Apresentação sustentabilidade resp social_final_ii

1.334 visualizações

Publicada em

A Responsabilidade Social das Empresas, é definida pelo nível de integração voluntária, de preocupações sociais e ambientais, nas suas operações e na sua interacção com as outras partes interessadas.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.334
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação sustentabilidade resp social_final_ii

  1. 1. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a ResponsabilidadeImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas Um admirável mundo sustentável: Sonho ou realidade?
  2. 2. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A vida não é mais do que uma competição, para sermos o criminoso e não a vítima. Bertrand Russell (1872 - 1970) Life is nothing but a competition to be the criminal rather than the victim. Bertrand Russell (1872 - 1970) MTS - 2010 2
  3. 3. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas Agenda índice 1. Introdução ao tema. 2. A Responsabilidade Social e a Sustentabilidade 3. Um pouco de história sobre a responsabilidade social 4. A Responsabilidade Social em Portugal 5. O ambiente como estratégia empresarial 6. Novo papel para as empresas 7. Uma maior consciência global 8. Normas na RSC 9. O Desenvolvimento Sustentável 10. A ACV – Análise do Ciclo de Vida 11. A Eco-eficiência 12. O Relatório de Sustentabilidade 13. O futuro é agora? 14. UM NOVO MANIFESTO PARA A GESTÃO Manuel Teixeira 3
  4. 4. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Sustentabilidade e Competitividade A SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como um conceito que traduz a dimensão económica dos resultados de longo prazo decorrentes do exercício da CIDADANIA EMPRESARIAL, e deve ser percebida. • Em cada empresa, assim como • No conjunto da economia.
  5. 5. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 1 - A Responsabilidade Social e a Sustentabilidade • A Responsabilidade Social das Empresas, é definida pelo nível de integração voluntária, de preocupações sociais e ambientais, nas suas operações e na sua interacção com as outras partes interessadas. Manuel Teixeira 5
  6. 6. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A Responsabilidade Social e a Sustentabilidade • O conceito de cidadania empresarial é a "contribuição que uma empresa dá à sociedade através das suas principais actividades comerciais, do seu investimento social e de programas filantrópicos, e ao seu compromisso com as políticas públicas. • O modo como uma empresa gere as suas relações económicas, sociais e ambientais, e o modo como se compromete com os seus parceiros (tais como accionistas, patrões, clientes, parceiros de negócio, governos e comunidades), tem impacto no sucesso da empresa a longo prazo" Manuel Teixeira 6
  7. 7. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice O conceito de responsabilidade social deve ser entendido a dois níveis: • Ao nível interno que se relaciona com os trabalhadores e, mais genericamente, com todas as partes interessadas afectadas pela empresa e que, por seu turno, podem influenciar os seus resultados. • Ao nível externo que leva em conta as consequências das acções de determinada organização sobre as suas variáveis externas, nomeadamente, o ambiente, os seus parceiros de negócio e meio envolvente. Manuel Teixeira 7
  8. 8. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Factores que potenciaram o desenvolvimento da responsabilidade social nas empresas • globalização e de mutação industrial em larga escala • novas preocupações e expectativas dos cidadãos, dos consumidores, das autoridades públicas e dos investidores. • As empresas de hoje surgem como agentes transformadores de larga escala e acabam por • exercerem uma influência constante e muito forte sobre os recursos humanos, a sociedade e o meio ambiente em geral. Manuel Teixeira 8
  9. 9. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Maior colaboração • A responsabilidade social corporativa • focalizadas na ética*, na transparência e na justiça social. áreas ambiental, económica e social. * Como ciência normativa dos comportamentos humanos Manuel Teixeira 9
  10. 10. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A responsabilidade social corporativa • A responsabilidade social corporativa – sustentabilidade corporativa – agregar valor á empresa, aos seus produtos e à sua marca. Manuel Teixeira 10
  11. 11. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Governança Corporativa • responsabilidade social e sustentabilidade Dimensões para o desenvolvimento sustentável Governança e Eficiência Desenvolvimento Protecção e Valorização Coesão Social Colectiva Económico Ambiental Manuel Teixeira 11
  12. 12. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Sustentabilidade e Competitividade • O próprio conceito de competitividade está associado à sustentabilidade do negócio. • Constata-se, assim, que a força económica está intrinsecamente ligada à preservação do meio ambiente, o que representa uma mudança de cultura no mundo corporativo e, consequentemente, pressupõe um trabalho integrado com as diversas partes interessadas. • A sustentabilidade é um conceito que depende de todos: empresas, governos, sociedade e indivíduos. • Deve ser entendida como uma abordagem sistémica a qual postula que todos os elementos influenciam e são influenciados reciprocamente. Manuel Teixeira 12
  13. 13. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 2- Um pouco de história sobre a responsabilidade social • O mecenato, prática comum na Roma antiga • no século XIX, nos Estados Unidos e Europa • Mais tarde, ainda em plena revolução industrial (Dodge versus Ford) • Pós Segunda Guerra Mundial: o caso da A.P. Smith Manufacturing Company Co. versus os seus accionistas. Só na década de 70 é que a preocupação com o como e quando a empresa deveria A lei da filantropia corporativa (em 1953), que responder pelas suas determinava que uma corporação poderia e obrigações sociais, começou a deveria promover o desenvolvimento social. ter relevância. Manuel Teixeira 13
  14. 14. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A Responsabilidade Social em Portugal • Responsabilidade Social, Desenvolvimento Sustentável e Cidadania Empresarial Manuel Teixeira 14
  15. 15. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 4 - A Responsabilidade Social em Portugal • um fraco envolvimento por parte dos diversos stackholders (partes interessadas) • fraca integração das preocupações e expectativas dos mesmos, ainda pouco significativa integração da responsabilidade social no sistema de gestão, participação e consulta da empresa e uma notória confusão sobre o que é efectivamente Responsabilidade Social. • A norma NP 4469 Manuel Teixeira 15
  16. 16. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 5 - O ambiente como estratégia empresarial • "O ambiente de uma organização é composto por forças e instituições externas a ela e que podem afectar o seu desempenho". • A nível de competitividade de determinada empresa pode ser definida, num sentido amplo, como a sua capacidade de desenvolver e sustentar vantagens competitivas que lhe permitam enfrentar essa realidade. Manuel Teixeira 16
  17. 17. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice O Ambiente de Marketing Demográficos Macro Ambiente Económicos Micro Ambiente Empresa Intermediários Fornecedores de Marketing Clientes Concorrência Públicos Políticos / Legais Tecnológicos Ambientais Naturais 17
  18. 18. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Factores • Ao longo das últimas décadas, pode-se afirmar que os recursos naturais tem sido tratados apenas como matéria-prima para o processo produtivo. • este modelo, do modo como foi idealizado, não é sustentável a longo prazo. • Assume-se que as reservas naturais são finitas. Manuel Teixeira 18
  19. 19. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 6- Novo papel para as empresas • Na sociedade de mercado, a empresa é a unidade básica de organização económica. As empresas são o motor central do desenvolvimento económico e devem ser, também, um motor vital do desenvolvimento sustentável. Para isto, é imprescindível que elas definam adequadamente a sua relação com a sociedade e com o meio ambiente. Manuel Teixeira 19
  20. 20. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índiceA Responsabilidade Social Corporativa – CorporateSocial Responsability (CSR) • “a decisão da empresa de contribuir ao desenvolvimento sustentável, trabalhando com os seus empregados, as suas famílias e a comunidade local, assim como com a sociedade no seu conjunto, para melhorar a qualidade de vida”. Definição pela World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) Manuel Teixeira 20
  21. 21. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 7 - Uma maior consciência global • CLUBE DE ROMA, 1972 – Publicação de Os Limites do Crescimento • Pressão sobre recursos naturais • UNCHE, Estocolmo, 1972 • Demanda crescente por energia • Dimensão ambiental como • Poluição condicionadora do modelo • Mudança climática global tradicional de desenvolvimento • Escassez de água potável • WCED, 1987 – Nosso Futuro Comum • Desertificação (Relatório Brundtland) • Perda de biodiversidade • “... atender às necessidades do presente sem comprometer a • Aumento da pobreza, da capacidade de as gerações futuras exclusão e desigualdades atenderem às suas próprias necessidades” • UNCED, Rio de Janeiro, 1992 • Agenda 21 • WSSD, Johannesburgo, 2002
  22. 22. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 8 - Normas na RSC • Norma AA 1000, a SA 8000 e a NP 4469 • contribuindo para criar um modelo de visão sobre as práticas de responsabilidade social e empresarial e a sua gestão do desempenho • A série de normas AA 1000 define melhores práticas para prestação de contas a fim de assegurar a qualidade da contabilidade, auditoria e relato social ético de todos os tipos de organizações (públicas, privadas e ONGs de todos os portes). Por meio desse processo, focado no engajamento da organização com as partes interessadas, vincula questões sociais e éticas à gestão estratégica e operações do negócio. • A SA 8000 é uma norma internacional de avaliação da responsabilidade social para empresas fornecedoras e vendedoras, baseada em convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e noutras convenções das Nações Unidas (ONU). Foi desenvolvida em Outubro de 1997 pelo Órgão de Creditação do Conselho de Prioridades Económicas (CEPAA), ligada a ONU, reunindo ONG, empresas e sindicatos. Manuel Teixeira 22
  23. 23. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A Nova Norma Portuguesa de Responsabilidade Social - NP 4469 • A Comissão Técnica 164 (iniciativa da Associação Portuguesa de Ética Empresarial – APEE – com o apoio da Bureau Veritas), responsável pela elaboração da Norma Portuguesa de Responsabilidade Social, deu por concluída, em Março de 2008, a primeira Norma Portuguesa de Responsabilidade Social - NP 4469-1:2008. Manuel Teixeira 23
  24. 24. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice IPQ NP 4469-1: 2008 Sistema de gestão da responsabilidade social • Trabalho Infantil; • Trabalho Forçado; • Segurança e Saúde; • Liberdade de Associação e Direito à Negociação Colectiva; • Discriminação; • Práticas Disciplinares; • Horário de Trabalho; • Remuneração; • Sistema de Gestão. Manuel Teixeira 24
  25. 25. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Certificação da 4469-1: 2008 • Para a certificação do sistema de gestão de responsabilidade social de acordo com a NP 4469-1: 2008, não existem ainda Organismos de Certificação acreditados para o efeito, pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC) no âmbito do Sistema Português da Qualidade (SPQ). • Na União Europeia, temos o Livro Verde que divide as áreas de conteúdo da Responsabilidade Social Corporativa em dois grandes blocos, sendo que o primeiro é relativo a aspectos internos e o segundo a aspectos externos. Manuel Teixeira 25
  26. 26. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Quais as mais-valias para Portugal da NP 4469-1:2008 • Diferencia as empresas portuguesas • Na forma como os negócios se organizam e realizam • Confiança como um dos elementos centrais Manuel Teixeira 26
  27. 27. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Voltando á questão da Sustentabilidade Dimensão ambiental, económica e social do desenvolvimento sustentável Manuel Teixeira 27
  28. 28. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 9 - O Desenvolvimento Sustentável • Ecologicamente correcto; • Economicamente viável; • Socialmente justo; e • Culturalmente aceite. Manuel Teixeira 28
  29. 29. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Política de sustentabilidade baseada nos chamados 7 compromissos para um desenvolvimento sustentável: Manuel Teixeira 29
  30. 30. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A Estratégia Europeia para o Desenvolvimento Sustentável • Estratégia de Gotemburgo de 2001 • Revisão 2004 • Sustainable Development Strategy (2006) até 2010 ? e assenta: – Mudança climática e a energia limpa – Transporte sustentável – Consumo sustentável e produção – Conservação e gestão dos recursos naturais – Saúde Pública – A inclusão social, demografia e migração – A pobreza global e os desafios do desenvolvimento sustentável Manuel Teixeira 30
  31. 31. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice O Índice de Sustentabilidade Empresarial O Índice de Sustentabilidade Empresarial é uma espécie de "selo de qualidade“, isto porque , hoje em dia, os investidores conscientes são caracterizados em dois grandes grupos: • O investidor pragmático • O Investidor orientado, aquele que, por compromisso pessoal, está disposto a pagar um maior valor pela acção de empresas que privilegiam os três pilares de sustentabilidade - económico, ambiental e social, ou seja, o Triple Bottom Line. Referência a John Elkington. Co-fundador da SustainAbility em 1987. Criador da Triple Bottom line. Manuel Teixeira 31
  32. 32. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice O Triple Bottom Line O Triple bottom line ou People, Planet, Profit são os resultados de uma empresa medidos em termos sociais, ambientais e económicos. Manuel Teixeira 32
  33. 33. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Como medir a sustentabilidade? Consequentemente, ao longo O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), medido pelo dos últimos anos, começaram a Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), surgir alguns métodos para não é exactamente um índice de sustentabilidade, mas ajudou tentar medir a sustentabilidade a dimensionar estes novos métodos, onde temos como um bom exemploO Indicador de Progresso Genuíno (GPI) que baseado no cálculo do PIB agrega outros dados que podem influenciar para cima ou para baixo o valor (do PIB) - Ver caixa. O GPI é calculado pelas organizações não-governamentais tais como a Redefining Progress, baseadas na metodologia do Friends of the Earth. Neste indicador, são medidos dados tais como: Distribuição da receita – mede o quanto do PIB vai para as classes menos favorecidas. Trabalho doméstico e voluntário – porque o que a dona de casa faz não rende dinheiro, o seu trabalho não entra nas estatísticas tradicionais. Aqui, ele conta. Assim como o trabalho voluntário. Nível educacional – Quanto maior o nível educacional da população, maior o índice GPI, além de outros, tais como: Custo do crime, Exaustão de recursos, Poluição, Degradação ambiental a longo prazo, Diminuição do tempo de lazer, Gastos defensivos, Tempo de vida útil dos bens de consumo e da infra-estrutura pública e Dependência de activos externos. Manuel Teixeira 33
  34. 34. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Outros exemplos • Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bolsa de Valores de São Paulo, Bovespa (no Brasil • O Dow Jones Sustainability Index • no caso português, o Prémio de Desenvolvimento Sustentável, uma iniciativa da Heidrick & Struggles na área da sustentabilidade, tendo como parceiro o Diário Económico e o BCSD Portugal. Manuel Teixeira 34
  35. 35. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Prémio de Desenvolvimento Sustentável (Portugal) "doing good by doing well" Baseia-se no preenchimento de um questionário simplificado que tem por base os critérios do Dow Jones Sustainability Index, tomando em consideração o “triple bottom line”, adaptado à realidade das práticas de sustentabilidade em Portugal. Manuel Teixeira 35
  36. 36. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice O estado da arte em Portugal, baseado no Dow Jones Sustainability Index Fonte: Premio Desenvolvimento Sustentável Portugal Manuel Teixeira 36
  37. 37. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 10- A ACV – Análise do Ciclo de Vida • A Análise de Ciclo de Vida (ACV) é a compilação e avaliação das entradas, saídas e dos potenciais impactos ambientais de um sistema de produto ao longo do seu ciclo de vida (a “cradle-to- grave analysis” – expressão usada no Inglês). O termo “ciclo de vida” refere-se à maioria das actividades no decurso da vida do produto desde a sua fabricação, utilização, manutenção e deposição final, incluindo a aquisição de matéria-prima necessária para a fabricação do produto. • A ACV, na óptica da gestão de processos, inclui também critérios alinhados com os conceitos de melhoria contínua e inovação, através da aplicação de tecnologias limpas e do conceito da eco- eficiência como principais ferramentas. Manuel Teixeira 37
  38. 38. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A ACV – Análise do Ciclo de Vida • De acordo com as normas ISO 14040 e 14044, uma avaliação do ciclo de vida é efectuada com base em quatro fases distintas. Manuel Teixeira 38
  39. 39. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A ACV – Análise do Ciclo de Vida A ACV como ferramenta de análise para uma gestão ambiental sustentável está directamente associada com a Gestão do Ciclo de Vida (LCM), contribuindo, deste modo, para o Desenvolvimento Sustentável (DS). Manuel Teixeira 39
  40. 40. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A ACV – Análise do Ciclo de Vida • O conceito de análise do ciclo de vida tem-se tornado no foco das políticas ambientais e uma política ambiental ideal seria aquela que incorporasse as diversas dimensões da vida humana em sociedade, o que inclui as suas dimensões sociais, ambientais, políticas e económicas. • O planeamento deve então ser orientado em torno do princípio da sustentabilidade, entendido aqui como o princípio que fornece as bases sólidas para um estilo de desenvolvimento humano que preserve a qualidade de vida da espécie no planeta. Manuel Teixeira 40
  41. 41. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A ACV – Análise do Ciclo de Vida A dimensão ambiental tem passado assim, de forma gradual, a integrar de modo relevante a política de desenvolvimento das nações em geral e das empresas em particular. • Nova noção de competitividade: – Mercado versus Organizações Manuel Teixeira 41
  42. 42. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A adopção da perspectiva ambiental • o conceito do IPP (Integrated Product Policy - política integrada de produtos), conforme anunciado pela União Europeia • o conceito da economia circular – na China • os relatórios de sustentabilidade. Manuel Teixeira 42
  43. 43. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Aplicações da ACV Manuel Teixeira 43
  44. 44. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Pontos de referência dos standards da ISO para a ACV Existiam quatro normas ISO especificamente concebidas para aplicar na ACV: • ISO 14040: Princípios e estrutura • ISO 14041: Definição de objectivos e âmbito e análise de inventário • ISO 14042: Avaliação do impacto do ciclo de vida • ISO 14043: Interpretação Actualmente e desde início de 2006 dois projectos de normas foram publicados, os quais substituíram aquelas quatro: • ISO/DIS 14040: Princípios e estrutura • ISO/DIS 14044: Requisitos e directrizes A actual norma 14044:2006 substitui a 14041, 14042 e 14043, mas acabou por não sugerir grandes alterações no conteúdo. Manuel Teixeira 44
  45. 45. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Cálculo dos eco-indicadores Para calcular a pontuação do Eco-indicador, são necessários três passos: • Inventário das emissões relevantes, extracções de recursos e uso do solo em todos os processos que constituem o ciclo de vida de um produto. Este é um procedimento padrão da ACV • Cálculo dos danos que estes fluxos causam à saúde humana, qualidade dos ecossistemas e recursos • Ponderação destas três categorias de danos. Manuel Teixeira 45
  46. 46. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Cálculo dos eco-indicadores Procedimento geral para o cálculo dos eco-indicadores. As caixas mais claras referem-se aos processos, as caixas de cor mais escura referem- se aos resultados intermédios. Manuel Teixeira 46
  47. 47. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 11 - A Eco-eficiência O World Business Council on Sustainable Development (WBCSD) cunhou o termo em 1992. A ideia da eco-eficiência, como um dos principais motores da excelência empresarial talvez tenha sido introduzida pelo empresário suíço Stephan Schmidheiny, nesse mesmo ano, através do seu livro “Mudando o Rumo”. • A essência da eco-eficiência reside em criar, ou entregar, mais com menos. E na essência da RSC (Responsabilidade Social Corporativa) ou triple bottom line está a criação de valor acrescentado de forma transparente e honesta. • O termo "Relatório de responsabilidade social" é frequentemente utilizado em vez de um relatório de triple bottom line, mas os dois são intercambiáveis. A teoria por detrás do triple bottom line assume que é do interesse da empresa, actuar como zeladora da questão ambiental, da sociedade e da economia. Manuel Teixeira 47
  48. 48. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Os impactos e respectivos benefícios da (na) RSC 48
  49. 49. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Porquê usar a ACV? • Os governos centrais e os seus diversos clientes simplesmente esperam, cada vez mais, que as empresas prestem atenção às propriedades ambientais de todos os produtos. • O EMAS*, o BSI e a série ISO 14000 exigem a melhoria contínua do seu sistema de gestão ambiental. A ACV e a sua utilização para a melhoria de processo / produto é a melhor maneira de atender a esta questão. A ACV pode ser utilizada para: *Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria *British Standards Institution. Ver em: www.bsi-global.com/ Manuel Teixeira 49
  50. 50. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Porquê usar a ACV? • Avaliação dos impactos ambientais associados a um dado produto; • Análise das trocas ambientais associadas aos produtos e processos para licenciamento ou persuasão dos decisores (órgãos ambientais, comunidade, etc); • Quantificação de emissões ambientais para a atmosfera, corpos de água e solos associados a cada processo ou estágio do ciclo de vida de um produto; • Avaliação dos impactos na saúde e no meio ambiente das emissões associadas a um dado produto; • Identificação de oportunidades de melhoria da eco- eficiência e da eficiência económica; • Concepção e desenvolvimento de produtos. Manuel Teixeira 50
  51. 51. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Os Indicadores de eco-eficiência • Assumindo-se como uma ferramenta prática para o sector empresarial, o conceito de IEE (Indicador de eco-eficiência) centra-se na prática do uso mais eficiente dos recursos e, simultaneamente, alcançar o progresso económico e ambiental através de menor poluição e consumo de recursos Manuel Teixeira 51
  52. 52. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Os Indicadores de eco-eficiência Os IEE devem estar particularmente preparados para responder aos diferentes desafios da sustentabilidade no âmbito da concretização dos objectivos económicos e ecológicos. Estes desafios incluem: • Impactos da actividade económica no ambiente (por exemplo, o consumo de recursos, as emissões de poluição, resíduos); • Efeitos da produtividade dos recursos na economia (por exemplo, eficiência económica). • Impactos da degradação ambiental sobre a produtividade económica (por exemplo, uma redução na capacidade de absorção, perda de cobertura florestal). • Efeitos de melhoria ambiental na sociedade (por exemplo, os custos dos congestionamentos, melhoria no bem-estar, os custos sociais). Manuel Teixeira 52
  53. 53. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Os IEE e o crescimento verde • A UNESCAP (Canal oficial da Comissão das Nações Unidas para a área Económica e social para a Ásia e o Pacífico) • Estratégia de crescimento de verde - Green Grouth (Paris - Julho 2009 - Declaração da OCDE sobre o crescimento verde - “OECD Environmental Outlook” para 2030) Manuel Teixeira 53
  54. 54. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A definição conceptual do IdEE Onde, os custos ambientais podem ser: • Emissões de poluição (emissões de CO2 ou SOx, procura bioquímica de oxigénio, etc.). • Utilização de recursos (energia ou água utilizada) • Custo associado com uma “questão” ambiental (ex: custos de congestionamento de tráfego) Output económico pode ser: • Valor acrescentado / benefício (PIB per capita)/ VAB por trabalhador. • Unidade de produto ou serviço (por km, por m2) • Custo associado com uma “questão” ambiental (ex: custos de congestionamento de tráfego) 54
  55. 55. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice A definição conceptual do IdEE • Importa, portanto, concluir que o conceito de indicador de eco-eficiência é projectado para capturar a eficiência ecológica de crescimento através da medição da eficiência da actividade económica, tanto em termos de consumo e de produção (utilização de recursos) como dos seus impactos ambientais correspondentes. • Nesta perspectiva, o objectivo final do indicador de eco- eficiência é fornecer aos governos e demais organizações, públicas ou privadas, um instrumento prático para a medição do desempenho no contexto da eco-eficiência e aproveitar o conceito de eco-eficiência para a definição de políticas sócio-económicas associadas à sustentabilidade ambiental. Manuel Teixeira 55
  56. 56. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 12 - O Relatório de Sustentabilidade • O trabalho pioneiro da ONG norte--americana CERES na criação de relatórios ambientais normalizados, foi reforçado pelos programas governamentais sobre relatórios ambientais e pelo nascimento dos relatórios de sustentabilidade. • Lançamento do GRI (Global Reporting Initiative), em finais de 1997. • Desde Abril de 2002, como uma instituição independente nas Nações Unidas. Manuel Teixeira 56
  57. 57. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice Orientações sobre a Estrutura de Relatórios da GRI As Directrizes identificam as informações a ser divulgadas, que são relevantes e essenciais para a maioria das organizações e do interesse da maior parte dos stakeholders, em três categorias de conteúdo que deve ser incluído no relatório de sustentabilidade: • Perfil − Informações que estabelecem o contexto geral para a compreensão do desempenho organizacional, tais como sua estratégia, perfil e Governança; • Forma de Gestão − Conteúdo que descreve o modo como a organização trata determinado conjunto de temas para fornecer o contexto para a compreensão do desempenho numa área específica; • Indicadores de Desempenho – Informações comparáveis sobre o desempenho económico, ambiental e social da organização. Manuel Teixeira 57
  58. 58. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 13 - O futuro é agora? • As directrizes da ISO 26000:2010 nas organizações (ISO 9004-2009 no Brasil). Como grande referencial internacional sobre responsabilidade social, entendida como gestão das operações numa óptica de sustentabilidade, a ISO 26000 é importante, em grau variável, para as empresas exportadoras, para todos os empresários e gestores e outras Partes Interessadas. • norma internacional ISO 31000:2009 - Gestão de Riscos - Tradicionalmente relacionada com riscos de segurança ocupacional (OHSAS 18001) ou riscos ambientais (ISO 14001) A emergência de novos modelos de gestão Manuel Teixeira 58
  59. 59. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a Responsabilidade Voltar aoImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas índice 14 - UM NOVO MANIFESTO PARA A GESTÃO Economia das organizações versus economia de mercado – São economias de organizações em que as empresas são o actor principal na criação de valor e no progresso económico Criação de valor e não captação de valor – é o capital social que cria valor e começa a ser reconhecido como o motor do crescimento. Novo papel dos gestores – Ao contrário da visão tradicional dos gestores como "grandes desenhadores" da estratégia, o seu papel deve ser o de criar um propósito dentro da organização Manuel Teixeira 59
  60. 60. A Metrics 2008IT Sustentabilidade e a ResponsabilidadeImplementação de um IT Balanced ScorecardSocial das Empresas Questões? Obrigado Pela Atenção! Manuel Teixeira mts@manuelteixeira.net www.manuelteixeira.net Tel: 935762002 Manuel Teixeira - 2008 60

×