Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII

28.028 visualizações

Publicada em

Portugal nos Séculos XI-XIII

Publicada em: Educação
1 comentário
13 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
28.028
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.431
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
642
Comentários
1
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII

  1. 1. PORTUGAL NO CONTEXTOEUROPEU DOS SÉCULOS XII-XIVO DINAMISMO RURAL E OCRESCIMENTO ECONÓMICO
  2. 2. O Crescimento Demográfico Séculos XII-XIV FIM DAS INVASÕES ALTERAÇÕES (CLIMA DE PAZ) CLIMÁTICAS AUMENTO DA PRODUÇÃO AGÍCOLA MELHORIA DA ALIMENTAÇÃO (AUMENTO DEMOGRÁFICO)
  3. 3. Os Progressos AgrícolasO aumento da produção agrícola está ligado à aplicação das seguintes técnicas: • Arroteias – Aproveitamento de terras através do derrube de florestas e drenagem de pântanos. • Utilização do ferro – Substituição da madeira pelo ferro nas alfaias agrícolas (arado). • Adubação – Utilização de estrume animal para fertilização dos campos. • Construção de moinhos de vento e de água – moer cereal. • Afolhamento trienal – Divisão da terra em três folhas.
  4. 4. Os Progressos Agrícolas
  5. 5. Os Progressos Agrícolas Afolhamento Trienal
  6. 6. Os Progressos nos Transportes• Ferradura – Aplicação da ferradura nos cascos (impedia o desgaste).• Atrelagem em fila – Facilitava a deslocação de cargas pesadas.• Uso da Coelheira – Colocação de uma coleira nas omoplatas facilitando a tração.• Leme fixo à popa – facilitava a manobra dos navios. A – Atrelagem Tradicional B – Atrelagem com Coelheira
  7. 7. A Reanimação do Comércio PROGRESSOS NOS AUMENTO DA TRANSPORTES PRODUÇÃO AGRÍCOLA + CLIMA DE PAZ EXCEDENTES MAIOR SEGURANÇA DE DE PRODUÇÃO DESLOCAÇÕES REANIMAÇÃO DO COMÉRCIO (MERCADOS E FEIRAS) + REAPARECIMENTO DA MOEDA
  8. 8. A Reanimação do Comércio: Mercados e Feiras FEIRAS – Realizavam-se uma vez por MERCADOS – Realizavam-se com ano e envolviam mercadores de lugares frequência (semanalmente/mensalmente) muito distantes (estavam associadas a e apenas envolviam mercadores locais festas religiosas e peregrinações). ou regionais.CRIADAS PELA CARTA DE FEIRACARTA DE FEIRA – Documento passadopelo rei que estabelecia as regras da feirae os direitos e deveres dos mercadores
  9. 9. A Reanimação das Cidades REALIZAÇÃO DE FEIRAS E MERCADOS NA PROXIMIDADE DAS CIDADES CRESCIMENTO DOS CENTROS URBANOS APARECIMENTO ALARGAMENTO DAS DE NOVAS CIDADES CIDADES EXISTENTES BURGOS (Novos Bairros em que os habitantes deram origem a uma nova classe – BURGUESIA)
  10. 10. PORTUGAL NO CONTEXTOEUROPEU DOS SÉCULOS XII-XIVRELAÇÕES SOCIAIS EPODER POLÍTICO
  11. 11. O Reforço do Poder Senhorial RECONQUISTA CRISTÃ DOAÇÕES DE TERRAS FEITAS PELOS REIS PORTUGUESES AO CLERO E NOBREZA PELOS SERVIÇOS PRESTADOS SENHORIOS DA NOBREZA SENHORIOS DO CLERO (HONRAS) (COUTOS) REFORÇO DO PODER SENHORIAL
  12. 12. Honras – Domínios da nobreza (Norte do País)Coutos – Domínios do Clero (Sul do País)
  13. 13. Os Benefícios dos Senhorios• JEIRAS e JUGADOS – Serviços gratuitos prestados pelos camponeses do domínio senhorial.• RENDAS– Pagamento feito pelos camponeses pelo uso e exploração dos casais (mansos).• DÍZIMO – Imposto pago pelos camponeses nos domínios senhoriais do clero (1/10 da produção).• ISENÇÃO FISCAL – Isentos de impostos ao rei.• APLICAÇÃO DA JUSTIÇA – Direito de Quem atravessava o domínio senhorial pagava aplicar a justiça nos seus domínios. Portagem
  14. 14. Os Concelhos AVANÇO DA RECONQUISTA PARA SUL (NECESSIDADE DE POVOAR E DEFENDER AS ÁREAS RECONQUISTADAS) CRIAÇÃO DE CONCELHOS (CARTA DE FORAL)CARTA DE FORAL – Documento através do qualo rei criava os concelhos e onde estavam definidosos direitos e deveres dos seus habitantes. CONCELHOS
  15. 15. Os Símbolos dos Concelhos SELO HABITANTES DOS CONCELHOS• Cavaleiros-vilãos ou Homens-bons (tinham rendimentos suficientes PELOURINHO para servir a cavalo no exército do rei).• Peões (pequenos proprietários e rendeiros que trabalhavam em troca CONCELHOS – Comunidade de homens de salário). livres que tinham autonomia administrativa e judicial.
  16. 16. A Centralização do Poder RégioEntre os séculos XIII-XIV os reisem Portugal vão criar medidaspara limitar os poderes dasordens privilegiadas e Inquéritos feitos pelo poder centralcentralizar o poder em si no sentido depróprios: Inquirições recuperar terras usurpadas pelos senhores à coroa Confirmação de Medidas a bens doados pela partir do século Confirmações coroa aos XIII senhores e às povoações Impedir a concentração de Leis de terras pelo clero. Desamortização Proibição de adquirir bens fundiários
  17. 17. PORTUGAL NO CONTEXTOEUROPEU DOS SÉCULOS XII-XIVO COMÉRCIO EUROPEU DOSSÉCULOS XII E XIV
  18. 18. Os Centros do Comércio InternacionalNo século XIII as rotasterrestres, fluviais emarítimas colocavam emcontacto quatro grandescentros do comérciointernacional europeu: Liga Hanseática Feiras da Champagne Cidades Italianas Flandres
  19. 19. Lisboa nos Circuitos Comerciais do Século XIII O transporte terrestre continuava problemático pois era muito caro devido à sua lentidão e ao pagamento de peagens e de portagens. O transporte preferido era o fluvial e marítimo porque era mais rápido e barato Lisboa tornou-se porto de escala das rotas europeias o que tornou a cidade centro da vida económica, política e social do país
  20. 20. Lisboa e o ComércioExterno Português

×