Jesus e a lei da atração uma nova visão cristã sobre o universo quântico

63.005 visualizações

Publicada em

Jesus e a Lei da Atração - Uma nova visão cristã sobre o universo quântico

Publicada em: Educação
4 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Gosto bastante da Lei da Atração, tenho pesquisado bastante sobre esse assunto, e estou aprendendo muito sobre a o poder da mente subconsciente e sobre a lei da atração, inclusive tem um e-book que ensina como programar nossa mente para conseguir nossos objetivos, LINK DO EBOOK: http://bitly.com/o-poder-da-mente
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • . . . EXCELENTE. . .
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Candida escreveu como vc fala de JESUS e Conscienciologia ao mesmo tempo. Como ela disse: -'Como vc não sabe que o ser da Conscienciologia... fala barbaries sobre Jesus Cristo?

    Ela disse '' Ele usou e abusou da fragilidade existencial de uma amiga,que o via como um grande ser. Por motivo EGOICO dele no momento tornou-a ''dissidente'' da vida dele- sabes porque não tem intelectualidade....muita coisa que ela disse-: usuou a abusou de sua ''Vontade de Servir a Espiritualidade'' usou-a como ISCAS as pessoas que ele não podia estar pessoalmente. Hoje por receio dela dizer das Verdades real sobre tudo que ela vivenciou no convivio da Cons;.....(o que ele fez ela acreditar que viria Ser)- para não atrapalhar a Felicidade dele (assim ele pensa-ela jamais faria nada)- deixou até hoje (Fev/2012) em pessima situação existentencial. Ele sabe que ela precisa de ajuda...como precisa'''
    Será que a espiritualidade que o acompanha tem conhecimento (e consentimento) de TAMANHA BARBARIE???????????????
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • candidawaldorf@yahoo.com.br
    Minha amiga enviou um comentário a você ...gostaria de saber se foi recebido ou onde procuraro que ela postou?
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
63.005
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42.675
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
413
Comentários
4
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jesus e a lei da atração uma nova visão cristã sobre o universo quântico

  1. 1. Jesus e aLei da atração
  2. 2. Mautama Krishnarabi Jesus e aLei da atraçãoUma nova visão cristã sobre o universo quântico
  3. 3. Copyright @ 2008 Editora VistaTodos os direitos reservados Capa e projeto gráfiCo: SGuerra Design impressão e aCabamento: Gráfica Imprensa da Fé Revisão: Valquiria Trochmann Molinari e Rozielly Lemes Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Moraes, Daniel de Sucesso ou fracasso? : 21 leis do poder / Daniel de Moraes. — Curitiba, PR : Editora Vista, 2007. 1. Auto-ajuda – Técnicas 2. Auto-consciência 3. Auto-realização 4. Autoconhecimento – Teoria 5. Comportamento – Modificação 6. Solução de problemas 7. Sucesso I. Título. 07-9752CDD-158.1 Índices para catálogo sistemático: 1. Auto-ajuda : Psicologia aplicada 158.1 2. Projeto de vida : Auto-ajuda : Psicologia aplicada 158.1 1a edição: janeiro de 2008 www.editoravista.com.br atendimento@editoravista.com.br – editoravista@hotmail.com Av. Marechal Floriano Peixoto n° 228, 11° andar, sala 1103 Cep 80020-917 – Curitiba – PR – fone: (41) 3029.2830
  4. 4. Dedico este livro ao meu avô, meu amigo, meu guia, minha luz para a verdade...E a você leitor, para que caminhemos juntos...
  5. 5. SumárioAgradecimentos 7Prefácio 9Introdução 11 19Primeira Parte: 27JESUS CRISTO E O UNIVERSO QUÂNTICO 31 35Capítulo 1: A VERDADE UNIVERSAL 39 As Verdades da Ciência 44 Psicologia 48 Física Quântica 62 Projeciologia e Conscienciologia 68 As Verdades da Fé 71 Como Entender a Verdade Universal 75 A Arte de Meditar 80 Como Encontrei meu Caminho 85 Intelectualidade 90 Comunicabilidade 97 7
  6. 6. Parapsiquismo 102 108Capítulo 2: A LEI DA ATRAÇÃO 111 A Lei da Atração 114 Consciência 120 Energia 124 Energia Consciencial 127 Energia Imanente Como Funciona a Lei da Atração? PenseneCapítulo 3: JESUS CRISTO O Nascimento Jesus no Egito O Menino Jesus Um Grande Mistério Possíveis Influências Somente a Bíblia é a Verdade? Jesus Viveu na Índia? Jesus e o Budismo A Essência da Cura: Ensinamentos Essênios Jesus de Nazaré ou Jesus Nazareno? O Grande Mestre O Batismo A Meditação de Jesus Os Dois Grandes Mandamentos Desapego A Crucificação Depois da Crucificação
  7. 7. Capítulo 4: ENTENDENDO O SEGREDO O Segredo Peça, Acredite e Receba Peça Acredite Receba O Poder da Oração Potencializando suas Intenções Gratidão Visualização Coincidências Crenças Limitantes A Indústria do Medo O Medo como Ferramenta EvolutivaCapítulo 5: JESUS E O SEGREDO Jesus e a Lei da Atração Jesus Era um Médium? Somos Todos Um O Maior Segredo de Todos: Amar O Princípio da Prosperidade: Dar e Receber Dízimo O Segredo do Comércio Saúde Perfeita Medo: A Maior Crença LimitanteSegunda Parte:EXPANDINDO A CONSCIÊNCIA 9
  8. 8. Capítulo 6: MEDITAÇÃOCapítulo 7: CRIANDO SUA ORAÇÃO Minha Oração Visualizando Nosso FuturoCapítulo 8: FAZENDO A HIGIENE MENTAL Mudando Meus Pensenes O que Realmente Quero? Importância da AutopesquisaCapítulo 9: VIVENDO O AMOR DE CRISTO Ao Acordar Durante o Dia Antes de DormirConclusõesGlossárioReferências Bibliográficas e Literatura Recomendada 10
  9. 9. Agradecimentos Primeiramente gostaria de agradecer à minha esposa,Thaís, por todo amor, dedicação e abnegação que tornouminha vida maravilhosa e fez este livro se tornar realidade.Obrigado minha princesa, por ser minha maior dádiva. Agradeço à minha mãe, pelo amor incondicional e totalapoio. Ao meu pai, por seu caráter e amor ao conhecimento.Ao meu irmão, por suas inteligências e habilidades ances-trais. Agradeço especialmente ao meu avô, meu amigo, meuguia, minha luz. Agradeço a toda minha família, minhas avós, tios e tias,primos e primas, por serem pessoas maravilhosas, que ilu-minam minha vida e minhas experiências. Agradeço de coração a todos os meus amigos. Agradeço especialmente aos professores, voluntários eamigos do IIPC. Agradeço a você, leitor, pela intenção de ler este livro edesejo que de alguma maneira ele possa ser uma ferramenta 11
  10. 10. jesus e a lei da atraçãopara sua evolução. Agradeço aos serenões, por encaminharem multidões. Agradeço a Jesus Cristo, por ter iluminado este planetacom seu amor. Agradeço a Deus por estar vivo e pela nossa essênciadivina, representada pela nossa capacidade de vivenciar umpotencial ilimitado. 12
  11. 11. Prefácio Para entender esta obra, recomendo que o leitor estejapronto para quebrar paradigmas, encontrando-se, portanto,com a mente aberta, livre de preconceitos. Para isso enfati-zarei, sempre, que o ponto de vista de cada indivíduo foi for-mado pelas experiências e condicionamentos particulares, eque cada leitor poderá ter uma interpretação diferente dosconteúdos expostos. Os princípios deste livro são baseados na verdade “uni-versal”: uma verdade que há muito tempo vem sendo prega-da. Jesus Cristo, Buda e outros grandes Mestres espirituaispregaram em seus ensinamentos essa verdade “universal”. Essa grande verdade sempre foi a busca dos grandespensadores de nossa história e, hoje, graças às maravilhasda ciência moderna, estão surgindo cada vez mais respos-tas que a comprovam. Grandes cientistas e pensadores estãonos mostrando o mesmo caminho através de seus experi-mentos e explicações. Ciências como a física quântica e aconscienciologia fundamentam este livro, com seus estudos 13
  12. 12. jesus e a lei da atraçãosobre as duas bases que levam a uma total compreensão daverdade universal, a energia e a consciência. Muitos escritores e pensadores desenvolveram teoriasmaravilhosas sobre a lei da atração e sobre as outras leis es-pirituais que regem o nosso universo. Leitura confortante,irradiante e pacificadora, sugerindo que tudo o que semprefoi ensinado pelos grandes Mestres é essa mesma verdade. Para que se possa compreender este livro, na totalidade,é ideal consultar o glossário, que conta com os termos maispeculiares, nos quais se encontram muitos neologismos queexplicam alguns neoconceitos apresentados. Por fim, gostaria de convidá-lo para uma jornada embusca de autoconhecimento e do auto-aperfeiçoamento, edesejo que sejamos todos iluminados pelas boas intenções,com muita energia positiva, expandindo nossos horizontese trilhando nossa evolução em busca do nosso verdadeiroEU, quando, então, conheceremos o potencial ILIMITADOda nossa consciência.. 14
  13. 13. Introdução O que você sente ao ler os grandes ensinamentos deJesus Cristo? O que você sente ao ler os ensinamentos deBuda, dos grandes profetas ou de qualquer outro pensador?Você se considera uma pessoa religiosa? O que você sente ao ler livros como O segredo, A Lei daatração, Física Quântica? O que você sente quando estudaassuntos da natureza, ligados às diversas áreas da ciência?Você se considera uma pessoa cética? Desde o início dos tempos, o ser humano sempre bus-cou respostas para as mais profundas questões. Quem so-mos nós? O que fazemos aqui? Como surgiu a vida? Paraonde vamos ao morrer? Como e onde tudo começou? Essas questões estão presentes em toda a história da hu-manidade e inspiraram pessoas brilhantes a grandes feitos.Podemos observar que essas mentes brilhantes dividiram-se, basicamente, na busca de duas linhas filosóficas distin-tas: a ciência e a religião. Os homens de fé tentaram entender profundamente o 15
  14. 14. jesus e a lei da atraçãosentido da existência humana, baseando suas vidas e doutri-nas em algo superior; procuravam em deuses a explicaçãopara todas as perguntas e encontravam no sagrado o seucaminho de salvação. Os homens da ciência, pensadores, que usavam a racio-nalidade, a criatividade e a imaginação, para experimentar,medir e argumentar sobre as infinitas questões e possibili-dades da psique humana e do mundo físico, procuravamexplicar coisas ainda inexplicáveis por meio de números,cálculos e teorias. Distanciadas pelas diferenças políticas e sociais queocorreram na Idade Média, a ciência e a religião foram dras-ticamente separadas, criando linhas cada vez mais distintasde pensamento – a Igreja e a religiosidade – a ciência e oceticismo. Na busca pelo conhecimento, os homens procu-raram mais informações a fim de confirmar suas teorias eexplicar o sentido da vida. O que pretendo mostrar ao leitor é que por mais sur-preendente que possa parecer, as duas estradas “totalmente”distintas acabam levando estes estudiosos ao mesmo desti-no. O conhecimento sobre a “verdade universal”. Assim como é difícil para os homens da ciência com-preenderem a fé, é muito difícil que os homens de fé se con-vençam das explicações oferecidas pela ciência moderna. É com esta intenção, a de trazer uma compreensão mú-tua sobre o nosso mundo, que escrevi este livro. 16
  15. 15. Primeira Parte JESUS CRISTO E OUNIVERSO QUÂNTICO
  16. 16. 1 A VERDADE UNIVERSAL “Mas quem vive de acordo com a verdade vem para a luz, a fim de que se veja claramente que suas obras são feitas em Deus”. Jesus Cristo (João 3:21)A Verdade Universal Para compreender melhor este conceito, precisamosfocalizar nossos pensamentos baseados em algumas verda-des. Toda verdade é relativa. Ela é formada com base na vi-vência de cada indivíduo, na condição de ser humano, deacordo com sua cultura, sua religião e sua sociedade. Cadapessoa, desde o nascimento até a morte, vive situações dife-renciadas e quase na totalidade observadas a partir de ummesmo ângulo, o seu próprio ponto de vista. Precisamos compreender que cada ponto de vista foiconstruído com base em verdades relativas. As vivências eexperiências individuais constroem nossa personalidade ecriam pontos de vista diferentes, fundamentados nos con-dicionamentos que adquirimos por meio de cada experiên-cia vivida até o momento. Ou seja, as minhas verdades nãonecessariamente são as suas verdades, pois foram formadas 19
  17. 17. jesus e a lei da atraçãopor meio de outros condicionamentos, outras experiências,portanto, outro ponto de vista. Por isso podemos consideraressas verdades como sendo relativas. Pessoas que tem mais afinidade com as energias cós-micas, normalmente conseguem atingir um nível maior delucidez e discernimento, tornando-se capazes de perceberas verdades expostas em outros pontos de vista. Quandoesta verdade é percebida na totalidade, podemos chamá-lade uma verdade universal. Podemos perceber esse conceitoem várias verdades relativas, verdades estas que se eviden-ciam de diferentes maneiras. Basta que você perceba queesses pontos de vista levam a um conhecimento superior detodas as coisas, um estado chamado de onisciência (cosmo-consciência). Esse estado define o que as religiões chamamde Deus, Alá, Buda, Brahma, Zeus, Osíris, Rá, Jeová, Tupã etantos outros Deuses. Quase todas as religiões têm maneirassemelhantes de descrever seu Deus. A paz profunda, a eter-nidade, a onisciência e a multiexistência estão presentes nafé da humanidade através de Deus. Por incrível que pareça é a mesma explicação que oscientistas dão quando vão expor assuntos relativos ao uni-verso e sua criação ou sobre energia. Para entender melhor este conceito de verdade univer-sal temos que conseguir minimizar nossos preconceitos eobservar os fatos conciliando os ensinamentos e sentindoo que realmente tem efeito em nossa vida. Podemos optarem ver o mundo de duas (ou mais) maneiras distintas, asverdades da ciência e as verdades da fé, ou podemos uniressas experiências e ensinamentos em uma única verdade 20
  18. 18. mautama Krishnarabiuniversal. Gostaria de apresentar meu ponto de vista com relaçãoa estas duas grandes óticas de se enxergar o mundo.As Verdades da Ciência A ciência moderna é, com certeza, uma das maioresrealizações da humanidade. Homens e mulheres que estu-daram os mais variados assuntos, construíram as diversasciências, buscando respostas para todas as perguntas, expe-rimentando, analisando e relatando. Todas as ciências têmigual valor para o desenvolvimento da intelectualidade, oque leva os estudiosos a adquirirem um maior discernimen-to em relação ao universo. As perguntas que existem, nasmais diferentes áreas científicas, nutrem as infinitas possi-bilidades de estudo, fazendo com que a ciência, essa arte depensar analiticamente, se renove a cada instante. A dúvi-da, elemento constante no pensamento filosófico-científico,abre caminho para novas hipóteses; com novas hipóteses hánovas linhas de estudos e, conseqüentemente, (com) novaslinhas de pensamento. A ciência representa bem toda a abundância existenteno universo. Vejam quantas maravilhas o pensamento hu-mano já criou. Nós criamos todo esse mundo em que vi-vemos, criamos maravilhosas construções, aparelhos comas mais modernas tecnologias, iniciando assim uma novainteração com o planeta, uma nova harmonia com o grandefluxo de energia do universo. Porém, assim como criamosmaravilhas, também criamos vários problemas decorrentes 21
  19. 19. jesus e a lei da atraçãodo aumento das atividades industriais e comerciais, condu-zidos pelo nosso pensamento e nosso modo de vida capita-lista. Enfim, todo esse enredo, o mundo em que vivemos eo que nos é mostrado pela mídia, exibem a abundância depossibilidades do pensamento humano, pronto para ques-tionar tudo e buscar solução para esses problemas causadospor nós mesmos. Como a evolução do pensamento humano dividiu asciências em várias áreas, escolhi algumas delas para funda-mentar meus estudos e estabelecer com que tipo de infor-mação eu gostaria de trabalhar. Escolhi as verdades relati-vas, de ponta, para serem a base de meu livro. Para podermos entender essas verdades relativas, preci-samos perceber que, para a ciência, não existe verdade ab-soluta, somente aquela que pode ser medida e comprovada.Entendo que, por mais completos e especializados que se-jam os estudos científicos, eles estão sempre sujeitos a no-vas avaliações e questionamentos, sendo, portanto, verda-des relativas de ponta. Verdades que resultam dos (os) maisatuais, aprofundados e comprovados estudos sobre diversosassuntos. Para compreender melhor este livro, necessito mostraras ciências que mais influenciaram os meus estudos, divi-dindo-as em três partes:Psicologia Estudar psicologia é um caminho fundamental paraaqueles que buscam respostas e melhorias para si mesmo epara aqueles que amamos. Por meio dessa incrível ciência, 22
  20. 20. mautama Krishnarabimuitos estudiosos desenvolveram diversas maneiras de ana-lisar e tentar entender o que há de mais profundo na psiquehumana. A psicologia teve suas idéias difundidas em diversas li-nhas de pensamento e teve seu reconhecimento profundoem uma especialidade criada por Sigmund Freud, a psica-nálise. Esse método buscava entender a psique humana, di-vidindo a vida em várias fases. Carl Jung foi um dos grandes “discípulos” e entusiastadas teorias de Freud. Em certa época de sua vida resolveuromper os laços com Freud, devido a discordâncias com suasteorias. Após esta fase, desenvolveu seus estudos e elaborouseus livros de maneira mais independente, tentando buscarrespostas que estavam além do método da psicanálise. Carl Jung conduziu suas pesquisas estudando o incons-ciente como caminho do eu interior. Isto o levou a proporo Inconsciente Coletivo, teoria que para mim é umas dasmelhores explicações às mais diversas questões de nossaexistência. Em sua vida, foi um erudito, profundo conhece-dor e pesquisador e um dos mais brilhantes pensadores dahistória. Carl Jung estudou diversas culturas e a influênciasdos deuses, mitos, mandalas e outras diversas manifestaçõesculturais que, de certa forma, apresentaram um padrão co-letivo de existência. Ainda na área da psicologia é importante registrar quetenho muita afinidade com os ensinamentos e métodos de-senvolvidos pelos profissionais da Programação Neurolin-güística. Com esses maravilhosos ensinamentos podemosconduzir nossos cérebros a níveis elevados de consciência, 23
  21. 21. jesus e a lei da atraçãocom melhorias significativas para nossos problemas coti-dianos, modelando nossa existência com pensamentos po-sitivos. Freud, com a psicanálise e com os diversos psicólogosque estudaram as experiências do Behaviorismo, nos per-mite compreender o comportamento com base em condi-cionamentos. As experiências de Pavlov, Skiner, Thorndikee Watson têm um grande valor para mim, sendo este últimomuito importante em minha obra, por seus estudos sobre afábrica de medos e a eliminação dos medos.Física Quântica A teoria quântica revelou muitos aspectos que pare-ciam ser impossíveis na física newtoniana. Antes da físicaquântica, tudo o que era estudado nas ciências era baseadoem estruturas, normalmente, macroscópicas e possíveis deserem medidas e experimentadas. A física quântica con-tribuiu com um novo paradigma, analisando o universo eprocurando respostas em um nível muito sutil, o nível doquantum, a menor e mais pura partícula que conhecemos.O termo quantum é derivado do latim e representa a “menorunidade de qualquer propriedade física tal como energia oumatéria”. Essa concepção está em uma das obras primas dafísica quântica, o livro Quem Somos Nós – A descobertadas infinitas possibilidades de alterar nossa vida diária, deWilliam Arntz, Betsy Chasse e Mark Vicente. Nessa inte-ligente e inspiradora obra, os autores contam com a ajudade diversos pesquisadores e estudiosos, e nos conduzem auma viagem para dentro de nossa consciência, nos fazen- 24
  22. 22. mautama Krishnarabido refletir sobre várias perguntas presentes desde o começoda humanidade, e que ainda continuam sem uma respostaplausível. Este livro permite uma mistura de conhecimentosque, apoiados nas teorias quânticas, nos levam a perguntasmais complexas e conclusões modernas, unindo ciência ereligião em maravilhosas explicações “quânticas” sobre osporquês do universo. Essa “física das possibilidades” revela em sua magnitu-de quântica, conceitos totalmente novos, mas que explicamdiversas teorias e fatos muito antigos. Os eventos quânticos nos colocam uma série de novasprobabilidades. Como podemos ser tão vazios, como suge-rem os espaços entre os elétrons, e ao mesmo tempo parecer-mos tão físicos? Como reagimos ao saber que as partículaspodem se comportar como partícula, onda ou partícula-onda? O que podemos concluir sobre o salto quântico e asinfinitas probabilidades de localização dos elétrons quan-do mudam de camada? Quem pode prever essas reações?Quem pode criá-las? Perguntas como essas me fazem ter um interesse cadavez maior por esta área.Projeciologia e Conscienciologia Projeciologia: (Latim: projectio, projeção; grego: logos,tratado) – Ciência que estuda as projeções da consciênciae seus efeitos, inclusive as projeções das energias conscien-ciais para fora do Holossoma. É uma especialidade da cons-cienciologia. Conscienciologia: Ciência que trata do estudo abran- 25
  23. 23. jesus e a lei da atraçãogente da consciência, executado pelas próprias consciênciasatravés dos atributos conscienciais, veículos de manifesta-ção e fenômenos conscienciais multidimensionais.1 Nesta maravilhosa ciência que é a conscienciologia, omédico, odontólogo, escritor e pesquisador independente,Waldo Vieira, propõe soluções sobre questões relativas àconsciência, à evolução da personalidade inteira, incluin-do o estudo de vidas anteriores e os veículos (corpos) quea consciência utiliza nas suas manifestações, na dimensãofísica e extrafísica. A conscienciologia tem suas propostas baseadas emum novo paradigma, o paradigma consciencial, e uma novaética, a cosmoética. Waldo Vieira baseia suas pesquisas epropostas científicas em um enfoque que centraliza o au-toconhecimento e a auto-experimentação como bases paraum maior discernimento e lucidez. A apresentação dessesconceitos é descrita muitas vezes na forma de neologismosmuito interessantes, palavras que utilizarei ao longo destelivro. A conscienciologia e projeciologia são ciências interna-cionalmente reconhecidas, através do Instituto Internacio-nal de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC) e do Interna-tional Academy of Consciouness IAC. O IIPC possui várioscentros de educação e autopesquisa no Brasil e no exterior,sendo considerada a maior organização do mundo na pes-quisa da consciência.1 (Livro: Projeciologia; Autor: Waldo Vieira, pág 33. VIEIRA, Waldo.Projeciologia. p.33. 26
  24. 24. mautama Krishnarabi O Curso Integrado de Projeciologia permitiu que eupudesse escrever este livro de uma maneira mais fundamen-tada, tendo o paradigma consciencial como a maior influ-ência científica em minha obra.As Verdades da Fé Para compreender o que quero dizer com essas “ver-dades da fé”, é necessário compreender que a essência douniverso é um caminho tão difícil e cheio de possibilidadescomo é o da ciência. Descrever as “verdades da fé” com o ponto de vistacientífico é praticamente impossível. Carl Jung foi um dospensadores que chegou mais próximo de conseguir expli-car a fé e o misticismo que envolvem a humanidade e suashistórias. Em suas obras relata as mais variadas formas deexpressão do ser humano, buscando respostas no fundo dapsique para todas as questões relativas a um entendimentomais profundo do universo. No entanto, sendo suas teoriasmuito bem fundamentadas, somente seriam compreendi-das por homens de fé. A ciência trabalha com hipóteses eleis previamente definidas, com resultados de experiências,e por mais que tente explicar o mundo sobrenatural, semprehaverá infinitas teorias e explicações, e a confirmação (pro-va) é sempre derrubada por um novo questionamento oupossibilidade. Ao propor o inconsciente coletivo, Jung sugere-nos uminfinito campo de possibilidades, um campo não-local depuro potencial, e acrescenta à ciência essa nova visão. Uma 27
  25. 25. jesus e a lei da atraçãovisão que somente poderíamos entender se fossem quebra-dos alguns paradigmas da ciência, realizados pelas experi-ências e comprovação de seus resultados, e nos entregásse-mos de coração ao que chamamos de fé. Somente a fé, essa crença em algo superior nos possi-bilita entender algumas questões que não têm como seremprovadas e mesmo assim são vividamente experimentadas.Quem nunca teve aquela sensação de ter vivido a presentesituação anteriormente? Quem nunca sonhou com algo, edepois viu este sonho tornar-se realidade? Quantos mila-gres vivenciamos no dia-a-dia? Questões para as quais a ci-ência ainda busca respostas. Pessoas que compreenderam essa fé ao longo da histó-ria nos deixaram suas lições de compaixão, de paz, de amore de iluminação. Somente compreendendo esse fundamen-to maior de fé poderemos transcender o limite que a nossaprópria mente nos impôs, por meio do raciocínio lógico eanalítico, ao que fomos condicionados ao longo de nossasmuitas vidas. Somente assim poderemos transcender a vidae a morte. Não temos como provar a realidade de nossas crençassobre a vida e a morte. Muitos cientistas propõem várias te-orias sobre a morte, mas poucos conseguem prová-la. Oscientistas que chegam mais próximos da “verdade univer-sal” são aqueles que são guiados pela fé. São pessoas que têma fé como bússola e estão sempre apontando para o mesmoazimute, o caminho para salvação, a fonte de iluminação,Deus. O Universo e suas infinitas possibilidades aparecem 28
  26. 26. mautama Krishnarabirepresentados na história, das mais diversas maneiras. Li-vros muito antigos e outros registros deixados ao longo dosséculos formaram uma gama de filosofias e linhas de pen-samentos, mas todas baseadas na figura de um ser Superior,conhecido como Deus, Alá, Buda, entre outros. Nós, seres humanos, desenvolvemos a maravilhosa ca-pacidade de acreditar em algo superior, fonte de inspiração,de sabedoria, de paz e de amor, onde nem a vida e nem amorte existem, e sim, o paraíso, a iluminação. Com essacapacidade de compreender profundamente a vida, muitoshomens atingiram estados de interação total com essas di-vindades, e conseguiram perceber essa essência. Esses ho-mens são os chamados Profetas, Mestres, Gurus. Homensque, inspirados diretamente por Deus, vieram pregar os en-sinamentos divinos e, através da diversidade do pensamen-to humano, esses ensinamentos foram sendo compilados,estudados, originando as mais variadas vertentes religiosas. As religiões, assim como todas as instituições criadaspelo ser humano, apresentam seus mais diversos tipos decultura e ramificações. Algumas religiões possuem dog-mas mais acentuados, principalmente os dogmas relativosa questões sobre a vida após a morte. Algumas acreditamque existe o paraíso, e também o inferno, e que a salvação éacreditar em Deus. Outras pregam que a vida é um ciclo decontínuas encarnações e reencarnações, e a salvação ocorrepela iluminação. Existem diversos pontos de vista e tradições a seremanalisados, mas o que realmente quero dizer com este capí-tulo é que de certa forma todas as religiões podem condu- 29
  27. 27. jesus e a lei da atraçãozir à mesma resposta, pois todas são movidas pelas mesmasperguntas. As grandes guerras e disputas religiosas ocorremsimplesmente porque, de alguma forma, alguém esta que-rendo impor ou comparar pontos de vista diferentes. A verdade da fé, é que ela existe. Independentemente dequem sejam os deuses ou deusas; o homem prova, ao longoda história, acreditar em algo superior. Esta certeza de quesomos conduzidos por uma consciência com inteligência ebondade infinitamente superiores à nossa, conduziu a hu-manidade através de diversas manifestações de religiosidadee apesar de seus diferentes pontos de vista e ensinamentos,todas levam sempre ao mesmo caminho – Deus.Como Entender a Verdade Universal Para compreender essa grande verdade é preciso enten-der um dos maiores ensinamentos que o príncipe SiddhartaGautama (Buda) nos deixou, por meio de suas parábolas. “Suponhamos uma tora flutuando no rio. Se ela não en-calhar, não afundar, não for retirada por um homem ou nãoapodrecer, alcançará certamente o mar. A vida é como estatora apanhada pela corrente de um grande rio. Se uma pes-soa não se apegar à vida de auto-indulgência ou, renuncian-do a esta vida, não se dedicar à autotortura, se não se en-vaidecer com suas virtudes ou não se apegar aos seus mausatos; se na busca da iluminação souber respeitar a delusãoe não a temer, esta pessoa estará trilhando o caminho domeio. “O importante quando se está seguindo o caminho da 30
  28. 28. mautama KrishnarabiIluminação é evitar ser apanhado e envolvido por um dosextremos, e seguir sempre o Caminho do Meio.” Nós, seres humanos, por mais diferentes que pareça-mos, por mais distantes que sejam nossas crenças, somosmovidos todos pela mesma energia, e criamos em nossasconsciências os nossos desejos. Por meio de nossa culturae experiência, formulamos nossos desejos que se tornam arazão de todas as coisas que criamos para nossas vidas. Seanalisarmos profundamente nossos desejos, veremos queno fundo somos todos iguais. Pergunte para as pessoas, qual é o propósito da vida?Pergunte a si mesmo: Qual é o seu propósito? Veremos queas respostas serão basicamente as mesmas. As pessoas estãoem uma eterna busca pela felicidade. Mas o que é essa felici-dade? É muito difícil descrever a felicidade, muitas pessoasacreditam que o amor, a paz e a realização de seus desejos esonhos é a felicidade. Quando realizamos nossos sonhos oudesejos, quando amamos, quando nos divertimos, geramosum sentimento muito bom, uma poderosa energia, Essesentimento, essa energia positiva é a felicidade. As pesso-as desejam as coisas para si próprias e para as pessoas queamam. A realização desses desejos parece ser um fator con-dicionante para que se sintam felizes e completas. Estamossempre desejando essa felicidade. A maioria das pessoas deseja ter saúde perfeita, amor ecarinho nos relacionamentos, a conquista de bens materiaise de posições sociais. A questão é, com todo o universo de possibilidades,como poderemos saber o que realmente desejamos? O que 31
  29. 29. jesus e a lei da atraçãorealmente nos fará pessoas felizes? Existe alguma maneirade ser feliz eternamente? A resposta para essas perguntas é:ande no caminho do meio! Por meio dessa parábola, contada por Buda, posso apre-sentar a minha escolha. Acredito que a decisão mais sábia étrilhar o caminho do meio. A felicidade plena, a sensação deeterna paz e compaixão jazem no destino dessa maravilhosajornada que iniciamos ao nascer. Então por que nos preocupamos apenas em buscar essafelicidade? Se entendermos o caminho do meio, veremos que essabusca é, em sua essência, a própria felicidade, e enxergare-mos as infinitas possibilidades que a vida nos proporcionana condição de seres humanos. Temos a possibilidade devislumbrar essa verdade universal sob vários pontos de vis-ta, no entanto, o mais sábio é trilhar o caminho do meio. O caminho do meio representa a escolha de uma pessoacom a mente aberta. Um ser pronto para evoluir para umnível mais desperto e lúcido de percepção. Uma consciênciaque quebrou todos os paradigmas impostos ao longo dasmúltiplas existências, e livre dos preconceitos, livre de qual-quer crítica ou elogio, entende o universo de uma maneiramais simples e completa, onde a fé explica a ciência e a ci-ência explica a fé. Esse caminho do meio é o caminho quedeveremos trilhar enquanto estivermos ligados a este corpo,a esta existência. A felicidade e o sofrimento, o prazer e a dor, a vida e amorte. Todos esses conceitos foram criados única e exclu-sivamente pela mente humana. A essência do universo, a 32
  30. 30. mautama Krishnarabiverdade universal é formada por todos esses sentimentos eao compreendermos essa verdade veremos que não existemdistinções, apenas o puro potencial de energia. A energianunca é perdida, está em constante transformação. A men-te humana criou explicações para os fenômenos que fazemparte de nossa existência, dando nome aos sentimentos,criando teorias que tentam explicar os conceitos de vida emorte. Nossa mente está constantemente sendo bombardea-da por pensamentos que estão ligados a sentimentos e quegeram uma determinada energia. Mesmo quando não per-cebemos, nosso cérebro está realizando milhões de tarefas,o tempo todo experimentando, percebendo, analisando econtextualizando as experiências vivenciadas pelos cincosentidos. Enquanto dormimos, nosso cérebro deixa de receberos estímulos de alguns de nossos sentidos, possibilitandoestímulos mais sutis, e percepções independentes da nossainterpretação da realidade. Talvez essa seja uma explicaçãopara os mais diversos tipos de sonhos e projeções experi-mentados pelo seres humanos. Os grandes profetas, os pensadores, os filósofos, os cien-tistas e os visionários parecem ter um acesso diferenciado aeste outro padrão de vivenciar o mundo. Muitos o descre-vem como parapsiquismo. Práticas comuns eram realizadaspor tais homens. Poderes ocultos como profecias, telepatias,realização de milagres e grandes feitos surgiram das mentesbrilhantes destas grandes personalidades. Essas consciên-cias, de certa forma, livres dos padrões do pensamento hu- 33
  31. 31. jesus e a lei da atraçãomano, conheciam o segredo para todas essas respostas. To-dos de alguma forma sabiam como silenciar o pensamento. Ao silenciar o pensamento, nossa mente torna-se livrede todo e qualquer preconceito, julgamento, avaliação ouintenção. Nesse estado, o corpo torna-se livre para apenassentir a energia do universo, um sentimento puro de paz,um campo de infinitas possibilidades. Neste vasto universoda consciência, sem a influência do pensamento, grandespersonalidades buscaram as respostas para as mais profun-das questões, e fundamentaram as bases de seus conheci-mentos. Em meus estudos pude perceber uma grande ferramen-ta utilizada por todas essas personalidades, e acredito quesó quem realmente usufruir dos seus poderes maravilhosos,entenderá profundamente minhas palavras e estará prontopara absorver completamente o conteúdo desta obra. A me-ditação é uma valiosa ajuda para aqueles que estão em buscade espiritualidade e conhecimento profundo. Minha intenção neste próximo tópico não é dizer comomeditar. Gostaria de mostrar as maravilhas que a meditaçãopode trazer para sua existência, realizando espontaneamen-te todos seus desejos, entrando em harmonia com o sincro-destino. A fim de que o leitor possa compreender minha fon-te de inspiração, recomendo a prática diária da meditação,realizada pelo menos duas vezes ao dia. Ao acordar e an-tes de dormir. Essa conexão com a totalidade do universotraz uma compreensão profunda, que vai muito além dosconhecimentos explorados neste livro. 34
  32. 32. mautama KrishnarabiA Arte de Meditar A meditação é a melhor forma de compreender o cami-nho do meio, de experimentar essa jornada no mais purosentido da existência, e o principal meio de se vislumbrar ailuminação. No entanto, não é nada fácil descrever as sensa-ções e percepções que ocorrem no momento da meditação.Essa é uma experiência peculiar que somente poderá ser en-tendida com a prática diária. Enquanto tivermos pensamentos condicionados em ex-periências anteriores, estaremos presos às verdades relati-vas. O meio mais eficaz de entender realmente o que querodizer com essa “verdade universal” é a meditação. A medi-tação acalma a mente, neutralizando os pensamentos, nosdeixando apenas com os nossos sentimentos e percepções.Nesse pequeno período em que estamos sem pensar, pode-mos compreender a “verdade universal”. Avançadas pesquisas da ciência são realizadas a fim defundamentar as bases da meditação e seus efeitos sobre ocorpo e sobre a mente humana. A neurologia, a psicologiae a medicina tradicional e alternativa têm estudado cadavez mais essas técnicas milenares e discutido amplamen-te os benefícios que a meditação traz para a saúde física emental. Estudiosos e pesquisadores do cérebro relataramdescobertas muito interessantes sobre o padrão que as on-das cerebrais atingem quando estamos meditando e que sãomuito diferentes dos padrões apresentados quando estamospensando. 35
  33. 33. jesus e a lei da atração No estado de meditação profunda, inibimos os pen-samentos, as análises, os julgamentos, os preconceitos e ospontos de vista. Sem esses pensamentos, o que resta é puropotencial, uma energia ilimitada, sutil ou grandiosa, quepassa a ser simplesmente percebida, sentida. Energia cria-tiva, divina. Ao percebermos essa energia, nosso corpo começaa fluir na mesma intensidade de vibração que todo o uni-verso, o que nos leva a um confortante sentimento de paz,abundância e eternidade. Isso significa entrar em contatocom o que temos de mais íntimo, conhecido como o eu su-perior, inconsciente coletivo, e por muitos homens conhe-cido como Deus. A meditação permite à nossa alma vislumbrar a cosmo-consciência e a multiexistência, reconhecendo-nos comoparte do todo, vivendo um universo de puro sentimento eenergia. A prática diária da meditação leva a um estado delucidez superior, deixando claro que a consciência está li-gada ao corpo, mas que sua existência transcende a vida ea morte. Essa prática nos permite sentir o mundo de umaforma onde todos os preconceitos, todas as experiências econdicionamentos, aos poucos deixam de ser nossos e as-sumem parte na criação do universo. Através desse mara-vilhoso estado de sentimento e energia, podemos atingirnovos níveis de consciência, cada vez mais lúcidos e commaior discernimento, e praticando a meditação com certezaestaremos trilhando o caminho do meio.Como Encontrei meu Caminho 36
  34. 34. mautama Krishnarabi Encontrei o caminho do meio, ao ler o livro A realiza-ção espontânea do desejo, de Deepak Chopra. Nessa obra,Chopra explora profundamente os mais variados conceitos,desde a física quântica, compreensões profundas sobre aconsciência e práticas de mantras e sutras que nos permi-tem viver o sincrodestino. Esse livro me trouxe uma melhorvisão sobre o universo, uma visão tão esplêndida que vouterminar de escrever esse livro e ainda assim não consegui-rei encontrar palavras para definir tal sensação. Talvez seja abusca do porquê de minha vida. A leitura daquele livro despertou em mim uma vontadeque estava há alguns meses latente, porém oculta em meiode minhas atividades cotidianas. Despertou-me a coragemde expandir esses conhecimentos, e este sentimento veioacompanhado de uma série de sincronicidades incrível, etudo começou quando resolvi praticar todos os ensinamen-tos apresentados no livro. Enfim, conheci pessoas, li muitoslivros e comecei uma busca intensa para descobrir esse ca-minho. A partir do momento que decidi iniciar essa obra,tive a certeza de que algo profundo mudaria. Todas as coin-cidências tornaram-se então sincronicidades, e essa sincro-nia está permitindo maravilhas em minha vida. Realizei então uma viagem para dentro de mim mes-mo e as respostas foram surgindo aos poucos. Comecei aperceber que poderia desenvolver a idéia de escrever estelivro, baseada em conceitos que estão muito além da minhapercepção. Precisava conhecer ferramentas que pudessemaumentar a manifestação de algo superior em minhas pa- 37
  35. 35. jesus e a lei da atraçãolavras. Além da meditação, as práticas de técnicas de proje-ção da consciência, sugeridas pelo professor Waldo Vieiraem suas diversas obras, estão sendo muito importantes paraque o conhecimento vire experiência. As poucas projeçõesconscientes que vivencei até o momento, tornaram verdadefatos que eram apenas crença (a multidimensionalidade emultiexistencialidade) e acabaram por enriquecer minhaspesquisas, e me tornaram mais confiante de que todos osconteúdos expostos estarão sendo bem amparados, com aintenção de que a palavra possa ser um instrumento para aexpansão da consciência. Espero que o conteúdo possa lheinspirar em uma busca para o desenvolvimento de uma vidaespiritual mais elevada e também mais científica, juntandoo nosso amor por Deus, a fé que possuímos, com os conhe-cimentos avançados da ciência que explicam cada vez maisos mistérios do universo, nos tornando melhores seres hu-manos, cada vez mais interligados por sentimentos de luz,de paz e de amor, vivendo o maxifraternalismo. Como maneira de me conhecer melhor, iniciei minhaautopesquisa, como aprendi nas aulas do IIPC, na qualestudo uma possível tríade para catalisar meu desenvolvi-mento espiritual, que buscarei seguir até que minha cons-ciência chegue ao destino final. Aprendi com os professoresque existem três áreas principais às quais devemos canalizarnossas energias. A intelectualidade, a comunicabilidade e oparapsiquismo, sendo que o desenvolvimento dessas inteli-gências múltiplas nos conduzirá a níveis cada vez mais ele-vados de consciência, a caminho da desperticidade. 38
  36. 36. mautama KrishnarabiIntelectualidade A intelectualidade é talvez uma das mais perseguidasmetas de toda a humanidade. Se olharmos através da his-toria encontraremos muitos gênios e pensadores que bus-caram experimentar o máximo de conhecimento que suasmentes pudessem conceber, desenvolvendo múltiplas inte-ligências e aprimorando-as com muito estudo e experiên-cias. Gautama, Sócrates, Platão, Jesus, Newton, Leonardo daVinci, Einstein e muitos outros deixaram seus conhecimen-tos em forma de ensinamentos e teorias, que influenciarame muito os grandes pensadores da humanidade. Mas comoensinamentos tão diferentes podem conter as mesmas ver-dades? O que é realmente ser inteligente? A inteligência é a faculdade de entender ou de conhecer.Podemos entender ou conhecer vários assuntos diferentes,de várias maneiras diferentes. É por isso que muitos estu-diosos defendem as inteligências múltiplas. O meio mais efetivo de desenvolvermos a intelectuali-dade é descobrirmos quais realmente são os nossos dons.Descobrindo quais são as inteligências com as quais maistemos afinidade, estamos a caminho de explorar ao máximoo potencial de tais inteligências, e ter maravilhosos resulta-dos em nossa vivência. Normalmente estamos acostumados a planejar nossasvidas de acordo com certos padrões impostos pela socie-dade em que vivemos. Padrões que nos ditam o que fazer ecomo agir, e alguns tipos de inteligências são menos aprecia-das, segundo os padrões da sociedade, e acabam de alguma 39
  37. 37. jesus e a lei da atraçãomaneira sofrendo preconceito. Por exemplo: Samuel tinhadois filhos. Carlos e Izabel. Carlos tem sete anos, é um ga-roto muito inteligente, porém sensível, a beleza da vida paraele está nos animais, no amor entre as pessoas, e nas artes.Izabel é uma linda menina e tem nove anos. Desde peque-na sempre foi muito espontânea, alegre e cheia de energia,e adorava competir em tudo o que fazia. Samuel é um paitradicionalista e segue algumas normas da sociedade maisantiga, menos liberal. Percebe então as inclinações do filhopara atividades (que na concepção do pai) eram coisas demenina e decide colocá-lo em uma escolinha de futebol, equer que o filho seja um grande jogador como o avô foi. Iza-bel é colocada em uma aula de balé, e acaba tendo uma faci-lidade enorme para aprender os movimentos. Mesmo tendouma grande afinidade com o balé ela sempre pensava emjogar futebol e competir judô, mas o pai não aceitava que eladisputasse esses esportes violentos e dizia sempre que essaseram coisas de homem. Carlos continuou jogando bola, contra sua vontade, esempre censurado acabou perdendo o interesse pela dan-ça. Nunca gostou do futebol, nem aproveitou seus talentossinestésicos para a dança. Izabel também parou de dançare como achava estar velha demais para tentar entrar em al-gum time viu que seu talento também havia sido desperdi-çado. O pai nunca percebeu a tristeza dos filhos, pois os doiscursavam Direito na Faculdade, o mesmo curso que o pai. Se, no caso, Samuel agisse sem preconceito, analisaria eperceberia diferentes classes de inteligência em seus filhos,podendo então lhes dar melhores chances de desenvolvê- 40
  38. 38. mautama Krishnarabilas. Talvez Carlos fosse um artista famoso, e Izabel uma ex-celente atleta. Inteligências que foram reprimidas pela men-te preconceituosa de uma sociedade. As nossas maiores inteligências e afinidades são, comcerteza, resultantes do meio onde vivemos e da bagagemque carregamos. Chegamos a esta existência com diversosensinamentos e conhecimentos, normalmente tidos por nóscomo dons ou habilidades especiais. Ao desenvolver essedom ou essa inteligência, estaremos otimizando nossa inte-lectualidade, com o aumento da nossa capacidade em todasas outras áreas. Quero propor que ao reconhecermos nossas própriasinteligências e habilidades, possamos nos focar em desen-volvê-las sem preconceitos. Há grandes possibilidades determos conhecimentos profundos, adormecidos em nossaconsciência, e que podem ser saltos quânticos na evoluçãoda humanidade, apenas esperando serem acordados. Cabe a nós mesmos, estudarmos assuntos de nossa pre-ferência e percebermos nossas afinidades. Assim que puder-mos, em qualquer fase da vida, devemos cultivar as nossasinteligências. É claro que existem vários fatores associadosao desenvolvimento das inteligências, principalmente comrelação à independência financeira e questões que envolvemnosso dia-a-dia. Devemos associar nossas inteligências comas possibilidades de nossa vida cotidiana e utilizá-las da me-lhor forma possível atendendo às necessidades básicas parauma vida saudável. Partes essenciais como um bom traba-lho, um bom relacionamento familiar e um bom convíviocom as pessoas estão diretamente ligados com o nosso de- 41
  39. 39. jesus e a lei da atraçãosenvolvimento cognitivo. A leitura é a melhor forma de desenvolvimento da in-telectualidade. Ela nos permite entrar em contato com di-ferentes universos do conhecimento. Estimula diretamen-te o cérebro a imaginar, sentir e vivenciar as mais distintasemoções e sensações. Podemos aprimorar todas as áreas deinteligência por meio da leitura de diferentes livros. Existeuma vasta literatura voltada a todos os campos da inteligên-cia. Um músico pode entender melhor suas obras através delivros de teoria e harmonia. Um cientista pode encontrar di-versas respostas em uma enciclopédia. Um cristão encontrasuas respostas na Bíblia. Considero a leitura uma fonte inesgotável de conhe-cimento, e acaba sendo difícil escolhermos o que estudardiante da variedade do universo literário. Existem assuntoscom os quais temos grandes afinidades, cujos conteúdosexpostos são simples e nos parecem ser conhecidos. Talvezseja esse tipo de conhecimento que nos conduza a um maioraproveitamento de nossas inteligências, trabalhando no má-ximo de nosso potencial para uma vida material confortável.Mas devemos também buscar o desconhecido, o mistério, asidéias complexas e inexplicáveis – Deus. Aprofundar nossosestudos nos mistérios do universo é muito interessante, poissurgem mais perguntas do que respostas, e isso é muito im-portante para o cérebro, pois cada novo pensamento, novoconhecimento levam a novas sinapses e a novas percepções,enriquecendo o nosso potencial cognitivo. Reconheça suas maiores inteligências e invista nelas.Não perca mais tempo. 42
  40. 40. mautama KrishnarabiComunicabilidade A comunicabilidade é, sem dúvida nenhuma, um dosmaiores dons do universo. Pessoas que nasceram com estainteligência desenvolvida foram grandes personalidades emnossa história, mostrando que esta habilidade pode ser mui-to poderosa. Jesus Cristo é um dos maiores exemplos des-se dom. Quantas pessoas seguiram e até hoje seguem seusensinamentos. Grande parte deve-se à capacidade comuni-cativa de Jesus, que conseguia transmitir das mais diversasformas seus ensinamentos, dom que fora percebido desdesua infância. Mas, o poder de comunicação também causougrandes tragédias à humanidade. Adolf Hitler é um exemplode como a comunicabilidade pode ser poderosa e influen-ciar toda uma massa. Pensamentos nazistas foram incutidosem multidões por meio da retórica de Hitler, e acabaram ge-rando uma série de horrores e de conseqüências desastrosaspara milhões de pessoas. A comunicabilidade pode e deve ser desenvolvida. Acapacidade retórica é essencial em vários campos do conhe-cimento ou profissões. Para que pesquisadores e estudiososdemonstrem suas idéias, de maneira mais compreensível,precisam ter esse dom desenvolvido. Para advogados, po-líticos, religiosos, artistas e todas as pessoas que precisamexpor suas crenças e pensamentos, a arte de se comunicarfica implícita no perfil de um profissional de sucesso. O dom de expressar idéias, de maneira lúcida e coeren-te, surge com a prática de outros atributos, principalmente o 43
  41. 41. jesus e a lei da atraçãodesenvolvimento da intelectualidade. O hábito consideradopor muitos cientistas como o “melhor amigo” para o desen-volvimento cerebral é a leitura. Tendo a leitura como hábitodiário, o cérebro forma um número cada vez maior de si-napses o que contribui para uma melhoria geral da capaci-dade cerebral, aumentando o discernimento, estimulando aimaginação e a percepção. Porém, o nível de comunicação que sugiro neste livrovai muito além da comunicação convencional. Devemostambém desenvolver nossas habilidades de comunicaçãoem níveis mais sutis de existência. Quem nunca ouviu fa-lar de telepatia, telecinesia e déjà-vu? Estes são exemplosde comunicações mais complexas que podemos aprimoraratravés do autoconhecimento e do estudo de habilidades es-pecíficas de percepções mais sutis. Para atingir um estágioonde esse tipo de comunicação é possível, precisamos de-senvolver o parapsiquismo que é a nossa inteligência ocultamais poderosa. Comunicando-nos melhor com o mundo seremos ca-pazes de compreender cada vez mais uns aos outros e per-ceber sutilezas ainda não despertadas, que surgem com oaprimoramento de nossos dons.Parapsiquismo O parapsiquismo é uma das faculdades mais difíceisde ser percebida e desenvolvida. A parapsicologia tem seusestudos fundamentados em experiências normalmente nãocomprovadas, pois os fenômenos paranormais não podem 44
  42. 42. mautama Krishnarabiser medidos ou experimentados de acordo com a ciênciatradicional. Tais fenômenos ocorrem em um nível mais pro-fundo de percepção que vai além dos cinco sentidos. Quemnão conhece alguém que diz ter visto espíritos, criançascom amiguinhos imaginários, pessoas que vêem ou sentemenergias estranhas? Todos esses são sinais de que o parap-siquismo não é apenas uma hipótese e sim um assunto quedeve ser levado a sério, pois se assim o fizermos estaremosprontos para vislumbrar uma sabedoria maior, que nos le-vará a uma busca cada vez mais profunda, atingindo estadosde maior discernimento e lucidez. Pesquisas avançadas daparapsicologia estão comprovando que realmente existemsistemas sutis de comunicação. Vários são os experimentossobre clarividência, telepatia, psicografia que estão sendocada vez mais estudados e comprovados, e as experiênciasparanormais vêm ganhando créditos perante a sociedadecientífica, pois esta tem a mesma metodologia como base deexperimentação. Muitas pessoas vivem suas vidas cercadas desses fenô-menos e não os percebem. Elas têm premonições, retrocog-nições, sonhos que parecem reais e pouco querem saber arespeito disso. Hoje em dia, a mídia coloca um foco muitogrande nesses dons. Muitos filmes e outros produtos sãocriados, explorando experiências parapsíquicas e mesmoassim continuamos a nos esconder atrás do ceticismo e domedo. Se analisarmos profundamente a vida de Jesus Cristo,encontraremos diversas provas desses dons parapsíquicos,como a cura, a realização de milagres, a clarividência e cla- 45
  43. 43. jesus e a lei da atraçãoriaudiência que o acompanharam em toda a sua pregação. Assim como todo fenômeno estudado pela ciência con-vencional envolve alguma forma de energia, os fenômenosparapsíquicos também contêm energia, porém são níveismais sutis de energias, perceptíveis apenas para pessoasconsideradas “sensitivas” ou com parapsiquismo desenvol-vido. Tais energias ainda não podem ser comprovadas oumensuradas pela ciência convencional, mas as pesquisas daparapsicologia estão avançadas e apesar de ainda não seremtotalmente reconhecidas, trabalham com aparelhos aparen-temente capazes de registrar esses níveis de energia. Quer acreditemos ou não, é muito importante estudartal assunto, com a finalidade de adquirirmos conhecimentopelas próprias experiências, e não simplesmente acreditarno que lemos ou vemos na televisão. Comecei a desenvolver meu parapsiquismo através dameditação e da autopesquisa que me permitem cada dia meconhecer melhor e explorar, ao máximo, o potencial de mi-nha alma. Sistemas sutis de comunicação trazem informa-ções muito mais profundas do que imaginamos. O princípio da descrença, que aprendi no IIPC, é mui-to útil para desenvolver o parapsiquismo, e com certeza é amaior prova de que algo é real. Apenas a nossa experiênciapessoal pode ser, comprovadamente, a verdade universal. NÃO ACREDITE EM NADA, NEM MESMO NO QUE INFORMAREI AQUI! EXPERIMENTE! TENHA SUAS EXPERIÊNCIAS PESSOAIS. 46
  44. 44. 2 A LEI DA ATRAÇÃO“Talvez o aspecto mais interessante sobre uma lei é que ela existe, não importa que você a reconheça ou não. Em outras palavras: ela afeta você, mesmo que você ignore este fato.” AbrahamA Lei da Atração A lei da atração é uma lei natural, assim como tantasoutras leis que regem o nosso universo; leis como a gravida-de, ação e reação e tantas outras leis propostas pela ciência epelas diversas linhas filosóficas. O pensamento mecanicista de Descartes e o modelonewtoniano buscavam explicações matemáticas para a di-nâmica do universo, baseados nas ocorrências de fenôme-nos naturais, nas três dimensões físicas e na sua relação como tempo. Tal pensamento mecanicista teve tanta influênciana ciência que foi expandido para todas as áreas do conhe-cimento e aplicado como método de pesquisa, tendo comoresultado a maravilha que é a ciência contemporânea. A lei da atração é estudada há milênios e segue exata-mente as mesmas leis matemáticas e mecanicistas, leis pre-sentes em todo o universo, leis que regem os princípios daexistência. 47
  45. 45. jesus e a lei da atração Para realmente entender a lei da atração precisamos es-tabelecer alguns conceitos, para que aplicados à realidadeque buscamos, possam nos ajudar a compreender intima-mente esta poderosa lei. O universo é algo muito amplo e complexo, e existemmilhões de formas de explorá-lo. Mas quem explora o uni-verso? Quem é o observador? Qual a diferença entre o quesomos e o que vemos? De onde viemos? Para onde vamos? Perguntas como estas são comuns na busca de umacompreensão do sentido de nossa existência, que procuraexpandir o limite da mente, explicar o inexplicável. A ciência não consegue explicar a origem dos pensa-mentos, pode até analisar a influência dos pensamentos nasondas cerebrais, mas como explicar a origem dos pensa-mentos? E dos sentimentos? A origem de todas essas perguntas e o local de todas es-sas respostas é a nossa consciência. A consciência se mani-festa de diversas maneiras, e a principal resposta encontradapela ciência está associada ao cérebro humano. Através docérebro, a nossa consciência interage com o nosso corpo,nos trazendo todas as experiências que vivenciamos. O cérebro é a maquina mais complexa que conhecemose desvendar seus segredos seria como retirar os véus quecobrem os mistérios do universo. Nosso cérebro trabalhaas informações através de sinapses, que são ligações entreneurônios. A partir dessas ligações, condicionamos as nos-sas informações e conhecimentos. Um grande processo estáenvolvido nas sinapses cerebrais, os estímulos elétricos, aprodução e liberação de neuropeptídios e hormônios, que 48
  46. 46. mautama Krishnarabicoordenam a perfeição e o sincronismo do corpo humano.Os pensamentos também apresentam uma freqüência devibração e quando são emanados participam do grande “cé-rebro” que é o universo, ocasionando sinapses “universais” atodo o momento, um inconsciente coletivo. Existe uma grande chave para que as coisas mudem, setransformem, se interliguem. O que faz com que essas liga-ções sejam possíveis é a energia. Se analisarmos todo o universo, todas as coisas físicas,e até mesmo os pensamentos, veremos que tudo é energia.A energia está presente em todas as formas de existência,inclusive na nossa consciência. René Descartes propõe a separação do corpo e da men-te, e analisando o rumo que a ciência tomou após o paradig-ma mecanicista dualista, podemos concluir que o universoé basicamente composto por duas essências: a consciência ea energia, mas que no fundo é uma única coisa.Consciência A consciência é um dos maiores mistérios da huma-nidade e como muitos estudiosos e pensadores sugerem, éalgo muito difícil de definir ou conceituar. Baseio minhas idéias e conclusões principalmente naConscienciologia, que é considerada a ciência com os maisamplos estudos no campo da consciência humana. Tam-bém me oriento por conhecimentos de grandes pensadorese cientistas que descreveram os mistérios da consciência. O foco principal de minhas conclusões sobre consciên- 49
  47. 47. jesus e a lei da atraçãocia são experiências próprias ou de amigos, objeto constantede minha pesquisa, comparado às diversas teorias estuda-das. Não existe maneira mais segura e inteligente de acharas respostas. Conhecendo a nós mesmos e desenvolvendo atributosque ajudem a esclarecer nossas percepções, o entendimentose torna cada vez mais profundo e completo, e se pudermosnos despir de todo o preconceito e agir com a mente abertaestaremos cada vez mais aptos para interpretar os mistériosmais profundos de nossa existência. A consciência, em seu estado mais puro ou superior,também conhecido como Onisciência, é a fonte de todaa energia imanente do universo, ou seja, a consciência e aenergia são indissociáveis. Quando a consciência universal assume uma identida-de, um ego, um espírito, uma alma, essa consciência passa amanifestar essa energia imanente através das energias cons-cienciais individuais. Essas energias originadas em nossaconsciência têm vários níveis, e podemos perceber maisfacilmente os níveis mais densos, representados pelo nossouniverso físico. Existem muitos níveis de consciência e de percepção.Vários estudiosos propõem suas hipóteses sobre os níveisde consciência, sendo que, na minha interpretação, existemsete níveis, e é com a hipótese desses sete níveis que irei tra-balhar neste livro. Pessoas com parapsiquismo desenvolvido conseguemperceber níveis mais sutis das energias conscienciais e dasenergias imanentes da natureza, podendo perceber a reali- 50
  48. 48. mautama Krishnarabidade em dimensões paralelas. Estamos acostumados com oparadigma que vivemos em três dimensões físicas e temoso tempo como conexão com os fatos do passado, presente efuturo. Para a consciência, existem outros níveis de percepçãoque não estão ligados aos nossos sentidos físicos, e sim, liga-dos ao nosso corpo energético ou ao campo vibracional. Esses outros níveis de vibração podem ser identificadoscomo dimensões paralelas à dimensão física, o que nos levaa um conceito de multidimensionalidade. Diversas dimen-sões atuando de maneiras interdependentes, nem semprepercebidas, mas sempre presentes. Estamos acostumados a perceber o mundo com osolhos e com os sentidos. Através deles enviamos sinais aocérebro que busca, em seu imenso arquivo, informações quepossam esclarecer o que estamos percebendo, e com basenessas percepções e informações, produzimos nossas sensa-ções, elaboramos nossos pensamentos e pontos de vista. A maioria das pessoas percebe o mundo, utilizandoapenas os níveis básicos de consciência que permitem ob-servar a realidade de uma maneira em que só o que vemosou vivenciamos é considerado real. Neste paradigma, acom-panhado por todas as leis matemáticas e científicas para ten-tar explicar os comportamentos e a mecânica que regem ouniverso, fomos condicionados a acreditar que a única re-alidade é a realidade física. Aquela que podemos ver, tocar,sentir, e que está ligada às dimensões de comprimento, lar-gura e altura e condicionada ao tempo. Essa realidade física, à qual estamos condicionados, é a 51
  49. 49. jesus e a lei da atraçãoprincipal maneira como interpretamos o mundo, mas issonão quer dizer que é a verdade ou a pura realidade. Para muitas pessoas que vivenciaram as projeções daconsciência, ou outras experiências fora do corpo, como aE.Q.M. (experiência da quase morte), a realidade e a lucidezdessas experiências chegam, às vezes, a ser maior do queno estado de vigília física ordinária (acordado). Relatos devários estudiosos e pessoas que passaram por tais experiên-cias, mostram que, de alguma maneira, elas desenvolveramhabilidades para interagir com energias mais sutis e difíceisde serem percebidas. Tais energias formam outras dimen-sões, pois como emitem vibrações quase imperceptíveis,não chegam a se manifestar fisicamente, mas não deixam deser a realidade, pois estas dimensões energéticas realmen-te existem, apenas não podem ser comprovadas pela nossatecnologia atual. Com certeza, em um futuro próximo, cien-tistas e estudiosos descobrirão alguma forma de comprovaressas experiências em outras dimensões. Existem dimensões ainda superiores, que estão além dotempo-espaço, onde a energia é tão sutil que a própria cons-ciência é a única energia que sobra. Um estado de espíritotão alto em que existe apenas um sentimento profundo depaz e conexão com o universo, onde o tudo e o nada são asmesmas coisas, onde as energias físicas e não-físicas existemao mesmo tempo, um estado onde não existe vida ou morte,um estado de puro potencial eterno. Esse estado é entendi-do, por muitos, como onisciência, também conhecido comoiluminação, Buda, e para uma grande parte da humanidadeconhecido como Deus. 52
  50. 50. mautama Krishnarabi A multidimensionalidade na verdade é a realidade. Adiferença entre as dimensões ocorre apenas em nossa cons-ciência, por meio de nossas percepções. Estamos todos vi-vendo essa multidimensionalidade caso queiramos ou não,caso percebamos ou não. Essas diferentes dimensões estãopresentes em todo o universo, e é esse o motivo de existiremtantas coisas que nem a ciência, nem a religião conseguemexplicar. No livro Space-Time and Beyond, de Bob Toben,com parcerias de Jack Sarfatti e Fred Allan Wolf, encontrei aseguinte afirmação. “É possível para a consciência entrar emqualquer localização no tempo-espaço – passado, presenteou futuro, e experimentar estas localizações”. Parece bemcomplexo, mas na verdade é bem simples. A realidade de uma pessoa nem sempre é a realidadede outra, pois estas pessoas podem estar interagindo com ouniverso através de diferentes níveis de consciência e per-cepção, cada uma criando seu próprio universo, que se ema-ranha com um número infinito de outros universos. Existem muitas pessoas que se dizem capazes de ver es-píritos. Existem pessoas que realizam milagres, curam do-entes apenas com a imposição das mãos. Existem pessoasque transcendem todos os paradigmas e vislumbram a cos-moconsciência. Como explicar todos estes fenômenos? A Conscienciologia apresenta propostas inteligentes emodernas sobre esse assunto e basicamente isto se explicaentendendo os diferentes níveis de energia. Ao compreendermos que existe a energia física, maisdensa, e outras energias mais sutis (de níveis variados), não-físicas, podemos compreender que essas pessoas que pos- 53
  51. 51. jesus e a lei da atraçãosuem tais dons, têm apenas níveis diferentes de percepção, ede alguma forma conseguem interagir com esses níveis maissutis de energia. Muitas hipóteses são plausíveis para o entendimentode tais percepções. Algumas dessas pessoas apenas nascemcom tais conhecimentos (médiuns), outras os desenvolvematravés de estudos e práticas que envolvem o parapsiquis-mo, enquanto algumas têm um súbito entendimento atravésde experiências traumáticas, como a Experiência da Qua-se Morte, (EQM). O fato é que, independentemente comoessas pessoas desenvolveram tais percepções, e da maneiraque as usam, para elas, essas dimensões e percepções sãoa mais pura realidade. Da mesma forma que uma pessoacomum vê o corpo em um enterro, um médium vê o corpoe o espírito. Ao compreender que a multidimensionalidade estápresente em nossas vidas podemos vislumbrar uma sériede novas experiências e explicações, para todas as inúmerasperguntas que nos fazemos ao longo de nossa existência. Muitas dessas explicações eu pretendo abordar neste li-vro, nos próximos capítulos. Ou seja, a realidade que observamos nada mais é do queuma mera ilusão criada pela nossa consciência, a partir deum único ponto de vista, sendo que a verdadeira realidadeenvolve todas as energias, suas diversas dimensões e o esta-do de cosmoconsciência. Por enquanto, a realidade que vivemos na condição deseres humanos ainda é uma realidade relativa. 54
  52. 52. mautama Krishnarabi “É muito importante entender que nossa consciência não é a nossa consciência individual” J. Krishnamurti SOMOS TODOS “UM”Energia “O mundo da energia é fluente, dinâmico, elástico, mutável, eterno movimento. Ao mesmo tempo é imutável, quieto, tranqüilo, silencioso, eterno repouso.” Deepak Chopra Definir energia é muito fácil. Tudo é energia! Analisan-do o universo sobre um ponto de vista apropriado (nívelquântico) entendemos que tudo em sua menor partícula éenergia. Esta se faz presente nos mais diversos níveis de suti-leza, freqüência e dimensões. É muito importante entenderque tudo é energia, e se tudo é energia, tudo está conectado,e em constante transformação. O pensamento filosófico quediz que nada se cria, nada se perde, tudo se modifica, expli-ca exatamente a dinâmica da energia. Nós interagimos com tais energias universais através denossa consciência, que então gera nossas experiências. Mascomo tudo é energia, nossos pensamentos, sentimentostambém têm energia, e é exatamente essa energia que crianossa realidade. Para entendermos melhor como funcio-nam as energias cósmicas e a nossa ligação com o universo 55
  53. 53. jesus e a lei da atraçãopodemos separar didaticamente as energias em dois tipos:energia consciencial e energia imanente.Energia Consciencial Energia Consciencial (EC) – A energia imanente daconsciência emprega em suas manifestações, em geral: o enedo pensene. A energia consciencial é a mais importante para nós,seres humanos, enquanto na condição de consciência indi-vidual, pois é através dela que criamos todas nossas expe-riências e desenhamos nosso próprio mundo, um mundotão único que, segundo Abraham, “Não é possível criar aexperiência de vida para outra pessoa. Você não pode criarexperiências para outros nem vice-versa. Assim tudo o quevivencia é por meio de suas próprias mãos – ou, dito de ma-neira mais apropriada, com seu próprio pensamento criati-vo.” Essa energia consciencial é a maneira que a consciên-cia interage com a energia do cosmo, a energia imanente. Aúnica maneira de mudarmos a realidade física, agirmos nomundo físico é através de nossa intenção que gera nossospensamentos. Nossos pensamentos desencadeiam as ener-gias da consciência, que criam uma freqüência específica deenergia, que interage com a energia imanente e forma todoo mundo físico. Resumindo, tudo aquilo que vemos, toca-mos, experimentamos é fruto de nosso pensamento.Energia Imanente 56
  54. 54. mautama Krishnarabi Energia Imanente (EI) – Energia primária, vibratória,essencial, multiforme, impessoal, difusa e dispersa em todosos objetos ou realidades do Universo, de modo onipotente,ainda indomada pela consciência humana, e demasiada-mente sutil para ser descoberta pelos atuais instrumentostecnológicos. A energia imanente é conhecida por diversos nomes.Deus, Buda, Alá, Eu superior, e está além do tempo-espaço.Entendendo que a energia imanente criou tudo o que existe,e se transforma de acordo com a nossa percepção, podemoscompreender de que maneira nossa consciência afeta a re-alidade. A energia imanente é onipotente e onipresente, ou seja,é eterna. Ela é totalmente ambígua, pois algumas vezes é fa-cilmente modificada e, em outras, permanece imutável. Elatem traços masculinos e femininos, positivos e negativos,que geram o movimento que origina todas as manifesta-ções dessa energia na matéria. A única maneira de “modi-ficar” (na verdade perceber) a energia imanente é por meiode nossos pensamentos, da energia consciencial, da nossaconsciência individual. Resumindo, energia e consciência são uma coisa só,e em seus estados mais elevados representam a totalidadeque é Deus, o Universo e além. Podemos sugerir que Deus(independentemente do nome que seja chamado) é a ma-nifestação máxima da consciência, o sétimo nível da cons-ciência, a Onisciência ou cosmoconsciência, e a totalidade, 57
  55. 55. jesus e a lei da atraçãorepresentada pela energia imanente, que está onipresente eonipotente em todas as realidades do universo. É possível,então, aprofundar nossos estudos e otimizar nossas percep-ções dessa grande energia, dessa grande verdade universal,estando cada vez mais próximos de entender nossas origense nosso destino, encontrando a harmonia que precisamospara sermos pessoas felizes e realizadas.Como Funciona a Lei da Atração? Partindo dos conceitos de Consciência e Energia apre-sentados, podemos concluir que a consciência tem plenaparticipação nas energias cósmicas em qualquer estado, ouseja, nossa consciência interfere diretamente em nossa rea-lidade física. A lei da atração é uma confirmação de que energias demesmo padrão de vibração ou sutileza tendem a se atrair.Partindo da premissa que nossos pensamentos, tambémemitem freqüências vibratórias podemos compreender di-versas coincidências ou sincronicidades que ocorrem emnosso dia-a-dia. Quantas vezes paramos para pensar emalguém e essa pessoa nos liga? Quantas vezes encontramosamigos que não víamos há tempo, mas com os quais, recen-temente, havíamos sonhado? E os déjà-vu? Perguntas comoestas levam a respostas que comprovam que os pensamen-tos têm influência em nossas energias, em nossa realidadefísica. O próprio pensamento, as experiências e percepções douniverso são condensados em algo mais profundo. Os sen- 58
  56. 56. mautama Krishnarabitimentos. São os nossos sentimentos, percebidos por nossos sen-tidos e emoções, os mais puros reflexos de nossos pensa-mentos e condicionamentos em relação às mais diversassituações. Os sentimentos são o modo como emitimos e re-cebemos os sinais do universo. Emoções como alegria, amor, felicidade, trazem consigoas vibrações e níveis de energia chamados positivos. Emo-ções como a raiva, a tristeza, o ciúme, a inveja, são repre-sentações de outros níveis de energia, também conhecidoscomo energia negativa. Como pudemos perceber, os pensamentos, os senti-mentos e as energias, estão intrinsecamente ligados, e umadas melhores formas de entender os efeitos dessa tríade emnossa existência é entender o conceito pensene.Pensene “Pensene (pen + sen + ene) – Unidade de manifesta-ção prática da consciência, segundo a Conscienciologia, queconsidera o pensamento ou idéia (concepção), o sentimentoou a emoção e a EC (Energia Consciencial) e conjunto, demodo indissociável.” Essa é a definição pensene, segundo o autor Waldo Viei-ra, em seu tratado Projeciologia – Panorama das Experiên-cias da Consciência Fora do Corpo Humano. Essa incrível proposta tem uma ligação muito intensacom todos os princípios que vêm sendo maravilhosamenteabordados em filmes e livros como O Segredo, Quem somos 59
  57. 57. jesus e a lei da atraçãonós, livros sobre a Lei da atração, entre outros. Todos são baseados nas mesmas idéias e concepçõesque atraímos, aquilo que pensamos, sentimos e as vibrações(energia consciencial) que emanamos ao universo. Parececomplicado, mas é mais automático do que imaginamos.Vamos tentar entender melhor o conceito de pensene. As maneiras mais usuais que temos de contato com anossa consciência são os nossos pensamentos e percepções.Cientistas apontam que podemos ter mais de sessenta milpensamentos por dia. Estamos em constante mudança depensamentos, pois estes variam de acordo com as nossaspercepções, e se estivéssemos suscetíveis a grandes mudan-ças de energia devido ao pensamento entraríamos em co-lapso energético, o que geraria um completo caos. A sutileza da energia dos pensamentos pode ser umdos principais fatores de mudanças em todo nosso campoenergético. O pensamento por si próprio normalmente nãoproduz energia densa, suficiente para interagir com ener-gias físicas ou locais. Mas comprovadamente o pensamentoemite freqüências de energia que interagem em uma reali-dade não-física ou não-local. Todo pensamento emite uma determinada energia, ede alguma forma, essa energia está diretamente ligada aosnossos sentimentos. Os sentimentos são as expressões maisprofundas de nossos pensamentos e experiências, são re-flexos que nossa mente subconsciente usa para interpretarnossa realidade de acordo com nossas percepções. Os sentimentos têm uma energia mais densa que ospensamentos, por isso podem gerar energias mais “inten- 60
  58. 58. mautama Krishnarabisas” que nos aproximem mais ainda de outras energias demesma afinidade. Diferentemente da química e da físicaclássica, nas quais cargas opostas se atraem, a lei da atraçãofunciona com energias de igual polaridade, ou seja, na mes-ma freqüência de vibração, energia positiva atrai energia po-sitiva, assim como energia negativa atrai energia negativa. O meio mais fácil de perceber as energias é através denossas emoções, nosso comportamento e outros sinais fí-sicos. Quando nos sentimos bem, com o corpo saudávele estamos bem humorados, podemos associar que estassensações vibram em uma determinada freqüência, e pelofato de estarmos com sentimentos considerados bons, estasenergias podem ser chamadas de energias positivas. Quando nos sentimos mal, estamos doentes, estressadosou vivemos com pensamentos pessimistas e depressivos, ge-ramos uma vibração em uma freqüência mais “baixa”; essasvibrações estão relacionadas a sensações que nos fazem sen-tir mal, e podemos chamá-las de energias negativas. A energia gerada pela própria consciência, através dospensamentos, sentimentos e percepções, é a maneira pelaqual interagimos com a energia do restante do universoatraindo as energias para a própria consciência. Essa é verdadeira maneira pela qual percebemos omundo. Simplesmente uma troca de energias. Como todasas energias, a energia da consciência não pode ser criada, oudestruída, ela simplesmente interage, se transforma, e, semnunca deixar de existir, de alguma forma evolui. Ou seja, anossa consciência sempre existiu, e sempre existirá, assimcomo as suas energias, a única coisa que realmente muda é a 61
  59. 59. jesus e a lei da atraçãomaneira pela qual nós conseguimos interpretar a realidade. Quando emitimos nossos pensenes, estamos gerandocerta vibração que ocorre em um veículo mais sutil de nossaconsciência, o holochacra ou energossoma, que é o nossocorpo energético. Muitos autores chamam essa vibraçãode energia de campo vibracional. Esse campo vibracional éuma interação de todas as energias envolvidas com a nossaconsciência, tanto as energias físicas de nosso corpo e doambiente, quanto as energias de nossos pensamentos e sen-timentos. Esse campo vibracional é a verdadeira maneira pelaqual interagimos com o mundo, e é o principal meio deutilizarmos a lei da atração para construirmos futuros maispróximos ao que desejamos. Ao fazermos afirmações positivas como sugere a Pro-gramação Neurolingüística, estamos enviando sinais posi-tivos de energia ao nosso campo vibracional. Se esses pen-samentos forem realmente acompanhados de sentimentos eemoções de mesma energia, o estado vibracional deste cam-po será positivo, e agindo de acordo com a lei da atraçãoesse campo vibracional positivo tende a atrair energias damesma freqüência, energias positivas. O resultado é a atra-ção de pessoas, lugares e situações com esta mesma vibraçãoenergética. Muitas pessoas que conhecem profundamenteesses conceitos vivem em uma realidade que elas mesmascriaram, muitos falam que suas vidas são cheias de milagres,coincidências, sorte e outras evidências, o que por muitos éconhecido como criar o seu próprio sincrodestino. Expli-carei mais à frente como Jesus Cristo foi um dos maiores 62
  60. 60. mautama Krishnarabiexemplos desse nível de realidade. É incrível como isso realmente funciona. Muitas pesso-as bem-sucedidas mostram em seus livros, em seus traba-lhos e no dia-a-dia, a maneira que os pensamentos positivose posturas otimistas são imprescindíveis para o sucesso navida, independentemente do tipo de sucesso que a pessoaesteja almejando. Da mesma forma que algumas pessoas constroem des-tinos maravilhosos, outras vivem no infortúnio, na doença ena infelicidade. Pessoas que se deixam abater pelo ambienteque as cerca, acabam perecendo às energias negativas, quede alguma forma predominam em suas vidas. Alguns assu-mem uma postura pessimista com relação à vida. Posturamuito fácil de ser entendida, levando em consideração asdificuldades do mundo atual em se ter uma condição dignade viver, e que, infelizmente, ocasiona um aprisionamentoenergético que leva a pessoa a atrair cada vez mais situações,pessoas e lugares com o campo vibracional negativo. Cabe a nós entendermos essas idéias e percebermos asenergias que estamos atraindo para nossas vidas. A melhormaneira de se fazer isto é otimizando nossos pensenes. Sevocê, através de sua mente consciente, repetir pensamentospositivos, que gerem sentimentos prazerosos e energias po-sitivas, ou seja, pensenes positivos, o seu campo vibracionalcorresponderá a essas vibrações. Fazendo isso de maneiraconsciente podemos desenvolver um padrão “pensênico” dequalidade, isto é, criar um padrão otimista e irradiante depensenes. Esse padrão otimizado de pensenes, seguindo de acor- 63
  61. 61. jesus e a lei da atraçãodo com a lei da atração, tende a ser um padrão geral dasenergias que envolvem sua vida. Um movimento muitocomplexo que acompanha o universo, onde existem váriosníveis de energia e consciência, e que interagem conoscopor meio de nosso campo vibracional, gerado pelo nossopróprio padrão de pensenes. Analisaremos esta parte mais à frente e descobriremosmaneiras simples e práticas de alterarmos nossos padrõesde pensamentos, sentimentos e energia. O QUE A CONSCIÊNCIA PENSA (OU PENSENIZA) A CONSCIÊNCIA É. Waldo Vieira 64
  62. 62. 3 JESUS CRISTO Vou explicar-te mistérios que ninguém conhece; Existe uma expansão vasta e ilimitada; Jamais vista nem pelos próprios anjos; Habitada por um Espírito poderoso, invisível. Jesus Cristo (Evangelho de Judas) Este capítulo para mim é o mais importante, pois foijustamente pensando em Jesus Cristo que tive a idéia deescrever este livro. E esta idéia possibilitou uma expansãoincrível em minha vida, experiências cada vez mais inten-sas, sincronicidades e uma fase de grande comunhão com oconhecimento. Quando decidi escrever, eu sabia que não seria fácil re-latar a vida de Jesus Cristo da forma que eu entendo, e paracumprir tal tarefa eu percebi que deveria pesquisar diversasfontes, sem dogmas e sem preconceitos, apenas analisandoas informações de acordo com o meu ponto de vista, tirandominhas próprias conclusões. Tudo o que irei escrever nestecapítulo são minhas próprias idéias e conclusões, mas que,de uma maneira muito intensa, foram baseadas em meussentimentos quando consegui sentir o amor de Jesus Cris-to, e o divino que habita o interior de todos os seres desteuniverso. 65
  63. 63. jesus e a lei da atraçãoO Nascimento Alguns anos antes do nascimento de Jesus, sábios doOriente aguardavam ansiosamente sua chegada. Eles espe-ravam pela reencarnação de um ser muito especial que seriao salvador do mundo, o pastor que voltaria a iluminar a ter-ra dos Judeus. A mesma expectativa pela vinda de um salva-dor tomava conta de Jerusalém. O povo estava cansado daexploração e de pagar impostos a Roma. Os cidadãos de Je-rusalém clamavam por um salvador. Aguardavam ansiosa-mente que as palavras dos grandes profetas se cumprissem.Esse poderoso sentimento atraía o nascimento do Messias. O momento do nascimento estava próximo. Foi quandoapareceu um anjo à Maria, e lhe falou sobre o fruto sagra-do de seu ventre. O mesmo anjo que trouxe a mensagem aZacarias e à Isabel, que conceberam depois de muito velhosuma criança muito especial, a reencarnação do grande pro-feta Elias, João Batista. Maria sentiu todo o amor e a energia surgirem emseu corpo, irradiando sua alma. Foi então iluminada pelasemente divina de seu ventre e conduzida a um estado degraça. Seu marido, José, também foi avisado da procedênciadivina na gravidez de Maria e a acompanhou fielmente. Gaspar, Melchior e Baltazar eram reis sábios e grandesestudiosos de astronomia. Por anos aguardaram o sinal donascimento do Cristo. O sinal aguardado era o alinhamento do Pai Reluzente(Júpiter) e a Mãe (Vênus). Ao perceberem que a sincroniado universo estava caminhando para o tão esperado mo- 66
  64. 64. mautama Krishnarabimento, consultaram o oráculo, e confirmando suas expecta-tivas, concluíram que o dia do nascimento do filho de Deusestava próximo. Partiram então os três reis. Foi uma longa jornada, ini-ciada provavelmente na Pérsia (ou seria Índia?). Os três reisacompanharam atentamente os sinais dos astros. A energiado cosmo estava ficando cada vez mais iluminada, e as au-roras cada vez mais belas. O rei Herodes, aguardando pelo nascimento do Mes-sias, resolveu tomar atitudes drásticas e mandou todos oscidadãos voltarem a suas cidades natais, para descobrir apossível localização do filho de Deus. José e Maria iniciaram uma longa jornada. Maria estavagrávida, e o burrico era conduzido com muita coragem edeterminação por seu marido. O nascimento de Jesus estavapróximo. Depois de 104 dias, eles chegaram a Belém. Após uma longa viagem, os três reis chegaram a Jeru-salém. Foram muito bem recepcionados pelo rei da terra deIsrael, Herodes, que lhes proporcionou um enorme banque-te, mas ficou muito curioso com o motivo da vinda de reistão importantes. O medo de perder o trono, para o “Rei dos Judeus” queestava para nascer, tornou o rei Herodes paranóico, criandouma fobia intensa de que esse menino nascesse e um diatomasse o seu posto de rei. Sendo perspicaz, Herodes per-guntou aos seus reis convidados, qual era o motivo de tãonobre visita. Os reis responderam que o universo estava se alinhan-do, e que em breve nasceria um homem que iluminaria o 67
  65. 65. jesus e a lei da atraçãomundo, que seria o filho de Deus. Herodes pediu aos reisque quando encontrassem a criança divina, que lhe infor-massem a sua localização, para que também pudesse adorá-lo. Os reis magos seguiram em sua jornada e logo viram aestrela de Belém. Era uma energia indescritível, um alinha-mento perfeito do universo, marcado pelo nascimento deuma criança. A estrela iluminava intensamente Belém. A energia quepairava no ar era algo nunca visto. Os três reis se aproxima-ram do pequeno estábulo, para admirar a mais alta personi-ficação de Deus, agora na forma de um lindo ser humano. Maria pegou Jesus em seus braços sentiu todo o amorincondicional que essa criança abençoada veio trazer aomundo. Jesus era uma criança linda e irradiava uma energiaindescritível. Os reis magos ofereceram então suas especiarias. Trou-xeram ouro: para o rei dos reis; trouxeram incenso: para osacerdote dos sacerdotes; trouxeram mirra: para exaltar seusacrifício. “Ele é uma dádiva para toda a humanidade”, disseum dos reis, simbolizando toda a gratidão e felicidade quesentiam por terem presenciado o nascimento do filho deDeus, momento há muitos anos aguardado, e que mudariao mundo. José e Maria descansaram então da longa jornada, ago-ra com a criança iluminada em seus braços. Em um sonho,José recebeu o aviso: “Levante-se, pegue a criança e sua mãee fuja para o Egito. Fiquem lá até eu avisar, pois Herodes estáprocurando a criança para matá-la.” (Mateus 2:13) 68
  66. 66. mautama KrishnarabiJesus no Egito Herodes aguardava ansiosamente o retorno dos reis doOriente, que trariam a preciosa informação do local do nas-cimento do Messias. Mas os reis foram avisados por anjossobre as intenções de Herodes e resolveram seguir uma rotaalternativa no retorno para as terras do Leste. Enfurecido por ter sido “enganado” pelos reis magos,Herodes mandou sacrificar todas as crianças com até doisanos de idade, que habitassem Belém e suas proximidades. Sabendo da intenção de Herodes, um anjo avisou Joséque partiu em uma longa jornada de exílio no Egito. A passagem da família sagrada pelo Egito é muita bemdocumentada por Paul Perry, em seu livro Jesus no Egito. Oautor descreve com detalhes a rota da sagrada família, des-crevendo os locais por onde a família passou e várias lendase histórias relativas aos milagres de Jesus quando ainda eraum bebê. Pouco pode ser comprovado sobre as histórias de Jesusno Egito, mas muitos livros sobre o assunto já manifestamdiversos relatos dos milagres do menino Jesus. Muitas histórias sobre Jesus sobreviveram ao tempo esão passadas oralmente, geração por geração. Quando li so-bre o possível primeiro milagre feito por Jesus fiquei mara-vilhado. Durante a fuga da sagrada família, eles foram persegui-dos por soldados de Herodes. Ao entrarem no Egito, soli-citaram a um homem, que estava plantando melões, que 69
  67. 67. jesus e a lei da atraçãoinformasse aos soldados que a família havia passado por alienquanto ele semeava o campo. Assustado, o lavrador dis-se: — Mas se eu disser a eles que vocês passaram aqui en-quanto eu estava semeando, eles saberão que foi há um dia,pois como podem ver estou acabando de semear este cam-po. — Eu sei – disse Jesus (uma criança de colo), saltandodo colo de Maria. Em seguida fez surgir do chão uma fontede água. A água sagrada se espalhou pela plantação e, ins-tantaneamente, as plantas começaram a crescer e nasceramlindos melões. O lavrador olhava a obra do menino admi-rado. — Não queremos que minta – disse Maria. – Apenasdiga aos soldados – “enquanto você semeava este campo”. No outro dia, os soldados passaram e, conforme o pedi-do, o lavrador sem mentir, disse que a família havia passadoenquanto semeava o campo. Os soldados calcularam algunsmeses de distância tendo em vista o tamanho dos melões eacabaram desistindo da perseguição à sagrada família, re-tornando para Israel. Maria, Jesus e José puderam continuarsua jornada pelo Egito. Esta é apenas uma das muitas histórias maravilhosassobre o Cristo no Egito, e em cada lugar que a família sagra-da passou, existe alguma história ou evidência de que todosos locais visitados por Jesus são, de certa forma, especiais. O Egito é um lugar de muito misticismo. Antigas or-dens e a religião egípcia estudavam conhecimentos muitoprofundos. Conhecimentos como, o que há além da vida, 70
  68. 68. mautama Krishnarabiviagens astrais, manipulação de energias e outros rituaiseram comuns nas doutrinas egípcias e faziam parte das dou-trinas secretas que deram origem às diversas ordens, como aOrdem Rosa Cruz e a Maçonaria. Considerando a grande personalidade que foi JesusCristo, podemos sugerir que era um prodígio, um superdo-tado, que desde criança encantava os mais velhos com suaspalavras sábias e de difícil compreensão. A curiosidade e inteligência do menino Jesus podemter se encontrado com a cultura egípcia, logo nos primeirosanos de vida. O que será que Jesus aprendeu com sua vivência noEgito? Que tipo de influência a cultura egípcia teve sobre apersonalidade do Cristo? Será que algum dia ele voltou aoEgito? Perguntas como estas continuam sem respostas con-vincentes. A única conclusão a que consigo chegar sobre oassunto é que Jesus passou por muitas experiências no Egitoe deixou para trás muitas lições de amor e uma lista enormede milagres.O Menino Jesus Da mesma forma milagrosa que a família sagrada foiavisada para fugir para o Egito, veio a mensagem celestialque trazia boas novas: “Levante-se, pegue a criança e a suamãe e volte para a terra de Israel, pois as pessoas que que-riam matar o menino já morreram.” Ouvindo o aviso doanjo, José partiu com sua família para a terra de Israel, com 71
  69. 69. jesus e a lei da atraçãodestino a Nazaré, pois segundo as profecias o Messias seriachamado de O Nazareno. Jesus era diferente das outras crianças, parecia distantee difícil de governar. Mesmo assim era amado por todos naregião de Nazaré. A compaixão, felicidade e a sabedoria, ilu-minavam o coração do menino Jesus desde jovem. Ele distribuía às crianças, doces feitos pela avó Ana(mãe de Maria), antes mesmo de prová-los. Subia em poma-res para alcançar frutas para outras crianças e raramente ascomia. Se fosse mais rápido em uma brincadeira de corrida,diminuía o ritmo para que o amigo pudesse ganhar. Jesus era um menino especial. Seus dons mediúnicos au-mentavam com o passar dos dias. Quando Ana levava Jesuspara dormir, o pequeno Messias dizia: “Diga à minha mãe eaos outros, que só meu corpo dormirá. Meu espírito estarácom eles até que seus espíritos venham ao meu amanhecer.”Com estas palavras, Jesus sugere ter uma incrível habilidadede permanecer lúcido enquanto dorme, realizando proje-ções de consciência contínua, ou seja, eternamente lúcido econsciente de sua vida e de seu propósito, agindo com dis-cernimento e compaixão em mais de uma dimensão. Tal habilidade conferiu ao Cristo uma evolução es-piritual acelerada, pois sua vivência era contínua e estavaconstantemente em contato com o Pai. Mas como todo serhumano, Jesus também pensava em muitas coisas. Muitosde seus pensamentos eram comuns aos de outras crianças.Como todos nós, Jesus também cresceu e foi educado pelospais, e apesar de toda sua essência divina, ele possuía umcorpo humano, o que restringiu a consciência do Cristo ao 72

×