Muito Além do Óbvio Revista anicer v. 74

409 visualizações

Publicada em

Através de depoimentos e fotografias, Manuela Souza relata um breve histórico do Porjeto Parapuan, Arte na Indústria: para além do trabalho.
Eu estou diretamente envolvida com este projeto e faz parte de minha história de vida.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
409
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Muito Além do Óbvio Revista anicer v. 74

  1. 1. SUMÁRIO FUNDACER 12 Nova entidade na luta pelo setor NORMATIZAÇÃO 14 Competitividade e inovação para MPEs ARTE 18 Muito além do óbvio 12 ARTIGO TÉCNICO 26 Ordenamento territorial da extração mineral de argila SINDICATOS 28 Maceió recebe Encontro do Nordeste TECNOLOGIA 38 O Conceito BIM DELEGAÇÕES 48 Anicer leva empresários brasileiros à Alemanha 18 FEIRA 52 Setor participa da Feicon 2012 ARTIGO DO PRESIDENTE 03 CARTAS 07 INTEGRADAS 08 CERÂMICA VERDE 10 Indústria investe na produção sustentável de telhas e tijolos no TO COLUNA DA QUALIDADE 25 PONTO DE VISTA 34 38 Mara Viana Medeiros, consultora da Paracena e do Sinceplis TENDÊNCIA DE MERCADO 36 Os Novos Jardins Suspensos MOMENTO INSPIRAÇÃO 42 Um castelo de arte, beleza e cultura MAROMBANDO 44 Jorge Hereda, presidente da Caixa Econômica Federal SOCIAL 54 NOTÍCIAS DA ANICER 57 48
  2. 2. ARTE Muito além do óbvio Tubos cerâmicos viram inusitadas luminárias nas mãos de artista paulistana Por Manuela Souza | Fotos Antônio Venturato Tótem para jardins Luminária crucifixo A inda na época da faculdade, a artista plástica Nádia Saad ou- via dos amigos que ela gesticulava ção. “Na minha criação o grande de- safio é com a matéria. É ela que me estimula a criar. Diante das manilhas, demais em uma conversa e que deve- cada vez mais atraída pela sua forma, ria trabalhar com algo para ocupar as depois de perceber que elas não eram mãos, conselho que ela levou a sério esferas restou à pergunta: O que fazer ao depositar toda a sua inquietação então? Em uma manhã veio a inspira- na argila e essa paixão já dura mais de ção: farei luminárias. Elas ficariam na 28 anos. vertical e revelariam toda a sua no- breza. Novamente minha inspiração Nádia, que inicialmente criava esferas, partiu do desafio da matéria/forma”. começou uma pesquisa para desenvol- ver novas peças e, durante uma visita Para o proprietário da Cerâmica Pa-Nº 74 à Cerâmica Parapuan, no município de rapuan, Ralph Perrupato, o trabalho Pará de Minas - MG, se encantou com desenvolvido pela artista causou umaREVISTA DA ANICER os tubos de cerâmica e daí surgiu um transformação na produção da fábri- novo conceito em luminárias que a ar- ca. “Nádia é uma artista plástica ex- tista logo colocou em prática. Hoje, a periente e com belos trabalhos no designer em cerâmica produz peças seu currículo, portanto é um orgulho voltadas para a arquitetura e decora- muito grande para nós da Parapuan, a18
  3. 3. ARTE parceria com uma artista desse nível e ver nossos produtos serem transformados em verdadeiras obras de arte. Vimos também a possibilidade de desenvolver outras técnicas em nossos proces- sos produtivos, usando o lado artístico de nossos colaboradores e o envolvimento cultural e social deles com a comunidade. O projeto tem trazido uma maior valorização e reconhecimento ao trabalho das pessoas envolvidas”. Como trabalha no interior da Cerâmica Parapuan, o trabalho da ar- tista despertou o interesse dos funcionários da cerâmica, daí sur- giu o Grupo Parapuan, onde eles puderam colaborar com a criação de objetos de arte sob a coordenação da artista. “Minha presença lá na Indústria, com meu trabalho de artista acabou induzindo a formação do Grupo. Passamos a criar objetos de arte no que antes eram apenas manilhas. Transcendemos a própria matéria”. A alu- “É um orgulho muito na do Projeto, Silvana Rezende, concorda com Nádia. “A oportuni- dade de trabalhar com manilhas trouxe muita satisfação e prazer grande para nós da para nós. Abriu novos horizontes e enriqueceu nosso desenvolvi- mento na arte. Além disso, tivemos oportunidade de realizar no-Parapuan, a parceria com uma artista desse nível Luminária cerâmica compõe ambiente contemporâneo e ver nossos produtosserem transformados emverdadeiras obras de arte”. REVISTA DA ANICER Nº 74 19
  4. 4. ARTE vos experimentos nas queimas e na aplicação de pigmentos, engrande- capaz de dignificar e valorizar o ser hu- cendo nossos trabalhos”. mano”. A iniciativa deu tão certo que logo tomou nova forma e deu lugar ao Pro- Os trabalhos executados pelo grupo já jeto Parapuan, Arte na Indústria: para além do trabalho, onde, além dos foram expostos na 23ª Feira de Cerâmi- funcionários da Cerâmica, alunos da Escola de Arte de Pará de Minas tam- ca de Belo Horizonte, realizada em abril bém trabalham como colaboradores. “Mais importante do que os produ- e outubro de 2011, com o apoio da Pre- tos em si, foi vivenciar os relacionamentos inerentes a todo o processo e feitura de Pará de Minas, foi montada ter tido a chance de compartilhar novos horizontes e a vibração de todos a exposição “Diálogos do Barro”, onde diante do processo criativo. É uma doação social tanto por parte da em- todos os trabalhos foram expostos na presa como minha, pois consideramos a arte um processo transformador Casa de Cultura e no Hall da própria Pre- feitura. Além disso, o Município entrou foto: Nádia Saad com processo para tombar a Cerâmica Parapuan como um bem imaterial do Município Funcionários da Parapuan constroem arte em tubos cerâmicos Poste de iluminação usado para decorar salasNº 74REVISTA DA ANICER20

×