Análise de campanha publicitária

2.118 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.118
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise de campanha publicitária

  1. 1. Curso: Mestrado Gestão de Serviços de Clientes Trabalho elaborado para a Unidade Curricular: Design & Inovação Data: Ano Lectivo 2010 / 2011 Docente: Mestre Sofia Dias “ANÁLISE DE CAMPANHA PUBLICITÁRIA / ACÇÃO DE MARKETING SOB A ÓPTICA DO DESIGN E DA INOVAÇÃO” Nuno Gonçalo Gomes da Silva Tasso de Figueiredo nº 207056RESUMO: Este documento pretende debruçar-se sobre um caso de estudo de uma campanhapromocional, cuja adoptação do Design tenha sido o, ou um dos argumentos mais relevantes dessainiciativa. IPAM LISBOA – 2010 / 2011
  2. 2. ÍNDICEAbstract................................................................................................................................................31. INTRODUÇÃO............................................................................................................................41.1. MERCADO.................................................................................................................................42. EMPRESA EM PORTUGAL.....................................................................................................53. PROBLEMA...................................................................................................................................63. 1. SOLUÇÃO ESTRATÉGICA..................................................................................................74. FERRAMENTAS DE DESIGN E INOVAÇÃO COMO FACTORES CRÍTICOS DESUCESSO..........................................................................................................................................114.1. PRODUTO E MENSAGEM ASSOCIADA......................................................................114.2. EMBALAGEM.........................................................................................................................124.2. PUBLICIDADE EM MEIOS PROFISSIONAIS (REVISTAS).....................................124.3. NEWSLETTER’S DIRECIONADAS A TODA A CADEIA DE VALOR................134.4. CADEIA DE VALOR VIRTUAL........................................................................................144.5. FEIRAS, WORKSHOPS E SEMINÁRIOS........................................................................154.6. CATÁLOGOS & BROCHURAS..........................................................................................165. CONSTATAÇÕES.....................................................................................................................165.1. PRODUTO A PROMOVER, CONTEXTO E HISTÓRIA...........................................165.2. OBJECTIVOS DE COMUNICAÇÃO................................................................................175.3. CONCEITOS E STYLE BOARD APLICADOS NA CAMPANHA...........................175.4. DESDOBRAMENTO EM SUPORTES DIVERSOS......................................................175.5. AS ÁREAS DE DESIGN APLICADAS.............................................................................185.6. FACTORES DE DESTAQUE..............................................................................................195.7. MAIS VALIAS DA CAMPANHA .......................................................................................206.BRANDING…………………………………………………………………………..207. CONCLUSÃO………………………………………………………………………..268. BIBLIOGRAFIA & NETGRAFIA…………………………………………………...27 Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 2
  3. 3. ABSTRACT This document aims to address over a case study of a promotional campaign of ourchoice, whose ADJUSTMENT Design has been the, or one of the most importantarguments of that initiative. 1 ..." Um bom design começa com honestidade, faz questões difíceis, vem da colaboraçao e da confiança na sua intuição. ( Freeman Thomas )."...1 Frases de Design, [em linha], 2011, http://www.webfrases.com/resultado_busca.php , [consultado em 03-02-11]. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 3
  4. 4. 1. INTRODUÇÃO1.1. MERCADO O Mercado da segurança electrónica em Portugal é um mercado que vale um totalde 184 Milhões de Euros (produto + serviço) (DBK Estudos de Mercado – Setembro2010) e 2segmentado principalmente em quatro áreas distintas: 40.000 35.000 30.000 25.000 20.000 15.000 10.000 5.000 0 Market Year Market Year Market Year Market Year Market Year Market Year 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Est. Intrusion A.Control Fire CCTV Others Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) - Valor de mercado (x000€) de forma segmentada por área. De acordo com a DBK (DBK – Setembro 2010 em anexo) estimam-se existirem 117empresas a operar no mercado e que 56% do volume de negócios é concentrado nascinco maiores empresas.2 Elaboração própria a partir de dados facultados pela UTC-Fire & Security na mão do seu DirectorComercial Sr. Nuno Tasso de Figueiredo Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 4
  5. 5. O 3mercado por outro lado está dividido da seguinte forma: Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) – Segmentação do mercado por área de intervenção. Esta área como muitas outras, ou indústria, tem uma uma necessidade deracionalizar custos e optimizar recursos para garantir maior rentabilidade e uma maiorcompetitividade da sua oferta.2. EMPRESA EM PORTUGAL A United Technologies Corporation, UTC-FS, que está organizada de modo a quea comercialização dos produtos sejam administrados separadamente dos negóciosde serviços. Já opera num ambiente onde, independentemente do canal, os parceirosvendem e distribuem a maior parte do portfólio. Tem operado com sucesso com estemodelo, garantindo que os parceiros de diferentes canais tenham as mesmascondições que as empresas de serviços da UTC-FS. Opera na Indústria da Segurança em B2B, a sua oferta é diversificada e cobretodo o espectro da Indústria. A estratégia organizacional dos canais tem a seguintecomposição (B2B): • Venda apenas a instaladores e integradores de segurança. Apoio a Clientes Finais e Profissionais da área (Projectistas e Engenharias). Serviços associados à oferta que acrescentam valor à oferta da UTCF-FS:3 Elaboração própria a partir de dados facultados pela UTC-Fire & Security na mão do seu DirectorComercial Sr. Nuno Tasso de Figueiredo Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 5
  6. 6. • Formações técnicas e comerciais (para toda a cadeia de valor); • Seminários & Workshoops (para toda a cadeia de valor); • Consultadoria e apoio à orçamentação, desenho das soluções (parceiros e gabinetes de projecto, engenharia e Arquitectura); • Customer Service: logística, políticas de reparação e garantias (parceiros); • Serviço de controlo de crédito (parceiros)... Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) - 4Mercado Português da Segurança Electrónica e “share da UTC-FS“ (valores estimados YTD x000€)3. PROBLEMA Como se viu o “Market Share” em 2010 da UTC-FS (Quadro IV) em Portugal traduziu-se, em termos globais em 4,6% e no seu segmento em 17,71%. Como se verificou também, quer um quer outro (Quadro III) tem vindo a decaír ao longo dos últimos tempos, sendo que desde o ano 2006 ao ano 2010 perdeu cerca de 1,60% em termos globais e 6,16% no seu segmento. Não se tendo verificado retracção no mercado, antes pelo contrário (mercadocresceu muito acima dos 20% em igual periodo), as percas registadas só poderão serexplicadas através da penetração da concorrência. A penetração da concorrência, e de acordo com Porter (1985), é efectuada através das seguintes formas - três estratégias genéricas que uma empresa pode utilizar, separadamente ou em conjunto, para competir nos mercados:4 Elaboração própria a partir de documentação facultada pela UTC-FS na pessoa do seu Director Comercial (Nuno Tassode Figueiredo). Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 6
  7. 7. • Liderança em custos, através de economia de escala, redução de custos pela experiência, minimização de custos em áreas como pesquisa e desenvolvimento, serviços, vendas, publicidade, entre outras; • Diferenciação, através da criação de algo que o mercado perceba como sendo exclusivo, como, por exemplo, projecto, imagem da marca, tecnologia, serviço ao consumidor, rede de distribuição, entre outros; • Foco, através do atendimento excelente, em qualidade, serviços e custos, a um segmento de mercado restrito e bem definido.3. 1. SOLUÇÃO ESTRATÉGICA De acordo com Mark Leslie e Charles A. Holloway - The Sales Learning Curve,Harvard Business Review de Julho/Agosto de 2006, ...”Um produto inovador não nascecompletamente formado a partir de um processo de desenvolvimento impecável. Emergedo dar e receber entre todos os departamentos envolvidos na sua criação - a compra,fabrico, engenharia, operações, planeamento, e o chão de fábrica. O mesmo é verdadeiropara a estratégia de vendas que vai trazer o produto ao mercado. É, também, é umprocesso iteractivo que envolve todos os departamentos que enfrentam os clientes.”...Fonte: Harvard Business Review de Julho/Agosto de 2006 Por outro lado, os mesmos autores também referem que ...” Lançar de um produtocompletamente novo num novo mercado não é apenas uma questão de contratar umexército de vendedores e deixá-los à solta assim que o produto é criado. A Investigação e Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 7
  8. 8. Desenvolvimento do produto, marketing, e pessoal das vendas são necessários pararesolver uma série de questões”...Fonte: Harvard Business Review- The Sales Learning Curve, de Julho/Agosto de 2006 Como se vê no quadro acima existem uma série de passos, ou processos, a seremseguidos se se quiserem seguir as melhores práticas e ter algum sucesso. Em todas as faseso Design e a Inovação assumem, ou podem assumir, um papel relevante como porexemplo:Desenvolvimento do Produto: • Valorização do cliente; • Fácil utilização e instalação; • Adaptável ao ambiente;Marketing: • Mensagens de Marketing; • Embalagens; • Publicidade; • Demonstrações; • Relações públicas;Vendas: • Aprendizagem; • Desenvolvimento. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 8
  9. 9. No âmbito deste trabalho escolhi só alguns factores (abaixo a “bold”)demonstrativos de intervenção do Design e da Inovação, fortes contributos para o sucessoda estratégia que também deverá ter em conta outros factores: • Planear, organizar, liderar e controlar; • O conhecimento da cadeia de valor; • Conhecimento do mercado; • Conhecimento de Normas e Regulamentos; • Bases de dados; • Produto; • Embalagem; • Newsletters; • Mailing (Correios e e-mail); • Internet; • Publicidade; • Catálogos & Brochuras; • Workshops e Seminários; • Especificações para o projecto; • Referências; • Segmentação de Mercado; • Canais de Distribuição (exclusivos ou não) • Público alvo (clientes) • Formações (Comercial / Técnico - Disponibilidade Interna e Externa) Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 9
  10. 10. Toda esta estratégia baseada no pressuposto abaixo representado e onde todos os actores envolvidos são peças fundamentais (Design e Inovação incluídos óbviamente).Fonte: Harvard Business Review- The Sales Learning Curve, de Julho/Agosto de 2006Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 10
  11. 11. 4. FERRAMENTAS DE DESIGN E INOVAÇÃO COMO FACTORESCRÍTICOS DE SUCESSO4.1. PRODUTO E MENSAGEM ASSOCIADAFonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) • Fácil utilização • Funcionalidade • Design atractivo • Diagnósticos • Custos Controlados e de acordo com o mercado • SegurançaMestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 11
  12. 12. 4.2. EMBALAGEM Embora o negócio seja em B2B exclusivamente para profissionais (instaladores eintegradores) o fabricante deverá ter, e teve em conta os factores diferenciadores dosseus parceiros face ao mercado (utilizador). Neste caso a embalagem através do Design eda Inovação da mesma desempenham factores determinantes para cativar e transmitir osvalores que se pretendem que o mercado percepcione.Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo)4.2. PUBLICIDADE EM MEIOS PROFISSIONAIS (REVISTAS) Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 12
  13. 13. Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo)4.3. NEWSLETTER’S DIRECIONADAS A TODA A CADEIA DEVALORMestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 13
  14. 14. Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) Um dos meios priviligiados e muito focados de comunicação, utilizado no sentidode transmitir o valor pretendido da oferta. De salientar que esta comunicação deveráser apelativa aos sentidos de forma a cativar.4.4. CADEIA DE VALOR VIRTUAL Na era do WEB 2.0 este veículo de comunicação não pode, nem deve, serdescurado. A apresentação gráfica e a funcionalidade de navegação, entre outras, são umcampo fundamental para o sucesso e uma área de intervenção do DESIGN. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 14
  15. 15. Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo)4.5. FEIRAS, WORKSHOPS E SEMINÁRIOSMestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 15
  16. 16. Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) Para além dos eventos em si (Layout, Iluminação, etc.), existem uma série deprocessos e acções onde o Design e a Inovação também intervêm como por exemplo osconvites, os diplomas ou certificados de participação, etc.4.6. CATÁLOGOS & BROCHURAS Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 16
  17. 17. Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) As brochuras transmitiam a evolução da tecnologia, do legado de qualidade deixadopor plataformas anteriores e com a preocupação gráfica de ir ao encontro da estratégiadefinida.5. CONSTATAÇÕES5.1. PRODUTO A PROMOVER, CONTEXTO E HISTÓRIA O produto a promover, como se viu, é uma plataforma tecnológica com o nome“ADVISOR ADVANCED” que se insere na área das centrais de detecção de intrusão. Como se viu no quadro representativo do mercado (pág.6) a intrusão (Intrusion)representa 17% do mercado da segurança electrónica no País mas para a UTC-FSrepresenta cerca de 40% do seu volume total de vendas e onde tem um “MarketShare” na ordem dos 10%. Com estes dados se vê a vital importância que representa aintrodução de novos produtos assim como efectuá-lo de uma forma inovadora e querespeitem os anseios do mercado.5.2. OBJECTIVOS DE COMUNICAÇÃO Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 17
  18. 18. Como se viu o público alvo da comunicação embora quem compre directamentesejam os instaladores e integradores, é toda a cadeia de valor. As metas têm exclusivamente a ver com o facto de ganhar visibilidade pelacompetência e a inovação e as motivações implicitas são inerentes ao facto de serabrangente ao nível dos decisores dos vários elos da cadeia de valor através de umaoferta apelativa aos sentidos e pelas características funcionais assim como estruturada.5.3. CONCEITOS E STYLE BOARD APLICADOS NA CAMPANHA Como já se vislumbrou esta área de negócio não é muito apelativa aos sentidos masmais direcionada ás características técnicas e funcionalidade, no entanto quer nosinterfaces com os utilizadores do sistema (teclados, leitores, etc.) assim como como plano de comunicação existiram alguns cuidados no sentido de reforçar a ofertano valor percepcionado senão vejamos: • Criou-se um “Touch Screen” com cores e icones adaptáveis (o mais possível) ao gosto pessoal, à arquitectura e à funcionalidade. • Teclados de operação de cores e formas diversas icones adaptáveis (o mais possível) ao gosto pessoal, à arquitectura e à funcionalidade. • Publicidade, Newsletter’s e “site” apelativos de forma visual e que fossem capazes de cativar e direcionar o público para os valores a transmitir (Inovação, Funcionalidade, Competência, Design, Segurança).5.4. DESDOBRAMENTO EM SUPORTES DIVERSOS Como se viu os diversos suportes utilizados foram coerêntes de uma formatransversal quer as embalagens, a Publicidade, o “Site”, as Newsletters, os Seminários asFeiras e os Workshoops estiveram alinhados numa estratégia com um “Road Map”bem definido.5.5. AS ÁREAS DE DESIGN APLICADAS Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 18
  19. 19. • Design de produto como se viu por exemplo nos interfaces com o utilizador e com a nomenclatura da gamaEstratégia de Diferenciação e Especialização de Produtos;Pesquisa de Materiais;Criação ou Redesenho de Produtos com Marca e Imagem Própria; • Design gráfico como se viu em todo o material gráfico (brochuras, newsletters, etc)Identidade Corporativa;Design Editorial e da Informação;Sinalização e Comunicação Visual. • Web design como se viu na arquitectura do site mantendo coerência com a restante comunicação.Criação de Web Sites com Padrões de Comunicação e Identidade Virtual;Arquitetura da Informação, Programação e Acessibilidade. • Design de embalagens como se viu nos exemplos apresentados das embalagensEstudo do ciclo de vida, do transporte e do armazenamento;Criação da embalagem e definição dos materiais. • Design de ambientes como se viu na abrangência da comunicação TODOSDesenvolvimento de ambientes e produtos para serem usados por todos;Criação de projectos visando transformação social e consciência colectiva. Ou seja, e não querendo dizer que também não foi pensado até porque osfabricantes de equipamentos electrónicos estão obrigados a cumprir regras muitoapertadas nesta área, o único que não foi mencionado foi o: • Design sustentável ou design ambientalElaboração de projectos que se preocupam com a não utilização ou re-utilização deprodutos;Utilização de materiais que não prejudiquem o meio ambiente e que sejameconomicamente viáveis.5.6. FACTORES DE DESTAQUE Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 19
  20. 20. • Oferta cumpridora das normas internacionais, neste caso a mais recente EN50131 (não visível na brochura e outros suportes devido à dimensão) • Em termos âmbientais, embora todos os fabricantes da UE sejam obrigados a isso, cumpre integrálmente a legislação acerca do RoHs (Restriction of Certain Hazardous Substances, Restrição de Certas Substâncias Perigosas). • Em termos de argumentos do produto entre vários:8 entradas de zona de base mas expansível a 32 zonas por cabo, wireless ou mista;Placa de expansão “plug in” de entradas e saídas económica;Até 16 entradas de sensores de choque;4 áreas;Até 50 utilizadores;EN50131 Grau de segurança da classe 2 / 2 Ambiental;Porta USB para configuração local;Módulo de voz opcional, módulo GSM, módulo ISDN;Multilingue: cada utilizador na sua própria língua;Caixas diferentes.1 PCB -> Facilidade de instalação / Logística e menos stock / SKUATS Advanced - a mesma filosofia de programaçãoPing / Diagnóstico incorporado -> “User Friendly” para o InstaladorAES / Firewall -> Painel de SeguroDHCP / IP fixo -> Não há configuração de rede necessária / plug & playIníciação remota UD -> ligar de qualquer lugarDNS -> Painel pode lidar com a mudança de endereçamento do IP da receptoraNTP -> sincronização de tempo automatizado10/100 -> Suporta rede diferente • Relativamente à concorrência tecnologicamente introduz mudanças e inovações significativas que permitirão estar um passo à frente e para além disso é uma plataforma extremamente competitiva no preço.5.7. MAIS VALIAS DA CAMPANHA Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 20
  21. 21. As mais valias da campanha, e conforme já foi referido, tem a ver com a visibilidadecriada baseada na Inovação e na competência transmitindo de uma forma transversal aomercado a coerência com o restante portefólio. Quanto à impressão dos actores envolvidos foi recolhida num “Survey” e emtermos gerais, com as informações facultadas pelo Director Comercial da Empresa, foimuito positiva.6. BRANDING O Branding da UTC-FS (antes GE Security), ou o trabalho de construção e gestãoda marca junto ao mercado, é baseada em alguns dos seguintes pressupostos: • Marca Corporativa UTC ou “umbrella” (conforme figura abaixo) • Duas áreas de intervenção ou divisões (“commercial” e “aerospace”) (conforme figura abaixo) Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 21
  22. 22. • Dentro dessas áreas de intervenção ou divisões três negócios ou sub- marcas em cada divisão sendo um deles a UTC-FS (conforme figura abaixo) Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) • Dentro de cada sub-marca ainda se existe uma divisão noutras sub-marcas que trabalham de forma independente, que no caso da UTC-FS apresento o exemplo abaixo..Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 22
  23. 23. Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) A UTC-FS fez a construção de uma marca forte para os produtos, ou a linha deprodutos ou serviços e é consequência de um relacionamento satisfatório com o mercado-alvo. Como esta identificação positiva é forte, a marca passou a valer mais do que opróprio produto oferecido. Branding como é chamado o conjunto de práticas e técnicas que visam aconstrução e o fortalecimento de uma marca. Tudo isto é conseguido através de acções deMarketing que posicionam a marca: • Posicionamento, ou “Como a marca quer ser vista pelo mercado”: “...Diferenciamo-nos não só por sermos um fornecedor, mas também porsermos um aliado a longo prazo...” “...Queremos ser a primeira empresa mundial a oferecer soluçõestecnológicas, para ajudar os nossos clientes a protegerem pessoas, bens ecomunidades...” “...A UTC é uma empresa construída sobre princípios, movidos pela suacultura e baseados na integridade...” Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 23
  24. 24. O posicionamento transmitido ao consumidor tem a ver com a idêntidade daEmpresa e os seus factores de diferênciação. A marca, neste caso, representa ou transmitevalores de integridade, competência, liderança, consciência social , “know how”, etc. • A Notoriedade:Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) • A Integridade baseada num código ético (interno e externo) que transmite confiança a todos os Stakeholders: Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) • A Especialização: A especialização abarca quase toda, a gama de produtos electrónicos de segurança.O âmbito é concorrer a todas as especialidades do sector com um “Know How”transversal a todos os segmentos. É uma área em constante evolução tecnológica, motivadapelas necessidades crescentes do mercado. Estão a emergir outras áreas como por exemploa detecção de explosivos e narcóticos, ou softwares específicos, que por exemplo ajudam ocontrolo de tráfego rodoviário. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 24
  25. 25. No caso de uma empresa Fabricante/Distribuídora querer ser um “Player” domercado, a sua oferta deverá ser atractiva em todas as áreas de intervenção. Esse é um dosargumentos fundamentais para cativar a Indústria da Segurança ( toda a cadeia de valor). • Políticas de Marketing Mix:Produto (Product) - Cuidado no desenvolvimento tecnológico (soluções), no design suafuncionalidade e inovação, na embalagem do produto, da marca, nas cores e como nãopoderia deixar de ser, nas necessidades do mercado. Preço (Price) - Preços definidos de acordo com o peso da marca, solução e mercado. Segmentação de descontos, financiamentos e condições de pagamento (prazos). Preço deve oferecer a melhor relação entre custo e benefício. Distribuição (Placement) - Canais através dos quais o produto chega aos clientes bem definidos Instaladores/Integradores (Internacionais; Nacionais e Regionais) e Distribuídores. Logística bem estruturada (porta a porta), Prazos de entrega e Stocks dimensionados para as necessidades do mercado. Comunicação (Promotion) - Propaganda, publicidade, relações públicas e marketing assente numa estrura centralizada nos “HQ” num departamento intitulado “MARCOM” onde são abordados os mercados alvo sob estas vertentes de uma forma uniforme e coerente através de: • Catálogos, Brochuras e apresentações em PPT • Web Site • Publicidade • Patriocínios “Sponcer” de eventos • Workshops, Seminários e Formações • Newsletters • Responsabilidade social No novo conceito de Marketing Mix foram introduzidas mais 3 vertentes:Pessoas – Onde apostam, como é apanágio da UTC, numa boa gestão, maior qualificação,melhor serviço.Processos – Estruturação de processos de negociação e suporte (Onde?; Quando?;Quem?; Quanto?; Como?)Ambiênte Físico – Onde se consideram factores como o risco e o crescimento. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 25
  26. 26. Ou seja a UTC-FS stá organizada de modo a que a comercialização dos produtossejam administrados separadamente dos negócios de serviços (B2B + B2C), com presençaglobal; 40.000 empregados em todo o mundo; 6,5 MM $ de receitas (2008) e cujo trabalhoem termos de Branding é reflectido no quadro abaixo: Fonte: Elaboração própria através de dados facultados pelo Director Comercial da Empresa (Nuno Tasso de Figueiredo) O objetivo do branding é entre outros aumentar o brand equity (equidade damarca ou activo da marca) - o valor monetário da marca e assim aumentar o valor daempresa em si. Este trabalho de relações públicas, marketing, administração, semiótica,design gráfico e arquitetura, que visaram desenvolver positivamente a reputação da marca,produtos e da organização alinhado-os com os objetivos organizacionais e o públicoalmejado. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 26
  27. 27. 7. CONCLUSÃO A Importância de uma cultura de Inovação através do Design nas organizaçõesmodernas e num mundo cada vez mais competitivo é fundamental. Tem que existirforçosamente a apetência para a valorização do desempenho dos recursos criativos, tendocomo cenário o futuro e a capacidade de prospectiva económica. Transformando a oportunidade inovadora em vantagem competitiva as empresassó têm a ganhar a todos os níveis: • Passam a sua mensagem corporativa e os valores implícitos; • Ganham notoriedade e reconhecimento; • Tornam os negócios mais sustentáveis e de acordo com as exigências do mercado. Em empresas tradicionalistas como a UTC a inovação da comunicação écomplicada e muito baseada no que é tradicional. Indo de encontro a esta ideia atépoderiamos traçar um paralelismo entre aquilo que se passa com o fenómeno dapublicidade tradicional (cada vez menos eficaz) face aos novos modelos utilizando a cadeiade valor virtual (mais eficaz). No entanto, e sabendo da pouca eficácia dos meiostradicionais, continuam-se a investir Milhões que não garantem eficácia nenhuma. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 27
  28. 28. 8. BIBLIOGRAFIA & NETGRAFIABIBLIOGRAFIA • KOTLER, Philip, Administração de marketing: analise, planejamento, implementação e controle; tradução Ailton Bomfim Brandão. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1998, 725p • Mark Leslie e Charles A. Holloway - The Sales Learning Curve, Harvard Business Review de Julho/Agosto de 2006 • Porter, M.E. (1985) Competitive Advantage, Free Press, New York, 1985.NETGRAFIA • Frases de Design, [em linha], 2011, http://www.webfrases.com/resultado_busca.php , [consultado em 03-02-11]. • UTC-FS, [em linha], 2011, http://www.gesecurity.net/, [consultado em 03-02-11].Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 28
  29. 29. Mestrado Gestão de Serviços 08-05-2012 de Clientes 29

×