Características da redação científica

2.667 visualizações

Publicada em

Apresento as características da redação científica na perspectiva do estilo e estrutura textula

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.667
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
116
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Características da redação científica

  1. 1. Características da Redação Científica , <Ú4FÀFIIVEINHiIIT| ÍIMFNTF 1 "AVA. ÇiÍÍCÍÍFEKCÉ¡IÍÊEIÂQQÇÇIII Í. ; r-e'
  2. 2. 7 v - n” Ar vt¡ _ql ll ir' "l , l_ A* "l _ e M _fly “cole, TMJ_ 5km_ llmnmn un MlNll >i< Explicação >I= Clareza >I< lnteireza >i< Imparcialidade >I< Ordem >I< Acuidade o _A * Oblitividade >i< Simplicidade Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 31-5, 1986.
  3. 3. llIIIEINilUll MIIIII " O propósito do autor, ao escrever sobre ciência é explicar. Que é isto? Com que se parece? Como funciona? Por que é utilizado? Que se fez? Por que e como? Que se descobriu? " Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 31,1986.
  4. 4. llllllllllll IIII MiIIII lan CONCEITO Texto que "analisa e interpreta dados da realidade por meio de conceitos abstratos. .. referências ao mundo concreto só ocorrem como recursos de argumentação, para ilustrar leis ou teorias gerais. .. os enunciados guardam entre si relações de natureza lógica, isto é, relações de implicação (causa e efeito, um fato e sua condição, uma premissa e sua conclusão, etc. ). " Fíorín, J. L.; Savioli, F. P.: Para entender o texto, pp 298-9, Ed. Ática, 1992.
  5. 5. Questão Cientifica Por quê “p"? _to está mico ? Esta estante é toxêmica ? Est feto tem 32 s de IG ? ç
  6. 6. M llIIInIIInIIII MIIIII Im Oman S. cí'""' KB113499"? Ê II í A g m Tm__, ,,. _.. › Músculo Função Principal reto medial move o olho em direção ao nariz reto lateral move o olho na direção contrária ao nariz reto superior eleva o olho reto inferior abaixa o olho oblíqüo superior faz a rotação do olho oblíqüo inferior faz a rotação do olho http: //www. oftalmo. epm. br/ paciente/ o_olho/ o_olho. htm
  7. 7. íM« [lIIIcIIInIIIIMiIIII V _ - Ç . *~ 1. Primeiro estágio embrionário = Formação da placa embrionária ou das vesículas ópticas - áreas achatadas em ambos os lados da extremidade anterior da goteira neural. 2. Fase do cálice óptico = lnvaginação de estruturas: a) superfície inferior do pedículo óptico b) vesículas ópticas -> cálice óptico c) placa cristaliniana --> vesícula cristaliniana. 3. 4 semanas = a vesícula cristaliniana fica livre na borda do cálice óptico. 4. 6 semanas = a) Fissura coroidal completamente fechada formando canal de passagem de vasos (artéria hialóide, artéria e veia centrais retinianas cristalinianas). Estrutura geral fundamental do olho está determinada. . b» 5. Fase de formação final = tecidos opacos , os meios transparentes , o tecido nervoso e tecidos anexos. 1/ ç/ l http: //www. saudevisua| .com. br/ os-olhos/ os-olhos/294-embriologia
  8. 8. >I< lnduções = Interações entre os tecidos levando a uma mudança no desenvolvimento de pelo menos um deles. * Sinais = Mecanismo de transferência intercelular influenciando a atividade genética das células alvo. iNusao l Junç-íoqap . . . .r - http: l/wwwfamema. br/ disc/ material/ aparelhooculanpdf
  9. 9. M I. I ““›““II l7^'j f' i7* llIIIEINIIUII MIIIII "Os cientistas não devem emprestar atributo humanos a coisas inanimadas ou mesmo a organismos vivos que não sejam gente *r os resultados sugerem. .. (quem sugere / ~ algo é sempre uma pessoa) >l< os dados apontam para. .. (dados não apontam) r do ponto de vista dos números. .. (números não tem ponto de vista)" Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 35,1986.
  10. 10. Explicação Científica >I< Probabilística Dedutiva = Processo de dedução. * Teleológica = Apresenta o objetivo. * Genética = Descreve o processo gerador. Não há dúvida !
  11. 11. llIIIEINIIUIIMINII f * “ ' v l l Por quê esta gestante é toxêmica ? - Porque tem um quadro clínico compatível Í r - : 3 Toxemia
  12. 12. M llIIIEINIIUiI MIIIII L_ "A clareza de raciocínio é indispensável para a aplicação do método científico e deve refletir-se na clareza com que se escreve e com que se executam as ilustrações. " Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 31,1986.
  13. 13. M llIIIEINIIUiIMINII u * I í í "O tratamento de uma questão deve ser compreensivo. Cada enunciado deve ser completo. Cada argumentação deve ser conduzida de modo cabal, até uma conclusão lógica. O escrito não deve conter erros de omissão, mas o autor deve demonstrar ter consciência das limitações de seu conhecimento. " Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 31,1986.
  14. 14. O @ llIIIEINIIUIl MIIIII Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 31, 1986.
  15. 15. IIIIIIIIIIII IIII MiIIII "O leitor compreenderá mais facilmente uma dada mensagem se a informação e as ideias forem apresentadas numa ordem lógica. É no momento de dar instruções que se percebe de modo mais evidente a necessidade de explicação suficiente, clareza, inteireza e apresentação ordenada de informações. " Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 33, 1986.
  16. 16. IIIIIIIIIIII IlIl MiIIII "O método cientifico depende de cuidado nas observações, de precisão das mensurações, de atenção no registro dessas observações e medidas. Cada experimento deve ser passível de reprodução e cada conclusão deve ser passível de verificação. O escritor pode deixar de lado suas boas intenções; acuidade e clareza dependem de meticulosa escolha de palavras e de seu preciso emprego. " Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 33, 1986.
  17. 17. M llIIIEINIIUII MIIIII ' . I < "Em ciência, toda afirmação deve basear-se em prova e não em opiniões infundadas. A especulação não pode substituir a prova Palavras e frases como possivelmente, talvez, levam-nos a pensar duas vezes. Teríamos examinado o bastante as provas? ~ Quando não existe informação adicional sobre algum ponto, a necessidade de novos trabalhos deve ser mencionada. Não devemos expor a opinião de outros como se fossem fatos; e jamais expor a opinião da maioria como se fosse um fato. " Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 34,1986.
  18. 18. M IIIIInIIInuIIMIIIII IIEI à ' ' í "Ao optar por uma dentre várias hipóteses, o cientista deve dar preferência à explicação mais simples que se ajuste a todas as evidências A simplicidade no escrever. .. como numa demonstração matemática, é sinal evidente de clareza de pensamento. Os cientistas devem escrever à de modo direto, sóbrio, sem uso de jargão, isento de prolixidade e livre de outros enfeites que só fazem distrair. " Barrass, R. : Os cientistas precisam escrever, T. A. Queiroz, p. 35,1986.
  19. 19. Professor Adjunto do Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor responsável pelas disciplinas Metodologia Científica, Metodologia da Pesquisa e Bioestatística em nível de Pós-Graduação. Ministra ainda a disciplina "Aprenda a Aprender na área da saúde" para alunos de graduação da Faculdade de Medicina da UFRJ e da Escola de Enfermagem Anna Nery. Líder do GEAC (Grupo de Estudos em Aprendizagem e Cognição), grupo l¡IIlll/ ÍÍ/ /// /// / de pesquisas reconhecido pela UFRJ e pelo Conselho Nacional de / x// y/ Pesquisa (CNPq). Orientador de dissertações e teses de mestrado e doutorado. Pesquisador em Aprendizagem e Metacognição. Autor de livros e artigos científicos publicados em revistas especializadas. N Para ver o currículo do Prof. Mauricio no CNPq digite: http: //lattes. cnpq. br/8108933402510969 www. ofícínadamente. com (021)2278-2835
  20. 20. M as Psicoterapia n M * Técnicas de Estudo * Orientação de Monografias, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso www. ofícínadamente. com (021)2278-2835
  21. 21. Ligue (021)2278-2835 ou (021)8869-9542 Acessem_ _ _i o R. Gen. Espírito Santo Cardoso, 197-A - Tijuca - Rio de NNWIlIIIIlI/ IIM/ /úyâ J a n eiro x l/ I// l/lljl I I Iv “I www. ofícínadamente. com (021)2278-2835
  22. 22. ç (a ' ¡xv- í¡ É» NOÔ , X e** 6° (1 _ Officina da Mente . Nail “ 'P O O _o 9,'- CJÉÔO F ' a ^ ' É? ? 5~“0 - -I -yd _cê (o »p CameI-vdargir: __-'_ ezçv o Êídv 9:! c: : Brsu É Ã* 3,6 (à, *V5 _. , QuV-Ôb- 'g m 9*” n? ç* 535 / go $ PÉ¡ “P C, - O «z 'ê 'à É', 3° q» A ç_ 5 [9 O 'Ô 'a 'à . .-39 , , e 6a oo 471/,0 t? a o s” ? - O ê* “P e. Q- râ 7° “à “ (D O 'a “o F3¡ *z de 0°” 80 ; ÀQÔVN É A9/ e ' x / mà «oôk s? ) 7% 0°” 8° P) 9 'P 9 C. . “à 40°" e, 6o m** a -m x www. ofícínadamente. com (021)2278-2835

×