Atividades de redação do 9º ano 2009 2º semestre

26.873 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.873
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
339
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividades de redação do 9º ano 2009 2º semestre

  1. 1. OLÁ, ALUNOS DAS TURMAS 901, 902 e 903! SEJAM BEM-VINDOS ÀS AULAS DE REDAÇÃO. DESEJO-LHES UM EXCELENTE RECOMEÇO. É RETA FINAL E ISSO IMPLICA MUITO TRABALHO, RESPONSABILIDADE, CORAGEM E ACREDITAR QUE AINDA É POSSÍVEL. ATÉ BREVE! ATIVIDADES DE REDAÇÃO (ANA CRESPO) A DISSERTAÇÃO: DIFERENÇA ENTRE TEMA E TÍTULO (Branca Granatic) Introdução Produzir um texto dissertativo, ou dissertação, consiste em defender uma idéia. É a defesa de uma tese - proposição que se apresenta com o objetivo de convencer quem lê, ou seja, o leitor. Para se alcançar tal objetivo, a organização da dissertação é fundamental. Existem, portanto, algumas instruções, as quais favorecem o ato da escrituração, que você poderá verificar agora. O tema e o título são, com muita freqüência, empregados como sinônimos. Contudo, apesar de serem partes de um mesmo tipo de composição, são elementos bem diferentes. O tema é o assunto, já delimitado, a ser abordado; a idéia que será por você defendida e que deverá aparecer logo no primeiro parágrafo. Já o título é uma expressão, ou até uma só palavra, centrada no início do trabalho; ele é uma vaga referência ao assunto (tema). Veja a diferença entre os dois nos exemplos abaixo: Título: A cidade e seus problemas Tema: A cidade de São Paulo enfrenta atualmente grandes problemas.
  2. 2. Título: A importância da Península Arábica Tema: Entendemos que a comunidade internacional deva preocupar-se com os acontecimentos que envolvam a Península Arábica, já que grande parte do petróleo que o mundo consome sai desta região. Título: A criança e a televisão Tema: Psicólogos do mundo todo têm se preocupado com a influência que determinados programas de televisão exercem sobre as crianças. Título: As contradições na era da comunicação Tema: Vivendo a era da comunicação, o homem contemporâneo está cada vez mais só. Note que o tema, na verdade, como já mencionamos acima, é a delimitação de determinado assunto. Isso é necessário, pois um assunto pode ser muito extenso e, nesse caso, ao abordá-lo, você poderá se perder em sua extensão. Peguemos o assunto "ensino" como exemplo. Há muito o que escrever sobre ele, por isso convém delimitá-lo. Desse modo, obtém-se o tema. Logo, para cada assunto, há inúmeros temas. Da mesma forma, quando os títulos são generalizados, abre-se um leque de temas a serem desenvolvidos. Para o título "A criança e a televisão", por exemplo, podemos definir um outro tema, como "A criança se encanta com os novos programas de TV criados especialmente para elas", ou ainda "Os pais, envoltos com seus problemas, não perceberam ainda o perigo da televisão para as suas crianças". O importante é você usar a criatividade até mesmo no título de sua redação. Pense no título após o rascunho estar ponto, fica mais fácil. Assim, o estudante não se torna escravo do título. OBSERVAÇÕES: Quando você participar de algum concurso ou teste e tiver de fazer uma dissertação, observe a proposta e/ou instruções. Muitas vezes, já vem explicitado o tema ou título;
  3. 3. às vezes, é sugerido apenas o assunto. O item que faltar, cabe a você elaborar. O aspecto estético também é avaliado em qualquer teste. Com relação ao título e ao tema há algumas regras importantes: o título deve ser colocado no centro da folha, logo no início de sua dissertação, com inicial maiúscula; uma linha é suficiente para separar o título do corpo de sua redação. Nada mais deve ser acrescentado, principalmente algo que seja óbvio, do tipo "Título”. (In Técnicas Básicas de Redação, Editora Scipione.) Critérios de avaliação do texto dissertativo Os critério podem variar de instituição para instituição, mas em todas há aspectos comuns. Quais sejam: I - Apresentação: Legibilidade do texto escrito; indicação dos parágrafos respeitada; rasuras. II - Estrutura Textual: Introdução; desenvolvimento; conclusão. III- Conteúdo: Adequação ao tema proposto; progressividade do tema; coerência; coesão; originalidade e criatividade no tratamento dado ao tema. IV- Expressão: Estrutura sintática; estrutura verbal; concordância nominal; concordância verbal; regência nominal; regência verbal; acentuação; ortografia; pontuação. Uma boa redação apresenta: tema desenvolvido no tipo de texto exigido; vocabulário adequado ao tema; sintaxe bem construída; argumentos bem fundamentados; elementos narrativos bem caracterizados; visão crítica. Entre os tipos de temas, encontramos: objetivos: relacionados aos problemas atuais: sociais, tecnológicos, econômicos etc. subjetivos: envolvem o comportamento e sentimentos humanos.
  4. 4. delimitados: apresentados diretamente sob a forma de uma frase afirmativa ou de uma pergunta a respeito de um assunto. abrangentes: apresentados a partir de um ou mais textos de onde se devem extrair diversas abordagens que devem ser trabalhadas na redação. Os passos 1) interrogar o tema; 2) responder, com a opinião 3) apresentar argumento básico 4) apresentar argumentos auxiliares 5) apresentar fato- exemplo 6) concluir Como fazer nossas dissertações? Como expor com clareza nosso ponto de vista? Como argumentar coerente e validamente? Como organizar a estrutura lógica de nosso texto, com introdução, desenvolvimento e conclusão? Vamos supor que o tema proposta seja Nenhum homem é uma ilha. Primeiro, precisamos entender o tema. Ilha, naturalmente, está em sentido figurado, significando solidão, isolamento. Vamos sugerir alguns passos para a elaboração do rascunho de sua redação. 1. Transforme o tema em uma pergunta: Nenhum homem é uma ilha? 2. Procure responder essa pergunta, de um modo simples e claro, concordando ou discordando (ou, ainda, concordando em parte e discordando em parte): essa resposta é o seu ponto de vista. 3. Pergunte a você mesmo, o porquê de sua resposta, uma causa, um motivo, uma razão para justificar sua posição: aí estará o seu argumento principal. 4. Agora, procure descobrir outros motivos que ajudem a defender o seu ponto de vista, a fundamentar sua posição. Estes serão argumentos auxiliares. 5. Em seguida, procure algum fato que sirva de exemplo para reforçar a sua posição. Este fato-exemplo pode vir de sua memória visual, das coisas que você ouviu, do que você leu. Pode ser um fato da vida política, econômica, social. Pode ser um fato histórico. Ele
  5. 5. precisa ser bastante expressivo e coerente com o seu ponto de vista. O fato-exemplo, geralmente, dá força e clareza à nossa argumentação. Esclarece a nossa opinião, fortalece os nossos argumentos. Além disso, pessoaliza o nosso texto, diferencia o nosso texto: como ele nasce da experiência de vida, ele dá uma marca pessoal à dissertação. 6. A partir desses elementos, procure juntá-los num texto, que é o rascunho de sua redação. Por enquanto, você pode agrupá-los na seqüência que foi sugerida. ATIVIDADES: DISSERTAÇÃO-ARGUMENTATIVA (01) - VALOR: 1,0 TEXTO I Pense em 1789 e você logo imaginará o início da Revolução Francesa, século XX – 1945 – fim da Segunda Guerra Mundial; 1989 a queda do Muro de Berlim. Todos esses anos têm eventos tão únicos e extraordinários associados a eles que é fácil saber de imediato o que representam. No entanto, nenhum deles possui a aura de magia que acompanha 1968. Quarenta e um anos depois, 68 continua enigmático, estranho e ambíguo como um adolescente em crise existencial. Ele foi o ano da livre experimentação de drogas. Das garotas de minissaia. Do sexo sem culpa, da pílula anticoncepcional. Do movimento feminista. Da defesa dos direitos homossexuais. Do assassinato de Martim Luther King. Dos protestos contra a Guerra do Vietnã . Da revolta dos estudantes em Paris. Da primavera de Praga. Da radicalização da luta estudantil e do recrudescimento da ditadura no Brasil. Da Tropicália e do cinema marginal brasileiro. Foi, em suma, o “êxtase da História”. TEXTO II O cantor americano Bob Dylan disse recentemente que 1968 foi o último ano em que todas as utopias eram permitidas e que hoje em dia “ninguém mais quer sonhar”. Numa simplificação, pode-se afirmar que o período simboliza a utopia de milhões de jovens rebeldes e cabeludos de acabar com a moral repressora da velha sociedade. TEXTO III Há uma vertente que relativiza a herança deixada pela geração do desbunde. Seus adeptos acreditam que as lembranças afetivas turvam a análise
  6. 6. independente. Hoje, um dos ex-guerrilheiros de esquerda diz que gostaria de sepultar esse período. TEXTO IV O 68 brasileiro foi diferente por uma razão simples. Aqui ele tinha um viés mais político que na França e nos Estados Unidos, países que também viviam em erupção. No Brasil, os contestadores do regime sofreram torturas e exílio. “Nos Estados Unidos, havia o sentimento generalizado de que era preciso mudar a estrutura da sociedade, mas não necessariamente o governo’, diz o historiador americano James Green. TEXTO V 1968 deixou duas heranças: a aversão a toda forma de poder autoritário e a defesa dos direitos civis. No Brasil, grandes transformações na área cultural vieram no embalo da contracultura. A principal delas foi o tropicalismo, que ainda hoje reverbera especialmente na música popular brasileira. O movimento, liderado por Caetano Veloso, Nara Leão e Gilberto Gil, entre outros artistas, propunha mudanças tão radicais que se revelaram inspiradoras para todas as gerações seguintes. O tropicalismo de Caetano incorporou o uso da guitarra elétrica e de gêneros como bolero e as músicas de raiz. De tão ousada, a mistura provocou reações iradas dos setores mais conservadores, que consideravam aquilo uma agressão. O tropicalismo só foi possível porque se vivia uma época em que se experimentava tudo. TEXTO VI Poucas das grandes mudanças por que passamos nessas quatro décadas não surgiram naquela época. Da tolerância à diversidade ao reconhecimento dos direitos das mulheres e minorias, do movimento ambientalista às organizações comunitárias, da valorização dos prazeres à busca da espiritualidade pela meditação, a geração de 68 atingiu, sim, seu ideal de transformar o mundo. TEXTO VII
  7. 7. A Revista Época, em janeiro de 2008, publicou material comemorativo aos quarenta anos da geração de 68. Baseado nos textos lidos – fragmentos dessa reportagem –, faça um texto dissertativo-argumentativo abordando o tema: geração de 2008 e a Tropicália – deboche, ousadia, luta e cultura – marginais heróis do Brasil. (02) VALOR: 1,0 LEIA REPORTAGENS QUE DISCUTAM A SITUAÇÃO DO CONGRESSO BRASILEIRO DIANTE DAS DENÚNCIAS CONTRA JOSÉ SARNEY. É CORRETO O ARQUIVAMENTO DAS MESMAS? EXISTE ÉTICA NESSE SUPOSTO PROTECIONISMO? USE FOLHA DE BLOCO E FAÇA SEU TEXTO ENTRE 20 E 30 LINHAS, A CANETA AZUL OU PRETA. INSTRUÇÕES: 1. Não se esqueça de focalizar o tema proposto. Crie um título para a sua redação. Seja IMPESSOAL (3ª PESSOA). 2. A sua redação deve, necessariamente, referir-se ao texto de apoio ou dialogar com ele. Atenção, evite mera colagem ou reprodução. 3. Organize sua redação de modo que preencha entre 20 (mínimo) e 30 (máximo) linhas plenas, considerando-se letra de tamanho regular. 4. Observe o espaçamento que indica início de parágrafo. 5. Use caneta esferográfica azul ou preta para transcrever a redação definitiva. Evite rasuras. 6. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da modalidade escrita culta da Língua Portuguesa. 7. Use a folha de bloco para redigir seu texto. 8. Atente para a organização, caligrafia e ortografia da sua dissertação. A ENTREGA DAS DUAS ATIVIDADES DEVERÁ SER NO PRIMEIRO DIA DE RETORNO ÀS AULAS DO SEGUNDO SEMESTRE, IMPRETERIVELMENTE.

×