina decarne bovina e tentativa da Argentina de fechar a importafechar a importaçção da carne suão da carne suíína brasileira. Solidariedadena brasileira. Solidariedade àà ABIEC e olho para que mais uma vez nABIEC e olho para que mais uma vez nóós não paguemos o pres não paguemos o preççoo da polda políítica externa de favorecer os vizinhostica externa de favorecer os vizinhos ““muymuy amigosamigos””.. 33ºº Confronto produtor independente x agroindConfronto produtor independente x agroindúústria. Quem ganha?stria. Quem ganha? 44ºº O presidente Lula afirmou hoje que não irO presidente Lula afirmou hoje que não iráá politizar os Ministpolitizar os Ministéériosrios da Sada Saúúde e Educade e Educaçção. Segundo ele, são ministão. Segundo ele, são ministéérios que nãorios que não podem ser "podem ser "partidarizadospartidarizados" porque "na Sa" porque "na Saúúde se você brincar dde se você brincar dáá éé morte e na educamorte e na educaçção dão dáá em analfabetos".em analfabetos". FolhaFolha OnlineOnline 15/03/2007.15/03/2007. Portanto,Portanto, AgriculturaAgricultura tudo bemtudo bem 55ºº InfraInfra--estruturaestrutura –– jjáá enviaste um eenviaste um e--mail ao teu Deputado e a teusmail ao teu Deputado e a teus Senadores no dia de hoje?Senadores no dia de hoje? 66ºº Impunidade generalizadaImpunidade generalizada -- jjáá enviaste um eenviaste um e--mail ao teu Deputado email ao teu Deputado e a teus Senadores no dia de hoje?a teus Senadores no dia de hoje? 77ºº Novas formas de pensarNovas formas de pensar –– integraintegraçção da cadeia com o objetivo deão da cadeia com o objetivo de expansão do consumoexpansão do consumo 88ºº Use os aliados, mas lembreUse os aliados, mas lembre--se que bobose que bobo éé uma mercadoria cadauma mercadoria cada vez mais em faltavez mais em falta Pontos de AtenPontos de Atenççãoão
  42. 42. ConcluindoConcluindo O mercado internacional de carne suO mercado internacional de carne suíína não serna não seráá aa ““salvasalvaççãoão da lavourada lavoura”” para a suinocultura brasileirapara a suinocultura brasileira As exportaAs exportaçções altamente concentradas na Rões altamente concentradas na Rúússia nosssia nos colocam nas mãos dos filhos docolocam nas mãos dos filhos do PutinPutin A falta de acesso ao mercado do Japão e NAFTA colocam aA falta de acesso ao mercado do Japão e NAFTA colocam a suinocultura brasileira na periferia do mercado internacionalsuinocultura brasileira na periferia do mercado internacional O BrasilO Brasil éé altamente competitivo na produaltamente competitivo na produçção de carne suão de carne suíína ena e jjáá tem exemplos de zelo qualitativo, mas insuficientes paratem exemplos de zelo qualitativo, mas insuficientes para atender um mercado das exigências do japonêsatender um mercado das exigências do japonês PadronizaPadronizaçção, uniformidade, qualidade permanente e emão, uniformidade, qualidade permanente e em constante melhora,constante melhora, rastreabilidaderastreabilidade total, alimentos seguros etotal, alimentos seguros e livres de contaminalivres de contaminaçção e de resão e de resííduos de drogas,duos de drogas, etcetc são assão as matmatéérias que caem no vestibular no mercado do Japão. E nelerias que caem no vestibular no mercado do Japão. E nele não se permite repetir o ano.não se permite repetir o ano. PreparemPreparem--se desde jse desde jáá com uma revolucom uma revoluçção qualitativa para queão qualitativa para que possamos aceder, e depois dominar, o mercado japonês.possamos aceder, e depois dominar, o mercado japonês. O futuro da exportaO futuro da exportaçção brasileira de carne suão brasileira de carne suíína estna estáá no Japão.no Japão.
  43. 43. ConcluindoConcluindo Mas permitamMas permitam--me que eu me repita: a solume que eu me repita: a soluçção não estão não estáá ssóó nana exportaexportaçção, pois não hão, pois não háá potencias exportadoras sem umpotencias exportadoras sem um mercado interno forte que equilibre as crises do mercadomercado interno forte que equilibre as crises do mercado nacional.nacional. O crescimento da suinocultura brasileira passa por romper oO crescimento da suinocultura brasileira passa por romper o marasmo do consumo interno de carne sumarasmo do consumo interno de carne suíína.na. Duplicar o consumo brasileiro em 10 anos nãoDuplicar o consumo brasileiro em 10 anos não éé missãomissão impossimpossíível. A carne suvel. A carne suíínana éé a que dispõe de maior espaa que dispõe de maior espaçço parao para crescer.crescer. O desenvolvimento de um forte mercado brasileiro fortalecerO desenvolvimento de um forte mercado brasileiro fortaleceráá nossa posinossa posiçção no mercado internacional, no qual temos queão no mercado internacional, no qual temos que estar sempre presentes para auferirmos da confrontaestar sempre presentes para auferirmos da confrontaççãoão qualitativa.qualitativa. Um forte mercado domUm forte mercado domééstico e uma presenstico e uma presençça constante ema constante em mercado internacional aportarão a previsibilidade necessmercado internacional aportarão a previsibilidade necessááriaria para um melhor futuro para a suinocultura brasileira.para um melhor futuro para a suinocultura brasileira.
  44. 44. E como despedida um ensinamento do Prof.Peter J.Brews: A missão de expandir o mercado doméstico de carne suína pertence a todos os elos da cadeia e impõe um modelo ao setor: o de cooperar para crescer. “Hunt in pack” (Cacem em grupo) Uma vez que tenhamos juntos logrado a meta de fazer crescer o mercado da carne suína no Brasil, aí sim será o momento de mostrar os dentes para disputar participação de mercado.
  45. 45. Muito Obrigado
  46. 46. Muito Obrigado

×