Ugf modelo formatacao

88 visualizações

Publicada em

Metodologia cientifica

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
88
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ugf modelo formatacao

  1. 1. 1 A ETIOLOGIA DAS ESTRIAS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA THE ETIOLOGY STRETCH MARKS: A BIBLIOGRAPHICAL REVIEW 1 Karina Campos Lopes, 1 Tatiana Rodrigues, Marcia Lopes Reis2 1 Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Fisioterapia da Universidade Gama Filho – Brasília- DF 2 Doutora em Sociologia, mestre em Educação, pesquisadora do CICE/USP. Endereço para correspondência: Karina Campos Lopes, CCSW 03 Lote 02 Apt 507 Ed. Marta Hajjar. CEP: 71680-350; Tel: (61) 92337416 / (61) 33413188. Email: karinaclopes@hotmail.com.br RESUMO As estrias caracterizam-se clinicamente pela morfologia, sendo, em geral, lineares, com aspecto atrófico e superfície, eventualmente e discretamente, enrugada, com pequenas rugas transversais ao seu maior eixo que desaparecem à tração, e de início eritematoso ou violáceo. Nesta fase, podem ser discretamente elevadas devido ao edema gerado pelo processo inflamatório, o que justifica, na maioria das vezes, uma esporádica queixa de prurido. Somente após meses elas adquirem a tonalidade branco- nacarada. Caracteristicamente, surgem a partir da adolescência ou durante a gravidez. Sua maior prevalência ocorre na faixa etária dos 14 aos 20 anos (55-65% em mulheres e 15-20% em homens). Além disso, são mais freqüentes em pessoas do sexo feminino. No entanto, em pessoas do sexo masculino são mais discretas. Este estudo tem por objetivo esclarecer os principais aspectos relacionados com a provável etiologia das estrias. Como metodologia, realizamos uma revisão bibliográfica, cuja estratégia de busca incluiu consulta de bases de dados eletrônicas Medline e Bireme. Foram selecionados 12 artigos e um livro texto que preencheram o critério escolhido para constituição da amostra: ano de publicação entre 1959 a 2003. Dessa forma, para a seleção buscamos os termos stretch marks, striae distensae e striae cutis distensae. Verificamos que o assunto etiologia relacionado a estrias se reverte de grande complexidade diante da divergência de opinião entre os autores consultados. Embora muitos estudos relacionados as estrias tenham sido realizados nos últimos anos, pouco se sabe sobre a sua etiologia. Palavras-chave: Estrias, colágeno, fibras elásticas. ABSTRACT The stretch marks are clinically characterized by their morphology, generally linear, atrophic aspect and their surface eventually and discretely wrinkled with small, transversal wrinkles on their biggest axel that tend to disappear with traction, initially erythematosus or violet. In this stage, they can be discretely elevated due to edemas caused by the inflammation process, which justifies in most cases, a sporadic complain of itching. Only after a few months they change to a whitish color. Those marks typically appear after the teenage years, or during a pregnancy. Their biggest occurrence takes place between the ages of 14 and 20 (55-65% in woman and 15-20% in men). Their occurrence is notably more common in women than in men - up to three times as much. Another fact is that in men they are notably more discreet as well. The main objective of this study is to clarify the major aspects related with the probable etiology of the stretch marks. As methodology, we carried through a bibliographical 2 cm 2 cm2 cm 2 cm Margem de 1 cm Titulo em Português Titulo em inglês Nome dos autores numerado Margem de 1 cm Endereço para correspondência do autor principal OBS.: Texto em fonte Times New Roman, tam. 12
  2. 2. 2 revision, which strategy of search included consultation of electronic databases Medline and Bireme. Twelve articles were selected and a book text that had filled the criterion was chosen for constitution of the sample: year of publication enters 1959 to 2003. Therefore, for the election, terms such as “stretch marks”, “striae distensae” and “striae cutis distensae” were selected. We realized that the etilology subject related to stretch marks reverts in a matter of great complexity due to the divergence of opinion among the consulted authors. Despite the large number of studies about the etiology of the stretch marks carried through in the last years, little is really known about it. Key Words: Stretch marks, collagen, elastic fibers INTRODUÇÃO Segundo Lee et al [1] a estria é uma atrofia tegumentar adquirida caracterizada por faixas lineares lisas na pele, com aparência atrófica, avermelhadas, no início, e, depois, roxas (violáceas) e finalmente brancas nacaradas. No início, ocorre um processo inflamatório que pode ser intenso, mononuclear e predominantemente perivascular. A derme pode se apresentar edematosa. Verificou-se que as alterações iniciais se estendem por até 3 cm além da borda da estria, ocorrendo elastólise e desgranulação de mastócitos, seguidos de afluxo de macrófagos em torno das fibras elásticas fragmentadas. Nas fases mais tardias, a epiderme encontra-se atrófica e aplainada. Na derme, as fibras elásticas estão bastante alteradas, e as colágenas dispõem-se em feixes paralelos à superfície, na direção da presumida força de distensão[2]. A primeira descrição morfológica correta dessas lesões foi feita em 1936 por Nardeli, que passou, então, a chamá-las de estrias atróficas[3]. Inicialmente, as estrias eram descritas como “cicatrizes”, após um estudo histológico feito por Pieraggi essa classificação foi totalmente aniquilada[4]. As estrias são freqüentemente iniciadas pelo estiramento da pele, que pode ser mínimo ou excessivo, sendo que estrias espontâneas não ocorrem[5]. São freqüentemente observadas em pessoas obesas, durante a gravidez, em associação com o rápido aumento ou diminuição de peso, síndrome de Cushing, síndrome de Marfan, terapias prolongadas com hormônio adrenocorticotrofico ACTH, adrenocorticais esteróides, uso tópico de esteróides, especialmente sob oclusão, dietas de emagrecimento e pessoas atletas. As estrias são reiteradamente encontradas nas coxas, culotes, seios, ombros e parte inferior das costas[3]. Os sintomas iniciais do aparecimento são variáveis e os primeiros sinais clínicos podem ser caracterizados por prurido, dor, erupção papular plana e levemente eritematosa (rosada). Dessa forma, são inicialmente denominadas de estrias rubras e, posteriormente, elas se tornam esbranquiçadas e nacaradas, sendo denominadas estrias Alba[6]. Esse artigo foi proposto com a finalidade de realizar uma revisão bibliográfica sobre estrias, tendo como fonte privilegiada de pesquisa artigos científicos, com o intuito de esclarecer e fornecer mais uma fonte de pesquisa para os fisioterapeutas da área de dermato-funcional, haja vista a escassez de artigos que relatam o aludido assunto. Formas de citação de autores durante e ao final do texto! Atentar para a seqüência numérica crescente de ordenação dos autores citados
  3. 3. 3 METODOLOGIA Este trabalho consiste em uma revisão bibliográfica, cuja estratégia de busca incluiu consulta de bases de dados eletrônicas Medline e Bireme, assim como em livro publicado por editora nacional. Foram selecionados 12 artigos e um livro texto que preencheram o critério escolhido para constituição da amostra: textos científicos cujo ano de publicação esteja entre 1959 e 2003. Dessa forma, para a seleção foram buscados os termos stretch marks, striae distensae e striae cutis distensae. Com isso, serão discutidos, neste artigo, os resultados das pesquisas bibliográficas e os aspectos convergentes e divergentes dos autores selecionados neste trabalho. RESULTADOS DISCUSSÃO CONCLUSÃO (OU CONSIDERAÇÕES FINAIS) REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS As referências bibliográficas devem seguir o estilo Vancouver descrito anteriormente nestas normas (disponível em www.icmje.org). As referências bibliográficas devem ser numeradas por numerais arábicos e relacionadas em ordem na qual aparecem no texto, seguindo as seguintes normas: Livros - Número de ordem, sobrenome do autor, virgula, letras iniciais de seu nome, ponto, título do capítulo, ponto, In: autor do livro (se diferente do capítulo), ponto, título do livro (em grifo - itálico), ponto, local da edição, dois pontos, editora, ponto e vírgula, ano da impressão, ponto, páginas inicial e final, ponto. Exemplo: - Livro: Robergs, R.A.; Roberts, S.O. Princicipios fundamentais de fisiologia do exercicio para aptidao, desempenho e saúde. São Paulo: Phorte Editora; 2002. p. 111-19 Capitulo de livro ou parte dele: Coleman, W.P., Hanke, C.W., Alt, T.H., Asken, S. Liposuction. In: Cosmetic Surgery of the skin: Principles and pratice. Philadelphia: BC Decker Inc; 1991. p. 213-38 - Artigos: Número de ordem, sobrenome do(s) autor(es), virgula, letras iniciais de seus nomes (sem pontos nem espaço), ponto. Título do trabalha, ponto. Título da revista ano de publicação seguido de ponto e vírgula, número do volume seguido de dois pontos, páginas inicial e final, ponto. Não utilizar maiúsculas ou itálicos. Os títulos das revistas são abreviados de acordo com o Index Medicus, na publicação List of Journals Indexed in Index Medicus ou com a lista das revistas nacionais, disponível na pagina da web da Biblioteca Virtual de Saúde (www.bireme.br). Devem ser citados todos os autores até 6 autores. Quando mais de 6, colocar a abreviação latina et al. Exemplo: Modelo de material e métodos para artigos de revisão bibliográfica!
  4. 4. 4 Spangemburg, E.E.; Booth, F.W. Molecular regulation of individual skeletal muscle fiber types. Acta Physiol Scand 2003; 178:413-24.

×