Slides diagrama-de-causa-e-efeito

39.307 visualizações

Publicada em

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39.307
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.174
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides diagrama-de-causa-e-efeito

  1. 1. DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO Yshikawa
  2. 2. DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO Este diagrama, originalmente  É uma forma organizada de proposto por Kaoru Ishikawa correlacionar o efeito com suas na década de 60, já foi causas, agrupando-se em bastante utilizado em "famílias de causas", tais ambientes industriais para a como: Matéria-Prima, Máquina, localização de causas de Mão de Obra, Medida, Método dispersão de qualidade no e Meio Ambiente. O Diagrama produto e no processo de de Causa e Efeito proporciona produção. Ele é uma ao gerente melhor ferramenta gráfica utilizada entendimento de que ele tem para explorar e representar autoridade sobre as causas e opiniões a respeito de fontes responsabilidade sobre os de variações em qualidade de efeitos (resultados) de um processo, mas que pode processo. É também perfeitamente ser utilizada conhecido como o Diagrama para a análise de problemas de Ishikawa ou de Espinha de organizacionais genéricos . Peixe. É uma das Sete Ferramentas de Qualidade.
  3. 3. CONCEITO É uma das ferramentas mais eficazes e mais utilizadas nas ações de melhoria e controle de qualidade nas organizações, dado que permite de uma forma simples, agrupar e visualizar as várias causas que estão na origem de qualquer problema ou resultado que se pretenda melhorar. A elaboração destes diagramas é feita habitualmente por grupos de trabalho envolvendo todos os agentes do processo em análise. Depois de identificar claramente qual o problema ou efeito a estudar (falhas, avarias, tempos de execução demasiado longos,...), vão-se listando as várias causas possíveis desse efeito, começando por um nível mais geral e pormenorizando cada vez mais as sub-causas. O diagrama de causa efeito é a representação gráfica das causas de um fenômeno.para o gerenciamento e o controle da qualidade (CQ) em processos diversos de manipulação das fórmulas. Originalmente proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa em 1943 e aperfeiçoado nos anos seguintes.
  4. 4. DIAGRAMA 6 M Também conhecido como Diagrama Espinha de Peixe (por seu formato) e Diagrama de Ishikawa (Kaoru Ishikawa - quem o criou), foi desenvolvido para representar a relação entre o "efeito" e todas as possíveis "causas" que podem estar contribuindo para este efeito. Ele é desenhado para ilustrar claramente as várias causas que afetam um processo por classificação e relação das causas. Para cada efeito existem seguramente, inúmeras categorias de causas. As causas principais podem ser agrupadas sob seis categorias conhecidas como os "6 M": Método, Mão de obra, Material, Meio Ambiente, Medida e Máquina. Nas áreas administrativas talvez seja mais apropriado usar os "4P": Políticas, Procedimentos, Pessoal e Planta (arranjo físico). Estas categorias são apenas sugestões, é possível utilizar outras que ressalte ou auxilie as pessoas a pensar criativamente.
  5. 5. COMPONENTES Cabeçalho: Título, data, autor (ou grupo de trabalho). Efeito: Contém o indicador de qualidade e o enunciado do projeto (problema). É escrito no lado direito, desenhado no meio da folha. Eixo central: Uma flecha horizontal, desenhada de forma a apontar para o efeito. Usualmente desenhada no meio da folha. Categoria: representa os principais grupos de fatores relacionados, com efeito. As flechas são desenhadas inclinadas, as pontas convergindo para o eixo central. Causa: Causa potencial, dentro de uma categoria que pode contribuir com o efeito. As flechas são desenhadas em linhas horizontais, aportando para o ramo de categoria. Sub-causa: Causa potencial que pode contribuir com uma causa específica. São ramificações de uma causa. O efeito ou problema é fixo no lado direito do desenho e as influências ou causas maiores são listadas de lado esquerdas.
  6. 6. MODELO DE GRÁFICO 6M
  7. 7. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Facilidade em sua aplicação, pois por ser uma ferramenta fácil, pode ser aplicada por qualquer pessoa, sendo que a mesma tenha conhecimento sobre a área a ser estudada. Ajuda na compreensão das principais causas que causam o problema. Facilita de forma didática a compreender de forma rápida, o que se discute e sugerir a melhoria. É umas das formas mais praticas utilizada pela empresa para absorção dos problemas e distinguir suas soluções Visualizar, em conjunto, as causas principais e secundárias de um problema; ampliar a visão das possíveis causas do mesmo, enriquecendo a sua análise e a identificação de soluções e também analisar processos em busca de melhorias.
  8. 8. Vantagens Desvantagens  Precisa de uma estrutura Apresenta todas as variáveis que organizacional favorável para ser podem reproduzir um acidente, aplicado com sucesso, pois se explorando ao máximo essas trata de uma metodologia diferente variáveis. da tradicional. Leva todos os envolvidos no  Precisa de pessoas que tenham processo a se comprometerem percepção. com os resultados.  Não sinaliza se o problema é grave Pode ser usado como ferramenta ou não. estatística para controle da  Não apresenta os eventuais qualidade total de produtos. relacionamentos entre as Organiza as ideias geradas num diferentes causas. brainstorming (tempestade de  Não focaliza necessariamente as ideias), técnica usada para motivar causas que devem efetivamente a participação de todos os ser atacadas. envolvidos no processo.
  9. 9. DIAGRAMA DE ISHIKAWA E A SEGURANÇA DOTRABALHO Esta ferramenta pode ser muito bem utilizada na área de segurança do trabalho, principalmeente em relação a acidentes de trabalho, pois com este metodo de análise podemos solucionar as possíveis causas que vieram a ocasionar um acidente e prevenir outros que possam vir a acontecer. Envolvendo todos os colaboradores do setor fazendo com que eles se sintam prevencionistas no trabalho, dando a eles liberdade para expressarem sobre condições e atos inseguros no setor e todas as variavéis que possam produzir um acidente de trabalho. A partir desta ferramenta, pode se determinar medidas a serem tomadas, e os responsáveis pela execução das mesmas, onde todas serão implantadas (geralmente na área do acidente), determinando também como se colocar em pratica e o prazo para adequação , buscando assim a possível eliminação de acidentes. É muito importante também, durante este trabalho procurar outros possíveis riscos que possam causar problemas futuros, agindo preventivamente em outros problemas do setor. Logo após a elaboração e aprovação do plano de ação deve-se procurar divulgar o mesmo no local (quadros de aviso, reuniões de segurança, etc.) para se buscar um maior envolvimento de todos colaboradores demonstrando assim que se está trabalhando sobre o fato. Fazer um acompanhamento rigoroso do cumprimento das medidas dentro dos prazos. Para se executar um trabalho de análise bem feito é fundamental o comprometimento de toda a equipe, supervisor de produção, encarregado de produção, gerente de produção e principalmente dos colaboradores.

×