Roteiro pedro pazelli slide apresentação

1.212 visualizações

Publicada em

apresentação de animação do professor
pedro pazelli

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.212
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Roteiro pedro pazelli slide apresentação

  1. 1. Cinema Prof. Pedro Pazelli
  2. 2. ROTEIRO  O roteiro é um documento descritivo que narra uma história que será contada em encenações, em imagens, diálogos, quer seja para teatro, cinema, TV etc. - ou seja, dentro de uma estrutura dramática.  A origem latina da palavra estrutura, “structura”, significa “construir” ou “organizar e agrupar elementos diferentes”
  3. 3. ROTEIRO – PASSO A PASSO  1- Definir uma ideia:  A) lida.  B) verbalizada.  C) transformada.  D) contratada.  E) procurada, pesquisada sobre um tema.
  4. 4. ROTEIRO – PASSO A PASSO  2 - Determinar uma Story Line (linha da história). Em 5 linhas definir o Conflito (o que). Exemplo: Romeu Montechio se apaixona por Julieta Capuleto em Verona-Itália. Por causa deste amor impossível, devido ao ódio entre as famílias, ambos se suicidam e só após isto as famílias se reconciliam.
  5. 5. ROTEIRO – PASSO A PASSO  3 - Criar uma Sinopse (ou Argumento). Em quinze a vinte linhas definir as personagens (quem). Sinopse ou argumento é a história sem falas com descrição dos personagens, se for necessário.
  6. 6. ROTEIRO  4 - Elaborar uma Estrutura (ou Escaleta). É organizar uma Ação Dramática (como). Definir de que maneira as (os) personagens viverão o conflito. Como a história será contada. Para isso é importante definir os plots (enredos - ou núcleos de ação diferentes) da ação, ou seja, a parte central da Ação Dramática, a espinha dorsal do roteiro. ou vários plots.
  7. 7. ROTEIRO  Escrever a story line.  Escrever a sinopse.
  8. 8. ROTEIRO  A Estrutura é a divisão da sinopse em partes e a forma, ou seja, como a trama vai evoluir até o desfecho. Também pode se chamar escaleta e ser dividida em fichas.  Deve-se determinar a mídia ou o veículo para o qual se destina o roteiro, antes de se escrever o roteiro propriamente dito, determinando o formato de acordo com a mídia e o público alvo.
  9. 9. ROTEIRO  5- Elaborar o Pré-Roteiro (ou Roteiro Literário).  Incluir os Diálogos (falas ou locução) que são os fatores que determinarão o tempo dos atos, cenas, sequências etc. Definir as frases que serão usadas pelas personagens, a forma de falar etc.
  10. 10. ROTEIRO  Os principais aspectos para a criação dos diálogos são a coerência e o conteúdo das falas, e a maneira como se fala (época, sociedade, cultura, ambiente).
  11. 11. ROTEIRO  As Rubricas (ou indicações), na maioria das vezes, antecedem as falas descrevendo o estado de ânimo ou atitudes das personagens para orientar o diretor e os atores com relação ao clima de cada fala e de cada cena.
  12. 12. ROTEIRO  Ler para si mesmo e para outros o seu roteiro.  Ler como se estivesse interpretando, como se fosse o personagem.  Cronometrar ao começar a ler para si, percebendo a duração real do seu roteiro.  Ter a coragem de rasgar o roteiro e reescrever tudo de novo.
  13. 13. ROTEIRO  6 - Participar do Roteiro Final (ou Roteiro Técnico).  O roteiro final é um trabalho de equipe que requer a interação do roteirista com o diretor, a equipe de produção e até com o elenco.  Não se preocupar em fazer um trabalho a lá “Nelson Rodrigues”
  14. 14. ROTEIRO  ESTRUTURA DRAMÁTICA:  Qual o confronto? O que acontece? Como? Com quem? Onde? Quando? Por que? Tem solução? Ao escrever o roteiro, definir os personagens conflitantes e seus confrontos e fazer o fichamento (escaleta).  Faça um gráfico de ação.  Marque os pontos de virada.  Início, Meio e fim ou ao contrário. Diálogos curtos e interessantes.  Priorizar cenas mais curta.  Mudar de locação muitas vezes para dar dinâmica.
  15. 15. ROTEIRO O seu roteiro é original? É baseado em outro texto (adaptado)? Qual a política da época? Como se vivia? Como se falava na época? Qual o estado psicológico dos personagens? A)Quem tem um lado bom? B) Quem tem um lado ruim?
  16. 16. PERSONAGENS  Há um personagem principal carregando o roteiro?  Trabalha em um banco?  Gosta de usar o que?  Tem namorado(a)?  Sexualidade?  Sensualidade?  Personalidade?  Como se veste?
  17. 17. PERSONAGENS  Canastrão?  Vaidoso?  Bom ou malvado?  Coleciona alguma coisa?  É rico?  Tipo físico?  E os personagens secundários?  Figurantes?
  18. 18. TRÊS ATOS BÁSICOS DEVE TER UM ROTEIRO  Apresentação  Desenvolvimento  Resolução Intocáveis O roteirista, deve ler, ler, ler, ler, ler e por último ler. Assistir muitos filmes de atores ou de animação, documentários, publicidades
  19. 19. ESTRUTURA DE VÍDEO E ÁUDIO AÇÃO VÍDEO ÁUDIO João Correndo pela rua Gritos de pega-pega! João Entra em um beco Gritos se aproximando João Pula um muro Gritos e tiros Maria Recebe-o do outro lado do muro Gritos se acentuam João e Maria correndo Gritos de “olha ele lá!” João e Maria correndo tiros João Cai ferido, Maria para e grita Passos e vozes se aproximando
  20. 20. ROTEIRO Storyboard Storyline Sinopse Roteiro Escaleta (fichamento) Atos, cenas, sequências, blocos (com intervalos comerciais). Em cinema e TV as mudanças de cenas ocorrem com mudança de ambiente.
  21. 21. ROTEIRO Cinema – Documentário, longa metragem, curta metragem, etc. Televisão – Telenovela, seriado, minissérie, animação, etc. Vídeos empresariais – Comerciais, institucionais, treinamento e produtos. HQ – praticamente todas as formas conhecidas.
  22. 22. ROTEIRO  O ARGUMENTO  •Apresentar uma ideia de história (curtas, de 3 a 5 minutos), com storyline e escaleta.  •Definir o argumento: o roteiro literário.  •Apresentar o argumento da história e discutir.  •Atividade: Apresentar outra ideia de história (curta, de 3 a 5 minutos) com storyline. Pedir para desenvolver a escaleta (fichamento) e o argumento.
  23. 23. NÍVEIS DE AÇÃO 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90
  24. 24. ANDAMENTO DO ROTEIRO
  25. 25. ANDAMENTO DO ROTEIRO
  26. 26. ROTEIRO DE ANIMAÇÃO  A animação nos leva ao tempo que éramos crianças.  É divertida.  E nos permite ousar mais do que nos filmes live- action, coisa que outros gêneros não conseguem.  Permite usar muito mais a fantasia, a imaginação.
  27. 27. ROTEIRO DE ANIMAÇÃO  É puro entretenimento?  Sugere mensagens educativas, mudar comportamentos e ajudar a humanidade a resolver problemas?  A pensar criticamente?  É apenas um trabalho de entretenimento para o mercado?
  28. 28. ROTEIRO DE ANIMAÇÃO  Quem cresceu lendo histórias em quadrinhos será melhores roteiristas de animação.  Usa-se 1 a 30 páginas para apresentar os personagens no início do roteiro.  Roteiros norte-americanos – cerca de 120 páginas.  Europeus e latinos – cerca de 90 páginas a 100  E o roteiro para ANIMAÇÃO – 9 a 15 minutos  publicidade de 30 segundos?
  29. 29. ROTEIRO DE ANIMAÇÃO  Primeiro episódio – piloto mostrará como são os personagens, a locação, o ambiente em que vivem , físico e psicológico, a relação entre os personagens, quem é herói e quem é vilão, o que a história vai contar.  Geralmente gostamos de personagens que se identifiquem com a gente.
  30. 30. PROGRAMAS PARA DIGITAR ROTEIROS  O Celtx  o Microsoft Word  Open Office Word  Final Draft  Movie Magic Screenwriter
  31. 31. EXEMPLO DE ROTEIRO SEQUÊNCIA 1 – INT. QUARTO - DIA Vovó Felicidade se prepara para levantar quando seu computador ligado à delegacia local transmite uma mensagem: COMPUTADOR: Atenção Vovó. Aqui é o Delegado Durão. Bandidos se aproximam deste bairro e estão indo sequestrar o prefeito! Precisamos de sua ajuda! Vovó (ASSUSTADA) se levanta rapidamente e vai acordar Juquinha. VOVÓ: Juquinha, Juquinha, meu neto! Acorde! Temos que agir! JUQUINHA (SONOLENTO): Am, o que? VOVÓ: Vamos, rápido! Levante-se! SEQUÊNCIA 2 – EXT. RUA – DIA Vovó, Juquinha e o gato Mimoso se dirigem à delegacia.
  32. 32. ROTEIRO TÉCNICO
  33. 33. O SOM COMO ELEMENTO NARRATIVO Diálogos Músicas Efeitos LINGUAGEM NÃO VERBAL Exemplo: Cinema francês
  34. 34. FIGURAS DE LINGUAGEM NA ANIMAÇÃO SÃO MAIS EVIDENTES COMPARAÇÃO Consiste em atribuir características de um ser a outro, em virtude de uma determinada semelhança. Exemplo: O carro é rápido como um avião. PROSOPOPÉIA É uma figura de linguagem que atribui características humanas a seres inanimados. Também podemos chamá-la de PERSONIFICAÇÃO. O sol olha a cena que está acontecendo na terra e não gosta. Um cão andando em pé como humano com roupas humanas.
  35. 35. TEMPO REAL E TEMPO FÍLMICO Uma passagem de tempo de 1 hora acontece em 5 minutos DRAMA OBJETIVO E DRAMA SUBJETIVO Uma ação dramática acontece, mas nas entrelinhas dramáticas existe outra. Exemplo: Em uma cena um amigo incentiva o outro a se alistar na guerra para defender a pátria e diz que até já se alistou. Na verdade, ele não se alistou e quer que o outro vá para a guerra e se possível morra para ficar com a noiva dele.
  36. 36. A linha básica de um projeto de animação: A) Criação (Argumento e Desenhos guias) B) Roteiro (e seus múltiplos tratamentos) C) Desenvolvimento de personagens D) Desenvolvimento de cenários E) Gravação de vozes (que pode ser final ou base para ser depois dublada). F) Direção de arte G) Story board H) Animatic (gravação do desenhos de storyboard com vozes) I) Animação J) Render (pintura digital) K) Composição (união d e personagens, cenários e efeitos) L) Edição M) Composição de trilha sonora N) Masterização em múltiplas plataformas
  37. 37. Quais os formatos de animação para TV? O formato básico de TV é composto por uma grade de meia hora (o que inclui 1 filme que varia de 20 a 26 minutos, ou 2 filmes de 10 a 13 minutos, ou 3 filmes de 7 minutos, ou 4 filmes de 5 minutos). Como os módulos são variavéis, sendo aceitos filmes de 30 segundos, 1 minuto ou 1 especial de 90 minutos, o formato final deve ser decidido em conjunto com a TV que faz a primeira compra ou co-produção.
  38. 38. STORYBOARD DE ANIMAÇÃO Mulher Gato por Mark Moretti
  39. 39. LIVROS SOBRE ROTEIRO “Roteiro” – Marcos Rey (esgotado) “Roteiro” ou “Da criação ao roteiro” – Doc Comparato “A arte da ficção”- Davd Loge “ Zen e a Arte da Escrita” - Ray Bardbury “On Writing” – Stephen King “Técnicas para escrever ficção” – Christopher Vogler “Escrever um livro” – Sonia Belloto “Vencendo o desafio de escrever um romance” – Ryoki Inoue

×