Empréstimos e financiamentos, dívidas

10.204 visualizações

Publicada em

Como controlar empréstimos e financiamentos no Minhas Economias.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7.005
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Empréstimos e financiamentos, dívidas

  1. 1. COMO CONTROLAR DÍVIDAS Copyright MinhasEconomias. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou integral do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia escrita do Minhas Economias.
  2. 2. 2 Exemplo - Data da liberação do crédito 05/11/2009 - Valor do automóvel R$ 50.000,00 - Valor entregue R$ 40.000,00 - Valor do IOF (financiado) R$ 499,49 - Tarifa de contratação/cadastro R$ 350,00 - Valor total emprestado/financiado R$ 40.849,49 - Valor de cada parcela R$ 3.908,00 - Quantidade de parcelas 12 meses - Data de vencimento da 1ª parcela 05/12/2010 - Dia de vencimento das demais parcelas 5 Vamos mostrar como lançar um empréstimo no MinhasEconomias, usando como exemplo um financiamento de automóvel. Os dados desta operação foram obtidos a partir do site de um banco. Alguns pontos importantes a serem considerados: 1. O valor do automóvel é de R$ 50.000. R$ 10.000 foram dados como entrada e os R$ 40.000 restantes foram financiados; 2. Tanto o IOF quanto a tarifa cobrada pelo banco foram financiados também, de forma que o valor total do empréstimo é de R$ 40.849,49 e não R$ 40.000;
  3. 3. 3 Exemplo Na tabela abaixo mostramos o quanto se paga de juros e de principal a cada parcela. Ao tomarmos emprestado R$ 40.000, estaremos pagando R$ 6.896 em despesas financeiras e imposto (6.046 de juros + 499 de IOF + 350 de cadastro), ou seja, 17,24% do valor financiado. Se o empréstimo fosse feito por um prazo mais longo e/ou sem garantias (aqui, o automóvel serve de garantia para o banco), como no caso do crédito pessoal, estaríamos pagando um montante muito maior de juros.
  4. 4. 4 1. Criando contas O primeiro passo a ser feito no MinhasEconomias é criar as contas. De certa forma, podemos criar contas para cada ativo e passivo que possuirmos. Fazendo assim, o Saldo Atual irá corresponder ao Patrimônio total que possuímos. No exemplo abaixo, criamos três contas: Automóvel, Conta Banco e Financiamento. Apenas a Conta Banco possui saldo, no valor de R$ 10.000, o qual será usado para dar a entrada da compra do carro.
  5. 5. 5 2. Criando categorias O segundo passo é criar as categorias necessárias para que possamos controlar a dívida. Essencialmente, teremos despesas financeiras e imposto, o qual resolvemos agrupar na categoria de despesas financeiras, mas o mesmo também poderia constituir uma categoria à parte.
  6. 6. 6 3. Lançando a dívida Como falamos anteriormente, ao tomar R$ 40.000,00 emprestados, acabamos devendo R$ 40.849,49, pois foi preciso pagar o IOF (imposto sobre operações financeiras) no valor de R$ 499,49 e algumas tarifas cobradas pelo banco no valor total de R$ 350,00. Em nosso exemplo, estes valores precisaram ser financiados também, pois não sobrou dinheiro após dar a entrada do financiamento no valor de R$ 10.000,00. O financiamento do automóvel deve ser lançado como uma transferência de R$ 40.000 da conta “Financiamento” para a conta “Automóvel” ... ... e a entrada, como transferência da conta bancária para a conta “Automóvel”. Nosso patrimônio se mantém em R$ 10.000, mas agora com um bem que vale R$ 50.000 e uma dívida de R$ 40.000.
  7. 7. 7 3. Lançando a dívida No entanto, ainda falta lançarmos as despesas de IOF e de tarifas cobradas pelo banco. Como elas também foram financiadas, ou seja, tomamos dinheiro emprestado para pagá- las, os registros devem ser feitos da maneira abaixo. Com elas, nosso patrimônio ficará abaixo de R$ 10.000 (exatos R$ 9.150,51)
  8. 8. 8 3. Lançando a dívida Feitos todos estes lançamentos, temos em 05/11/2009 um patrimônio de apenas R$ 9.150,51.
  9. 9. 9 3. Lançando a dívida Também, como exemplo, vamos supor que recebemos um salário líquido mensal de R$ 4.000, creditado em nossa conta bancária no primeiro dia de cada mês. Quanto aos juros apresentados no slide 3, eles devem ser lançados como despesas contra a conta “Financiamento”, pois à medida que o tempo passa, eles aumentam o valor da nossa dívida. Já os pagamentos das parcelas devem ser lançados como transferências da conta bancária para a conta “Financiamento”, diminuindo o saldo negativo desta.
  10. 10. 10 3. Lançando a dívida Com as despesas de juros e o pagamento da primeira parcela já registrados, podemos ver a projeção do saldo total para 05/12/2009 em R$ 12.265,24.
  11. 11. 11 3. Lançando a dívida - alternativa Usar as funcionalidades que o MinhasEconomias oferece pode poupar bastante tempo e trabalho. A função de recorrência permite que você cadastre a transação que ocorre periodicamente apenas uma única vez. Ao invés de lançarmos o salário líquido mês a mês, como feito no slide 9, podemos lançá-lo de uma única vez para todos os meses futuros. E isto ainda nos ajuda a planejar nosso fluxo financeiro.
  12. 12. 12 3. Lançando a dívida - alternativa O mesmo pode ser feito em relação ao pagamento das parcelas do financiamento. Não se esqueça de usar o lembrete para que não se esqueça de pagar as parcelas. Veja que o valor total das 12 parcelas (R$ 46.896), apresentado no slide 3, aparece no final desta tela, para que possamos verificar se lançamos os pagamentos corretamente.
  13. 13. 13 3. Lançando a dívida - alternativa Para lançar os juros, você pode preparar um arquivo Excel para importar os dados e depois seguir o passo-a-passo do processo de importação.
  14. 14. 14 3. Lançando a dívida - alternativa Após clicar em “Avançar” na janela de importação de dados, a mesma se fecha e uma mensagem aparece no alto da página, mostrando o status do processo. Ao clicar em “aqui”, uma nova janela será aberta. Lá todos os registros do arquivo Excel importado serão exibidos.
  15. 15. 15 3. Lançando a dívida - alternativa Ao visualizar os registros, você deve editar eventuais erros ou completar informações que estejam faltando, no caso aqui, a categoria.
  16. 16. 16 3. Lançando a dívida - alternativa O processo de importação pode ser facilitado com a utilização do filtro de categorias, que consiste na categorização automática das transações a partir de palavras-chave que aparecem na descrição das mesmas. As telas abaixo mostram o processo de criação de filtros de categorias.
  17. 17. 17 3. Lançando a dívida - alternativa O processo de criação de filtros de categorias é bastante simples. Com isto, tanto o processo de lançamento quanto o de importação de transações tornam-se mais automáticos.
  18. 18. 18 3. Lançando a dívida - alternativa Tendo ajustado o filtro de categorias antes, ao importar as transações do Excel, as mesmas já estarão categorizadas, poupando o trabalho de editar as categorias (como apresentado no slide 15).
  19. 19. 19 3. Lançando a dívida - alternativa As transações recorrentes aparecem com uma seta azul circular. O símbolo de relógio- despertador serve para indicar que aquela transação foi agendada com um lembrete. A vantagem de já termos lançado todos as despesas de juros e todos os pagamentos das parcelas é que agora poderemos planejar nosso fluxo financeiro e verificar se nossa conta bancária pode ficar negativa e corrermos o risco de ficarmos inadimplentes. Obviamente, as demais despesas e receitas futuras (ou as expectativas delas) devem também ser lançadas.
  20. 20. 20 3. Lançando a dívida Podemos ver também como ficará nossa situação no vencimento da dívida em nov/2010. O saldo total projetado é de R$ 51.104 em 05/11/2010, o que corresponde à soma do valor do automóvel (R$ 50.000) e do saldo em conta-corrente, ou seja, o que restou de 12 salários após o pagamento das parcelas: 12 x R$ 4.000 – 12 x R$ 3.908 = R$ 1.104.
  21. 21. 21 4. Analisando as despesas Analisar o quanto gastamos em despesas financeiras nos ajuda a criar consciência de quanto custa querer (ou precisar) antecipar uma compra. Selecionando-se apenas a conta “Financiamento” e o período de 01/11/2009 a 31/12/2009, podemos analisar o quanto gastamos em despesas financeiras no ano de 2009 (R$ 1.734,76).
  22. 22. 22 4. Analisando as despesas Para o ano de 2010, podemos ver que o total gasto em juros será de R$ 5.161,24
  23. 23. 23 4. Analisando as despesas Para visualizar as transações que compõem cada item, basta clicar no valor ou no item a ser analisado. Elas serão apresentadas logo abaixo do relatório.
  24. 24. 24 4. Analisando as despesas Através do gráfico de Saldos das contas, é possível visualizar a evolução dos saldos ao longo do tempo.
  25. 25. 25 Dúvidas e contato Caso tenha outras dúvidas quanto à utilização do Minhas Economias, por favor, acesse os seguintes links:  vídeos tutoriais: http://blog.minhaseconomias.com.br/tutorial/  FAQ: http://blog.minhaseconomias.com.br/faq/  dicas de como controlar melhor as finanças: http://blog.minhaseconomias.com.br/apresentacoes-e-cursos-gratuitos/ Se preferir, contate-nos através do e-mail contato@minhaseconomias.com.br

×