História de mato grosso do sul brasil colônia

315 visualizações

Publicada em

Slides sobre a História de MS no Brasil Colônia.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
315
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História de mato grosso do sul brasil colônia

  1. 1. História de Mato Grosso do Sul: Brasil Colônia
  2. 2. • A ocupação humana do estado de Mato Grosso do Sul iniciou-se por volta de 10.000 A.C. através dos primeiros habitantes indígenas, ancestrais dos ameríndios contemporâneos Guaranis, Terenas, Caiouas e Caiapós, tendo, através dos anos, novos povos se estabelecido na região, como por exemplo os Ofaiés.
  3. 3. Índios Guaranis:
  4. 4. Índio Paiaguá:
  5. 5. Kayowa:
  6. 6. • A partir da conquista da América, iniciou-se uma corrida para essa região, após a riqueza do Império Inca, no Peru, ter sido feito famosa por Pascual de Andagoya. Na década de 1510, Juan Díaz de Solís tentou alcançar aquele império pelo estuário do Rio da Prata, mas sua tentativa foi fracassada.
  7. 7. Juan Diaz de Solis:
  8. 8. Rio da Prata:
  9. 9. • Na década seguinte, no ano de 1524, foi a vez de Aleixo Garcia um português sobrevivente da expedição de Solís, tentar sua sorte. Seguindo a lenda do "Rei Branco", contada a ele por índios guaranis quando acompanhava Solís, Aleixo Garcia passou dez anos juntando homens e recursos para visitar o território.
  10. 10. • Foi o primeiro europeu a pisar em solo sul- matogrossense, o qual alcançou pelo Rio Paraguai, atingindo a região onde hoje está a cidade de Corumbá. Aleixo Garcia, no entanto, foi frustrado em alcançar o Império Inca, pois foi assassinado por índios em território paraguaio.
  11. 11. Aleixo Garcia:
  12. 12. • Foi Francisco Pizarro quem conquistou e destruiu o império dos Incas, o qual alcançou vindo do norte, e não pelo estuário do Prata, como Solís e Garcia haviam tentado. De qualquer maneira, aventureiros continuavam tentando fazer o percurso através do Rio Paraná.
  13. 13. • Nos anos de 1537 e 1538, o espanhol Juan Ayolas e seu acompanhante Domingos Martínez de Irala também estiveram na região de Corumbá, navegando pelo rio Paraguai, e denominaram Puerto de los Reyes à lagoa Gayva. Por entre 1542 e 1543,
  14. 14. • Álvar Núñez Cabeza de Vaca, aventureiro espanhol, também passou por Corumbá para seguir para o Peru. Outro visitante foi o governador de Assunção, Domingos Martínez de Irala, que marchou até os Andes.
  15. 15. Cabeça de Vaca:
  16. 16. Tentativas de povoamento - a comunidade de Xerez e os jesuítas
  17. 17. • Em 1579, foi fundada a comunidade de Xerez, nas proximidades dos rios Miranda e Aquidauana. Esse povoamento, no entanto, foi destruído pelos índios Guaicurus. • Na década de 1610 uma missão jesuítica já se expandia de Assunção, no Paraguai, ao sul de Mato Grosso, tendo aldeado as comunidades indígenas do Itatim em território sul- matogrossense.
  18. 18. • Apoiada pela Espanha e pela Igreja Católica, a intenção era assegurar o controle do vale do Rio Paraguai e articular as missões do Itatim com as de Mojos e Chiquitos, de modo a assegurar proteção à região das minas de Prata em Potosí na atual Bolívia.
  19. 19. • Entre 1630 e 1640, no entanto, estas missões foram brutalmente destruídas pelos bandeirantes, tendo partido de Antônio Raposo Tavares, em novembro de 1648, o golpe final.
  20. 20. • Grande parte da região do atual Mato Grosso do Sul era conhecida pelo termo guarani Itatim (pedra branca). No local houve duas reduções jesuíticas ligadas ao Colégio Jesuítico de Assunção (1598) com a finalidade de converter e reduzir os índios itatines, falantes da língua Guarani. As reduções foram denominadas de Nossa Senhora da Fe e Santiago de Caaguaçu.
  21. 21. Missões do Itatim:
  22. 22. • A duração da missão do Itatim foi curta e estendeu-se entre 1631 e 1659, época em que os constantes ataques das expedições escravistas de paulistas, posteriormente chamadas de bandeiras, concentraram-se na região abaixo do rio Apa, para facilitar a defesa.
  23. 23. Os bandeirantes e os primeiros povoamentos: • A região sudoeste do atual estado de Mato Grosso do Sul por longos anos esteve sob a influência espanhola. Quanto ao restante do estado, desenvolvia-se muito lentamente, principalmente devido às dificuldades de comunicação com o restante
  24. 24. • do país, apesar de, desde 1617, a região leste sul-matogrossense ter recebido visitas de bandeirantes paulistas, e de em 8 de abril de 1719 ter sido criada Cuiabá. O sul matogrossense era uma área de difícil acesso, para não se dizer isolada, e suas cidades do período colonial foram se fundando lentamente.
  25. 25. Vila de Bom Jesus de Cuiabá:
  26. 26. Cuiabá
  27. 27. • Na atual área de Coxim, nasceu em 1729, sob o nome de Belliago, nome de seu fundador, um povoado que servia de apoio às monções que iam de São Paulo ao norte de Mato Grosso.
  28. 28. • Anos mais tarde, visando a um tratado de limites existente, foi fundado pelos espanhóis, em 1774, um povoado na foz de Ipané, e em 13 de setembro de 1775 foi oficialmente fundado o Forte Coimbra para a defesa da região
  29. 29. Forte Coimbra:
  30. 30. • Ainda na década de 1770, o Capitão João Leme do Prado, ao desbravar os rios Miranda e Aquidauana, encontrou as ruínas da antiga comunidade de Xerez. Seguindo ordens do Capitão Caetano Pinto de Miranda Montenegro, governador da então capitania de Mato Grosso, fundou lá, em 16 de julho de 1778, os alicerces do Presídio Nossa Senhora do Carmo do Mondego,
  31. 31. Capitão Caetano Pinto de Miranda Montenegro:
  32. 32. • mais tarde conhecido por Presídio de Miranda. Miranda, o povoado que nasceu aos pés da fortificação e que levava o nome de Presídio, no entanto, era de difícil acesso por serem precários os meios de navegação pelo Rio Mondego (hoje Rio Miranda), e somente os fundadores do local lá permaneciam.
  33. 33. Rio Miranda:
  34. 34. • Em 1778, efetuou-se a ocupação da área onde hoje se localiza Corumbá. Em 21 de setembro desse mesmo ano, a mando do governador da capitania de Mato Grosso, o capitão-general Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, o Sargento-mor Marcelino Rois Camponês,
  35. 35. • que comandava uma expedição militar, adquiriu a posse da região para a Coroa Portuguesa, fundando o local e batizando-o com o nome de Nossa Senhora da Conceição de Albuquerque, sendo então lavrado o termo de fundação.
  36. 36. Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres:
  37. 37. Corumbá:

×