Manuel Teixeira    2007             Melhorar os Resultados do Sector             Público com o Balanced Scorecard         ...
Manuel Teixeira    2007           Uma organização “que pensa e             planeia estrategicamente cria           condiçõ...
Manuel Teixeira    2007                                               Agenda              •   Crise na Administração Públi...
Manuel Teixeira    2007          Crise na Administração Pública           • crise fiscal: incapacidade de geração         ...
Manuel Teixeira    2007             Movimentos Centrais           • aumento da eficiência (fazer mais             com meno...
Manuel Teixeira    2007                Experiência Internacional           • Reino Unido                  – Privatizações ...
Manuel Teixeira    2007          UMA NOVA GESTÃO PÚBLICA            • foco no cidadão: esfera pública              como in...
Manuel Teixeira    2007          Limitações impostas à consolidação do                  planeamento na administração públi...
Manuel Teixeira    2007          A Realidade Portuguesa                                   Ideias & Tecnologias            ...
Manuel Teixeira    2007                  ESTRUTURA DAS AUTARQUIAS                      LOCAIS E REGIONAIS            Relat...
Manuel Teixeira    2007               Estrutura Territorial           CONTINENTE PORTUGUÊS           • Concelhos - 278    ...
Manuel Teixeira    2007                    As áreas metropolitanas           O actual regime jurídico de criação das áreas...
Manuel Teixeira    2007                                 Para a                     prossecução dos seguintes fins:        ...
Manuel Teixeira    2007                  ÓRGÃOS DE CADA UMA DAS CATEGORIAS DE                     AUTARQUIAS LOCAIS E REGI...
Manuel Teixeira    2007             Tipo de competência           Salvo excepção pontual, as competências são             ...
Manuel Teixeira    2007                  Tarefas delegadas às autarquias                         locais e regionais       ...
Manuel Teixeira    2007             Mais “Accountability”           • Como até ao presente não foi possível             in...
Manuel Teixeira    2007                               A responsabilidade como categoria                                cen...
Manuel Teixeira    2007                                       O “centro” da                                     responsabi...
Manuel Teixeira    2007                        Responsabilidade em três                                        níveis *   ...
Manuel Teixeira    2007          Princípios gerais de gestão                          dos serviços          •   Planeament...
Manuel Teixeira    2007                  Instrumentos de planeamento,                     programação e controlo          ...
Manuel Teixeira    2007          Categorias de Autarquias Locais          • No continente, as autarquias locais são       ...
Manuel Teixeira    2007          Atribuições e Competências           • As Leis n.ºs 159/99 de 14.09 e 169/99             ...
Manuel Teixeira    2007          Atribuições e Competências             As atribuições das autarquias locais e a competênc...
Manuel Teixeira    2007                        Serviços de apoio técnico                              (Municípios)        ...
Manuel Teixeira    2007                  NOVA CONTABILIDADE DAS                    AUTARQUIAS LOCAIS                      ...
Manuel Teixeira    2007                  CARACTERIZAÇÃO DO REGIME                         COMPLETO             • Elaboraçã...
Manuel Teixeira    2007                                                        Tribunal de Contas (TC)                 cóp...
Manuel Teixeira    2007                  Ideias & Tecnologias                                    30
Manuel Teixeira    2007                                  CAF                      ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO            ...
Manuel Teixeira    2007          CAF - ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO            A CAF tem 4 objectivos principais:         ...
Manuel Teixeira    2007                            A estrutura da CAF*      * Inspirada no modelo da European Foundation f...
Manuel Teixeira    2007            Estrutura Metodológica            • CRITÉRIOS DE MEIOS                CRITÉRIO 1: LIDE...
Manuel Teixeira    2007          CRITÉRIO 1: LIDERANÇA           • DEFINIÇÃO           Como os dirigentes desenvolvem e pr...
Manuel Teixeira    2007             CRITÉRIO 1: LIDERANÇA           • DAR UMA ORIENTAÇÃO À ORGANIZAÇÃO: DESENVOLVENDO     ...
Manuel Teixeira    2007            Estrutura Metodológica            • CRITÉRIOS DE MEIOS                CRITÉRIO 1: LIDE...
Manuel Teixeira    2007                   CRITÉRIO 2: PLANEAMENTO E                          ESTRATÉGIA           • DEFINI...
Manuel Teixeira    2007                        CRITÉRIO 2: PLANEAMENTO E                               ESTRATÉGIA         ...
Manuel Teixeira    2007                  Uma gestão orientada para os                          resultados           • Esta...
Manuel Teixeira    2007                      Enfoque na Economia?           • Um novo modelo de desenvolvimento para o    ...
Manuel Teixeira    2007                       Torna-se Necessário                       Fazer a Ponte entre               ...
Manuel Teixeira    2007          O plano de “Performance”             • A realidade actual dos mercados pressupõe novos   ...
Manuel Teixeira    2007               O plano de “Performance”                  Ministérios &                  Secretarias...
Manuel Teixeira                            O plano de “Performance”    2007                  Ministérios &                ...
Manuel Teixeira    2007               O plano de “Performance”                  Ministérios &                  Secretarias...
Manuel Teixeira    2007                    Dimensões fundamentais específicas                  para uma gestão focalizada ...
Manuel Teixeira    2007            Perspectivas Sector Público                  Utilizador                                ...
Manuel Teixeira                              Afinal, o que é o Balanced    2007                                      Score...
Manuel Teixeira    2007            “Sr. Joaquim:            Sou novato nestas coisas do BSC.                  Pode enviar-...
Manuel Teixeira    2007                  Balanced Scorecard         “Trata-se, em primeiro lugar,             de Gestão Es...
Manuel Teixeira    2007                         Indicadores de Desempenho do BSC                  Que queremos medir?     ...
Manuel Teixeira    2007                          Timeline Típico– Implementação do                                        ...
Manuel Teixeira                     As barreiras na implementação da estratégia    2007                                  A...
Manuel Teixeira    2007                  Inovar através da                  Mudança,                  Colaboração e       ...
Manuel Teixeira    2007                        Referências            •Direcção - Geral das Autarquias Locais            •...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecard

1.375 visualizações

Publicada em

balanced scorecard model in public administration; accountability

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.375
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecard

  1. 1. Manuel Teixeira 2007 Melhorar os Resultados do Sector Público com o Balanced Scorecard Manuel Teixeira mts@manuelteixeira.net 2007 Ideias & Tecnologias
  2. 2. Manuel Teixeira 2007 Uma organização “que pensa e planeia estrategicamente cria condições para o surgimento de lideranças baseadas na gestão participativa e na delegação de autoridade.” Ideias & Tecnologias 2
  3. 3. Manuel Teixeira 2007 Agenda • Crise na Administração Pública • Movimentos Centrais • Uma Nova Gestão Pública • A Realidade Portuguesa • Estrutura Territorial • Mais ―Accountability‖ • Princípios gerais de gestão dos serviços • Nova Contabilidade das Autarquias Locais - POCAL • Common Assessment Framework (CAF) • Uma gestão orientada para os resultados • O plano de ―Performance‖ • Afinal, o que é o Balanced Scorecard? • As barreiras na implementação da estratégia Ideias & Tecnologias 3
  4. 4. Manuel Teixeira 2007 Crise na Administração Pública • crise fiscal: incapacidade de geração de poupança pública para a realização dos investimentos sociais • crise de desempenho: baixa qualidade na prestação dos serviços públicos Ideias & Tecnologias 4
  5. 5. Manuel Teixeira 2007 Movimentos Centrais • aumento da eficiência (fazer mais com menos); • melhoria da qualidade (fazer melhor); • resgate da esfera pública como instrumento da expressão da cidadania (fazer o que deve ser feito). Ideias & Tecnologias 5
  6. 6. Manuel Teixeira 2007 Experiência Internacional • Reino Unido – Privatizações e modernização – Foco na eficiência (NGP) – Carta do Cidadão • EEUU – Reinvenção do governo – NPRG • França – Desconcentração – Descentralização – Contratualização Ideias & Tecnologias 6
  7. 7. Manuel Teixeira 2007 UMA NOVA GESTÃO PÚBLICA • foco no cidadão: esfera pública como instrumento do exercício da cidadania • reorientação para os resultados: do controlo burocrático ao por resultados • modernização da gestão: flexibilidade, descentralização, integração instrumentos de gestão • controlo social: a perspectiva do cidadão • valorização dos RH: polivalência Ideias & Tecnologias 7
  8. 8. Manuel Teixeira 2007 Limitações impostas à consolidação do planeamento na administração pública 1. fragilidade da unidade de planeamento (priorização dos aspectos orçamentais e contabilísticos em detrimento do planeamento); 2. fragmentação das políticas e recursos disponíveis; 3. falta de integração dos objectivos e acções; 4. controlos desvinculados de uma avaliação de desempenho (controlo focalizado, quase que exclusivamente, para os meios e os aspectos formais, em vez da avaliação do desempenho, dos resultados). Ideias & Tecnologias 8
  9. 9. Manuel Teixeira 2007 A Realidade Portuguesa Ideias & Tecnologias 9
  10. 10. Manuel Teixeira 2007 ESTRUTURA DAS AUTARQUIAS LOCAIS E REGIONAIS Relativamente ao território continental, a Constituição consagra a existência de três níveis de poderes locais: • região administrativa, • município e • freguesia. As regiões administrativas não foram ainda instituídas e os 18 distritos, em vigor desde 1835, continuam a existir. Na prática, os distritos não são mais do que circunscrições da administração desconcentrada do Estado. Ideias & Tecnologias 10
  11. 11. Manuel Teixeira 2007 Estrutura Territorial CONTINENTE PORTUGUÊS • Concelhos - 278 • Distritos - 18 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES • Concelhos - 19 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA • Concelhos - 11 Ideias & Tecnologias 11
  12. 12. Manuel Teixeira 2007 As áreas metropolitanas O actual regime jurídico de criação das áreas metropolitanas, constante da Lei 10/2003, que revoga a Lei 44/91, de 2 de Agosto, distingue dois tipos de entidades, pressupondo sempre que os municípios nelas integrados se encontram ligados entre si por um nexo de continuidade territorial: • Grandes áreas metropolitanas (GAM); • Comunidades urbanas (ComUrb). Ideias & Tecnologias 12
  13. 13. Manuel Teixeira 2007 Para a prossecução dos seguintes fins: • Até Outubro de 2004, além das áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto já existentes, foram criadas mais 15 áreas metropolitanas e 1 comunidade intermunicipal de direito público. • Articulação dos investimentos & coordenação de actuações entre os municípios e os serviços da administração central, nas seguintes áreas: (saneamento básico e de abastecimento público; saúde; educação; ambiente; segurança; planeamento e gestão estratégica entre outras de índole social) Ideias & Tecnologias 13
  14. 14. Manuel Teixeira 2007 ÓRGÃOS DE CADA UMA DAS CATEGORIAS DE AUTARQUIAS LOCAIS E REGIONAIS Ideias & Tecnologias 14
  15. 15. Manuel Teixeira 2007 Tipo de competência Salvo excepção pontual, as competências são partilhadas entre o Estado e os municípios. A partir de 1974, não existe diferenciação entre competências municipais obrigatórias e facultativas. Exercício da competência: Na tradição administrativa portuguesa, a competência é exercida directamente e a responsabilidade é do nível competente. Ideias & Tecnologias 15
  16. 16. Manuel Teixeira 2007 Tarefas delegadas às autarquias locais e regionais O regime em vigor em Portugal consagra uma grande dicotomia entre a administração local autárquica e a administração local do Estado. No actual quadro e dentro da tradição administrativa portuguesa, o Estado não delega as suas funções nas autarquias locais. A transferência de atribuições e competências para as autarquias locais instituídas é feita de forma articulada e participada, nos termos a definir em diplomas específicos de concretização dessas transferências. Ideias & Tecnologias 16
  17. 17. Manuel Teixeira 2007 Mais “Accountability” • Como até ao presente não foi possível instituir as regiões administrativas, espera-se que, com a criação de novas entidades supramunicipais, designadamente as novas áreas metropolitanas e as comunidades intermunicipais, pela aplicação das Leis 10/2003 e 11/2003, ambas de 13 de Maio, • seja possível modificar a repartição de competências, por forma a aproximar mais a administração pública dos cidadãos e a tornar a sua acção mais económica, mais eficiente e mais eficaz. Ideias & Tecnologias 17
  18. 18. Manuel Teixeira 2007 A responsabilidade como categoria central do sistema administrativo O processo de modernização dos serviços públicos Mudança na sua Mudança na estrutura interna relação com o cidadão do sistema administrativo A responsabilidade política e ética Funcionamento do sistema administrativo — Produção (ou não) de confiança do cidadão no sistema, prestar contas dos actos e decisões, na difusão da ética profissional e na realização cumprir prazos e procedimentos, eficaz dos programas públicos, como valor de legitimação desempenho profissional, do funcionamento da administração comportamentos neutros e impessoais, etc Ideias & Tecnologias 18
  19. 19. Manuel Teixeira 2007 O “centro” da responsabilidade A responsabilidade política e ética Mudança na sua Mudança na estrutura interna relação com o cidadão do sistema administrativo Accountability (obrigação de responder pelos actos e resultados) Utilização e prestação de contas dos Princípio de precaução e segurança das recursos públicos e da autoridade sociedades cada vez mais complexas política e administrativa Ideias & Tecnologias 19
  20. 20. Manuel Teixeira 2007 Responsabilidade em três níveis * Cidadão (categoria de cidadania) Dimensão sistema administrativo e prestação de contas dos contribuinte organizacional resultados Dimensão responsabilidade política e institucional administrativa face aos eleitor direitos da cidadania responsabilidade política, entendida como categoria participe da Dimensão constitutiva da democracia contratual numa fase de sociedade de sociedade risco * Referência de: Juan Mozzicafreddo. Docente do ISCTE e investigador do CIES Ideias & Tecnologias 20
  21. 21. Manuel Teixeira 2007 Princípios gerais de gestão dos serviços • Planeamento; • Coordenação e cooperação; • Controlo e responsabilização; • Qualidade e modernização. Ideias & Tecnologias 21
  22. 22. Manuel Teixeira 2007 Instrumentos de planeamento, programação e controlo • Plano Director Municipal; • Outros Planos Municipais de Ordenamento do Território; • Planos anuais ou plurianuais de investimento; • Orçamentos anuais ou plurianuais; • Relatórios de actividades. Ideias & Tecnologias 22
  23. 23. Manuel Teixeira 2007 Categorias de Autarquias Locais • No continente, as autarquias locais são as freguesias, os municípios e as regiões administrativas, estas últimas ainda por instituir. Actualmente, existem, em Portugal, 308 municípios, dos quais 278 no continente e 30 nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. O País tem ainda 4 259 freguesias, das quais, 4 050 no território continental e 209 nos territórios insulares. Ideias & Tecnologias 23
  24. 24. Manuel Teixeira 2007 Atribuições e Competências • As Leis n.ºs 159/99 de 14.09 e 169/99 de 18.09, alterada e republicada pela Lei n.º 5-A/2002 de 11.01, estabelecem, respectivamente, o quadro de atribuições e competências para as autarquias locais e as competências e regime jurídico de funcionamento dos órgãos dos municípios e das freguesias. Ideias & Tecnologias 24
  25. 25. Manuel Teixeira 2007 Atribuições e Competências As atribuições das autarquias locais e a competência dos seus órgãos, estando associadas à satisfação das necessidades das comunidades locais, respeitam, nomeadamente, ao 1. desenvolvimento socio-económico, 2. ordenamento do território 3. abastecimento público 4. saneamento básico 5. saúde 6. educação 7. cultura 8. ambiente e 9. desporto. Ideias & Tecnologias 25
  26. 26. Manuel Teixeira 2007 Serviços de apoio técnico (Municípios) • Gabinete de Apoio ao Presidente • 2 — Compete, em particular, ao Gabinete de Apoio ao Presidente: …………….. • e) Colaborar no estabelecimento de canais de articulação com os órgãos do município e as freguesias. • Núcleo de assessores ……….. • b) Gabinete de Apoio aos Órgãos Autárquicos; • b.1) Apoio às freguesias. Ideias & Tecnologias 26
  27. 27. Manuel Teixeira 2007 NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS Ideias & Tecnologias 27
  28. 28. Manuel Teixeira 2007 CARACTERIZAÇÃO DO REGIME COMPLETO • Elaboração do inventário e do balanço inicial. • Elaboração da norma de controlo interno. • Elaboração das opções do plano e do orçamento. • Utilização de três subsistemas de organização de informação contabilística: orçamental, patrimonial e de custos. • Prestação de contas através da apresentação do balanço, da demonstração de resultados, dos mapas de execução orçamental (execução do PPI, controlo orçamental da receita e da despesa, mapas de fluxos de caixa, contas de ordem e operações de tesouraria), dos anexos às demonstrações financeiras (que incluem a caracterização da entidade, as notas ao balanço e à demonstração de resultados e as notas sobre o processo orçamental e respectiva execução) e do relatório de gestão. Ideias & Tecnologias 28
  29. 29. Manuel Teixeira 2007 Tribunal de Contas (TC) cópia dos documentos de prestação de contas, CCDR Respectiva Instituto Nacional de Estatística (INE) Direcção Geral do Orçamento (DGO) Opções do Plano e Orçamento Município * Freguesia * Orçamento de Estado Receitas / Despesas O novo regime contabilístico prevê um sistema completo de organização da contabilidade para as autarquias locais cujo movimento de receita seja superior a 5.000 vezes o índice 100 da escala indiciária do regime geral da função pública (1 551 650 € em 2004). Ideias & Tecnologias 29
  30. 30. Manuel Teixeira 2007 Ideias & Tecnologias 30
  31. 31. Manuel Teixeira 2007 CAF ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO • A Estrutura Comum de Avaliação – Common Assessment Framework (CAF) – resultou da cooperação desenvolvida entre os Ministros da União Europeia (UE) responsáveis pela Administração Pública. A pedido dos Directores-Gerais das Administrações Públicas da UE, foi desenvolvida uma nova versão da CAF pelo Innovative Public Service Group. • A CAF consiste numa ferramenta que foi construída para ajudar as organizações públicas da UE a compreender e utilizar as técnicas de gestão da qualidade de modo a melhorarem o respectivo desempenho1. Trata-se de uma ferramenta simples, de fácil utilização, que permite a auto- avaliação das organizações públicas. A utilização da CAF proporciona à organização uma poderosa ferramenta para se iniciar um processo de melhoria contínua. Ideias & Tecnologias 31
  32. 32. Manuel Teixeira 2007 CAF - ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO A CAF tem 4 objectivos principais: 1. Apreender as características essenciais das organizações públicas; 2. Servir como instrumento para os gestores públicos que queiram melhorar o desempenho dos organismos que dirigem; 3. Servir de ―ponte‖ entre os vários modelos utilizados na gestão da qualidade pelas administrações públicas da UE; 4. Facilitar a utilização do benchmarking entre organizações públicas. Ideias & Tecnologias 32
  33. 33. Manuel Teixeira 2007 A estrutura da CAF* * Inspirada no modelo da European Foundation for Quality Management (EFQM). Ideias & Tecnologias 33
  34. 34. Manuel Teixeira 2007 Estrutura Metodológica • CRITÉRIOS DE MEIOS  CRITÉRIO 1: LIDERANÇA  CRITÉRIO 2: PLANEAMENTO E ESTRATÉGIA  CRITÉRIO 3: GESTÃO DAS PESSOAS  CRITÉRIO 4: PARCERIAS E RECURSOS  CRITÉRIO 5: GESTÃO DOS PROCESSOS E DA MUDANÇA • CRITÉRIOS DE RESULTADOS  CRITÉRIO 6: RESULTADOS ORIENTADOS PARA OS CIDADÃOS/CLIENTES  CRITÉRIO 7: RESULTADOS RELATIVOS ÀS PESSOAS  CRITÉRIO 8: IMPACTO NA SOCIEDADE  CRITÉRIO 9: RESULTADOS DE DESEMPENHO-CHAVE • QUADROS DE AVALIAÇÃO Ideias & Tecnologias 34
  35. 35. Manuel Teixeira 2007 CRITÉRIO 1: LIDERANÇA • DEFINIÇÃO Como os dirigentes desenvolvem e prosseguem a missão, a visão e os valores necessários para sustentar, a longo prazo, o sucesso da organização e os implementam através de acções e comportamentos adequados e estão pessoalmente comprometidos em assegurar o desenvolvimento e a implementação do sistema de gestão da organização. Ideias & Tecnologias 35
  36. 36. Manuel Teixeira 2007 CRITÉRIO 1: LIDERANÇA • DAR UMA ORIENTAÇÃO À ORGANIZAÇÃO: DESENVOLVENDO E COMUNICANDO A VISÃO, MISSÃO E VALORES. • DESENVOLVER E IMPLEMENTAR UM SISTEMA DE GESTÃO DA ORGANZAÇÃO • (g.) Implementar, a longo prazo, um Sistema de Gestão da Qualidade Total*, como são exemplos o EFQM ou a CAF; • (h.) Desenvolver e adoptar um sistema operacional de medição do desempenho da organização (ex: Balanced ScoreCard, ISO 9001). • MOTIVAR E APOIAR AS PESSOAS DA ORGANIZAÇÃO E SERVIR DE MODELO • GERIR AS RELAÇÕES COM O NÍVEL POLÍTICO E COM AS OUTRAS PARTES INTERESSADAS Ideias & Tecnologias 36
  37. 37. Manuel Teixeira 2007 Estrutura Metodológica • CRITÉRIOS DE MEIOS  CRITÉRIO 1: LIDERANÇA  CRITÉRIO 2: PLANEAMENTO E ESTRATÉGIA  CRITÉRIO 3: GESTÃO DAS PESSOAS  CRITÉRIO 4: PARCERIAS E RECURSOS  CRITÉRIO 5: GESTÃO DOS PROCESSOS E DA MUDANÇA • CRITÉRIOS DE RESULTADOS  CRITÉRIO 6: RESULTADOS ORIENTADOS PARA OS CIDADÃOS/CLIENTES  CRITÉRIO 7: RESULTADOS RELATIVOS ÀS PESSOAS  CRITÉRIO 8: IMPACTO NA SOCIEDADE  CRITÉRIO 9: RESULTADOS DE DESEMPENHO-CHAVE • QUADROS DE AVALIAÇÃO Ideias & Tecnologias 37
  38. 38. Manuel Teixeira 2007 CRITÉRIO 2: PLANEAMENTO E ESTRATÉGIA • DEFINIÇÃO Como a organização implementa a sua missão e visão através de uma estratégia clara orientada para todas as partes interessadas, e suportada por políticas, planos, metas, objectivos e processos adequados. Ideias & Tecnologias 38
  39. 39. Manuel Teixeira 2007 CRITÉRIO 2: PLANEAMENTO E ESTRATÉGIA • OBTER INFORMAÇÃO RELACIONADA COM NECESSIDADES PRESENTES E FUTURAS DAS PARTES INTERESSADAS • DESENVOLVER, REVER E ACTUALIZAR O PLANEAMENTO E A ESTRATÉGIA • IMPLEMENTAR O PLANEAMENTO E A ESTRATÉGIA EM TODA A ORGANIZAÇÃO • (d.) Desenvolver e aplicar métodos para medir o desempenho da organização a todos os níveis; • (e.) Criar e acompanhar estruturas de gestão (ex. Conselho de Orientações Políticas, Comissão Executiva e grupos de acompanhamento). Ideias & Tecnologias 39
  40. 40. Manuel Teixeira 2007 Uma gestão orientada para os resultados • Esta abordagem remete-nos para a gestão orientada para os resultados, mudança necessária para que o País se torne competitivo, no fundo é necessária uma nova Estratégia que permita melhorias na gestão e na performance da Administração. A Governação deve ser guiada não por processos mas pela performance. Todo e qualquer programa deve ser julgado pelo seu sucesso ou pelo seu fracasso. Ideias & Tecnologias 40
  41. 41. Manuel Teixeira 2007 Enfoque na Economia? • Um novo modelo de desenvolvimento para o País, vai além da abordagem económica. É necessário estabelecer uma ―baseline‖ para o Planeamento Estratégico da Administração Central e Governo. • Este esforço não deve ter como fócus apenas os resultados financeiros, até porque muitas das Organizações Governamentais não operam na óptica do ―lucro‖. Como tal faz sentido considerar a abordagem Balanced Scorecard que Kaplan e Norton têm desenvolvido e usado no sector privado. Ideias & Tecnologias 41
  42. 42. Manuel Teixeira 2007 Torna-se Necessário Fazer a Ponte entre Para a: Organização focalizada na Estratégia A Organização focalizada no Orçamento Ideias & Tecnologias 42
  43. 43. Manuel Teixeira 2007 O plano de “Performance” • A realidade actual dos mercados pressupõe novos entendimentos, estratégias e modelos de gerir e medir. Durante décadas o principal focus da Administração Central tem sido o Orçamento. È necessário provocar e mudar de abordagem. • Estes planos Estratégicos devem incorporar indicadores e vectores de desempenho: nesta ordem os indicadores de desempenho devem dar origem a um novo documento – o plano de performance – que guiará a revisão do plano estratégico e fará a ponte entre o curto e o longo prazo. No fundo, este “plano de performance” deve substituir o actual “orçamento”. Ideias & Tecnologias 43
  44. 44. Manuel Teixeira 2007 O plano de “Performance” Ministérios & Secretarias de Estado Missão Planos estratégicos de médio e longo prazo Objectivos & Metas Orçamento indicadores e vectores de desempenho plano de performance Unidade A Unidade B Ideias & Tecnologias 44
  45. 45. Manuel Teixeira O plano de “Performance” 2007 Ministérios & Secretarias de Estado Missão Adm. Central Central Planos estratégicos de médio e longo prazo Objectivos & Metas Regional Orçamento Municípios indicadores e Local vectores de desempenho Freguesias plano de performance Unidade A Unidade B Ideias & Tecnologias 45
  46. 46. Manuel Teixeira 2007 O plano de “Performance” Ministérios & Secretarias de Estado Missão ADN. ADN. Central & Regional Estratégicas, Objectivos & Central Temas & Directrizes Planos estratégicos Metas de médio e longo prazo Objectivos & Metas Regional Orçamento Balanced Scorecard vectores de desempenho Iniciativas, indicadores e Municípios & planos de acção indicadores e Local vectores de desempenho Boas plano de performance Freguesias Práticas Unidade A Unidade B Ideias & Tecnologias 46
  47. 47. Manuel Teixeira 2007 Dimensões fundamentais específicas para uma gestão focalizada na estratégia 1. O ―Utilizador‖ e o contribuinte assumem posição preponderante na construção das estratégias de governo. Estes, para fins da estratégia, são os destinatários finais da acção governamental. 2. As pessoas são o elo entre o aparelho estatal e os destinatários do seu produto (os bens e serviços públicos); 3. A génese dos serviços públicos, no âmbito das organizações públicas com destaque para sectores como a educação, a segurança a saúde e a justiça, deve ter como foco os propósitos; 4. A estrutura (processos) tem papel essencial na Administração Pública, nomeadamente nos segmentos previamente assinalados. Ideias & Tecnologias 47
  48. 48. Manuel Teixeira 2007 Perspectivas Sector Público Utilizador Contribuinte (Cliente) Propósitos Processos Pessoas Ideias & Tecnologias 48
  49. 49. Manuel Teixeira Afinal, o que é o Balanced 2007 Scorecard? É: Não é: Um sistema de gestão baseado na Estratégia Uma ferramenta para a medição do desempenho Uma ferramenta de comunicação para toda a Um EIS só para executivos organização Uma longa caminhada Um projecto Muito Trabalho Implementação Fácil Um processo de Mudança “Business as Usual” Equilíbrio entre perspectivas de desempenho Colocar as métricas existentes em 4 silos não-financeiras, eficiência, infra-estrutura, & financeiras Aumento da responsabilidade Controlo individual mais apertado (Accountability) Alinhar a visão com as operações Um projecto de TQM, Six Sigma, ou de reengenharia Ideias & Tecnologias 49
  50. 50. Manuel Teixeira 2007 “Sr. Joaquim: Sou novato nestas coisas do BSC. Pode enviar-me por email uma lista de indicadores para cada uma das quatro perspectivas?” (Nome não revelado para proteger o pobre homem!) Ideias & Tecnologias 50
  51. 51. Manuel Teixeira 2007 Balanced Scorecard “Trata-se, em primeiro lugar, de Gestão Estratégica e Mudança. Só depois, de Medição e Tecnologia” Ideias & Tecnologias 51
  52. 52. Manuel Teixeira 2007 Indicadores de Desempenho do BSC Que queremos medir? Cliente/Utente/ Resultados Stakeholders Processos Actividades de processo Internos (Qualidade, Quantidade, Tempo, Eficácia) Resultados Financeiro/ Ou Budgets Imputes Capacidade Alterações comportamentais Organizacional Conhecimento & Competências Eficiência Ideias & Tecnologias 52
  53. 53. Manuel Teixeira 2007 Timeline Típico– Implementação do Balanced Scorecard Meses 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10-16 Pré Diagnóstico Diagnóstico Estratégico Directrizes Estratégicas & Objectivos Definição Indicadores Desempenho Iniciativas (P. de Acção) Desenho Outputs para a Gestão Revisão Estratégica & Táctica Reuniões Executivas Ideias & Tecnologias 53
  54. 54. Manuel Teixeira As barreiras na implementação da estratégia 2007 A Barreira da Visão Somente 10% da força de trabalho entende a estratégia A Barreira das Pessoas A Barreira da Gestão 8 em 10 85% dos Somente 25% organizações executivos gasta dos gestores menos de 1 hora têm iniciativas falham na por mês a alinhadas com a execução da discutir a estratégia estratégia estratégia 60% da organização não alinha o orçamento à estratégia A Barreira das Operações Ideias & Tecnologias 54
  55. 55. Manuel Teixeira 2007 Inovar através da Mudança, Colaboração e integração Ideias & Tecnologias 55
  56. 56. Manuel Teixeira 2007 Referências •Direcção - Geral das Autarquias Locais •CAF - Versão portuguesa traduzida pela Direcção-Geral da Administração Pública e disponível no site www.dgap.gov.pt. Ideias & Tecnologias 56

×