24. apresentação cras_ilhas_rede

229 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

24. apresentação cras_ilhas_rede

  1. 1. FUNDAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ILHAS •Localização: rua da Cruz, n° 5, bairro Arquipélogo •Território: Ilhas do Pavão Ilha Grande dos Marinheiros Ilha das Flores Ilha da Pintada/Mauá
  2. 2. CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ILHAS ENCONTRO DE PRÁTICAS PAIF/SETEMBRO 2013 EIXO DE AÇÃO: FORMAS INTEGRADAS DE TRABALHO AÇÃO: ARTICULAÇÃO ENTRE SEGURANÇA ALIMENTAR, SERVIÇOS E COMUNIDADE
  3. 3. RELEVÂNCIA • A partir de discussões realizadas pelo CRAS junto à CORAS e à Rede de Proteção da Infância e Juventude avaliou-se a importância de uma ação integrada de Segurança Alimentar no território do Arquipélago com vistas: a) ao controle social sobre a distribuição de alimentos; b) a dar visibilidade para as famílias em situação de insegurança alimentar; c) à articulação dos Serviços no acompanhamento das famílias; d) à ampliação da concepção de Segurança Alimentar, compreendendo as suas interfaces com a saúde de forma integral e com a assistência na garantia de direitos. • A ação integrada iniciou-se em novembro de 2012
  4. 4. ARTICULAÇÃO ENTRE SEGURANÇA ALIMENTAR, SERVIÇOS E COMUNIDADE Objetivo Geral: • Fomentar a política de Segurança Alimentar, com vistas a dar visibilidade às famílias em situação de insegurança alimentar, através de ação integrada da rede de serviços do território na perspectiva da promoção da autonomia e emancipação das mesmas. Objetivo Específico: • Mapear a rede de distribuição de alimentos nas Ilhas; • Criar fluxos de encaminhamentos entre os serviços e os representantes do Fome Zero do território;
  5. 5. ARTICULAÇÃO ENTRE SEGURANÇA ALIMENTAR, SERVIÇOS E COMUNIDADE Metodologia: • Implementação de processo de trabalho integrado, através da articulação e constituição da rede de serviços intersetoriais com foco nas ações da Política de Segurança Alimentar do território do Arquipélago, por meio da realização sistemática de reuniões de trabalho de cunho integrativo-cooperativo e dialógico, envolvendo a participação representativa da Secretaria Municipal de Governança Local, do CRAS Ilhas, do PSF e de entidades e lideranças comunitárias ligadas ao Programa FOME ZERO.
  6. 6. ARTICULAÇÃO ENTRE SEGURANÇA ALIMENTAR, SERVIÇOS E COMUNIDADE • As reuniões de rede se constituem em espaços de debate ético- político, teórico-metodológico e técnico-operativo acerca do trabalho de distribuição de alimentos no território do Arquipélago, onde se firmam encaminhamentos e se avalia conjuntamente a qualidade das ações da Política de Segurança Alimentar e de acompanhamento das famílias em situação de insegurança alimentar. • As reuniões de rede acontecem mensalmente, em espaço físico da Associação Clube de Mães, sendo coordenadas por representante do CRAS Ilhas, tendo em média quinze participantes e duração de cerca de três horas.
  7. 7. ARTICULAÇÃO ENTRE SEGURANÇA ALIMENTAR, SERVIÇOS E COMUNIDADE • Nesses encontros são distribuídas atividades entre os participantes para serem executadas entre uma reunião e outra, como, por exemplo, reuniões específicas com a coordenação do Programa FOME ZERO, contato/convite para que outros atores importantes para a discussão se façam presentes, planejamento de ações coletivas no território, busca de informações e contato com outras redes, esclarecimento sobre as competência de cada um dos atores, do que os orientam, das diferenças entre o procedimento técnico e o fazer das lideranças/representantes do FOME ZERO, etc.
  8. 8. ARTICULAÇÃO ENTRE SEGURANÇA ALIMENTAR, SERVIÇOS E COMUNIDADE IMPACTO SOCIAL: • Maior organização da logística da entrega dos alimentos (antes o caminhão da entrega passava pelas Ilhas e entregava num único local dificultando ao representante do Fome Zero o deslocamento para busca dos alimentos); • Participação na reunião de rede da coordenação da Gerência Distrital da Saúde (ESF Pavão), protagonizando-se criação de um Conselho de Saúde na Ilha do Pavão com o intuito de abrir o diálogo do serviço com a comunidade e mesmo com a rede técnica, do qual não participavam; • Estabeleceu-se o diálogo sobre a função das listas de cadastrados no Programa Fome Zero, pessoas acompanhadas pelo PAIF e pela Saúde em situação de insegurança alimentar, desmistificando-se a tentativa de um controle dos serviços sobre o trabalho dos representantes do Fome Zero. Não são citados nomes nem discutidos casos;
  9. 9. ARTICULAÇÃO ENTRE SEGURANÇA ALIMENTAR, SERVIÇOS E COMUNIDADE • Ao reconhecer as funções de cada um conseguimos pautar uma ação que será desenvolvida em parceria com o CRAS para o cadastramento das pessoas que ainda não possuem NIS, pois esta será uma exigência do Programa Fome Zero para que as pessoas recebam o alimento; • Os técnicos do CRAS entram em contato com o Fome Zero local quando o usuário solicita alimento não havendo a necessidade deste se deslocar para fora da Ilha a que pertence; • Maior exercício do controle social: está sendo questionado uma cozinha comunitária inoperante existente na Ilha das Flores, a representante não comparece às reuniões;
  10. 10. CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ILHAS • O representante da Associação dos Carroceiros expôs os recursos do BNDS para inclusão produtiva dos catadores/recicladores. REFERENCIAL TEÓRICO: - Política Nacional de Assistência Social - Orientações Técnicas do PAIF - MDS OBRIGADO!

×