Exercicios de resenhas

14.579 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.579
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
234
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exercicios de resenhas

  1. 1. TEXTO 1: Um Faz de Conta que AconteceA Disney financiou um filme que trás uma ideia legal. Ela é sobre um sujeito que conta histórias de ninar paraos seus sobrinhos. Só que todos os detalhes acrescentados pelas duas crianças se tornam realidade. Mas aí vemaquela velha questão de que nem toda boa ideia no papel é bem planejada quando encenada para os cinemas. Ébem o caso de ―Um Faz de Conta que Acontece‖, que ainda sai no prejuízo por ter tido o seu lançamento bempróximo a ―Coração de Tinta‖, uma aventura infinitamente superior que apresenta um argumento um poucoparecido.O contador de histórias é Adam Sandler, que tem o conhecido cargo de quebra-galho em um luxuoso hotel quefoi construído pelo seu próprio pai (participação especial de Jonathan Pryce, que também se apresenta comonarrador no início e fim do filme). Acontece que não é ele que gerencia o prédio, pois o seu pai, antes de falecer,teve que assinar um contrato para que o local não afundasse em dívidas. Assim, tudo fica no controle de Barry(Richard Griffiths), cuja famosa filha Violet (Teresa Palmer) tem um relacionamento com o audacioso Kendall(Guy Pearce). As coisas mudam para ele quando sua irmã (Courteney Cox) está com o seu casamento desfeito edeixa aos seus cuidados seus dois filhos Patrick (Jonathan Morgan Heit) e Bobbi (Laura Ann Kesling) quandotenta conseguir um emprego em outra cidade. O restante bate com a boa idéia descrita no primeiro parágrafo.Elogiado em 2007 pela sua refilmagem de ―Hairspray – Em Busca da Fama‖, Adam Sharkman, que também écoreógrafo, realiza um trabalho fraco em ―Um Faz de Conta que Acontece‖. Para esta realização que estávoltada tanto para o público infantil quanto para o adulto o que é feito é um trabalho nada encantador ou mesmoengraçado. Adam Sandler, que quando quer consegue ser um bom comediante e um intérprete sério, não ajudacomo protagonista. A forma extravagante como lida com caretas, como na sequência onde tem a sua línguapicada por uma abelha, é muito sem graça. O que mantem o espectador antenado até os créditos finais são aspresenças de Keri Russell, Courteney Cox e sobretudo Guy Pearce, divertido em rara interpretação caricata.Título Original: Bedtime StoriesAno de Produção: 2008Direção: Adam SharkmanElenco: Adam Sandler, Keri Russell, Guy Pearce,Teresa Palmer, Richard Griffiths, Jonathan MorganHeit, Laura Ann Kesling, Russell Brand, CourteneyCox e Jonathan Pryce.Nota: 4.0http://cineresenhas.wordpress.com/2009/05/15/um-faz-de-conta-que-aconteceTEXTO 2- A Era do Gelo 3Considerando que a alcunha ―filme do ano‖ deve ser dada para filmes após a cerimônia de entrega do Oscar, jáafirmo que o brasileiro Carlos Saldanha trouxe ao público, com ―A Era do Gelo 3″, um dos primeiros ―filmes doano‖ de 2009. É fato que a produção começa meio modorrenta, em ritmo bem lento, mas isso acaba criando umaespécie de ―prólogo-anticlímax‖ surpreendentemente eficiente: o que vem a seguir é adrenalina pura, com poderpara atingir adultos e crianças com muitos risos, emoção e boa história.Um personagem novo e uma ambientação renovada entram na história para que isso aconteça — e mais nãoconto. Scratch, claro, está lá roubando todas as cenas, mas desta vez a coisa é mais série: Scratina traz aindamais tempero à trama do esquilo (ou sei lá que bicho ele seja) em sua busca pela noz (ou será avelã ?). Odesenvolvimento das cenas do casal formam algumas das sequências mais deliciosas da tela grande dos últimosanos. Vi a versão (muito bem) dublada em 3D, o que dá ainda mais emoção ao filme. Não perca!http://cinemagia.wordpress.com/2009/07/11/resenhas-a-era-do-gelo-3/EXERCÍCIOS1) Sobre o texto 1, responda:a) Sobre o que trata o texto?b) Qual é o conflito apresentado no filme?c) Para que público esse filme é dirigido?d) Há alguma opinião do autor em relação ao filme?e) Pela crítica do filme, você o assistiria?2) Sobre o texto 2, responda:a) Qual assunto tratado pelo texto?b) Há alguma opinião do autor?c) O filme apresentado se dirige a que público?d) Você o assistiria?e) Compare brevemente o texto 1 com o texto 2. O que há de comum entre eles? E de diferente?
  2. 2. A) Para reforçar a diferença entre resumo e resenha, entregue aos alunos os seguintes textos:EXTO 1:Sinopse de CrepúsculoA história de Crepúsculo é sobre Bella Swan, uma adolescente que nunca se deu bem com as outras garotas e,depois que a mãe se casa novam ente, se muda da ensolarada Phoenix para a chuvosa cidade de Forks para vivercom o pai. Lá, ela começa a viver um romance com o misterioso Edward Cullen, que faz parte de uma famíliade vampiros. Assim como os outros de sua espécie, Edward é extremamente forte e rápido, e também nãoenvelhece. Porém, sua família se diferencia dos outros vampiros por não beberem sangue humano. Apesar doque sentem um pelo outro, Bella e Edward tentam se afastar, para que ele não ceda ao desejo de beber o sanguedela. Mas as coisas começam a piorar para os dois quando um grupo de vampiros inimigos da família deEdward chegam à cidade procurando por Bella.http://www.efeitopop.com/crepusculo-confira-o-trailer-fotos-e-sinopse-do-filme/TEXTO 2CrepúsculoAngélica BitoCrepúsculo é o mais recente fenômeno entre a garotada. Tendo custado US$ 37 milhões, rendeu mais de US$145 milhões ao redor do planeta em duas semanas nos cinemas. Baseado no best seller homônimo de StephenieMeyer, o filme reúne elementos que atraem em cheio os espectadores mais jovens: romance e fantasia, além detoques de suspense. A matemática está completa e temos aqui um fenômeno cinematográfico que já tem frutosprometidos: Lua Nova será lançado em 2010. Dirigido por Catherine Hardwicke ( Os Reis de Dogtown ) – quejá está fora da continuação -, Crepúsculo acompanha o romance entre Bella (Kristen Stewart, de Na NaturezaSelvagem ) e Edward (Robert Pattinson, de Harry Potter e o Cálice de Fogo ). Um romance adolescente – jácomplicado por definição - que ganha toques de dramaticidade por conta dele ser um vampiro. Tudo ocorre naminúscula e chuvosa cidade de Forks, no Estado norte-americano de Washington, para onde ela se muda paramorar com o pai (Billy Burke). O tempo sempre nebuloso é terreno perfeito para que os vampiros Cullen,possam viver, incluindo Edward. Quando Bella se muda para lá, a atração entre os protagonistas é inevitável.Edward é mais ou menos tudo que uma garota sonha (num mundo fantasioso, evidentemente): lindo, protegeBella e ainda tem superpoderes. Deve ser por isso que ele é capaz de arrancar suspiros não somente daprotagonista, mas da platéia feminina também. Tem esse detalhe dele sempre ter de resistir a sugar todo osangue da amada, mas isso é mero detalhe que Bella tenta superar. Por isso, existe essa tensão entre os dois quenunca passa. Ao mesmo tempo em que respondem a instintos primitivos relacionados ao amor e ficarem juntospara sempre, Edward tem de superar seus próprios desejos vampirescos e não devorar sua amada. Literalmente.O conflito é transformado em tensão, sofrimento, dor e tudo isso que o amor provoca, mesmo nos sereshumanos normais que não brilham como diamantes sob o sol como os vampiros. Crepúsculo é o tipo de filmeque funciona muito bem junto aos espectadores que embarcam em sua viagem. As cenas nas quais Edwardmostra toda a sua força e velocidade típicas de sua espécie são impressionantes, principalmente quando elepraticamente flutua pelas paisagens geladas das florestas que circundam a cidade de Forks. Pattinson (quedisputou o papel com outros cinco mil atores) e Kristen estão bem nos seus papéis, representando dignamenteessa tensão do amor tão dificultado por seus próprios instintos, mas impossível de não ser experimentado pelospersonagens. A fotografia gelada, numa ambientação sempre chuvosa, dá o ar sombrio que a história precisa.Mas algo incomoda em Crepúsculo : a trilha sonora. Essa já cansativa mania dos produtores de Hollywood deutilizarem a música exageradamente para sublinhar sentimentos e momentos de tensão. O final do longa éaberto, evidentemente, já pedindo uma continuação e atiçando o espectador que volte aos cinemas em 2010. Afranquia agradece.http://br.cine ma.yahoo.com/filme/15357/critica/10081/crepusculoResenha é um gênero textual em que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objetoanalisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizadocomo forma de prestação de serviço. É texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origempessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.O objeto resenhado pode ser de qualquer natureza: um romance, um filme, um álbum, uma peça de teatro oumesmo um jogo de futebol. Uma resenha pode ser "descritiva" e/ou "crítica".Resenha é um texto que serve para apresentar outro (texto-base), desconhecido do leitor. Para bem
  3. 3. apresentá-lo, é necessário além de dar uma ideia resumida dos assuntos tratados, apresentar o maior número deinformações sobre o trabalho: fatores que, ao lado de uma abordagem crítica e de relações intertextuais, darão aoleitor os requisitos mínimos para que ele se oriente quanto ao grau de interesse do texto-base.

×