LIDERANÇA E ESPIRITUALIDADE NAS  ORGANIZAÇÕES: UMESTUDO EXPLORATÓRIO       Miguel Oliveira    Universidade do Minho
Espiritualidade no Trabalho – Nível Individual• A espiritualidade no trabalho é o reconhecimento que osempregados têm uma ...
Espiritualidade no Trabalho – Nível Organizacional• Refere-se a uma cultura organizacional guiada pordeclarações de missão...
Dimensões da Espiritualidade no Trabalho• Trabalho com sentido → implica ter uma sensibilidadeprofunda do propósito do tra...
Liderança• Liderança → é uma relação de influência entre líderes eseguidores que pretendem mudanças reais que reflictam os...
Liderança• Liderança transformacional → processo de motivaçãointrínseca onde os líderes envolvem os seguidores de maneiraa...
Liderança• Liderança espiritual → Relação baseada em trocas decontribuições. O líder promove a unidade através de recompen...
Gestão Eupsiquiana• “Eupshychia” foi um termo utilizado por A. Maslow na obraEupshychian Management (1965)• Deriva da comb...
As organizações e os sistemas de R. H. deveriam ser    desenhados de acordo com 36 assunções que os gestores              ...
Círculos virtuosos• A auto-actualização dos gestores pode produzir círculosvirtuosos nas organizações (i.e., auto-actualiz...
Incentivo para a pesquisa• A espiritualidade é uma corrente da literatura organizacionalrecente e vigorosa, embora a pesqu...
Questões da Pesquisa              12
1. Que comportamentos de liderança (des)respeitam as   percepções dos empregados sobre a espiritualidade no   trabalho?2. ...
Método         14
Técnica dos Incidentes Críticos      Amostra por conveniência de 105 empregados de 53                        organizações ...
Três“momentos”1. Os indivíduos foram informados que a espiritualidade no   trabalho referia-se às “oportunidades no local ...
175 incidentes críticos úteis• 120 referindo-se a comportamentos desrespeitadores da  espiritualidade no trabalho•   55 re...
Descobertas              18
Efeitos de comportamentos de liderança respeitadores da espiritualidadeComportamentos       Número de vezes que     Número...
Efeitos de comportamentos de liderança desrespeitadores da espiritualidadeComporta-         Nº                    Número d...
Comportamentos de Liderança Respeitadores da EspiritualidadeO líder promove auto-determinação      Ilustrações: dá oportun...
Reacções dos Colaboradores a Comportamentos de Liderança                Respeitadores da Espiritualidade                  ...
Comportamentos de Liderança Desrespeitadores da Espiritualidade                              (1)                          ...
Comportamentos de Liderança Desrespeitadores da Espiritualidade                              (2)                        Il...
Reacções dos Colaboradores a Comportamentos de Liderança                Desrespeitadores da Espiritualidade(1)            ...
Reacções dos Colaboradores a Comportamentos de Liderança               Desrespeitadores da Espiritualidade(2)             ...
Exemplos – Respeito pela Espiritualidade do Colaborador              “Há três anos atrás, quando um dos meus familiares fa...
Exemplos – Respeito pela Espiritualidade do Colaborador               “Quando, por alguma razão importante, eu preciso de ...
Exemplos – Desrespeito pela Espiritualidade do Colaborador               “Como supervisor de uma equipa de seis pessoas, e...
Discussão eConclusões              30
O realismo da utopia eupsiquiana• Tal como os estudos organizacionais positivos e a literaturasobre espiritualidade no tra...
Prevalência de eventos anti-espirituais• Qual a proporção real de eventos espirituais e anti-espirituais nas organizações?...
Limitações e estudos futuros• A técnica dos incidentes críticos tem alguns inconvenientese limitações• Amostra reduzida• N...
Comentários finais• As descobertas mostram que a Eupshychia é o resultado deinteracções entre pessoas.• Algumas interacçõe...
Obrigado pelavossa atenção!                 35
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Thesis presentation

226 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
226
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Thesis presentation

  1. 1. LIDERANÇA E ESPIRITUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES: UMESTUDO EXPLORATÓRIO Miguel Oliveira Universidade do Minho
  2. 2. Espiritualidade no Trabalho – Nível Individual• A espiritualidade no trabalho é o reconhecimento que osempregados têm uma vida interior que é desenvolvida atravésdo trabalho com significado que tem lugar em contexto decomunidade.• Implica também o esforço da pessoa em desenvolver umaforte conexão com os colegas de trabalho e um alinhamentoentre os valores pessoais e os da organização. 2
  3. 3. Espiritualidade no Trabalho – Nível Organizacional• Refere-se a uma cultura organizacional guiada pordeclarações de missão, liderança e práticas de gestão quesão socialmente responsáveis e guiadas por valores quereconhecem as contribuições que os empregados fazem paraas organizações e que promove o desenvolvimento espirituale o bem-estar pessoais. 3
  4. 4. Dimensões da Espiritualidade no Trabalho• Trabalho com sentido → implica ter uma sensibilidadeprofunda do propósito do trabalho de uma pessoa.• Sentido de comunidade → percepção dos indivíduos sobreum grupo social que partilha um conjunto comum de valoresou ideias que determinam a organização com um sentimentode propósito partilhado. 4
  5. 5. Liderança• Liderança → é uma relação de influência entre líderes eseguidores que pretendem mudanças reais que reflictam osseus propósitos mútuos.Liderança transaccional → Esta é caracterizada como umprocesso de trocas entre líder e subordinado. As partes usam-se mutuamente, embora a relação careça de umentendimento duradouro entre ambas.É baseada num processo de troca em que o líder providenciarecompensas em troca do esforço e performance dosseguidores. 5
  6. 6. Liderança• Liderança transformacional → processo de motivaçãointrínseca onde os líderes envolvem os seguidores de maneiraa que criem uma conexão que aumente o nível de esforço easpirações morais.A liderança transaccional é baseada numa troca económicaou material, enquanto que a liderança transformacional ébaseada numa troca social. 6
  7. 7. Liderança• Liderança espiritual → Relação baseada em trocas decontribuições. O líder promove a unidade através de recompensasextrínsecas justas, apelando à motivação intrínseca doscolaboradores e desenvolvendo as suas motivaçõestranscendentais (significa a motivação de fazer coisas pelos outros,a motivação de contribuir).O líder foca o seu trabalho nas necessidades dos colaboradores, deuma forma não manipulativa, ou seja, tentando ganhar a confiançadeles para que eles se sintam mais dispostos a fazer o que o líderquer. Preocupa-se com as pessoas e tenta contribuir para orespectivo desenvolvimento pessoal. 7
  8. 8. Gestão Eupsiquiana• “Eupshychia” foi um termo utilizado por A. Maslow na obraEupshychian Management (1965)• Deriva da combinação entre eu, que significa bom (i.e.,euphoria) and psyche, que significa mente ou alma.• Eupshychia significa “ter uma mente/alma boa”, “em direcçãoa uma mente/alma boa” ou “o bem estar da psyche”.• Eupshychia é a sociedade ou organização em que sereshumanos naturalmente aspiram a ser auto-actualizados. 8
  9. 9. As organizações e os sistemas de R. H. deveriam ser desenhados de acordo com 36 assunções que os gestores eupsiquianos deveriam adoptarAssumir que (e.g.,)... • Todas as pessoas são de confiança • Todas as pessoas podem desfrutar de um bom trabalho de equipa, boa harmonia no grupo, bom sentimento de pertença, e amor do grupo. • Todas as pessoas preferem sentir-se importantes, necessárias, úteis, bem sucedidas, orgulhosas, respeitadas, em vez de irrelevantes, substituíveis, anónimas, desperdiçadas, não utilizadas, dispensáveis, desrespeitadas. • Todas as pessoas preferem ou até mesmo necessitam de amar o seu chefe (em vez de o odiar)… • Todos os seres humanos preferem um trabalho com significado em vez de um trabalho desprovido de significado • As pessoas preferem ser únicas e ter uma identidade, em detrimento de serem anónimas e substituíveis. 9
  10. 10. Círculos virtuosos• A auto-actualização dos gestores pode produzir círculosvirtuosos nas organizações (i.e., auto-actualização noutraspessoas), já que podem satisfazer necessidades de ordemmais baixa (i.e., físicas, segurança, sociais).• Isto, por sua vez, pode levar as pessoas a internalizar“Valores B” (e.g., verdade, beleza, bondade, justiça).• Segundo Maslow (1965), isto é bom para melhorar a saúdee o bem-estar dos empregados, e também para aperformance da organização. 10
  11. 11. Incentivo para a pesquisa• A espiritualidade é uma corrente da literatura organizacionalrecente e vigorosa, embora a pesquisa empírica ainda sejaescassa.• Várias noções oferecidas nas definições de espiritualidadeevocam a noção de gestão eupsiquiana (e.g., auto-actualização, auto-realização, harmonia, balanço, sentido,virtude, interconexão).• Poucos estudos relacionam comportamentos de liderançacom espiritualidade no trabalho. 11
  12. 12. Questões da Pesquisa 12
  13. 13. 1. Que comportamentos de liderança (des)respeitam as percepções dos empregados sobre a espiritualidade no trabalho?2. Como é que os empregados reagem a esses comportamentos?3. Será que os empregados incorporam a religião no seu entendimento de espiritualidade no trabalho?4. Qual o tipo e proporção de comportamentos de liderança positivos e negativos que os empregados reportaram quando foram convidados a narrar eventos acerca dos comportamentos de liderança e consequente impacto na espiritualidade no trabalho? 13
  14. 14. Método 14
  15. 15. Técnica dos Incidentes Críticos Amostra por conveniência de 105 empregados de 53 organizações Idade média: 32.3 anosTempo de contacto médio entre empregados e líderes: 4.1 anos 68.6% - Sexo feminino 3% - Ensino Básico 28% - Ensino Secundário 69% - Ensino universitário 15
  16. 16. Três“momentos”1. Os indivíduos foram informados que a espiritualidade no trabalho referia-se às “oportunidades no local de trabalho para realizar um trabalho com significado num contexto de comunidade com um sentimento de alegria e respeito pela vida interior.2. Foram convidados a reportar dois eventos em que os líderes tivessem respeitado ou desrespeitado a espiritualidade no trabalho.3. Depois de descreverem os incidentes, foram desafiados a reportarem como reagiram perante o comportamento do líder. 16
  17. 17. 175 incidentes críticos úteis• 120 referindo-se a comportamentos desrespeitadores da espiritualidade no trabalho• 55 referindo-se a comportamentos respeitadores da espiritualidade no trabalho 17
  18. 18. Descobertas 18
  19. 19. Efeitos de comportamentos de liderança respeitadores da espiritualidadeComportamentos Número de vezes que Número de vezes que a reacção do empregado foi mencionadade liderança o comportamento foiO líder: mencionado Bem-estar Empenhamento Atitudes e Sentimento psicológico e sentido de comportamentos de auto- vocação positivos em estima (ser relação ao apreciado) supervisorPromove a auto- 25 14 15 1 5determinação e odesenvolvimentopessoal doempregadoRespeita a vida 10 5 3 3 2interior e pessoaldos empregadosÉ bondoso, tem 8 4 1 3 1compaixão, é leale respeitador.Promove relações 7 1 3 3 0interpessoaispositivas e osentido decomunidadeÉ corajoso e 5 5 1 2 0denota espíritoaberto 19
  20. 20. Efeitos de comportamentos de liderança desrespeitadores da espiritualidadeComporta- Nº Número de vezes que a reacção do empregado foi mencionadamentos de de vezesliderançaO líder: Voz, Sentimentos Negligência, Retaliação / Diminuição da Saída Efeitos Relaciona- protesto e passividade desobediência performance na mento com e e emoções e (resposta no papel e equipa sentimento apelo negativas silêncio activa) extra-papel em relação ao a um (resposta supervisor superior passiva)Abuso de 62 26 21 9 8 10 2 5 2poderÉ rude / 19 9 8 3 3 2 2 0 0cruel /indelicadoDesrespeita a 17 4 4 7 3 0 2 1 1vida pessoale interior dosempregadosÉ preguiçoso 13 7 2 2 2 1 0 0 2e cobardeÉ desonesto 9 4 3 1 3 0 1 0 1e falsoDiscrimina os 8 3 3 1 1 1 1 1 1empregadosInstiga às 5 2 1 1 1 0 1 1 0más relaçõesinterpessoais 20
  21. 21. Comportamentos de Liderança Respeitadores da EspiritualidadeO líder promove auto-determinação Ilustrações: dá oportunidades para as pessoas assumirem responsabilidades ee desenvolvimento pessoal, e auto-desenvolverem os seus potenciais; pede ideias as empregados e dá-lhesmostra apreço e confiança nos responsabilidade pelas suas implementações; faz um esforço por explicar eempregados ajudar o empregado a aprender e desenvolver competências. Ilustrações: facilita ao empregado visitas a familiares que estão no hospital;O líder respeita a vida pessoal e mostra compreensão por um pequeno período de ausência devido a problemasinterior dos empregados familiares; facilita a conciliação trabalho-família; vai a um serviço religioso em memória de um familiar de um empregado.O líder é corajoso e denota espírito Ilustrações: assume erros; promove a liberdade de expressão; está aberto aaberto sugestões dos empregados.O líder promove relações Ilustrações: promove relações interpessoais positivas e a cooperação entreinterpessoais positivas e um membros da equipa; promove o respeito mútuo; partilha pensamentos (e.g.,sentido de comunidade elogiar um trabalhador) com outros empregados. Ilustrações: faz pedidos de uma forma respeitadora, mostra compreensão;O líder é bondoso, tem compaixão, protege os empregados doentes através da libertação destes de tarefasé leal e respeitador problemáticas; é transparente e respeitador quando pergunta a um empregado se aceita mais responsabilidades sem um aumento salarial. 21
  22. 22. Reacções dos Colaboradores a Comportamentos de Liderança Respeitadores da Espiritualidade Ilustrações: contentamento, sentimento deBem-estar psicológico gratidão e felicidade; calma. Ilustrações: maiores esforços para o auto- desenvolvimento; motivação para fazer mais eEmpenhamento e vocação melhor; sentimento de vocação; empenhamento e comprometimento com o trabalho. Ilustrações: ajudar o supervisor em matéria deComportamentos e atitudes positivas em trabalho ou em problemas emocionais;relação ao supervisor admiração pelo supervisor.Sentimento de auto-estima (sentimento de ser Ilustrações: sentir-se respeitado e apreciado;apreciado) auto-confiança. 22
  23. 23. Comportamentos de Liderança Desrespeitadores da Espiritualidade (1) Ilustrações: toma decisões de uma forma discricionária/ditatorial; pede aoO líder abusa do poder empregado para realizar tarefas que não fazem parte do seu trabalho; questionasobre os empregados repetidamente o empregado acerca da conclusão de tarefas (pressão); culpa os empregados por acções e problemas dos quais não são responsáveis. Ilustrações: não respeita os sentimentos de um empregado ao qual morreu um familiar; não deixa o empregado participar na festa de Natal de um filho ou filha;O líder desrespeita a goza com o desejo de um empregado estar presente num serviço religioso emvida pessoal e interior memória de um familiar; pressiona o empregado a participar num evento religioso;dos empregados questiona o empregado quanto às suas crenças religiosas; despede um empregado que queria exercer o seu direito de licença paternal. Ilustrações: despede o empregado na véspera de Natal; liberta a sua raiva contraO líder é o primeiro empregado que lhe aparece à frente; desacredita os empregados emrude/cruel/indelicado frente de outras pessoas ou dos seus subordinados. Ilustrações: não põe termo a problemas de trabalho comunicados por umO líder é preguiçoso e subordinado; declina responsabilidade por erros; não tem a coragem de falarcobarde directamente com o empregado. 23
  24. 24. Comportamentos de Liderança Desrespeitadores da Espiritualidade (2) Ilustrações: pede ao empregado para omitir dados em documentos oficiais; nega o que o empregado lhe disse; diz uma coisa aosO líder é desonesto e empregados e outra ao supervisor(a); incita os empregados afalso adulterarem um relatório mensal de forma a impressionar positivamente o CEO. Ilustrações: atribui bónus de uma forma discriminatória; mostraO líder discrimina os preferências pessoais quando delega tarefas; discrimina as mulheresempregados através de anedotas sexistas.O líder instiga maus Ilustrações: proíbe o empregado de estar “tão disponível” e prestávelrelacionamentos para outros empregados; põe os empregados uns contra os outros;interpessoais entre proíbe os empregados de usarem o primeiro nome na convivênciamembros da equipa entre eles. 24
  25. 25. Reacções dos Colaboradores a Comportamentos de Liderança Desrespeitadores da Espiritualidade(1) Ilustrações: decepção, vergonha (em relação aos colegas); sentimentos deEmoções e injustiça; tristeza; ressentimento; raiva; fúria; choque emocional; sentir-se mal esentimentos negativos choramingar; sentimentos de insegurança; revolta; sentimentos de repulsa; infelicidade.Voz, protesto e apelo Ilustrações: questionar o líder; mostrar ressentimento; tentativa de ganhar suportesuperior dos superiores numa organização.Negligência, Ilustrações: indiferença, resignação, desencorajamento, falso acordo; concordarpassividade e silêncio passivo; silêncio.(resposta passiva) Ilustrações: recusa em concordar com um pedido; responder na mesma medida;Retaliação confrontar o chefe; persistir em comportamentos prévios; chamar “boca podre” ao/desobediência líder; indisponível para ocupar cargos de liderança.(resposta activa) 25
  26. 26. Reacções dos Colaboradores a Comportamentos de Liderança Desrespeitadores da Espiritualidade(2) Ilustrações: abrandar o ritmo de trabalho; decréscimo dos resultados;Diminuição da performance atrasar trabalho; evitar esforços extra; parar de trabalhar depois dodentro e fora do papel horário de trabalho. Ilustrações: suspeição acerca do supervisor; dificuldades em falar com oRelação com e sentimentos supervisor; não gostar do supervisor.em relação ao supervisor Ilustrações: medo, solidariedade entre membros da equipa (contra oEfeitos em toda a equipa supervisor); clima tenso; consternação entre a equipa.Saída Ilustrações: Abandonar a organização. 26
  27. 27. Exemplos – Respeito pela Espiritualidade do Colaborador “Há três anos atrás, quando um dos meus familiares faleceu, eu senti um forte apoio do meu supervisor, inclusive em relação ao meu filho. Nos meses que se seguiram, o meu supervisorParticipante esteve presente nas cerimónias mensais em memória do meu familiar (respeitar a vida nº 4 interior e pessoal do empregado). Eu senti-me respeitada e, apesar das insatisfações que senti algumas vezes, eu senti-me satisfeita por notar que o meu chefe/empregador tem-me em alta consideração (bem-estar psicológico; sentimento de auto-estima)” “O meu supervisor convidou-me para uma reunião, onde era esperado que ele apresentasse um novo projecto de trabalho, as ideias que queria que os seus empregados implementassem e o tipo de performance que ele esperava na agência.Participante Surpreendentemente, ele comunicou a todos os membros da equipa que, a partir daquele nº 46 momento, eu seria o gestor da agência (promover a auto-determinação e auto- desenvolvimento do empregado, e mostrar apreço e confiança no empregado). (…) Eu não sabia o que fazer ou dizer! Eu estou grato pela oportunidade e disse que iria fazer tudo o que pudesse para satisfazer essa oportunidade. Eu senti-me alegre (bem-estar psicológico; empenhamento e sentimento de vocação).” 27
  28. 28. Exemplos – Respeito pela Espiritualidade do Colaborador “Quando, por alguma razão importante, eu preciso de me ausentar do trabalho e peço ao meu supervisor permissão, ele não me questiona ou duvida de mim (respeito pela vida pessoal e interior do empregado). Ao mostrar confiança e respeito, eu sinto-me grato e contente. Assim, eu apenas saio quando euParticipante realmente necessito, eu explico porquê e sinto-me na obrigação de respeitar nº 31 alguém que me respeita a mim. Para me sentir bem num ambiente de trabalho, eu necessito de me sentir respeitado e valorizado (bem-estar psicológico; sentimento de auto-estima)”. 28
  29. 29. Exemplos – Desrespeito pela Espiritualidade do Colaborador “Como supervisor de uma equipa de seis pessoas, eu fiz esforços para implementar um espírito de equipa caracterizado pela amizade e ajuda mútua – sabendo, obviamente, que alguns membros eram mais produtivos que outros. O meu director queria uma atitude diferente: ele queria promover uma competição inflamada onde apenas os resultados interessavam. Várias vezes, ele diminui e criticou deParticipante uma forma humilhante os indivíduos com menor performance (rudeza). Eu argumentei que a relevância nº 16 de um indivíduo no seio de uma equipa não era apenas reflectida nas vendas. As minhas diversas tentativas para convencer o director não tiveram sucesso. Após sair da companhia, eu soube que nos três meses seguintes apenas restava um membro dessa equipa. Também soube que as vendas diminuíram e que a rotatividade é alta (voz; saída; diminuição da performance).Participante “Na época de Natal, o meu supervisor não me deixou ir à festa de Natal da minha filha (desrespeito nº 21 pela vida pessoal do empregado). Eu decidi faltar ao trabalho (retaliação/desobediência).”Participante “O meu supervisor disse-me para introduzir algumas mudanças num relatório mensal que eu tinha nº 65 escrito, de forma a apresentar informação falsa à administração (falsidade). Eu decidi não alterar os dados (…). Eu demiti-me (saída).” 29
  30. 30. Discussão eConclusões 30
  31. 31. O realismo da utopia eupsiquiana• Tal como os estudos organizacionais positivos e a literaturasobre espiritualidade no trabalho sugerem, a busca de Maslowpor organizações eupsiquianas parece ser bem mais realistado que algumas críticas aos seus alegados objectivos utópicospoderiam sugerir (Payne, 2000).• Eisler & Montouori (2003) argumentaram que há umaevidência crescente de que um local de trabalho maishumanista é mais produtivo, flexível e criativo. 31
  32. 32. Prevalência de eventos anti-espirituais• Qual a proporção real de eventos espirituais e anti-espirituais nas organizações?• Será que algum tipo de “desvio negativo” induz os membrosorganizacionais a relembrarem-se e a serem mais sensitivosao lado negativo do funcionamento organizacional?• Existe a possibilidade paradoxal de haver um “desviopositivo” (assumindo-se que as pessoas esperam ser bemtratadas, os eventos negativos tornam-se mais salientes nassuas mentes). 32
  33. 33. Limitações e estudos futuros• A técnica dos incidentes críticos tem alguns inconvenientese limitações• Amostra reduzida• Não foram consideradas variáveis moderadoras • Estudos futuros deverão auscultar os líderes, e não apenas os “subordinados”. 33
  34. 34. Comentários finais• As descobertas mostram que a Eupshychia é o resultado deinteracções entre pessoas.• Algumas interacções colocam as pessoas mais próximasdos níveis mais altos do edifício teórico de Maslow, enquantooutros comportamentos transformam a Eupshychia numprojecto meramente utópico. 34
  35. 35. Obrigado pelavossa atenção! 35

×