Ontologia
da
Colaboração

Mozart Claret
Por que colaborar ?
“Ninguem é perfeito mas uma equipe pode ser”
“O todo é maior do que a soma das partes”
As pessoas s...
Ontologia
Ontologia é a descrição de um domínio, negociada por uma
comunidade, para um determinado fim.
Utiliza símbolos...
Ontologia
Cada significado é processável.
Conceitos são conteúdos sobre os quais é possível associar uma
idéia.
É neces...
Ontologia
Ontologia sobre colaboração
É fundamental pois estrutura o conhecimento sobre o trabalho em
grupo.
Apoia o desenvolvimen...
O Modelo 3C de colaboração
A colaboração pode ser decomposta em atividades e cada atividade
pode ser decomposta em subati...
O Modelo 3C de colaboração
Formação de grupos
Por que os grupos se formam?

Quais são os principais elementos envolvidos na formação de grupos?
Ex...
Formação de grupos
Formação de grupos
Comunidades de Prática são grupos de pessoas com interesses
compartilhados, que se unem para trocar in...
Comunicação
Comunicação
O estabelecimento de uma linguagem ou protocolo compartilhado é
fundamental.
É preciso haver um certo nível ...
Comunicação
Pode ocorrer de forma síncrona ou assíncrona.
É afetada pelo meio de comunicação utilizado.
As tecnologias ...
Coordenação
Projetos são divididos em atividades e tarefas menores. Desta forma
os esforços podem ocorrer em paralelo tor...
Coordenação
A coordenação de um trabalho em grupo pode ser conduzida de
acordo com uma das seguintes maneiras:
Individua...
Coordenação
Cooperação
A atividade e as tarefas conjuntas, o espaço e os recursos disponíveis
são importantes para sua definição.
Co...
Cooperação
Ontologia sobre colaboração
Por meio da colaboração, duas ou mais pessoas motivadas trabalham
em conjunto.
O grupo é for...
Ontologia sobre colaboração
As tarefas são organizadas por meio de um plano de trabalho.
Cooperação é a produção de arte...
Ontologia sobre colaboração
Existem dificuldades como distância, diferenças de fuso horário,
sincronismo na comunicação, ...
Ontologia sobre colaboração
Referências
MARIANO PIMENTEL E HUGO FUKS - Sistemas Colaborativos;
HUGO FUKSO, ALBERTO BARBOSA RAPOSO, MARCO AURÉLIO
GER...
Apresentação ontologia da colaboração
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação ontologia da colaboração

231 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação ontologia da colaboração

  1. 1. Ontologia da Colaboração Mozart Claret
  2. 2. Por que colaborar ? “Ninguem é perfeito mas uma equipe pode ser” “O todo é maior do que a soma das partes” As pessoas se tornam cada vez mais especializadas. Geralmente a solução de um problema complexo requer uma combinação de habilidades. A formação de grupos possibilita a divisão de tarefas. A diversidade de opiniões possibilita a análise de questões sob diferentes pontos de vista.
  3. 3. Ontologia Ontologia é a descrição de um domínio, negociada por uma comunidade, para um determinado fim. Utiliza símbolos para representar o conjunto de tarefas em foco. Cria uma base terminológica comum. Possibilita que agentes externos possam entender a visão da comunidade sobre o domínio em questão. É representada como uma rede semântica, com conceitos e relacionamentos entre conceitos. É um grafo, formado por nós e arestas, com um signicado associado a cada um de seus elementos
  4. 4. Ontologia Cada significado é processável. Conceitos são conteúdos sobre os quais é possível associar uma idéia. É necessário o envolvimento da comunidade para sua construção. Requer cuidado para que não seja inserido um viés de interpretação. Sua construção deve ser um processo colaborativo
  5. 5. Ontologia
  6. 6. Ontologia sobre colaboração É fundamental pois estrutura o conhecimento sobre o trabalho em grupo. Apoia o desenvolvimento e uso dos sistemas colaborativos. Propaga e padroniza os significados para a nossa comunidade. Segue o Modelo de Ellis e colaboradores(1991), segundo o qual o trabalho em grupo é uma composição de comunicação, coordenação e cooperação. Se divide em quatro grandes blocos, um para formação de grupos e um para cada elemento do Modelo 3C de Colaboração.
  7. 7. O Modelo 3C de colaboração A colaboração pode ser decomposta em atividades e cada atividade pode ser decomposta em subatividades com um planejamento, participantes e metodologias próprios. Cada uma destas subatividades possui necessidades distintas de comunicação, coordenação e cooperação.
  8. 8. O Modelo 3C de colaboração
  9. 9. Formação de grupos Por que os grupos se formam? Quais são os principais elementos envolvidos na formação de grupos? Existem duas maneiras de formar grupos: Por iniciativa de uma entidade externa (determinação da chefia) De forma espontânea (Wikipédia, Linux, Comunidades de Prática, etc…) Requer motivação e alinhamento dos objetivos Envolve um nível de conhecimento e confiança entre os participantes. Somente após a familiarização e o desenvolvimento de relação de confiança, o trabalho em grupo acontece de forma produtiva.
  10. 10. Formação de grupos
  11. 11. Formação de grupos Comunidades de Prática são grupos de pessoas com interesses compartilhados, que se unem para trocar informações e experiências. São muito importantes para o aprendizado e disseminação de conhecimento. Geralmente estes grupos não tem uma terefa a realizar, mas compartilham o objetivo de discutir aspectos do seu trabalho ou área de interesse. Constituem um valioso recurso para o aprendizado dos participantes. Elemento básico para um trabalho em grupo. Processo de troca de informação entre duas ou mais partes.
  12. 12. Comunicação
  13. 13. Comunicação O estabelecimento de uma linguagem ou protocolo compartilhado é fundamental. É preciso haver um certo nível de conhecimento compartilhado chamado Senso Comum (Common Ground). O Senso Comum garante que o conhecimento de todos os participantes está suficientemente alinhado. Jargões ou linguagens específicas dependem do senso comum
  14. 14. Comunicação Pode ocorrer de forma síncrona ou assíncrona. É afetada pelo meio de comunicação utilizado. As tecnologias utilizadas para comunicação a distância ainda não conseguem prover a mesma riqueza de informação que a interação face a face.
  15. 15. Coordenação Projetos são divididos em atividades e tarefas menores. Desta forma os esforços podem ocorrer em paralelo tornando a realização do trabalho mais eficiênte e eficaz. A coordenação dos esforços é fundamental para que não ocorra duplicação de trabalho. É necessária porque existe uma interdependência entre as atividades do grupo. As tarefas precisam ser acompanhadas ao longo de sua execução. As tarefas precisam ser acompanhadas ao longo de sua execução. A organização do grupo envolve a definição de papeis.
  16. 16. Coordenação A coordenação de um trabalho em grupo pode ser conduzida de acordo com uma das seguintes maneiras: Individualmente – Cada participante conduz sua parte do trabalho, a soma das partes compõe o todo, e não há dependência entre as partes (Construção de uma avião). Com repasse de tarefas – As atividades dos participantes estão interligadas e há necessidade de trocar ideias e passar tarefas e resultados uns para os outros (um grande evento cultural e artístico). Orquestrado – Nesta forma de organização, as atividades são mais interligadas e há dependência forte entre elas (operação de uma plataforma de petróleo).
  17. 17. Coordenação
  18. 18. Cooperação A atividade e as tarefas conjuntas, o espaço e os recursos disponíveis são importantes para sua definição. Com relação ao espaço de trabalho, os participantes podem estar: No mesmo local, colocalizado – Fisicamente no mesmo local. Distantes ou remotos – Fisicamente distantes. A interação face a face é colocalizada e sincrona. A interação colocalizada pode ser assíncrona (Turnos de um hospital). O produto final da cooperação é um ou mais artefatos construídos pelos participantes.
  19. 19. Cooperação
  20. 20. Ontologia sobre colaboração Por meio da colaboração, duas ou mais pessoas motivadas trabalham em conjunto. O grupo é formado para alcançar um objetivo em comum. A comunicação é um processo de troca de mensagens em que os participantes negociam as tarefas que serão realizadas e assumem compromissos. A coordenação é um processo de organização de esforços, que divide o trabalho em tarefas menores e articula as atividades dos participantes para obter bons resultados e resolver conflitos.
  21. 21. Ontologia sobre colaboração As tarefas são organizadas por meio de um plano de trabalho. Cooperação é a produção de artefatos em um espaço compartilhado, o que requer a utilização de recursos. Sem motivação, comunicação, dificilmente há colaboração. coordenação e cooperação, Os elementos interagem para viabilizar o trabalho em grupo.
  22. 22. Ontologia sobre colaboração Existem dificuldades como distância, diferenças de fuso horário, sincronismo na comunicação, diferentes formas de interpretação da informação, objetivos conflitantes, diferenças políticas de crenças e de interesses. Situações de pressão social, inibição diante dos colegas e dificuldade de lidar com a hierarquia do grupo são situações comuns.
  23. 23. Ontologia sobre colaboração
  24. 24. Referências MARIANO PIMENTEL E HUGO FUKS - Sistemas Colaborativos; HUGO FUKSO, ALBERTO BARBOSA RAPOSO, MARCO AURÉLIO GEROSA E CARLOS JOSÉ PEREIRA LUCENA – O Modelo de Colaboração 3C e a Engenharia de Groupware

×