A Revolução Francesa (2015)

736 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
736
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Revolução Francesa (2015)

  1. 1. REVOLUÇÃO FRANCESA (1789 – 1799)
  2. 2. A Liberdade Guiando o Povo (1830), Museu do Louvre (Paris).A Liberdade Guiando o Povo, por Eugène Delacroix de 1830.
  3. 3. ANTECEDENTES: FRANÇA  Maior população da Europa Ocidental (25 milhões), grande parte vivendo nas áreas rurais (80%);  Crise econômica em função da concorrência inglesa, do excesso de gastos, altos impostos, inundações e secas; Difusão de ideais iluministas.
  4. 4. MONARQUIA PARASITÁRIA Gastos exagerados com festas, banquetes, pensões, guerras inúteis e tratados desvantajosos. Representaç ão de Luís XVI, Maria Antonieta e a corte.
  5. 5. Sociedade estamental, com extrema desigualdade. 97% 2% 1% 1º ESTADO: CLERO 2º ESTADO: NOBREZA 3º ESTADO: BURGUESIA + CAMPONESES + SANS CULOTES (sem culotes: traje da nobreza): Obrigações e impostos Terras, cargos prestígio, privilégios, e isenção fiscal
  6. 6. Insatisfeitos com o governo de Luís XVI os burgueses e os demais membros do 3º Estado se mobilizaram e passaram a exigir mudanças na organização política, social e econômica do Estado. REUNIÃO DOS ESTADOS GERAIS (1787) O rei autoriza a convocação dos Estados Gerais onde o 1º, 2º e 3º se reúnem para tentar solucionar os problemas econômicos da França, só que o 1º e 2º não concordam em pagar tributos.
  7. 7. Sessão inaugural dos Estados Gerais, em Versalhes (1789).
  8. 8. ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE (1789 – 1791) Diante da impossibilidade de resolver a questão , o 3º Estado se separou dos demais e declarou:
  9. 9. A elaboração de uma CONSTITUIÇÃO representaria o FIM DO ABSOLUTISMO MONÁRQUICO na França O 1º e 2º Estado tramavam dissolver a Assembleia à força, concentrando tropas ao redor de Paris. Porém a ação popular...
  10. 10. Em 14 de julho de 1789 ocorre a TOMADA DA BASTILHA, com grande apoio de grande parte da população. A Tomada da Bastilha (1789), por Jean-Pierre Louis Laurent Houel. A prisão que simbolizava o poder monárquico foi tomada pelos rebeldes.
  11. 11. nários do dia 14 de julho de 1789 na França.
  12. 12. Na zona rural os camponeses tomaram castelos, incendiaram plantações, massacraram membros da nobreza e do clero e queimaram documentos de servidão, exigindo distribuição de terras entre os que nelas trabalham. Grande Medo (Agosto de 1789)
  13. 13. Algumas propostas realizadas pelos membros da Assembleia Nacional: - Fim dos privilégios feudais; - padronização do sistema de arrecadação de impostos; - E entre outras. A obra mais influente foi a DECLARAÇÃO DO DIREITO DOS HOMEM E DO CIDADÃO.
  14. 14. DECALARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO (03/09/1791) Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Na introdução, que seria denominada Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, foi colocado os ideais da Revolução, sintetizados em três princípios: “Liberdade, Igualdade, Fraternidade”.Este importante documento trazia significativos avanços sociais, garantindo direitos iguais aos cidadãos e igualdade dos cidadãos perante a lei. Essa declaração também limitou os poderes do rei e assegurou as pessoas o direito a propriedade.
  15. 15. Proclamação da Constituição Francesa de 1791
  16. 16. MONARQUIA CONSTITUCIONAL (1791 – 1792) - Tendo como base a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, em 1791, foi promulgada a PRIMEIRA CONSTITUIÇÃO DA FRANÇA que resumia as realizações da Revolução. - Foi implantada uma MONARQUIA CONSTITUCIONAL, isto é, o rei perdeu seus poderes absolutos e criou-se uma efetiva separação entre os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. Além disso, foram concedidos direitos civis completos aos cidadãos. - Abolido o regime feudal e senhorial; - Suprimido o dízimo feudal; - A escravidão foi mantida nas colônias; - Proibiram a venda de cargos públicos e a isenção tributária das camadas privilegiadas; - Voto censitário (voto de acordo com a renda);
  17. 17. ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA (1º/10/1791) Durante os primeitos tempos da Monarquia Constitucional as cadeiras da Assembléia Nacional Legislativa foram ocupadas predominantemente por elementos da burguesia. A Assembléia Legislativa, que iniciou suas sessões em 1º de outubro, era formada por 750 membros, sem experiência política.
  18. 18. Jacobinos Girondin os Pântanos ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DIREITA ESQUERDA CEN TRO
  19. 19. OS LÍDERES JACOBINOS Georges Jacques DANTON foi um dos jacobinos mais destacados. Ao longo da Revolução foi evoluindo para posições mais moderadas do que Robespierre, pedindo o fim do Período do Terror. Foi executado em 1794. Estátua de Danton, em Tarbes.
  20. 20. Louis-Antoine de SAINT-JUST foi um aspirante a literato, pensador e político revolucionário francês. Foi eleito para a Convenção em 05 de setembro de 1792, e votou pela execução do Rei.  Além disso, foi também responsável pela instalação do regime do terror jacobino durante a Revolução Francesa.
  21. 21. Jean Paul MARAT foi outro dos deputados jacobinos mais importantes e populares. Assassinado em 1793 pela monarquista Charlotte Corday, sua morte gerou uma onda de violência anti- monárquica.
  22. 22. Representação do Assassinato de Marat por Charlotte Corday
  23. 23. A morte de Marat por Jacques-Louis David (1793).
  24. 24. ROBESPIERRE foi o mais radical dos deputados jacobinos. Foi quem incentivou a execução dos elementos contrários à Revolução. Acabou caindo vítima dos seus adversários e, em 1794, foi executado junto com 21 de seus seguidores. Robespierre por Boilly Louis Léopold (1761- 1845).
  25. 25. É nesse cenário político (MONARQUIA CONSTITUCIONAL) que a França é invadida, em 1792, por países absolutistas (Áustria e Prússia) na tentativa de restaurar o Absolutismo real.
  26. 26. Em 20 de Setembro de 1792 aconteceu aquilo que parecia impossível: as tropas revolucionárias, famintas, mal vestidas, mas alimentadas por seus ideais, derrotaram, ao som da Marselhesa (o hino da revolução), a coligação antifrancesa na Batalha de Valmy.
  27. 27. A população de Paris percebeu que o rei Luís XVI havia apoiado as forças contrarrevolucionárias e, por isso, acreditava que ele era um traidor. Com isso, a MONARQUIA É ABOLIDA! Traidor Traidor
  28. 28. Pintura mostra o rei Luís XVI, a rainha, Maria Antonieta, e seus filhos, na fuga de Varenne que aconteceu em 1791
  29. 29. Este momento é denominado de: CONVENÇÃO NACIONAL (1792-1795) -Um novo órgão representativo que tinha como principais objetivos organizar a defesa militar da França. Inicialmente foi dominado pelos girondinos. -Nesse período foi proclamada a REPÚBLICA (21/09/1792), bem como uma Constituição republicana. -Aprovação do direito de voto a todos os homens (sufrágio universal masculino), independente da renda. Uma nova coligação contrarrevolucionária agora composta pelos exércitos da Inglaterra, Espanha, Áustria, Prússia e outros Estados europeus.
  30. 30. A CONVENÇÃO NACIONAL (1792-1795) Para que essa coligação de países não atrapalhassem os planos dos girondinos esse investem em armamentos e soldados. Fato esse que endividou a França e fez com que a inflação novamente voltasse a assolar a nação. Diante desse fato os sans-culottes se unem aos jacobinos e tomam o poder do girondinos durante a Convenção. Sans-culottes era a denominação dada pelos aristocratas aos artesãos, trabalhadores e até pequenos proprietários participantes da Revolução Francesa.
  31. 31. No primeiro período da Convenção foram descobertos documentos secretos de Luís XVI que provaram o seu comprometimento com o rei da Áustria. O fato acelerou as pressões para que o rei fosse julgado como traidor.
  32. 32. Na Convenção Nacional, os girondinos dividiram- se, pois alguns optaram por um indulto e outros pela pena de morte. Os JACOBINOS, reforçados pelas manifestações populares, EXIGIAM A EXECUÇÃO DO REI, indicando o fim da supremacia girondina na
  33. 33. Em 21 de janeiro de 1793, Luís XVI foi executado na guilhotina na praça da Revolução.
  34. 34. A grande guilhotina desce sobre a cabeça de Luís XVI, que é exibida ao povo, como se costumava fazer com todos os executados.
  35. 35. A CONVENÇÃO NACIONAL (1792-1795) Em julho de 1793 os jacobinos estruturam um novo governo em torno do Comitê de Salvação Pública e o Comitê de Segurança Pública. Esses órgãos seriam responsáveis pela implantação das reformas necessárias, entre elas estão: - Substituição das autoridades provinciais monarquistas por agentes nacionais fieis as ordens do comitê; - Educação publica gratuita; - Abolição da escravidão nas colônias francesas; - Criação de manufaturas públicas (bélicas e têxteis); -Estabelecimento da lei do preço máximo, que tabelava o preço do pão e dos cereais. Nesse primeiro momento eles também aprovam uma Constituição Republicana, que ampliavam diversos direitos aos cidadãos. Mas por conflitos internos e externo essas Constituição nunca foi aprovada.
  36. 36. Sua esposa Maria Antonieta foi executada em 16 de outubro de 179 3, também na praça da Revolução, com guilhotina.
  37. 37. Retratos de Maria Antonieta
  38. 38. A Execução de Maria Antonieta
  39. 39. Morte pela guilhotina: entre 35.000 e 40.000 pessoas foram executadas durante o período do "Terror".
  40. 40. Segundo Voltaire um dos símbolos mais perduráveis da Revolução de 1789,além do seu formidável apelo a favor da igualdade entre os homens, foi contraditoriamente uma máquina de matar: a guilhotina. A Guilhotina, a Máquina da Morte A FESTA  DA MORTE ( Prece revolucionária, 1792 - 1794) Repleta teu cesto divino com a cabeça de tiranos... Santa guilhotina, protetora dos patriotas, Rogai por nós. Santa guilhotina, calafrio dos aristocratas, Protegei-nos
  41. 41. cri O Calendário e o Relógio criado durante o período republicano. PÁG. 76 e77.
  42. 42. A FASE DO TERROR - Teve seu início em setembro de 1793.
  43. 43. Interior de um comitê revolucionário durante o terror. 1793 - 1794 Robespierre (“o incorruptível”) um dos principais líderes dessa fase prendeu inúmeras pessoas por considerarem essas inimigas
  44. 44. Os sans-culottes pretendiam radicalizar mais a revolução. RELEMBRANDO.... Sans-culottes  eram trabalhadores e até pequenos proprietários participantes da Revolução Francesa a partir de 1771, principalmente em Paris. Livremente traduzido da língua francesa como "sem culotes", o culote era uma espécie de calções justos que se apertavam na altura dos joelhos, vestimenta típica da nobreza naquele país à época da Revolução. Em seu lugar, os "sans-culottes" vestiam uma calça comprida de algodão grosseiro,traje tipicamente utilizado pelos burgueses.
  45. 45. Cansada do terror, execuções, congelamento de preços e dos excessos revolucionários, a burguesia queria paz para seus negócios. Essa posição era defendida pelos jacobinos liderados por Danton.
  46. 46. Por discordarem das ideias, de quem estava no comando dos jacobinos (facção de centro), partidários e políticos foram executados, entre eles Danton. Para Robespierre tais medidas eram necessárias para evitar para evitar as radicalizações. A facção de centro, liderada por Robespierre e Saint-Just, triunfou, porém ficou isolada.
  47. 47. O GOLPE DO TERMIDOR E A REAÇÃO TERMIDORIANA - O golpe de 27 de Julho de 1793 (9 Termidor, de acordo com o calendário revolucionário francês) marcou a queda da pequena burguesia jacobina e a volta da grande burguesia girondina ao poder. - Foi decretada a prisão de Robespierre e seus líderes, após a sumaria acusação foi executado na guilhotina. - Nesse processo o movimento popular entrou em franca decadência. Terror Branco
  48. 48. A REAÇÃO TERMIDORIANA O fim da era jacobina no poder.
  49. 49. A execução de Robespierre
  50. 50. DIRETÓRIO (1794 a 1799) - Foi uma fase conservadora, marcada pelo retorno da alta burguesia ao poder e pelo aumento do prestígio do Exército. - Uma nova constituição entregou o Poder Executivo ao Diretório, uma comissão constituída de cinco diretores (e 8 ministros) eleitos por cinco anos. As leis instituídas pelos jacobinos foram anuladas, assim as conquistas populares.
  51. 51. DIRETÓRIO (1794 a 1799) - Neste período registra-se uma oposição interna ao governo girondino, devido à crise econômica e à anulação das conquistas sociais jacobinas. - Tentativas de golpe à direita (monarquistas ou realistas) e à esquerda (jacobinos e sans-cullotes) ocorreram neste período. O exército francês, que lutou contra os exércitos estrangeiros, passou a combater as revoltas contra o governo. Com isso, os generais foram estimulados a partir para guerra de conquista. Um dos generais de maiores destaque do período foi Napoleão Bonaparte.
  52. 52. 18 BRUMÁRIO (09/11/1799) É o GOLPE DE ESTADO dado por NAPOLEÃO BONAPARTE Esse assume o governo na França e tem-se o fim da República.
  53. 53. Era Napoleônica Com a chegada de Napoleão Bonaparte ao poder tem-se início a Era Napoleônica (1799 – 1814) na França.
  54. 54. Vídeo: Documentário sobre a Revolução Francesa do History Chanel (Vídeo Completo). Link: https://www.youtube.com/watch?v=tHkcp0f2kwc

×