Reformas religiosas

6.621 visualizações

Publicada em

O Tempo das Reformas Religiosas

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Muito bem Sr Professor, já reparei que gosta de copiar as apresentações dos outros colegas e apaga o nome do autor. Sim senhor. GRANDE PROFISSIONAL.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.621
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
348
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
432
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reformas religiosas

  1. 1. As reformas religiosasdo Século XVINelson Manuel Jesus Faustino
  2. 2. Crises religiosas na Europa Século XII-XIII  Heresia dos Cátaros. Século XIV  Jonh Wyclif contesta a autoridade do clero na Inglaterra. Século XV  João Huss defende os checos contra o domínio do Império Alemão;  Savonarola prega contra o luxo e corrupção na Sociedade.
  3. 3. Crises religiosas na Europa Grande parte da igreja do século XV tinha-se afastado dos princípios de pobreza pregados por Cristo e pelos primeiros apóstolos, e vivia no luxo e na ostentação. A corrupção alastrava dentro da igreja católica. Motivos para o descontentamento  Venda de cargos religiosos;  Falta de preparação e vocação dos membros do clero;  Luxo, ostentação, vida mundana e imoral dos clérigos;  Venda da Bula das Indulgências.
  4. 4. Crises religiosas na Europa Primeiras criticas à Igreja (Humanistas do Renascimento)  Erasmo de Roterdão (1466-1536)  Critica os abusos do clero; Erasmo de Roterdão  Defende a necessidade de uma purificação da moral e dos costumes.  Autor da obra “O elogio da Loucura”
  5. 5. Reforma Luterana Bula das Indulgências  Em 1513, o papa Leão X, decide enviar monges por toda a Europa, solicitando aos fieis uma contribuição para a conclusão das obras da Basílica de S. Pedro;  Em troca o Papa concedia uma Indulgência, isto é um documento que lhes perdoava a penitência pelos seus pecados.
  6. 6. IMPLANTAÇÃO DAS RELIGIÕES NA EUROPA In Rumos da História 8, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
  7. 7. Reforma Luterana Reacção de Lutero  Martinho Lutero (1483- 1546);  Monge Agostinho;  Face às Indulgências afixa, em 1517, as 95 teses onde critica publicamente toda esta situação;  Acaba por ser excomungado.
  8. 8. Reforma Luterana Princípios Luteranos  Autoridade única da Bíblia  Tradução do texto sagrado para alemão.  Relação directa do crente com Deus:  Rejeição do papel mediador do clero  Rejeição da autoridade do Papa  Alteração da doutrina da Igreja  Aceita apenas dois sacramentos (baptismo e eucaristia);  Rejeição do culto dos santos e da Virgem;  Instituição de pastores (responsáveis pelo culto)
  9. 9. Outras Reformas Reforma Calvinista  João Calvino (1509-1564)  Defende a teoria da Predestinação  Cada crente já estaria, desde a origem, destinado por Deus à Salvação ou à condenação eterna.
  10. 10. Outras Reformas Reforma Anglicana  Fundada pelo rei Henrique VIII (1491-1547) em 1534;  O rei é o chefe supremo da igreja;  Contestação do poder do Papa e do clero em Inglaterra.  Motivada pelo interesse do rei anular o seu casamento com Catarina de Aragão e voltar a casar com Ana de Bolena.
  11. 11. Contra-Reforma e Reforma Católica Concílio de Trento  Bispos e Cardeais analisaram as críticas dos protestantes.  Principais decisões  Reafirmados todos os dogmas;  Mantiveram-se os sete sacramentos  Reforçado o culto dos Santos e da Virgem Maria  Reformação dos costumes da Igreja e Organização da Igreja:  Disciplina mais severa e celibato dos padres
  12. 12. Contra-Reforma e Reforma Católica Novos Instrumentos  Companhia de Jesus (Jesuítas)  Criada por Inácio de Loyola  Tinha como grandes objectivos:  Defender o catolicismo e promover a sua difusão pelo mundo.  Os Jesuítas dedicavam-se à missionação, pregação e ensino.
  13. 13. Contra-Reforma e Reforma Católica Novos Instrumentos  Index (Index Librorum Prohibitorum)  Catálogo dos livros cuja leitura era proibida aos católicos, sob pena de excomunhão.
  14. 14. Contra-Reforma e Reforma Católica Novos Instrumentos  Inquisição (tribunal do Santo Ofício)  Tribunal eclesiástico destinado a defender a fé católica;  Vigiava, perseguia e condenava aqueles que fossem suspeitos de praticar outras religiões.
  15. 15. Caso Peninsular Península Ibérica  Impenetrável ao reformismo protestante  Grande comunidade Judaica Espanha  Reactivação da Inquisição em 1492;  Expulsão dos Judeus do território
  16. 16. Caso Peninsular Portugal  1496 – D. Manuel I dá ordem de expulsão dos Judeus que não se convertessem ao cristianismo;  Os convertidos passaram a ser designados por Cristão-novo.  1536 – D. João III introduz a Inquisição em Portugal  Foram realizados milhares de autos-de-fé (julgamentos religiosos)
  17. 17. Caso Peninsular Portugal 2 tipos de Cristão Cristão-Velho Cristão-NovoAquele que já seguia a fé católica Judeu convertido ao cristianismo
  18. 18. Caso Peninsular Auto-de-Fé  Cerimónia pública em que os condenados pela Inquisição ouviam as acusações e as penas a que seriam sujeitos.
  19. 19. Auto-de-fé no Terreiro do Paço, em Lisboa

×