Psicanálise e aconselhamento pastoral

1.843 visualizações

Publicada em

ACONSELHAMENTO: BÍBLICO-PSICANALÍTICO

Publicada em: Educação
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.843
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
105
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicanálise e aconselhamento pastoral

  1. 1. Pf. Eduardo Sales Mestre em Teologia e coordenador do CETAD Centro de Estudos Teológicos das AD Maringá Blog: teologiasalesiana.blogspot.com Psicanálise e Aconselhamento Pastoral Aconselhamento Integracional
  2. 2. Aconselhamento: Bíblico- Psicanalítico 1) Ouvir. É preciso ouvir a pessoa como um todo. Entendendo que os problemas são apenas sintomas e que as raízes estão, em Geral, no Inconsciente. Lembre-se o problema é apenas a ponta do Ice-Berg. Nunca se esqueça de se concentrar na leitura dos “Atos Falhos”: Gagueira, mudança de expressão, mudança de assunto, alteração no tom de voz, etc... 2) Ouvir Sentimentos e emoções. É preciso ter sempre em mente que somos como fitas k7 gravando tudo ao nosso redor, principalmente sentimentos e emoções que são arquivadas com todo seu vigor. Essas gravações dão energia à posteriores decisões da vida. 3) Ouvir o que a pessoa não quer falar. Todas as pessoas possuem um lado oculto. É muito importante procurar sempre ouvir o que a pesso não está falando. Para isso é preciso se identificar com a pessoa e questioná-la quanto a elementos faltando em seu discurso.
  3. 3. Aconselhamento: Bíblico- Psicanalítico 4) Ouvir por meio de Associação Livre. Usar elementos sem conexão com o problema para poder ouvir o inconsciente. (O inconsciente Vasa) Quando tratar diretamente do problema o Ego tentará escapar por algum mecanismo de defesa, por isso a associação livre é uma ótima ferramenta. 5) Ouvir os Traumas. A compreensão dos laços com o passado são muito relevantes para auxiliar o aconselhando no processo de decisão. Assim observar as reações presentes motivadas por traumas é uma ferramente importantíssima no aconselhamento. 6) Ouvir os Instintos. Entender que as pessoas possuem instintos que dirigem suas vidas é relevante para poder tratar dos problemas em sua raiz. Os problema visíveis, em geral apontam para distúrbios dos instintos e possíveis conflitos sociais causadores de frustração que vaza por outras janelas.
  4. 4. Aconselhamento : Bíblico- Psicanalítico 7) Ouvir a Insatisfação. Todo problema é motivado por algum tipo de insatisfação. A insatisfação ocorre em geral por repressão pessoal ou social, que pode ser: proibição, castração, incapacidade, etc... Ao aconselhar um casal é preciso entender as insatisfações e os instintos ligados à elas. 8) Ouvir a Sublimação: Distúrbios instintivos. Alteração do instinto. O Instinto não saciado é transferido à outro instinto que substitui o prazer negligenciado. 9) Ouvir o Id, Ego e Superego. Para Freud a Personalidade é organizada em força de apoio (ID), força contrária (SUPER-EGO) e o poder de decisão (EGO). Os problemas apontados possuem origem no distúrbio desses elementos.
  5. 5. Pastoral e Psicologia  Conflitos da Psicologia Secular  Ateísmo  Negação da Culpa  Negação do Pecado  Identificação da Religião com as repressões  Negação da Bíblia como modelo pastoral  A opção fundamentalista  Vamos Orar...  Negação dos métodos Seculares  Centrado na Bíblia  Modelos Conjuntos  Conciliação da Pastoral com os métodos Seculares
  6. 6. Larry Crabb Pastoral de Integração  Abordagem solidamente Bíblica. Faz uso da Psicologia Secular sem trair sua premissa Bíblica.  Sustenta que “antes da Queda” o homem gozava de valor e segurança. Com a separação de Deus (rebelião) o homem teve de encontrar outras alternativas.  Os comportamentos e sentimentos inadequados são traduzidos em sintomas, quando o indivíduo depara com obstáculos ao seu alvo escolhido. Alvos não Atingidos – Inatingível, sentimento de culpa.  Circunstâncias Externas – O Alvo é atingível, mas situações externas bloqueiam o caminho.  Medo de Fracassar – O Alvo é razoável, mas o medo paralisa.  A isso Crabb chama de Estado pré-neurótico. Em que se fazem esforços para superar as frustrações da vida. A neurose surge quando o indivíduo abandona a luta e retira-se para o sintoma.  Atos compulsivos e tiques que produzem separação e solidão.  Sentimentos de Depressão por ressentimentos não resolvidos.  Palpitações e sensações que impedem participar de reuniões.
  7. 7. Larry Crabb: Objetivo do Aconselhamento  O Propósito é a semelhança de Cristo: O Alvo do Aconselhamento verdadeiro é liberar as pessoas para adorar e servir melhor a Deus, ajudando-as a se tornar mais como seu Senhor.  Método  Estímulo: Trata dos sentimentos problemáticos e esforça- se por substituir por sentimentos bíblicos.  Exortação: Comportamento problemático – ao Bíblico.  Esclarecimento: Pensamento problemático – ao Bíblico. Sete Etapas: Identifique os sentimentos problemáticos. Identifique os comportamentos problemáticos. Identifique os pensamentos problemáticos. Mude as pressuposições. Obtenha compromisso. Planeje e Pratique Identifique sentimentos controlados pelo Espírito Santo
  8. 8. Reflexão: Como os Traumas afetam a vida do Fiel.  Como os traumas influenciam nossos relacionamento s  Rancor  Ranço  Mágoa  Depressão  Incapacidade  Fraqueza  Desprezo
  9. 9. Howard Clinebell: Integracionista  Procura unir recursos oriundos das ciências psicossociais e da psicoterapia e de “nossa herança teológica”. Bastante eclético, faz forte uso do pessoalismo.  Objetivo:  Crescimento, Libertação e Integridade de forma pessoal, relacional e institucionalmente.  Crescimento:  Todo desenvolvimento pessoal é crescimento espiritual. Inclui: decisão, consciência, liberdade, significado, compromisso e qualidade de vida espiritual da pessoa e sua relação com Deus.  Libertação:  Libertação pessoa e Social: coragem, força, liderança e interesse por Justiça, em relação às mulheres: cuidado, compaixão, ternura e atitude positiva ante às necessidades.  Integridade:  Unificador da Liberdade e Crescimento.  Despertamento da mente: consciência, percepção e criatividade;  Revigoramento do corpo: experimentar e aproveitar o próprio corpo  Renovação e enriquecimento: Relacionamentos íntimos  Interação: Com o ambiente eco-social.
  10. 10. Howard Clinebell: Método  Pastoral: Curativo; apoiador; orientador e reconciliador  Ajuda as pessoas a lidar com seus problemas e crises de forma madura.  Santificador: Orienta na edificação familiar e social  Relacional e Holista  Identificação. Atitudes: Avaliação: Julgamento do que o aconselhado pode ou deve fazer. Interpretação: Exposição das relações não compreendidas Apoio: Reanimação, acordo de cooperação. Investigação: Espírito de pesquisa e exploração. Compreensão: Demonstração do entendimento da posição do aconselhado
  11. 11. Os Traumas e a Bíblia Salmos 27:9 Não escondas de mim a tua face, não rejeites ao teu servo com ira: tu foste a minha ajuda, não me deixes nem me desampares, ó Deus da minha salvação. Salmos 10:1 POR QUE te conservas longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia? Sl 31:10 Porque a minha vida está gasta de tristeza, e os meus anos de suspiros; a minha força descai por causa da minha iniquidade, e os meus ossos se consomem. Sl 31:9 Tem misericórdia de mim, ó SENHOR, porque estou angustiado: consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu corpo.
  12. 12. Reflexão Traumas e Prisões  Nm. 13:33 Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque, descendentes dos gigantes: e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, assim também éramos aos seus olhos. 1Rs 19 – Elias se Escondeu. Jo 21 – Pedro desistiu e voltou à pescaria. Gl 2 – Barnabé volta ao Judaismo. Gl 2 – O Passado dos discípulos decide seu futuro
  13. 13. Pastoral de Integração Conclusão  As pastorais de integração estão geralmente voltadas apenas para problemas psicológicos do indivíduo.  São muito relevantes para o fortalecimento das famílias e edificação da pessoa enquanto Sujeito.  Relevante na superação de traumas e transtornos que dificultam o crescimento pessoal.  Seu fraco está no aspecto Bíblico.  Será que o aconselhamento Bíblico é apenas psicológico?  A Bíblia recomenda a pastoral para casos de distúrbio emocional ou psicológico?  Qual o foco Bíblico para o aconselhamento Pastoral?  Na próxima aula trataremos do aconselhamento de fortalecimento Espiritual.

×