Introduçãoao gestão de projetos

176 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
176
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introduçãoao gestão de projetos

  1. 1. Introdução a Gestão de Projetos 1
  2. 2. Conceitos em Gestão de Projetos 2
  3. 3. Projeto O que é um Projeto ? O que é a Gestão de Projetos ? Quais os processos envolvidos na Gestão de Projetos ? O que incluir ? Qual o Objetivo ? 3
  4. 4. O que é ? Temporário Resultados Exclusivos Elaboração Progressiva Possui Objetivo 4
  5. 5. Projetos são autorizados com resultado de: Demanda de mercado. Necessidade organizacional. Solicitação de um cliente. Aquisição de nova tecnologia. Requisito legal. 5
  6. 6. O que é Gestão de Projetos ? É a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de atender os seus requisitos. 6
  7. 7. Processos no Gerenciamento de Projetos 7 Planejamento Iniciação Execução Controle Encerramento
  8. 8. O que incluir ? Identificação de requisitos. Estabelecimento claro de objetivos. Balanceamento das demandas conflitantes. Adaptações necessárias. 8
  9. 9. Qual o Objetivo ? Satisfazer um cliente, para tanto, escopo, custo e qualidade devem estar em equilíbrio que vise atender a esta satisfação. Escopo, Tempo e Custo é o que alguns autores denominam tríplice limitação da gestão de projetos. 9
  10. 10. Histórico 10
  11. 11. Histórico Grande Muralha da China Projeto Manhattan Projeto Polaris Projeto Apollo Surgimento do IPMA (1965) e do PMI (1969) 11
  12. 12. Projeto Apolo 12
  13. 13. 13
  14. 14. PERT e CPM Técnicas de cronogramação de projetos. PERT – program evaluation and review technique CPM – critical path method. Formalizam o início da gestão de projetos 14
  15. 15. Evolução 15
  16. 16. CUSTOS TEMPO QUALIDADE Década de 50 Projeto Polaris (1958) utilizou o PERT e deu inicio a formalização da gestão de projetos.
  17. 17. CUSTOS TEMPO QUALIDADE ESCOPO Década de 70
  18. 18. ESCOPO EAP CUSTO TEMPO QUALIDADE
  19. 19. Verificou-se que as causas de fracasso não estavam ligadas as variáveis técnicas . Preocupação com as pessoas e com os clientes passa a ser relevante. 19
  20. 20. CUSTOS TEMPOQUALIDADE ESCOPO RISCOS COMPRAS PESSOAS COMUNICA- CÃO Década de 80 PMBOK
  21. 21. CUSTOS TEMPO QUALIDADEESCOPO RISCOS COMPRAS PESSOAS COMUNICA- CÃO INTEGRAÇÃO Década de 90
  22. 22. Definições 22
  23. 23. Definições - 1 Ciclo de Vida Fases Etapas Atividades Atividades Resumo ou Pacotes de Trabalho Recursos Marcos ou Entregas 23
  24. 24. Fases (Genéricas para todos os projetos) Etapas (Específicas da Natureza do Projeto) Atividades (Específicos de cada Projeto) 24
  25. 25. 25 ATIVIDADE RESUMO 1 ATIVIDADE RESUMO 2 ATIVIDADES
  26. 26. 26 SUBATIVIDADE 1 SUBATIVIDADE 2 SUBATIVIDADE 3 SUBATIVIDADE 4 ATIVIDADE RESUMO MARCO CALENDÁRIO
  27. 27. 27 ATIVIDADE RESUMO ATRIBUIR RECURSOS Impactam duração da atividade mais até um certo limite ! MARCO
  28. 28. Definições - 2 Escopo EAP Linha de Base Caminho Crítico 28
  29. 29. 29 ESCOPO EAP PROBLEMA JUSTIFICATIVA OBJETIVOS RESULTADOS ESPERADOS ABRANGÊNCIA
  30. 30. 30 ESCOPO EAP CUSTO TEMPO QUALIDADE
  31. 31. 31 EAP FASES ETAPAS ATIVIDADES ESCOPO
  32. 32. Linha de Base O que é ? Quantas ? Para que serve ? Diferença de Orçamento para Custo 32
  33. 33. Linha de Base - Planejado ETAPA1 : ATIVIDADE RESUMO ETAPA2 : ATIVIDADE RESUMO ETAPA1 : ATIVIDADE RESUMO ETAPA2 : ATIVIDADE RESUMO Orçamento Custo Executado
  34. 34. Caminho Crítico Define o tempo que levará o projeto Define as Atividades Críticas Pode ser alterado 34
  35. 35. Definições - 3 Portfólio Programa Projeto Subprojeto 35
  36. 36. 36
  37. 37. PMI e PMP 37
  38. 38. 38
  39. 39. 39
  40. 40. 40
  41. 41. 41
  42. 42. Ciclo de Vida 42
  43. 43. 43
  44. 44. Fases (Genéricas para todos os projetos) Etapas (Específicas da Natureza do Projeto) Atividades (Específicos de cada Projeto) 44
  45. 45. 45 PROJETO FASE 1 FASE 2 ENTREGA 1 ENTREGA 2.1 ENTREGA 2.2 ENTREGA 2.2.1 ENTREGA 2.2.2 PT 2.2.1.1 PT 2.2.1.2
  46. 46. 46 Definir as Atividades Estimar os Recursos Seqüenciar as Atividades Estimar as Durações Desenvolver Cronograma
  47. 47. Recursos Pessoal Equipamento Material 47
  48. 48. FASE 1 FASE 2 FASE 3 FASE 4 CICLO DE VIDA
  49. 49. Organização e GP 49
  50. 50. Relação entre GP,PDCA e BSc 50
  51. 51. Visão Missão Estratégia Planejamento e Gestão das Operações Planejamento e Gestão dos Projetos Gestão das Operações (atividades recorrentes) Gestão de Projetos (atividades não recorrentes) Recursos Organizacionais 51
  52. 52. Gestão de Projetos Gestão das Operações Não existem rotinas, todas as atividades devem ser gerenciadas Atividades são rotinas, permite o gerenciamento por exceção Falta de rotina provoca conflitos, gerir conflitos é uma habilidade importante Devido à rotina , os conflitos acontecem menos O sucesso depende criticamente de bom planejamento Sucesso é menos dependente do planejamento: Orçamento futuro é geralmente uma alteração do orçamento passado Multidisciplinaridade exige que o trabalho seja realizado cruzando as fronteiras organizacionais Maior parte do trabalho existe dentro de departamentos e setores. Interação existe mas não é substancial Gerente de projeto em geral tem pouca autoridade sobre a equipe de projeto e em geral não há relação de subordinação entre o gerente e sua equipe Relações de subordinação são bem definidas com autoridade clara do gerente sobre sua equipe 52
  53. 53. BSC e Gestão de Projetos Ações sugeridas pelo BSC podem ser transformadas em projetos. Os projetos podem utilizar o BSC para efeito de avaliação de desempenho. 53
  54. 54. Finanças Aprendizado e Crescimento Clientes Processos Missão e Visão Objetivos Indicadores Metas Ações Objetivos Indicadores Metas Ações Objetivos Indicadores Metas Ações Objetivos Indicadores Metas Ações 54
  55. 55. PDCA e Gestão de Projetos 55 Planejamento Controle Execução
  56. 56. 56 Planejamento Controle Execução Iniciação Finalização Iniciação Finalização
  57. 57. Portfólio de Projetos (PPM) Iniciativas estratégias podem ser colocadas no formato de portfólio de projetos. Permite fazer o alinhamento das estratégias com os projetos sobre a ótica do negócio. Uma opção seria utilizar Valor versus Risco na definição dos projetos. 57
  58. 58. Técnica AHP Pode ser utilizada para escolher os projetos prioritários de um portfólio. Diversas empresas fornecem software para apoio no uso da técnica AHP. AHP – Analytic Hierarchy Process 58
  59. 59. 59
  60. 60. Comunicação em GP 60
  61. 61. Comunicação GP é ponto focal e deve ser o integrador da comunicação. Existem os fluxos normais e eventuais em projetos. 61
  62. 62. Fluxo de Comunicação 62
  63. 63. Excelência em GP 63
  64. 64. Excelência (Kerzner, 2000) Processos integrados. Cultura. Apoio gerencial. Excelência comportamental. Treinamento e desenvolvimento. Gestão Informal de projetos. 64
  65. 65. Sucesso e Fracasso 65
  66. 66. Sucesso ou Fracasso ? Depende de quem avalia ! Sucesso em GP esta relacionado ao alcance do objetivo planejado. Fracasso em GP esta relacionado ao não alcance de objetivos planejados. 66
  67. 67. Fatores que evidenciam o sucesso ! Resultados obtidos dentro do prazo e do orçamento. Stakeholders, em sua maioria, estão satisfeitos. 67
  68. 68. Fatores que evidenciam o fracasso ! Projeto excedeu custos e prazos. Stakeholders insatisfeitos com ao resultados alcançados. Projeto cumpriu as exigências mas não atingiu os objetivos. 68
  69. 69. Áreas de Especialização 69
  70. 70. Equipe deve utilizar conhecimento e habilidades de cinco áreas de especialização: Conjunto de conhecimentos em GP. Conhecimentos, Normas e Regulamentos da área de aplicação. Entendimento do ambiente do projeto. Conhecimento e Habilidades de gestão em geral. Habilidades Interpessoais. 70
  71. 71. Questões ? 71

×